Arquivo Mensal

Novembro 2017 - page 11

Gil Vicente perde em casa com o Famalicão

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Em jogo disputado hoje, no Estádio Cidade de Barcelos, o Gil Vicente foi derrotado pelo “vizinho” FC Famalicão, por 1-2.



A equipa orientada por Jorge Casquilha alinhou de início com Rui Sacramento, Henrique Brito, Vítor Tormena, Rui Faria (Valdeir, 80’), Ricardinho, Miguel Abreu, Reko (André Fontes, 62’), Jonathan Rubio (João Pedro, 73’), Camara, James Igbekeme e Fall. No banco ficaram Júlio Neiva, Luís Tinoco, Tiger e Gabriel.

Já a equipa orientada por Dito alinhou com Gabriel Souza, José Pedro, Jorge Miguel, Joel Monteiro, Willian (Fred, 71’), João Mendes, Vítor Lima, João Faria, Feliz (Denner, 89’), Hocko e Rui Costa (Michael Thuíque, 84’). No banco ficaram Nuno Castro, Ângelo Meneses, Diogo Cunha e Jaime Poulson.

No campo da disciplina, Jonathan Rubio, dos da casa, foi admoestado com um cartão amarelo aos 69 minutos. Já da parte dos famalicenses, José Pedro (9’), Willian (44’) e Vítor Lima (51’) foram os “amarelados”. O jogo foi arbitrado por Gonçalo Martins (AF Vila Real), coadjuvado por Bruno Trindade e Ângelo Carneiro, sendo Duarte Oliveira o 4º árbitro.

Este foi um jogo equilibrado, com as estatísticas a comprovarem isso mesmo. Assim, a posse de bola foi de 50% para ambas as equipas, 7-8 em remates, 16-18 em faltas, 3-7 em cantos e 1-3 em cartões amarelos. Não houve expulsões.

O Gil Vicente saiu para o intervalo a vencer por 1-0, com um golo do nigeriano James Igbekeme mesmo a fechar, aos 45 minutos. No entanto, nos primeiros 20 minutos da 2ª parte, os comandados de Dito deram a volta ao marcador, com dois golos de Rui Costa, aos 56 e aos 66 minutos.

Após isso, os gilistas tentaram mudar o rumo das coisas, com Casquilha a trocar um defesa (Rui Faria) por um médio mais ofensivo (Valdeir), depois a trocar um médio (Rubio) por um avançado (João Pedro). Do outro lado, Dito tratava de “fechar a casa”, trocando um avançado (Willian) por um médio (Fred) e, já muito perto do fim, trocou um avançado (Feliz) por um defesa (Denner). A estratégia dos forasteiros resultou, com a equipa da casa a não conseguir, sequer, garantir um empate.

Arroz Pica no Chão servido à mesa por 27 restaurantes do concelho

Atualidade/Concelho/Cultura port

No próximo fim de semana de 11 e 12 de novembro, a Câmara Municipal de Barcelos promove um dos emblemáticos pratos da gastronomia barcelense e minhota: o Arroz Pica no Chão.



A esta iniciativa aderiram 27 restaurantes do concelho que se propõem a integrar nos seus cardápios o Arroz Pica no Chão, um prato que faz parte do vasto e rico património gastronómico regional, mas que assume em Barcelos uma importância capital no quadro gastronómico local.

O Fim de Semana do Arroz Pica no Chão, que já vai na sua oitava edição, visa promover as mais-valias turísticas da gastronomia barcelense, potenciadas pela figura e simbologia do Galo de Barcelos. A organização refere que “pretende-se associar o galo e a produção do artesanato barcelense a outras áreas de relevância cultural e do património imaterial, como é a gastronomia, criando produtos turísticos integradores das tradições locais e regionais e, ao mesmo tempo, dinamizar o setor da restauração e da economia local”.

Esta ação está inserida no programa anual “7 Prazeres da Gastronomia”, promovido pela Câmara Municipal, que prima pela divulgação das qualidades gastronómicas da região de Barcelos, afirmando o território como a “Sala de Jantar do Minho”.

À iniciativa aderiram os restaurantes Bagoeira (Barcelos), Belo Horizonte (Rio Côvo Sta. Eulália), Bom Gosto (Arcozelo), Casa dos Arcos (Barcelos), Casa do Eduardo (Milhazes), Casa Lourenço (Areias S. Vicente), Chuva (Barcelinhos), Dom Carlos (Silva), Furna (Barcelos), Galliano (Barcelos), Galo Novo (Várzea), Manjar das Estrelas (Várzea), Muralha (Barcelos), Os Mouros (Arcozelo), Pedra Furada (Pedra Furada), Pérola da Avenida (Barcelos), Rústico (Mariz), Solar Real (Barcelos), Sonho do Cávado (Manhente), Taberna do Armindo (Remelhe), Taberna “O Manhoso” (Tamel S. Veríssimo), Taberna Regional 2000 (Tamel S. Pedro Fins), Taberninha O Chico (Perelhal), Tasquinha do Careca (Perelhal), Tropical (Várzea), Vera Cruz (Barcelos) e Wine Tunnel Restaurant (Barcelos).

A par do Fim de Semana do Arroz Pica no Chão, realiza-se no sábado, dia 11 de novembro, a “Rota do Vinho e da Vinha” que inclui a visita a dois produtores de vinho do concelho de Barcelos: a Quinta do Tamariz, na freguesia de Fonte Coberta, e a Quinta Casal dos Eidos, na freguesia de Areias São Vicente. A realização desta rota tem como objetivos a promoção e o conhecimento dos vinhos produzidos em Barcelos, através da realização de visitas técnicas e provas dos vinhos produzidos nestas duas unidades locais.

A participação na Rota do Vinho e da Vinha é gratuita mas as inscrições são limitadas, devendo ser formalizadas por e-mail através de turismo@cm-barcelos.pt ou por telefone 253 811 882.

Fonte e imagem: CMB.

Herói ou anti-herói?

Atualidade/Concelho/Mundo/Opinião/Política port
Raquel dos Santos Fernandes

Som una nació. Este era o mote de uma avolumada manifestação organizada em Barcelona, a 10 de julho de 2010, contra a decisão do Tribunal Constitucional em arquivar um recurso de inconstitucionalidade na sequência da aprovação, em junho de 2006, do novo Estatuto de Autonomia da Catalunha.



O movimento catalão para a conquista da independência e a conversão para um Estado republicano, que agora motiva uma enorme mobilização política de caráter maioritariamente identitário, não é novo, e seria importante que essa conjuntura fosse explorada de modo a explicar a forma como este tipo de iniciativas nacionalistas emergiram na sociedade civil. O próprio contexto institucional e político em Espanha sofreu várias alterações nos últimos anos e o contexto de crise económica reforçou o debate sobre a necessidade de introduzir políticas de recentralização para a eficiência económica. A possibilidade de independência ganhou visibilidade no debate político, não apenas ao nível parlamentar e partidário, mas também por uma crescente mobilização social que, em parte, também fora motivada pela perceção de um tratamento injusto pelo Estado em termos políticos e fiscais, como se a independência pudesse trazer um potencial estado de bem-estar que a crise económica lhes limitara.

Quando Puigdemont declarou a independência unilateral afirmando que “o povo determinou que a Catalunha se deve tornar um Estado dependente” criou um novo paradigma que se poderá tornar numa espécie de quadro radioativo para a Catalunha, para a Espanha e para a própria Europa. Primeiro, pelo desejo de independência de uma região com a sua própria língua e identidade; Segundo, pela incapacidade de resposta do governo central às exigências de uma sociedade em mudança e, ainda, pelos precedentes que poderá criar em outros Estados. A forma como os cidadãos se envolveram neste processo fez com que os líderes políticos e os meios de comunicação se voltassem para um panorama nunca antes explorado e, nessa linha, os próprios meios de comunicação poderão desempenhar um papel determinante na formação da opinião pública.

Se nos países autoritários, privados de liberdade, a sua função consiste em legitimar o poder estabelecido, sob o controlo de um governo que impede a emergência na esfera pública da sociedade civil, nos países democráticos, o processo é exatamente o oposto. E, nesse sentido, será interessante analisar, no futuro, as perceções que a opinião pública retirará daí: se a defesa do novo herói catalão ou a crítica ao seu antagónico.

Por: Raquel dos Santos Fernandes*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Escola Superior de Design do IPCA organiza primeira edição da DIGICOM

Atualidade/Concelho/Cultura/Educação/Mundo port

A primeira edição da DIGICOM – Conferência Internacional de Design e Comunicação Digital, organizada pela Escola Superior de Design do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, decorre nos dias 10 e 11 de novembro, no Teatro Gil Vicente, em Barcelos.



Este evento realiza-se no âmbito do Mestrado em Design Digital, da Escola Superior de Design, numa altura em que a era do digital é cada vez mais ubíqua e preponderante na nossa sociedade em rede e global.

Perante este paradigma, nestes dois dias de DIGICOM o debate central reflete sobre o papel do design e da comunicação nos diferentes meios e plataformas digitais interativas.

A Conferência Internacional de Design e Comunicação Digital, DIGICOM, desafia ainda os inscritos à submissão de artigos de excelência em várias áreas temáticas no contexto do Design e da Comunicação Digital, tais como: Web Design, Aplicações para dispositivos móveis, Televisão Digital e Interativa, Tipografia e Design Editorial em suportes digitais, Design de Identidade, entre outros temas que podem ser consultados na página oficial do evento (www.digicom.ipca.pt). Os artigos aceites vão ser incluídos no programa da DIGICOM para apresentação pública e publicação no livro de Atas. Os organizadores referem que “procuram-se trabalhos originais e de qualidade, que ajudem a fortalecer uma relação intrínseca entre a investigação científica, a academia e o mundo profissional”.

A palete de convidados faz jus à conferência. Eduardo Cintra Torres, professor universitário, jornalista e como experiente crítico de televisão e media é o orador principal da primeira sessão com o tema “A televisão atual e o seu impacto nas indústrias culturais”. Segue-se Miguel Oliveira, Co-fundador da EDIGMA, S.A., que vai dar o seu contributo na sequência do seu extenso currículo na área do marketing e novas tecnologias.

No segundo dia, Inayaili de León Persson, Senior Digital Product Designer da Make Us Proud falará sobre como os designers podem “manter seu sistema de design vivo!”. Juanra Martin, da @DesignOnScreens vai defender a sua crença do contributo do design para a felicidades das pessoas.

Fonte e imagem: IPCA.

Nova Comissão de Festas de Nª Sr.ª da Ajuda organiza Magusto em Gilmonde

Atualidade/Concelho/Cultura port

Amanhã, dia 05 de novembro, a nova Comissão de Festas de Nª Sr.ª da Ajuda organiza um Magusto, com oferta de castanhas, muita animação e a atuação da Rusga de S.Vicente – Grupo Etnográfico do Baixo Minho. O evento terá lugar no largo do Centro Pastoral de Gilmonde.



Logo pelas 9h00 da manhã, o Bar d’Ajuda abre portas para receber quem o queira visitar, não só para colocar a “conversa em dia”, beber um cafezinho, beber um aperitivo, para petiscar ou, mesmo, almoçar. O cardápio, que consta da imagem de destaque, é variado e de deixar “água na boca”. Pode ser degustado no local ou ser encomendado, ou seja, servido para fora. Para as reservas e encomendas para fora, deve contactar Cristiana Barros, através de 96 341 1156.

À tarde, a partir das 15h00, o Agrupamento de Escuteiros 724 – Gilmonde irão dinamizar jogos tradicionais, sendo uma atividade de participação livre e que se desenrolará até por volta das 16h15, quando o grupo popular Rusga de S.Vicente começará a sua atuação.

Este evento também servirá para a apresentação da nova Comissão de Festas de Nª Sr.ª da Ajuda à comunidade paroquial de Gilmonde. De acordo com um dos seus elementos, esta Comissão é constituída por pessoas “dinâmicas, jovens, de trabalho e com muitas ideias para levar a cabo no sentido de se conseguir organizar uma grande festa em honra de Nª Sr.ª da Ajuda”. Referiu, igualmente, que esta é uma Comissão que tem “o intuito de unir a freguesia e a paróquia em torno, não só, desta festa como de todas as atividades que levaremos a cabo ao longo do ano que nos separa da próxima, em setembro”.

Por fim, este elemento aproveitou para “agradecer o legado que recebemos da última Comissão de Festas, legado esse que pretendemos manter e, até, porque não, melhorar e engrandecer. É para isso que trabalharemos e é também nisso que nos empenharemos”.

Semana com campeonato e Taça Cidade de Barcelos

Atualidade/Concelho/Desporto/Opinião port
Luís Gonçalves

Olá, amigos leitores!

O Leões da Serra perdeu os primeiros pontos, ao sair empatado a 0 bolas com o Baluganense. Desta forma, ficou a partilhar o primeiro posto com o Pereira, que venceu o Negreiros por duas bolas a 0. Ambas as equipas estão na liderança, com 13 pontos.



Logo a seguir, no 3º posto, está o Carvalhal, que venceu fora o Leocadenses por 1-2. No jogo do sábado passado (jornada anterior), o Carvalhal teve algumas contrariedades, destacando a expulsão de Joca, que entrou na segunda parte e foi expulso 3 minutos depois de entrar! Jogaram cerca de 35 minutos em inferioridade numérica.

O Macieira venceu por 2-1 o Remelhe, que ainda não tinha perdido no campeonato. Com este resultado, os Macieirenses ultrapassaram o seu adversário na tabela classificativa.

Quem também está a ter um bom início é o Palme, que esta jornada venceu fora de portas o Pedra Furada, por 1-2. O Pedra Furada ainda não pontuou.

O estreante Fragoso foi perder ao reduto do Campo por duas bolas a uma, sendo que foi a primeira vitória para a equipa do Campo.

O “tormento” do Carapeços fora de portas continua, ao somar a terceira derrota. Desta vez, foi em Perelhal (2-0), equipa que também não tinha vencido qualquer jogo.

Depois da goleada sofrida diante do Carapeços, o Feitos voltou a pontuar, desta vez em casa, com um empate diante do Cossourado por 1-1.

O Silva marcou o seu primeiro golo no campeonato, feito que foi suficiente para somar, também, a primeira vitória, diante do Oliveira. Obviamente, 1-0 foi o resultado final.

Destaque para o Carvalhal – Pereira e o Leões da Serra – Macieira da próxima jornada.

Na Segunda Divisão, o Sequeade continua de “vento em popa”, somando o pleno de vitórias, sendo que a “vítima” desta jornada foram os Ceramistas, com mais uma goleada, esta por 6-1.

A liderar o grupo perseguidor está o S. Martinho, que venceu nesta jornada, por 5-4, o Aborim.

O Fonte Coberta deu um salto na tabela classificativa, vencendo à tangente o Cristelo, por 2-1, e subindo ao 3º lugar. Sem vencer há dois jogos está o Milhazes, que desta vez empatou em casa por 2-2. Mesmo assim mantém o 4º lugar.

O Lijó folgou esta jornada e está na quinta posição.

Na próxima jornada o destaque vai para o Águas Santas – S. Martinho e Chorente – Sequeade.

A festa da Taça Cidade de Barcelos jogou-se neste último feriado de 01 de novembro, sendo que passaram à fase seguinte 10 equipas da primeira divisão e 5 da segunda.

Um fim de semana feliz, vos deseja o amigo Luís.

Por: Luís Gonçalves*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

UD São Veríssimo realiza Magusto para angariação de verbas para apoio aos escalões de formação

Atualidade/Concelho/Cultura/Desporto port

No próximo dia 11 de novembro, dia de São Martinho, pelas 15h00, no Parque Desportivo de Tamel S. Veríssimo, a União Desportiva de São Veríssimo leva a cabo um Magusto com o intuito de angariar verbas para apoio aos escalões de formação do clube.



Conforme se pode constatar no cartaz em destaque, os participantes poderão desfrutar de castanhas, pá de porco no espeto, bebidas, música e animação.

Fonte e imagem: UDSV.

Semana desportiva perfeita!

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Vítor Sá Pereira

Olá, Barcelenses e malta espalhada pelo mundo!



Espero que a vossa última semana desportiva tenha corrido bem. A minha foi perfeita e por várias razões: o meu FCP ganhou duas vezes esta semana, o Gil venceu o Benfica B por 4 “Batatas” e o OCB foi vencer a Valença!

Comecemos pelo FCP. Foi uma grande vitória no Bessa e quem vê o resultado e não viu o jogo, pensa que foi um jogo tranquilo…nada disso! O Porto foi controlando o jogo mas não fez uma boa primeira parte! Fez, e bem, o 1º golo no início da segunda e aproveitou bem o risco que Jorge Simão decidiu correr para ampliar o score mais duas vezes!

Quanto ao jogo da Liga dos Campeões, foi um jogo em que o Porto teve uma atitude agressiva, organizada e uma alma tremenda!

Nestes dois jogos, o “Mar Azul” teve uma influência tremenda e o “Mar” continua a crescer! Espero que os nossos adeptos não fiquem demasiado eufóricos porque isto ainda vai no início! Estou feliz mas expectante! Venha o Belenenses!

Parabéns ao “Gilinho”! Grande vitória sobre o Benfica! Esta vitória tem duplo sabor especial! Domingo temos um grande jogo em Barcelos com a visita do Famalicão ao nosso estádio. É um jogo entre clubes históricos e que merecem estar na primeira divisão!

Parabéns ao OCB pelo bom início de campeonato!

Desejo-vos uma boa semana!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Leões de Fogo!

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
José Costa

Antes de mais uma jornada da Liga dos Campeões, o Sporting lá conseguiu arrancar, com algum custo, uma vitória frente ao Rio Ave, pela margem mínima. E mais uma vez por Bas Dost e já nos minutos finais. E sobre este desafio pouco se pode dizer, a não ser que foi cumprido o objetivo de pontuar.



Frente à Juventus, em casa, os Leões deram boa conta do seu trabalho, sendo que, infelizmente, e depois de ter estado a ganhar quase todo o jogo, com um golo de Bruno César, deixou-se empatar próximo dos 90 minutos. Gelson, em especial, mas também Acuña, estiveram muito audazes, libertando-se com facilidade dos adversários e assustando muitas vezes a defesa italiana e obrigando Buffon a superar-se, ao contrário de Patrício, que nos primeiros 45 minutos praticamente não teve trabalho.

Veio a segunda parte e, apesar de Jorge Jesus ter posicionado muito bem a equipa, que ora atacava, ora defendia quase como um acordeão bem afinado, acabou por não resistir às investidas da equipa italiana e foi mais um “balde de água fria” protagonizado por Higuaín. Pode-se dizer que de vitórias morais está o Sporting servido! Voltou-se a repetir a sina dos jogos com o Barcelona, em casa, e a Juventus fora, em que apesar de ter jogado bem, o Sporting não gorou alcançar a vitória, nem tão pouco pontuar. Desta vez, tudo parecia caminhar para uma vitória, apesar de sofrida. Contudo, a verdade é que, perante uma “Vecchia Signora”, nada velha e muito lutadora, ficámos pelo empate a 1 golo e em lugar de 3 pontos, que estiveram tão perto de ser alcançados, e posicionavam o Sporting para a continuidade na Liga dos Campeões, ficou-se por um ponto, que não deixa definitivamente os Leões arredados de seguir nesta competição, dependendo, no entanto, de terceiros. Portanto, não está nada decidido, na melhor das hipóteses seguimos em frente, ou somos remetidos para a Liga Europa. Sendo que mesmo para estar presente na Liga Europa, o Sporting terá de fazer pela vida e, aí sim, depende apenas de si, bastando para isso vencer o Olympiacos, a 22 de novembro. Assim esperamos que possa suceder, para que a 5 de dezembro, em Barcelona, esteja em condições de realizar um bom jogo e, quem sabe, com algum desaire da Juventus ou mesmo do Barça, possamos sonhar na continuidade na Liga dos Campeões.

Na próxima jornada, para o campeonato – I Liga, teremos pela frente um Braga que não se quer distanciar dos lugares cimeiros, pelo que se espera um jogo muito disputado, pese embora em Alvalade e com a qualidade de jogo que o Sporting tem apresentado, sem duvida é favorito à conquista dos três pontos, para que desse modo, não deixe o F. C. Porto fugir e o Benfica mais próximo.

Noutra modalidade em que o Sporting tem tido bons desempenhos, o Futsal, e frente ao Modicus, os Leões alcançaram mais uma vitória por 4 – 1. Assim segue o Sporting, só com vitórias e lidera o campeonato isolado, reforçando, assim, a liderança da Liga Sport Zone.

O Gil Vicente, em casa frente ao Benfica B, esteve ao seu melhor nível, e garantiu cedo a festa da vitória, para alegria dos adeptos gilistas, alcançando um resultado expressivo de 4 – 0. Na próxima jornada, mais uma vez em casa, frente ao Famalicão esperamos tão bom desempenho como o que foi conseguido no sábado passado.

Por: José Costa*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

“Desbenficar”

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Hugo Pinto

Esta semana, mais dois jogos do nosso Benfica. Uma vitória caseira, para nosso contentamento. Um jogo da Liga dos Campeões sem história. Mas com estória.


Para consumo doméstico, uma vitória sem muito o que dizer, pela margem mínima, frente a um Feirense que fez a sua parte, jogando o jogo pelo jogo. O tipo e intensidade de jogo continuam a não convencer. Sente-se a máquina desafinada. Sem mais história.
Já relativamente ao jogo para a Champions há algo mais a dizer. O Benfica tentou controlar o jogo, mostrando, amiúde, laivos de bom futebol. Mas continua sem grande jogo no último terço do terreno. E lá diz o povão, quem não marca sofre (como diria o saudoso José Estêbes). E o Benfica sofreu. E novamente com um monumental azar de Svilar. O miúdo até convence. Veja-se o escárnio dos adeptos nossos rivais. Se o miúdo não fosse bom, falavam tanto dele como falaram do Varela. Tem mesmo é de ir à bruxa.

Um aspeto que me chamou à atenção, e pelos vistos não foi só a mim, foi o tom dos comentadores RTP. Juro que, por momentos, julguei que fossem sócios do Man. Utd.! Ainda que me digam que sejam fãs de José Mourinho. Ainda que sejam desbenfiquistas. Mas o que vale pontos para os clubes portugueses são as vitórias dos mesmos. E contam para todos. Mesmo para os rivais. Por isso, me pareceu de muito mau tom o entusiasmo com que, subliminarmente, se regozijaram pela vitória do Man. Utd., algo que foi ficando patente nas entrelinhas ao longo dos comentários ao jogo. Lamentável! A RTP é serviço público. Não pode estar ao serviço de odiozinhos individuais.

Dá-me o 37. Viva o Benfica.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Ir Para Cima