Arquivo Mensal

Fevereiro 2018 - page 3

Casa de Saúde S. João de Deus exibe “Uma Mente Brilhante”, comentado pelo psiquiatra Patrício Ferreira

Atualidade/Concelho/Cultura/Educação port

No próximo dia 2 de março, pelas 21h00, a Casa de Saúde São João de Deus o filme «Uma Mente Brilhante», realizado por Ron Howard, e protagonizado por Russell Crowe. A sessão será apresentada e comentada por Patrício Ferreira, psiquiatra da instituição e terá lugar no Auditório S. Bento Menni. Entrada gratuita.



O cinema tem, ao longo dos tempos, desempenhado um importante papel na aproximação da sociedade à doença mental. Vários são os títulos da cinemateca mundial que têm descrito a realidade, as dificuldades e, no fundo, até alguns preconceitos ligados à psiquiatria. Se “Voando sobre um ninho de cucos” (1976) ou mais recentemente “Mr. Jones” (1993) conseguiram fazê-lo de forma genial e marcante, outros há que pela transformação cinematográfica perderam este papel “aproximador”, aumentando, quiçá, até o “preconceito” relativamente à psiquiatria.

O filme «Uma Mente Brilhante» descreve de forma ficcionada a história verídica de uma pessoa com esquizofrenia. A ficção adicionada consegue, no entanto, de forma inquietante e até algo perturbadora, transmitir ao espectador a vivência de um doente com delírio bem sistematizado. Sem a referência à patologia, o observador fica de tal forma envolvido que conseguiria partilhar as crenças do protagonista.

Mas não é só no conteúdo da doença que esta película se destaca. A realidade da psiquiatria daquela época, o papel da família no doente mental, da sua integração no mundo profissional e social, na “normalidade” possível apesar da doença, tudo está descrito de forma mais ou menos explícita.

Muito mais que um filme, esta longa metragem é um testemunho sempre vivo na luta pela desconstrução da discriminação do doente mental. Trata-se de uma história verídica onde é descrita parte da vida de John Nash, matemático americano, que foi Nobel da Economia, tendo ainda recebido outros galardões, decorrente da sua genialidade que ainda hoje influencia e é referência naquelas áreas da ciência.

Fonte: CSSJD.

Imagem: DR.

Administrador da Região Hidrográfica do Norte avalia trabalho de limpeza do Cávado

Atualidade/Concelho/Mundo/Política port

O administrador da Região Hidrográfica do Norte, departamento descentralizado da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Pimenta Machado, esteve em Barcelos, no passado dia 22 de fevereiro, para se inteirar do programa do Município de Barcelos de combate aos jacintos no Rio Cávado.



Nos Paços do Concelho, Pimenta Machado teve um encontro com o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, e com a equipa que está a executar o programa de ação de limpeza do Rio, designadamente, o Vereador do Ambiente, José Beleza, de Pedro Teiga, especialista em recuperação e valorização de rios, do Chefe Armando, dos Bombeiros Voluntários de Barcelos e de técnicos da autarquia.

Este responsável da ARH teve oportunidade de verificar a evolução dos trabalhos realizados no Rio Cávado e a qualidade da intervenção levada a cabo pelos Bombeiros, sob orientação dos responsáveis municipais. Uma intervenção que acolhe o interesse da APA, atendendo à existência de situações de proliferação de jacintos noutros cursos de água em Portugal.

Miguel Costa Gomes foi mais longe e adiantou que “com a remoção dos jacintos, e para podermos ter um rio navegável, é importante a recuperação dos açudes”, salientando a necessidade de colaboração da APA nesta matéria, no sentido de salvaguardar a viabilidade e celeridade deste objetivo para o concelho de Barcelos.

Pimenta Machado mostrou satisfação “neste novo olhar pelo rio Cávado, num momento de crise do rio, com os jacintos na água”, manifestando abertura da “APA agilizar com a Câmara na recuperação dos açudes e criar condições para acabar com o problema”.

O Vereador José Beleza explicou que “o objetivo central da primeira fase, que finaliza no dia 31 de março, é atuar no leito do rio e nas lagoas, a chamada maternidade, e o grande aglomerado dos jacintos”. Na “segunda fase, vamos ter a colaboração do especialista Pedro Teiga, no sentido de elaborar um estudo global das necessidades do rio, quer nas linhas de água, quer na problemática das cheias a jusante da ponte medieval”.

Pedro Teiga fez um ponto de situação das ações já executadas e na possibilidade de, nesta segunda fase, intervir nas lagoas em Areias de Vilar.

A visita terminou com um percurso de barco, que permitiu constatar o sucesso desta primeira fase de intervenção de remoção dos jacintos do Rio Cávado.

Fonte e fotos: CMB.

Liberdade de expressão

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Ricardo Moreira

Bem-haja, meus caros!

Tomo a liberdade de escrever no Barcelos na Hora. Presumo que, apesar de tudo, tenha o seu consentimento, caro Presidente Bruno de Carvalho (liberdade de expressão faz com que não seja necessário). Eu, tal como o Presidente, e todos os Sportinguistas, temos direito a essa liberdade de expressão! Acredite que percebo o seu intuito, usando a autodefesa, contra-atacando! Tempos houve que, literalmente, “comíamos e calávamos”! Sinceramente, ainda bem que esses tempos já lá vão! Não compactuo é com radicalismos! Ninguém disse que seria pacífico ser Presidente de um Clube tão Grande como o meu/nosso Sporting Clube de Portugal! Acredito que o Presidente sabe-o bem! Dou-lhe mérito em ter contribuído para nos termos tornado mais fortes e unidos! Mas também já acho exagerado, e sem sentido, querer por em causa a liberdade de expressão! Se nos focarmos no que é realmente importante, temos certamente muito mais a ganhar! O Sporting Clube de Portugal é tão Grande, devido a si, e a todos os verdadeiros Sportinguistas, (onde me incluo) que orgulhosamente defendem e apoiam (com toda a liberdade de expressão a que têm direito) o meu/nosso Sporting Clube de Portugal, nos bons e maus momentos!



Realizou-se a 23ª jornada do Campeonato Nacional e conseguimos uma vitória “arrancada a ferros”, mas um justo “prémio” (apesar de toda a controvérsia, com menos um, fomos a única equipa que tentou ser “premiada”)!

Ao longo do jogo, voltámos a revelar insuficiências no processo ofensivo. Os minutos corriam e o Tondela apresentava-se bem dentro do jogo, inclusive na disputa da vitória. Até que ao minuto 59 (faltava mais de meia hora para o final) eis que com a expulsão de Mathieu, o Tondela fica a jogar com mais um, e ao contrário do esperado, encolhe-se totalmente, deixa de atacar e simplesmente começa a jogar tão cedo com o cronómetro, para o “pontinho”. O Sporting, pelo contrário, tentou e arriscou tudo, com menos um, inclusive com a presença constante de Coates na área adversária. Batemo-nos até ao limite e fomos justamente “premiados”, com o golo que deu o 1-2 final! (apesar do excesso de tempo extra)

Até podíamos não ter feito golo, mas com menos um, tentámos tudo, até ao ultimo fôlego, para ganhar! Carácter, Atitude, Querer, Determinação, Superação! Isto não é de ficar orgulhoso da equipa? Para além que o excesso de tempo extra é para os dois lados! (não foi a primeira, nem será a última vez, embora ande por aí muita falta de “Memofante, águiafante e dragãofante”!)

Nestas circunstâncias (jogávamos com menos um e já quase não tínhamos jogadores a defender), o adversário podia ter tornado o excesso de tempo extra, um “problema” para nós. Bastava terem tentado os 3 pontos, em vez de se “agarrarem tão cedo ao pontinho”! Quem não arrisca, quase sempre não conquista!

Nas modalidades, esta semana destaco: mais um Título no Atletismo! Campeões Nacionais Femininos em pista coberta! Parabéns Leoas!

E a vitória em Quevert, no Hóquei em Patins, que nos garantiu, desde logo, o apuramento para os quartos de final da Liga Europeia!

Sporting tão Grande, uma Paixão da minha vida!



O nosso Gil Vicente: e vão 14 jornadas seguidas sem vencer e 9 jogos sem marcar! 0-0 contra o Sporting B. E neste jogo foi só mesmo isso que faltou, o golo! Desolador, mesmo, é ver as bancadas praticamente vazias de espectadores e emoção! Dá, no mínimo, que pensar!

O nosso OCB: grande vitória no recinto da Juventude de Viana, por 2-5, para a Taça CERS! Centenas de Barcelenses fizeram-se deslocar a Viana, para apoiar incansavelmente o OCB, do princípio ao fim do jogo, e quando assim é, tudo se torna mais fácil! Nova presença na final-four da Taça CERS, tão perto! Eu acredito no TRI! Força OCB! (O Maior de Portugal)

Desporto é Vida! Viva o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Sob a égide do 5!

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores!

Foi uma semana desportiva marcada pelo número 5! Esse foi o número pelo qual fomos goleados pelo Liverpool, mas foi também a nossa resposta frente ao Rio Ave e é a distância pontual para com os nossos rivais!



A Vitória frente ao Estoril permite que hoje estejamos um pouco mais tranquilos na liderança. Sim, esse Estoril que tinha 10 milhões de adeptos a apoiá-lo mas que foi “massacrado” por um Porto que acreditou, desde o primeiro minuto até ao quadragésimo quinto, que seria possível reverter o resultado a seu favor. Foi caso para dizer que resolvemos o jogo “num tiquinho”!

Os especialistas furiosos das redes sociais dizem que o primeiro golo do Porto acontece num fora de jogo. Aceito que seja um lance discutível, mas pensei que esses mesmos especialistas achavam que Danilo sofreu um penalty nas Aves e que o Porto fez um golo limpo no Dragão, frente ao Benfica. Isto para não falar da mão de Luisão! Sei que são incidências antigas, mas que me estão atravessadas!

Em apenas um jogo e meio marcámos 8 golos e não sofremos nenhum! E por falar em zero golos sofridos, saúdo o regresso de Iker à baliza. A sua experiência, maturidade, comunicação e liderança serão uma mais-valia nesta fase da época. José Sá estava a acusar a falta de experiência e pressão!

Até à data, o que posso apontar ao meu Porto?? Liderança no campeonato e vantagem na Taça. O que posso pedir, ou exigir, é apenas honra em Liverpool! Espero que a equipa não relaxe e que mantenha os níveis de concentração e ambição nos máximos. A fase exigente não acabou e é preciso descansar e recuperar estes atletas, que têm mostrado uma atitude à Porto!

Espero vencer o Portimonense e termino citando Maria Amélia Canossa:

«Porto, Porto, Porto…és a nossa glória…dá-nos neste dia…mais uma alegria…mais uma vitória!»

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Rame-rame…ou a arte de uma porca a parir bacorinhos

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo/Opinião port
Hugo Pinto

Conto seguramente mais de uns trinta anos para relembrar um episódio cómico ocorrido nas Feiras das Boas Novas de Ponte de Lima. Seguia com os meus pais e o meu irmão, mais novo, num fim de tarde com aroma, também a fim de festa, quando nos deparámos com um daqueles autocarros que já eram velhos quando os tempos eram antigos. Dando-se conta do ruido do motor em ralenti de um autocarro e tendo-lhe achado graça, o meu pequeno irmão começou a acompanhar com os seus braços, qual maestro, aquele som monótono e compassado. Ao ver aquela cena caricata, o motorista com o seu ar anafado, ruborizado, minhoto, enfim, exclamou ainda com mais graça: “- Ai, menino… Parece uma porca a parir bacorinhos!”. Foi a gargalhada geral.



Bem, já devem estar a perguntar-se o que raio tem esta estória a ver com o Benfica. Não tem nada! E tem tudo! É que “rais-ma-partam” se não é verdade que este Benfica que joga em rame-rame parece mesmo uma porca a parir bacorinhos. Senão repare-se: logo aos três minutos, Jonas tem a oportunidade de começar a escrever bem a história do jogo com a possibilidade de converter bem uma grande penalidade… e falha! O Jonas… falha! O Jonas…

A trapalhada era a palavra de ordem, como evidencia um lance no último quarto de hora da primeira parte, em que dois jogadores do Benfica se atrapalham entre si na área adversária, desperdiçando MAIS UMA oportunidade de fazer golo. Foi azar? Foi vontade de marcar? Se calhar sim… Só que inicia a segunda parte e de novo Jonas remata contra Cervi. Que, para mim, andava fora do lugar dele, o que só comprova a falta de rigor tático com que este Benfica joga.

Reconheço, porém, que Cervi, como aliás todo o lado esquerdo encarnado, fizeram um belíssimo jogo. Aquela ala esquerda do Benfica produziu mais futebol do que, se calhar, o resto da equipa, mais a do adversário, juntas. Mas a questão é mesmo essa: muito futebol jogado e pouca concretização. A tónica do futebol encarnado desta época tem sido precisamente essa, em que o índice de concretização é baixíssimo.  Repare-se: o Benfica tem sete, SETE, oportunidades de golo ao longo do jogo. As únicas concretizações na primeira parte foram da parte dos centrais, que marcaram um golo cada. E na segunda parte o panorama não melhora. O terceiro golo surge de autogolo e o quarto é marcado por Jiménez, já em cima do minuto noventa, após ter substituído um desinspirado Jonas.

Se olharmos aos números finais, uma vitória por quatro golos parece um resultado fabuloso. E é!!! Antes jogar sempre mal e ganhar, do que sempre bem e perder. Mas a forma como o jogo decorre…. Valha-me Deus… rame-rame 1-0; rame-rame 2-0; rame-rame… Enfim… Lembra-me muito uma porca a parir bacorinhos. Que mais querem que vos diga?!?

Rame-rame, quero ser tetra…

Rame-rame, viva o Benfica…

Rame-rame,…

Rame, rame…

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Gil Vicente: Paulo Alves aborda momento atual, fala de arbitragens e lança jogo contra Santa Clara

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Em declarações à Gil Vicente TV, o treinador do Gil Vicente, Paulo Alves, abordou vários assuntos que marcam a atualidade gilista.



Começou por falar sobre este momento mau que a equipa está a passar neste momento. “O momento é difícil, apesar da equipa ter equilibrado a maior parte dos jogos, apesar de penaltis falhados, bolas aos ferros, de pelo menos frente ao Porto e ao Sporting a imprensa ter considerado os seus guarda-redes o melhor jogador em campo, as coisas não estão a acontecer, no sentido de fazer golos. Apesar das muitas oportunidades, sendo este último jogo um bom exemplo, os golos não têm aparecido”.

Paulo Alves considera que têm que “olhar para dentro e perceber que todos temos que fazer melhor. Treinadores e jogadores. Temos que dar mais, temos que fazer melhor. Não podemos criticar muito os jogadores porque eles têm feito o seu trabalho, mas a bola não entrando a bem, tem que entrar a mal. Está-nos a faltar um bocadinho essa situação e daí o momento difícil”.

Sobre as últimas arbitragens dos jogos que o Gil Vicente disputou, o treinador gilista incidiu mais a sua atenção nos últimos três, principalmente, no que opôs o clube barcelense à Académica. Espera que seja apenas uma mera coincidência, mas parece-lhe haver facilidade em não se marcar penaltis a favor do Gil ou marcá-los contra, ou anular-se golos ao Gil. “Um sem-número de situações que estão a acontecer. Nestes três últimos jogos, dois deles televisionados, isso foi evidente. Não estamos a inventar. As pessoas viram. Nem sequer estou a querer justificar a situação do Gil com as arbitragens. Há situações que foram bem assinaladas mas há outras, duvidosas, em que arbitra-se sempre em desfavor do Gil. Há dois penaltis assinalados contra nós, há dois golos da Académica que são ilegais e o segundo golo da Académica é precedido de uma cotovelada feia no Sandro, em que a equipa parou e dá o segundo golo. Ficou muito difícil reagir, no momento em que a equipa está, porque a bola começa, de facto, a ‘pesar toneladas’. São três golos anulados contra o Sporting, em que um deles é uma situação duvidosa. O Rui [ndr: Rui Miguel] nem sequer toca na bola, dá um pequeno salto. Mas eu aceito. A questão é que muito fácil anular golos ao Gil, não marcar penaltis a favor do Gil, porque no jogo do Sporting há duas situações também extremamente duvidosas e a tendência é sempre não marcar. Há um sem-número de coisas que eu acredito e espero que seja apenas uma coincidência”.

O futuro e a inclusão na primeira Liga também foram abordados por Paulo Alves. “O Gil está num momento complexo, difícil em termos de situação de futuro. Tem a sua situação resolvida para daqui a ano e meio mas ano e meio é muito tempo no futebol. Há gente aqui que tem que trabalhar durante esse ano e meio. Tem que honrar os seus contratos e tem que fazer o seu trabalho. Desde que cheguei aqui a minha decisão tem sido não tocar nesse assunto no balneário. Temos que fazer o nosso trabalho agora e não estar preocupados com o futuro. Mas espero que não haja nenhuma situação que possa interferir em nada disto. Nós vamos continuar o nosso trabalho, vamos olhar para dentro, para nós e fazer aquilo que nos compete, de uma forma mais vincada, mais determinada. Porque, é verdade, também nos está a faltar um bocadinho isso. Mas há coisas que não podemos escamotear. São muitas coisas. São três jogos apenas. Quero deixar bem claro que não estou a dizer que todas as situações são mal assinaladas. Mas há uma tendência. Há muito caso, muitas situações em três jogos apenas. Espero que isso não tenha a ver com rigorosamente nada e que seja uma coincidência”.



Sobre o jogo do próximo domingo, nos Açores, frente ao Santa Clara, com início marcado para as 15h00, a contar para a 26ª jornada da Ledman LigaPro, Paulo Alves referiu que “o Santa Clara é uma equipa que está motivada, está moralizada. Vem de três vitórias seguidas e perante o seu público é sempre uma equipa difícil. Mas esta Liga também já nos ensinou que isso, sendo importante, não é um dado em si, nem encerra nada de definitivo em relação ao jogo. Temos que ser uma equipa séria, competente. Fazer aquilo que temos que fazer, mas com essa tal determinação e objetividade que nos tem faltado nos últimos jogos. Volto a referir, a equipa tem sido, em muitas partes dos jogos, extremamente dominadora e, até em certos jogos, criado muitas situações mas não está a conseguir. Mesmo no jogo com a Académica, em que o resultado é de 0-4, mas há dois golos ilegais e uma grande penalidade assinalada. A equipa até quando o resultado se foi avolumando, foi sempre dividindo o jogo e foi tendo oportunidades. Mas tem sido difícil. Espero que isso termine e as coisas sejam marcadas conforme têm que ser marcadas. Para um lado e para o outro, não há problema rigorosamente nenhum. A equipa, obviamente, tem que dar mais e acredito que vai dar mais e vai ter essa sorte que nos tem faltado”. O treinador gilista espera “um resultado que possa virar o espírito que, por estes motivos todos, tem estado em baixo. Temos que o ir buscar novamente e fazer do Gil a grande equipa e uma boa equipa, sempre difícil para os adversários, que sempre foi”.

Seminário sobre “Impostos diferidos” no IPCA

Atualidade/Concelho/Cultura/Educação port

No próximo dia 24 de fevereiro, pelas 9h00, no Auditório Dr. António Martins, no Campus do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), realiza-se o Seminário sobre “Impostos diferidos”, com preleção de Ricardo Dantas.



O seminário realiza-se no âmbito dos Mestrado em Fiscalidade, Auditoria e Contabilidade e Finanças e terá lugar no edifício da Escola Superior de Gestão.

O palestrante, Ricardo Dantas, é Auditor Financeiro na “Joaquim Guimarães, Manuela Malheiro e Mário Guimarães, SROC”.

A entrada é gratuita e aberta a toda a Comunidade Académica.

Fonte e imagem: IPCA.

Município de Barcelos esclarece limpeza das matas e florestas em ações realizadas nas Freguesias

Atualidade/Concelho/Cultura/Política port

A Câmara Municipal de Barcelos vai realizar um conjunto de sessões de esclarecimento nas freguesias do concelho sobre a gestão de faixas de combustível, no âmbito das ações de sensibilização da população para a necessidade de proceder à limpeza de vegetação e florestas junto às edificações, dentro dos prazos estipulados por lei.



As sessões incidem, principalmente, sobre deveres impostos por lei quanto à limpeza dos espaços e proteção das populações. Com efeito, na sequência da alteração do n.º 2 do artigo 15 do Decreto-lei n.º 124/2006, os proprietários, arrendatários ou outros usufrutuários de espaços rurais confinantes com edifícios isolados, são obrigados a proceder à limpeza da vegetação e das árvores existentes nesses espaços até uma distância de 50 metros a partir dessas habitações, até ao dia 15 de março.

Quando se tratar de aglomerados de edificações, essa distância é, no mínimo, de 100 metros contados da parte exterior das edificações, devendo ser limpa até 30 de abril.

As árvores podem manter-se desde que cumpram as seguintes regras: pinheiros bravos e eucaliptos com distância mínima entre as copas de 10 metros; restantes árvores com distância mínima entre as copas de quatro metros; todas as árvores a partir dos 8 metros de altura com distância mínima de quatro metros entre o solo e os primeiros ramos.

Caso os proprietários, arrendatários ou usufrutuários não limpem os terrenos até àquelas datas, será levantada contraordenação e aplicadas coimas que variam entre os 280,00€ e os 10.000,00€ (para pessoas singulares) e entre os 1.600,00€ e os 120.000,00€ (para pessoas coletivas).

As autoridades fiscalizarão o cumprimento destas obrigações por parte dos proprietários ou outros usufrutuários dos terrenos e, não se verificando a limpeza das áreas, a Câmara Municipal intervirá até 31 de maio, imputando os custos e a responsabilidade aos proprietários ou outros usufrutuários dessas áreas.

Quando à gestão das faixas de proteção das vias, esta ficará a cargo das respetivas entidades gestoras: Câmara Municipal, Infraestuturas de Portugal, concessionárias rodoviárias e ferroviárias, etc.

Ao nível da rede terciária (essencialmente caraterizada pelos caminhos dos montes) o Município intervém de outra forma, nos termos definidos na lei. Neste caso, a Câmara Municipal de Barcelos mantém uma intervenção permanente ao nível da gestão de combustíveis, desde há cerca de 10 anos, numa área média anual de 30 hectares.

Esta intervenção, integrada na estratégia da prevenção estrutural do Plano Municipal da Defesa da Floresta Contra Incêndios (em vigor entre 2016 e 2020) e inclui um protocolo com a Associação Florestal do Cávado (AFC) e com o Instituto de Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF), no âmbito do serviço municipal (15 hectares) e público (15 hectares), que disponibiliza uma equipa de cinco sapadores florestais e cujo custo para a Câmara Municipal é de 30 mil euros anuais.

Todos os anos, o Gabinete Técnico Florestal (GTF) da Câmara Municipal desloca-se às áreas florestais com os técnicos do ICNF para elaborar a proposta do plano de atividades da equipa de sapadores florestais.

Também anualmente, a Câmara Municipal faz a melhoria dos caminhos florestais – numa extensão média anual de cerca de 30 quilómetros – e dos pontos de água, num investimento municipal que ronda os 50 mil euros;

Em média, a Câmara Municipal notifica, por ano, cerca de 200 proprietários florestais, com base na informação do GTF para a realização de trabalhos de limpeza.

Em 2018, a Câmara Municipal vai assumir o financiamento de mais uma equipa de sapadores florestais, passando a contar com 10 elementos. Caso esta candidatura seja aprovada pelo ICNF, a participação financeira de cada uma das entidades passará para os 40 a 50 mil euros e a área intervencionada para os cerca de 60 hectares.

Está também prevista a aquisição de uma máquina bulldozer.



Locais e datas das ações de sensibilização

A Câmara Municipal tem vindo a sensibilizar as juntas de freguesia e a população do concelho através de informação diversificada e da colaboração com outras entidades, como aconteceu recentemente com a Cooperativa Agrícola de Barcelos, no âmbito do colóquio intitulado “Cuidar da Floresta em Barcelos”, realizado no Auditório da Câmara Municipal.

As ações de sensibilização vão continuar, através de sessões nas freguesias, às 20h30, com o seguinte calendário:

26 DE FEVEREIRO – FRAGOSO (sede Junta)

Palme – Aldreu – Fragoso – União Freguesias de Durrães e Tregosa – União Freguesias de Quintiães e Aguiar – Balugães;

27 DE FEVEREIRO – CARAPEÇOS (sede Junta)

Carapeços – Panque – Cossourado – Aborim – União Freguesias de Tamel Santa Leocádia e Vilar do Monte – União Freguesias de Campo e Tamel S. Pedro de Fins – Silva;

28 DE FEVEREIRO – ALVITO S. PEDRO (sede Junta)

União de Freguesias de Alheira e Igreja Nova – Roriz – União Freguesias de Alvito (S. Pedro e S. Martinho) e Couto – Oliveira – Lijó;

1 DE MARÇO – MARTIM (sede Junta)

União de Freguesias de Sequeade e Bastuço (S. João e Santo Estevão) – Moure – Airó – Martim – União de Freguesias de Areias de Vilar e Encourados – Pousa – Adães – Várzea;

2 DE MARÇO – CREIXOMIL (sede Junta)

União de Freguesias de Vila Cova e Feitos – Perelhal – União de Freguesias de Creixomil e Mariz – União Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescaínha (S. Pedro e S. Martinho) – Abade Neiva – Arcozelo;

5 DE MARÇO – PEREIRA (sede Junta)

Alvelos – Pereira – Carvalhal – Remelhe – Carvalhas – União de Freguesias de Chorente, Góios, Courel, Pedra Furada e Gueral – Macieira de Rates – União de Freguesias de Gamil e Midões – Rio Covo Santa Eugénia – Barcelinhos;

6 DE MARÇO – GALEGOS S. MARTINHO (sede Junta)

Tamel S. Veríssimo – Manhente – Galegos S. Martinho – Galegos Santa Maria – Lama – Areias S. Vicente – Ucha;

7 DE MARÇO – CRISTELO (sede Junta)

Fornelos – Gilmonde – Vila Seca – Cristelo – União de Freguesias de Milhazes, Vilar de Figos e Faria – Barqueiros – Paradela;

8 DE MARÇO – VIATODOS (Salão dos Bombeiros Voluntários)

União de Freguesias de Negreiros e Chavão – União de Freguesias de Viatodos, Grimancelos, Minhotães e Monte de Fralães – União de Freguesias de Carreira e Fonte Coberta – União de Freguesias de Silveiros e Rio Covo Santa Eulália – Cambeses.

Fonte: CMB.

Foto: DR.

Projeto do Município de Barcelos e agrupamentos escolares disponibiliza terapeutas da fala e psicólogos às escolas

Atualidade/Concelho/Educação port

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, assinou ontem, 21 de fevereiro, nos Paços do Concelho, um protocolo de colaboração com os agrupamentos de escolas de Barcelos para a implementação do Projeto de Intervenção Psicossocial e Psicoeducativo de Barcelos, destinado os alunos do pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico com graves dificuldades de aprendizagem e/ou problemas cognitivos, emocionais e comportamentais.



O projeto integra o Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado, aprovado pelo Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020 (Norte 2020), através da Tipologia de Intervenção Planos Integrado e Inovadores de Combate ao Insucesso Escolar de âmbito intermunicipal. Para a execução deste projeto, que tem a validade de 36 meses, há uma dotação orçamental de 498.800,00€, sendo que 85 por cento deste valor é financiado por fundos europeus.

O projeto foi desenvolvido em cooperação estreita e com o envolvimento ativo dos agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas do concelho de Barcelos e tem como objetivo contribuir para a promoção do sucesso educativo e prevenir o abandono escolar, através da implementação e operacionalização das ações previstas.

Em termos de recursos humanos, inclui uma equipa composta por seis psicólogos e três terapeutas da fala, exercendo a sua atividade com autonomia técnico-científica, articulando com o coordenador e com os representantes dos agrupamentos.

Na sessão da assinatura dos protocolos, Miguel Costa Gomes salientou a necessidade de manter o esforço do combater às desigualdades e a promoção da equidade, pelo que “o Município de Barcelos, com este projeto, pretende criar as condições necessárias para que as crianças e jovens do concelho possam ser bem-sucedidas e prossigam os seus estudos”. “A aposta que hoje fazemos na educação, amanhã trará resultados”, referiu.

Para a vereadora da Educação da Câmara Municipal de Barcelos “esta oportunidade é uma grande aposta na educação através deste quadro comunitário que visa a promoção do insucesso escolar”, sendo Barcelos o “primeiro município da Comunidade Intermunicipal do Cávado a avançar”. Armandina Saleiro referiu “que os seis psicólogos e três terapeutas da fala, para já, são os possíveis e necessários e, já estão no ativo a trabalhar nos casos mais particulares para enquadrar estas crianças”.

Fazem parte desta parceria, para além do Município de Barcelos como entidade coordenadora, o Agrupamento de Escolas Alcaides de Faria, o Agrupamento de Escolas de Barcelos, o Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes, o Agrupamento de Escolas de Fragoso, o Agrupamento de Escolas Rosa Ramalho, o Agrupamento de Escolas de Vila Cova, o Agrupamento de Escolas Vale D’Este, o Agrupamento de Escolas de Vale do Tamel e o Agrupamento de Escolas de Braga Oeste.

Os municípios do Cávado inscreveram diferentes projetos dentro do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar, sendo que o que contempla a intervenção de equipas multidisciplinares nas escolas é considerado prioritário por todos os municípios. Barcelos é o primeiro município com intervenção direta no terreno e com um nível de maturidade e articulação muito diferenciado.

Fonte e fotos: CMB.

Óquei de Barcelos perde no sempre difícil terreno do Valongo

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Em jogo a contar para a 16ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª divisão de Hóquei em Patins, o Óquei Clube de Barcelos (OCB) deslocou-se à sempre difícil quadra do Valongo, saindo de lá com o resultado negativo de 5-1.



Arbitrado por Rui Torres (AP Minho) e José Pinto (AP Porto), Miguel Viterbo, treinador do Valongo, começou com Leonardo Pais, Diogo Fernandes, Poka, Xavier Cardoso e Pedro Mendes, deixando no banco, de início, Bernardo Mendes, Hugo Barata, Guilherme Silva, Luís Melo e Rúben Pereira.

Já Paulo Pereira, treinador do OCB, iniciou com Ricardo Silva, Zé Pedro, João Almeida, Hugo Costa e Rúben Sousa, deixando de início no banco, André Almeida, Juanjo López, Joca Guimarães, Afonso Lima e Marinho.

O jogo ficou marcado pela extrema eficácia valonguense nas “bolas paradas” e a falta dela por parte do OCB. Aos 10 minutos, Poka até permitiu a defesa de Ricardo Silva, na marcação de uma grande penalidade. No entanto, na recarga conseguiu desfeitear o guardião “óquista”. Apenas 3 minutos depois, o capitão Zé Pedro foi admoestado com a cartolina azul, levando para a marca de livre direto Rúben Pereira, que não se viu rogado e apontou o segundo para o Valongo. Aos 21 minutos, é a vez de Juanjo López receber um cartão azul, tal como João Almeida, mas este por protestos. Novamente chamado a tentar converter o livre direto correspondente, Rúben Pereira tornou a marcar, bisando na partida e colocando o marcador em 3-0 para os da casa. A apenas 2 segundos do final da primeira parte, o Valongo chegou à sua 10ª falta. Joca Guimarães foi chamado a marcar mas falhou aquele que podia ser o golo do OCB e que reduziria a pesada diferença. Assim, as equipas saíram para os balneários com a vitória a sorrir aos da casa, por 3-0.



O reinício do jogo foi frenético. Aos 4 minutos Rúben Sousa falhou uma grande penalidade. Apenas 1 minuto depois, Poka é admoestado com cartão azul. Zé Pedro, chamado a tentar converter o livre direto, também falhou. No entanto, em situação de Power-Play (o Valongo ficou a jogar com menos um jogador por causa do azul), logo no minuto seguinte, Zé Pedro marcou e reduziu para 3-1. Como o OCB marcou, a equipa valonguense tornou a ficar completa. E quando se esperava uma reação do OCB, tentando encurtar distâncias, os da casa marcaram 2 golos em 2 minutos (7’ e 8’), por intermédio de Diogo Fernandes e Xavier Cardoso, respetivamente, colocando o marcador em 5-1. Aos 11 minutos, o Valongo chegou à 15ª falta e, mais uma vez, o OCB não aproveitou, falhando, por intermédio de Juanjo López, mais um livre direto. A mesma “sorte” teve Marinho quando, aos 19 minutos, falhou novo livre direto devido ao cartão azul mostrado a Rúben Pereira.

Até ao final do jogo não houve mais alterações no resultado, fixando-se este num 5-1 para o Valongo. Com este resultado, o OCB manteve o 6º lugar, com 26 pontos, mas viu o seu adversário de hoje distanciar-se um pouco mais na classificação. Valongo, que ocupa o 5º lugar.

Na próxima jornada, já no próximo sábado, o OCB recebe o vizinho HC de Braga, a contar para a 17ª jornada.

Ir Para Cima