Arquivo Mensal

Março 2017 - page 2

Hélder Gonçalves é 3º no”BTT-XCO Tesouros do Ave”

Atualidade/Concelho/Desporto port

Este domingo realizou-se o 1º “BTT-XCO Tesouros do Ave”, prova pontuável para o Campeonato do Minho.



Hélder Gonçalves, em Juniores, esteve em especial destaque, ao terminar no 3º posto, mesmo após ter sido alvo de uma aparatosa queda, que o levou a perder algum tempo para a frente da corrida.

17555044_1268909666512073_1023483193_n

Em destaque esteve, igualmente no mesmo escalão, Vinício Rodrigues, que foi 5º classificado. Nos Master 30, Hélder Braga foi 7º classificado e Carlos Saleiro, em Master 40, foi 9º. Em Cadetes esteve em prova Vítor Costa, que arrecadou um brilhante 8º Lugar.




Quanto às Escolinhas, mais uma vez estiveram em grande plano, arrecadando o 2º lugar da Classificação geral coletiva.

prova_1220_10

Para isso contribuíram os seguintes resultados:

Em Juvenis, Luís Lobo foi 7º Classificado e Guilherme Rodrigues 17º. Em Juvenis Femininas, Nicole Gonçalves foi 2ª classificada. Nos Infantis, João Martins foi o grande vencedor e Dinis Saleiro foi 8º, Rui Santos 9º, Gabriel Baptista 11º e Paulo Fernandes 13º. Em Iniciados, Gonçalo Rodrigues foi 9º e Leandro Martins 11º. Em Benjamins, Martim Figueiredo foi 3º e Afonso Pereira 7º. Já em Benjamins Femininos, Adelaide Palmeira foi 2ª classificada.

Fonte e imagens: ACR Roriz Cycling Team e Diogo Almeida Fotografia.




Hoquistas do Óquei de Barcelos convocados para a seleção

Atualidade/Concelho/Desporto port

Portugal participa, de 12 a 16 de Abril, na Taça das Nações, prova histórica também conhecida por Torneio de Montreux, apontando ao triunfo final pela quinta vez consecutiva, mas também à preparação para o Campeonato do Mundo que, em Setembro, decorrerá na China.




Luís Querido e Miguel Vieira, do OC Barcelos, fazem parte do lote de jogadores escolhidos para representar Portugal nessa competição.

17622314_1369657099747301_489964343_o
Luís Querido

Neste que será o primeiro compromisso da principal Selecção Nacional após a conquista do Campeonato da Europa, Portugal integra o grupo A, com Espanha, Angola e Chile.

Num evento com um cartaz muito competitivo, o grupo B contará com Argentina, Itália, França e o HC Montreux.

Atletas Convocados:

Guarda-Redes:

Nélson Filipe (FC Porto)

Pedro Henriques (Reus Deportiu, ESP)

Defesas:

Henrique Magalhães (HC Liceo, ESP)

Luís Querido (OC Barcelos)

Defesas-Médio:

Hélder Nunes (FC Porto)

Universais:

João Rodrigues (SL Benfica)

José Rafael Costa “Rafa” (FC Porto)

Miguel Vieira “Vieirinha” (OC Barcelos)

Avançados:

Gonçalo Alves (FC Porto)

João Souto (UD Oliveirense)

Seleccionador nacional: Luís Sénica.

17548956_1369657406413937_108205191_o
Miguel Vieira

 

Por: Miguel Bastos.

Fotos: Ana Especial e FPP.




Sedução

Atualidade/Concelho/Cultura/Opinião port
joanamartins
Joana Martins

Cruzam-se no olhar

Emergem na atracção

Solta-se o despertar

De pura sedução.

 

E os corpos se enlaçam

Apenas nesse olhar

Os sentidos se devoram

E a pele, se gela, no arrepiar.

 

E bate forte o coração

Quase querendo saltar

Do peito a sensação

Da sedução a palpitar.

 

E brilha o sorriso

Trémulo de timidez

No incerto e impreciso

Mato as palavras com mudez.

 

Seduzo e me deixo seduzir pela vida!

 

Por: Joana Martins*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)




Cadetes da ACR Roriz vencem “III Circuito Cidade da Trofa”

Atualidade/Concelho/Desporto port

No último domingo realizou-se o “III Circuito Cidade da Trofa”, prova pontuável para o Campeonato Regional da Associação de Ciclismo do Porto.




A equipa de Cadetes da ACR Roriz Seissa | KTM-BikeSeven | Matias&Araújo | Frulact esteve em especial evidência, ao conquistar o 1º lugar da Classificação Coletiva, tendo para isso contribuído o 3º, 4º, 5º e 6º lugar dos atletas João Carvalho, Bruno Silva, Manuel Barbosa e Pedro Silva, respectivamente. Lucas Braga foi 13º, Sandro Macedo 26º, Cesar Eiras 27º e Nuno Fernandes 42º.

17424990_717911241714435_5552506967570297521_n

Já em Juniores, o melhor classificado da formação barcelense foi José Vieira, com o 6º lugar. Pedro Lopes foi 11º, Carlos Vale 28º e Luís Barbosa 40º, sendo que, colectivamente, alcançaram o 4º posto.

Em Juvenis, destaque para o 4º lugar de Diogo Saleiro. João Serre foi 20º e Sérgio Saleiro e Diogo Carreiras foram 22º e 23º, respetivamente.

17554107_640254156171768_1696440893526644877_n

Em Pupilos/Benjamins, Dinis Carreiras foi 3º.

Nos Infantis, Henrique Lopes foi 6º e Diogo Miranda 11º.

Coletivamente, terminaram em 4º Lugar da classificação coletiva em Escolas.

Fonte e imagens: ACR Roriz Cycling Team




A festa começou…o festival SEISSA – RORIZ também

Atualidade/Concelho/Desporto/Opinião port
antonio matias
António Matias

Foi entre Fafe e a Póvoa de Lanhoso que se desenrolou a prova de Abertura para o escalão júnior.

O stress da pré-época acabou. Agora é só adrenalina pura a circular na veia dos nossos campeãozinhos. Talvez isso tenha ajudado a que algumas quedas bastante aparatosas, mas esperemos que menos graves, acontecessem na primeira corrida da época. No entanto, a adrenalina das corridas envolve-nos a nós também, diretores e treinadores, de tal maneira que nos faz apaixonar por esta modalidade espetacular e popular, fazendo-nos sentir, também, que a partir de agora acabou o stress, porque temos a rapaziada preparada para encarar a temporada, os materiais todos nas melhores condições e os carros todos afinadinhos.




Agora é só escutar o rádio-volta e agir: “- Roriz, água!”; “- Barcelos, furo na roda da frente!”; “- Maia, queda de ciclista à direita!”; “- ADRAP, esse bidão tem cola ou quê?”

E lá vou eu, e lá vai ele e lá vamos todos. Às vezes todos à molhada. Um dia destes eu conto-vos algumas dessas molhadas.

Isto tudo para vos dizer que me sinto feliz porque para mim o ciclismo é uma festa.

Reportagem do carro de apoio

Na estrada, os juniores de Roriz estão a dar espetáculo! Em Fafe, foi Pedro Lopes, a correr em casa, que quis mostrar todo o seu power numa fuga em que foi o principal impulsionador. Francisco Moreira mostrou, também, a sua capacidade, saltando para a fuga com inteligência e tendo chegado também com os da frente. Também Fábio Costa, do CC Barcelos, mostrou, em Fafe, que leva o ciclismo a sério, estando em grande com o seu segundo lugar. Mas a vitória, essa foi para Pedro Teixeira do Maia. Resumindo, Roriz ganha por equipas mas não ganha a geral individual.




Em Alcobaça, primeira prova da Taça de Portugal, Roriz “mete toda a carne no assador”. Primeiro foi servido “galo de Barcelos” (Renato Costa), mas do duro, para dificultar a digestão dos adversários no primeiro prémio de montanha. Na segunda montanha, “carne dura” do “leão de Guimarães”, Pedro Lopes. Na última subida, a ementa foi “garnizé”: Foi mais um ataque demolidor do nosso trepador Hélder Gonçalves. Depois da última meta de montanha, foi o teste de Francisco Moreira para o contra-relógio de Zambujeira-do-Mar (segunda prova da Taça). Para se aguentar 20 quilómetros em fuga solitária é preciso ser bom contra-relogista e o Francisco já deu provas disso. Entretanto, o rádio-volta vai informando: “- Aos 95 kms Francisco Moreira em fuga, a vantagem é 10 segundos!”, “- Aos 98 kms o fugitivo aumenta a vantagem para 20 segundos!”, “- A 5 kms da meta o fugitivo aumenta a diferença para o pelotão: Agora são 55 segundos!”. Com a vitória eminente, a ansiedade toma conta de mim, toma conta do diretor desportivo e em desespero, sentindo que não estava a invocar o nome de Deus em vão, rezei para que Deus permitisse que houvesse justiça: “- Pater nostrum qui es in coelum, sanctificetur nomen tu um, fiat volumptas tuas…”. Repeti uma, duas, três vezes e ainda uma, duas, três vezes: “- Ave maria gracia plena…”. Obriguei violentamente o César a repetir comigo “- Pater nostrum qui es in coelum.” E ele repetiu “- Panem ostrum esclorum”. Fiquei com dúvidas que Deus compreendesse o pobre latim do meu querido condutor e continuei a rezar sozinho a minha oração preferida, que foi Jesus que nos ensinou, com certeza em latim pois era a língua oficial do império Romano: “- Pater nostrum qui es in coelum…” e fez-se justiça:

Franciscus vincit. Roriz vincit 

Por: António Matias* (professor)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)




Óquei de Barcelos soma oitavo triunfo em casa

Atualidade/Concelho/Desporto port

Na receção ao Riba d’Ave, a equipa do OC Barcelos somou mais três pontos no campeonato, com o triunfo por 6-2.

Foi a melhor estreia para novo treinador Paulo Pereira que, pela primeira vez, dirigiu a equipa em Barcelos, depois de ter estado em Vale de Cambra, para a Taça de Portugal.



Diante da turma de Famalicão, o OC Barcelos, já demonstrava, ao intervalo, toda a sua superioridade, com dois golos de Joca Guimarães e um de Álvaro Morais.

No segundo tempo, o OC Barcelos dominou, marcou mais três golos (Reinaldo Ventura, Miguel Vieira e Álvaro Morais) e controlou por completo o encontro, permitindo, apenas, que o seu adversário fizesse dois golos.




No campeonato, o OC Barcelos continua no quinto lugar, agora com trinta e cinco pontos e a seis de distância do Sporting, próximo adversário na prova.

Mas antes, no próximo fim de semana, desloca-se ao Pico (Açores), para lutar pela passagem aos quartos de final da Taça de Portugal, diante do Candelária.

Por: Miguel Bastos.

Foto: Ana Especial.




Câmara responde a PSD através de comunicado

Atualidade/Concelho/Política port

Na sequência de um infomail do PSD, datado de 15 de março, e assinado pelo presidente da Comissão Política de Secção do PSD Barcelos, José Novais, no qual este aponta várias críticas ao trabalho realizado pelo executivo do Partido Socialista, a Câmara Municipal de Barcelos reagiu em comunicado, que se transcreve na íntegra, abaixo:

cmb-logo-municipio

«Câmara Municipal de Barcelos

Comunicado

O Sr. Presidente da Comissão Política Concelhia do PSD de Barcelos emitiu mais um comunicado, no dia 27 de março de 2017, na linha das comunicações que tem vindo a fazer para títulos na imprensa. E sobre o mesmo pouco ou nada haveria a dizer, não fosse a gravidade das mentiras e deturpações que ali se dizem sobre a postura do Presidente da Câmara e do Partido Socialista quanto ao problema da concessão das redes públicas de água e saneamento no concelho de Barcelos.

Assim, impõe-se esclarecer o seguinte:

1. Não foi o atual Presidente da Câmara nem o PS que aprovaram o contrato de concessão das redes públicas de água e saneamento no concelho do Barcelos.

2. Os barcelenses sabem quem foi o autor e responsável pelo contrato e quem tudo fez para que o mesmo fosse aprovado tal como está: o PSD!

3. Se o PSD entende que os termos do contrato são maus, que o assuma de uma vez por todas e peça desculpa aos barcelenses pela sua própria irresponsabilidade. Não pode é fazer de conta que nada tem a ver com a realidade do contrato em vigor e atirar para cima de outros a sua própria culpa. Sejamos claros: o contrato é só um e foi feito e aprovado pelo PSD em 2004!

4. O PS sempre se opôs a este contrato ruinoso e não permitirá que a demagogia e a manipulação política à volta deste assunto enganem os barcelenses;

5. O Presidente da Câmara Municipal não interfere na gestão da empresa concessionária e não se pronuncia sobre os seus atos. E nem podia ser de outra maneira, pois a empresa tem personalidade jurídica própria, tem órgãos e estatutos próprios, pelo que só a ela compete a gestão das redes de água e saneamento. Assim, qualquer notificação ou informação da empresa concessionária à população responsabiliza apenas a empresa e não a Câmara Municipal;

6. A Câmara Municipal não pode continuar a praticar a redução dos custos de ligação dos ramais, depois da Inspeção Geral da Aministração Local (IGAL) ter considerado tais reduções ilegais. Como é do conhecimento público, na sequência da ação inspetiva daquele organismo, em 2011, o assunto transitou para investigação no Departamento de Investigação e Ação Penal;

7. Desde que tomou posse no primeiro mandato, em novembro de 2009, o Presidente da Câmara Municipal já conheceu quatro conselhos de administração da empresa Águas de Barcelos, SA. Com todos manifestou inteira disponibilidade para negociar os problemas detetados na concessão, tendo como único objetivo a defesa dos interesses dos barcelenses. Foi neste espírito de abertura negocial que foi possível obter um acordo de princípio para o resgate da concessão (em novembro de 2015) e para outras soluções que estão, atualmente, em análise.

Concluindo,

O Presidente da Câmara Municipal e o PS sempre puderam falar claro aos barcelenses sobre o contrato de concessão.

Infelizmente, o PSD e o seu Presidente da Comissão Política – Eng.º José Novais – não podem dizer o mesmo.

Como se vê pelo comunicado do dia 27 de março, insistem em deturpar a verdade dos factos e em tentar aligeirar a sua responsabilidade pelo contrato de concessão das redes de água e saneamento.

Por último, a Câmara Municipal vem denunciar mais esta tentativa do PSD de perturbar as negociações que tem vindo a desenvolver com a empresa Águas de Barcelos, SA, no sentido de ultrapassar os problemas da concessão e garantir aos barcelenses que continua fortemente empenhada numa solução final justa e equilibrada para os munícipes e para a empresa.

Barcelos, 28 de Março de 2017

Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Barcelos»

Fonte e imagens: Município de Barcelos.




Concerto de Quaresma pelo Conservatório de Música de Barcelos

Atualidade/Concelho/Cultura port

No passado dia 24 de março, o Conservatório de Música de Música (CMB) realizou um Concerto de Quaresma na Igreja do Recolhimento da Casa Menino Deus. Este Concerto, o primeiro de um ciclo de concertos enquadrados neste período, teve como protagonistas alunos solistas e classes de conjunto do CMB, que apresentaram um programa variado com predominância da música sacra.




De forma a assinalar o ano mariano, foram interpretadas as “Ave Maria” de C. Franck e T. Vitoria pelo Coros SemiGaltom e Galtom respetivamente, juntando a este último o motete de A. Bruckner “Locus iste”. A obra de J.S. Bach enquanto “esqueleto” do programa tornou-se visível pela alternância dos momentos entre as obras do compositor de Leipzig e dos restantes compositores, primeiro com a ária “Ich folge dir” (Eu te seguirei), seguindo-se com a ária “Bist du bei mir” (Tu estás comigo) interpretadas pelas cantoras Cláudia Pereira e Tânia Macedo respetivamente.

007

A presença da obra de J.S. Bach no programa deste Concerto culminou com o exigente Concerto para dois Violinos e Orquestra BWV1043, que teve como solistas os alunos Joana Ribeiro e João Carvalho, com a Orquestra de Cordas CMB sob a direção do Prof. Jorge Teixeira, tendo sido a sua performance marcante pela sua complexidade e pela juvenilidade dos seus intérpretes, tanto dos elementos da orquestra como especialmente dos solistas.

011

O programa ficou completo com partes de duas obras simbólicas: a primeira o Sanctus, Benedictus e Agnus Dei, da Missa a 4 para Coro e Órgão, do compositor barcelense Miguel Ângelo Pereira e o Libera me e In Paradisum do Requiem op.48 de G. Fauré, obra que substanciou a temática do Concerto, tendo sido estes dois momentos interpretados pelo Coro do CMB e pelo Coro dos Pequenos Cantores do CMB.




No final, o público que encheu a Igreja manifestou, de forma expressiva, o seu agrado pelo momento musical que lhes foi presenteado, não só pela qualidade apresentada, mas também pela emoção vivida.

010

De referir que no próximo dia 31 de março, pelas 21:00, o CMB irá realizar um Concerto com as obras completas Requiem op.48 de G. Fauré e a Missa a 4 para Coro e Órgão do compositor barcelense Miguel Ângelo Pereira, no Pátio Luiz Costa, no Conservatório de Música de Barcelos, seguindo-se o último Concerto deste ciclo, no dia 02 de Abril, pelas 16:30, na Igreja Matriz de Barcelos.




Fonte e imagens: CMB.

Uma questão de estilo e de falta de respeito

Atualidade/Mundo/Opinião/Política port
raquelsfernandes
Raquel dos Santos Fernandes

Fiquei bastante descansada quando a porta-voz do Ministro das Finanças alemão afirmou que o Sr. Ministro Schauble “apreciava muito” o trabalho de Dijsselbloem e que o governo alemão apoiava o Sr. Presidente do Eurogrupo. Fiquei ainda mais descansada quando Dijsselbloem explicou que o seu “estilo é direito” e que o seu comentário “pode ser explicado com a cultura de rigor holandesa”.

Ora, com esta justificação, fica também explicado o porquê do estilo “direto” apenas visar a crise económica dos países do sul. E, por isso, fiquei descansada… porque o Sr. Dijsselbloem, que se havia esquecido da “cultura de rigor holandesa” quando introduziu no seu currículo um Mestrado em “Economia Empresarial”, pela irlandesa University College Cork, não só recuperou o “rigor”, como se lembrou que os irlandeses eram uns amigalhaços porque só revelaram a inexistência de tal mestrado um ano após a sua eleição para a Presidência do Eurogrupo.

Dijsselbloem sabe que tem os dias contados à frente do Eurogrupo e sabe também que Mark Rutte e o seu partido dificilmente contarão com os sociais-democratas para formar governo. Por isso, procurou um pouco de publicidade barata e, ao mesmo tempo, procurou embelezar o sorriso de Schauble. Porém, talvez não tenha previsto que o seu discurso viesse a alimentar a indignação dos mais suscetíveis ao populismo e à oratória nacionalista, o que poderá desfear o sorriso dos patronos germânicos.

Após as declarações de Friederike von Tiesenhausen, porta-voz do Ministério das Finanças alemão, de que as palavras de Dijsselbloem haviam sido pronunciadas num contexto totalmente diferente do noticiado, procurei a entrevista original publicada no “Frankfurter Allgemeine Zeitung” e o que verifiquei foi uma clara alusão aos nórdicos ao estilo dos heróis românticos de Garrett (Conhece Garrett, Dijsselbloem? Adorava mulheres, bem ao estilo sulista). O que não verifiquei foi qualquer tipo de manifestação de respeito aos povos de sul, os anti-heróis desta narrativa.

Entristece-me que ainda se verifique esta espécie de apartheid social europeu! Não lhe peço que forre barrigas famintas, mas exijo-lhe respeito. E isso, caro Dijsselbloem, não li no seu discurso. E, por isso, afinal, não estou descansada… Estou indignada porque, como diz um ditado bem cá do sul da Europa, “quem não se sente, não é filho de boa gente”!

Por: Raquel dos Santos Fernandes*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)




Atualidade/Opinião port
foto gi cronica
Gisela Vale

Neste artigo de hoje vou falar sobre o fim de semana. 🌸

Quando chegamos à quarta-feira, o dia que marca a metade da semana, pensamos que já só faltam dois dias para o fim de semana. E quando chega o fim de semana…yeahhhhh!!

Chega a sexta feira e é dia de ir para a “balada” 😊. Bar, discoteca, restaurante ou reunirmo-nos na casa de um amigo 😊. É ótimo porque chegaram os dias da cervejinha, sem preocupação e responsabilidade do trabalho.

Parou, por umas horas, o stress do dia a dia e só pensamos nuns minutos relaxados com a família ou amigos.

Devemos aproveitar estas horas o máximo possível porque estas são muito inferiores às horas de trabalho 😊. E a nossa mente precisa mesmo destes momentos para recarregar baterias para a semana que vem pela frente 😊.

Sejam felizes na companhia de quem mais gostam 😊.

Por: Gisela Vale*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)




Ir Para Cima