Arquivo Mensal

Setembro 2019

Até para o ano…

Atualidade/Concelho/Mundo/Opinião port
Pedro Sousa

Não, caros leitores…não nos estamos a despedir de vós!

Com o surgimento do tempo chuvoso, que se vai tornando mais perene, e com a noite a cair cada vez mais cedo, as nossas mentes e, até, o nosso corpo, começam a despedir-se do verão, da sensação de férias, do poder “abusar” mais um pouco na comida, na bebida, nas horas de folia.



As festas populares e religiosas invadiram as nossas terras, com as suas cores, a sua música, animação e atos religiosos, unindo comunidades e promovendo reencontros familiares e de amizades. Este jornal divulgou dezenas e outras tantas ficaram por divulgar, precisamente por serem tantas e porque a informação nem sempre nos chega. Se está a ler este artigo e fará parte de alguma comissão de festas para o ano, então, se faz favor, não hesite em propor que nos enviem, pelo menos, o cartaz da festa, para que, humildemente, vos possamos ajudar. Para os barcelenses, e visitantes assíduos, a sensação de verão inicia aquando da “Festa da Cruzes”, entre finais de abril e início de maio. Até a retirada dos arcos do Campo da Feira indicia que está a chegar o outono…e depois o inverno!

Mas o tempo de verão é também aquele em que os emigrantes voltam à sua terra e ao âmago das suas famílias, trazendo mais alegria, mais cor, mais festa a muitas das nossas freguesias e paróquias. Quem anda por estas estradas afora, habitua-se a ver muitos carros com matrícula estrangeira; as feiras semanais (quinta-feira) costumam trazer muito mais pessoas a Barcelos, com os carros estacionados a chegarem a locais bem longe do recinto da feira e as vendas a aumentarem. Saindo um pouco do concelho, indo para os vizinhos com praias – Esposende à cabeça –, nota-se bem a presença de emigrantes, quer pelos veículos, quer pelas línguas faladas (infelizmente, nem sempre falam a nossa!). Agora, já voltaram às suas casinhas, ao conforto dos seus lares, que criaram por essas terras fora, aos seus empregos, ao seu quotidiano e às suas lides…ansiando por novo retorno a terras lusitanas, e barcelenses, ou pelo Natal, ou apenas pelo verão. Que tenham tido uma boa viagem de regresso e que este novo período que medeia a sua volta corra pelo melhor. Até ao regresso!…

Neste verão vimos menos fogos florestais, o que é sempre bom, mas continuámos a ver lixo depositado nas matas, bouças e bermas. Os fogos tendem a diminuir com o apertar da malha legislativa e penal…se calhar, essas mudanças sociológicas (não depositar lixo em locais indevidos) têm que ser feitas através da punição, pois parece que, através da sensibilização não se está a chegar àquilo que é mais correto. Bem gostaria que assim não fosse…

Agora que entramos no outono, vem o trabalho (e que venha para o máximo de pessoas possível, sendo isso, uma boa notícia); os campeonatos e provas de vários desportos estão de volta (sendo que o ciclismo se manteve ao longo do verão, com muitos bons resultados para os barcelenses, assim como, as atividades de corridas, trails e afins); os gilistas estão de volta à Primeira Liga (e com a “barriga cheia”…de carne de porco no espeto oferecida para festejar essa recolocação do Gil Vicente FC no local certo), há clubes e atletas barcelenses a iniciarem as suas competições e alguns já com bons resultados a registar. Vêm as eleições, pedindo eu, humildemente, que todos exerçam o seu direito de voto; vêm as aulas para os estudantes (o IPCA, por exemplo, continua a demonstrar grande vitalidade e números de relevo); vem o “tempinho” de querer ficar mais tempo na cama ao fim de semana e de acender a lareira para se sentir o aconchego do calor…enfim, vem o “tempo de inverno”!

Agora é esperar, agora é viver o dia a dia, ansiando pelo melhor, ansiando por que tudo corra conforme o planeado e desejado…e que os objetivos se alcancem, esperando pelo próximo verão, para voltarmos a repetir tudo aquilo de bom que repetimos, sempre que essa época está de volta. E, porque não, fazermos algo de novo que nos faça sentir bem…Fica a ideia!

Até para o ano (eu voltarei antes, claro está!)…e que tenham tudo aquilo que merecem! Este é o meu desejo!

Por: Pedro Sousa.* (Professor e Diretor do Barcelos na Hora)

Nota: Escolhi a foto de destaque, que faz parte do nosso acervo (mesmo não conhecendo o autor), porque dá a entender, a meu ver, a alegria e festa, mas, igualmente, uma ideia de “final de festa”, de “queimar os últimos cartuchos”, de “lavar dos cestos”.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Barcelenses fazem fila no “Open Day” da Misericórdia de Barcelos

Atualidade/Concelho/Cultura port

Centro de Medicina Física e de Reabilitação da instituição barcelense abriu as portas à população

Apesar da chuva, foram muitos os barcelenses que aderiram e participaram, este último sábado, no dia aberto do Polo da Saúde da Misericórdia de Barcelos.

O Centro de Medicina Física e de Reabilitação (CMFR) esteve de portas abertas à população, que, gratuitamente, pôde conhecer e experimentar vários serviços. Das massagens de relaxamento e Vichy, passando pela banheira de hidromassagem ou pelos Banhos Turco e Escocês, pelo Pilates Clínico, foram muitos os barcelenses que puderam experimentar os vários serviços e tratamentos de que o CMFR dispõe.



“Importa dar a conhecer o que de bom já se faz num Centro de Medicina Física e de Reabilitação que todos os dias trata e reabilita mais de 600 pessoas em ambulatório, que tem profissionais de toda a região e que são referências nas respetivas áreas de especialização. No desenho deste “Open Day”, foram tidas em conta algumas áreas em que temos serviços de referência e que importa serem cada vez mais valorizados. Queremos abrir à população, em geral, o que de bom se faz no polo de Saúde da Santa Casa”, sublinhou o Provedor da instituição, Nuno Reis.

A manhã foi pensada ao pormenor, procurando “ir ao encontro daquilo que são os anseios da população, começando por dar a conhecer o Centro e falar também sobre temas pertinentes”, referiu, na mesma linha, o coordenador da Valência de Saúde, Ricardo Vieira. “Sabemos que as disfunções do pavimento pélvico afetam grande parte da população – em particular pessoas idosas e pessoas que tiveram problemas sobretudo neurológicos – e consideramos logo este tema, para que possamos dar informação à população e mostrar que temos este serviço muito bem desenvolvido, através de pessoas altamente especializadas, nomeadamente na reabilitação”. Além disso, decorreu uma mega-aula de Pilates Clínico, que “é também um serviço de que dispomos, que serve sobretudo pessoas que tenham já alguma patologia, mas também para prevenir problemas”. A fechar a manhã, realizou-se uma hora aberta de Terapia da Fala e Terapia Ocupacional, que, explicou o coordenador da Valência de Saúde, “são duas formas de reabilitação menos conhecidas que a fisioterapia, mas que fazem uma boa complementaridade a tudo aquilo que é um tratamento global de que as pessoas possam necessitar”. Ricardo Vieira acrescentou, ainda, que “temos pessoas novas, temos pessoas que também já frequentam o Centro e, sobretudo, temos um espírito de união entre todos, entre colaboradores, pessoas que cá estão e outras que nunca tinham estado e é esse o espírito do ‘Open Day’”.

No final, o balanço foi “extremamente positivo”. “Se é verdade que o clima não nos ajudou, independentemente disso, a afluência de pessoas superou todas as expectativas iniciais que tínhamos e, portanto, é um balanço extremamente positivo”, concluiu o Provedor da Misericórdia de Barcelos, Nuno Reis.

Misericórdia de Barcelos aposta na Saúde

“A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos está a apostar no seu Polo de Saúde”. A garantia é deixada pelo Provedor da instituição, Nuno Reis, que, logo depois, explica: “A SCMB disponibiliza serviços na área da Medicina Física e de Reabilitação num horário alargado, à semana, até às 22h00, que está a ter cada vez mais procura por parte da população e alargou também ao sábado a sua panóplia de atividades”. Mais novidades, de resto, podem surgir em breve: “Esta nova edição do ‘Open Day’ serve de ponto de partida para um conjunto de tratamentos complementares que, num futuro próximo, esperamos vir a prestar à população”.

Fonte e fotos: SCMB.

2ª Conferência da APROTURM debate transformações digitais e empregabilidade

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

No passado dia 20 de setembro, o Salão Nobre da Câmara Municipal de Barcelos recebeu a 2ª edição da Conferência da APROTURM – Associação dos Profissionais de Turismo do Minho, organizada por esta associação e que teve como tema “Turismo.  As Transformações Digitais e Empregabilidade”.



O orador convidado, Carlos Zorrinho – Eurodeputado e Professor – salientou que “a estrada está feita, é preciso percorrer o caminho”. Foi com esta afirmação que sintetizou a sua comunicação e procurava explicar que existe tecnologia digital tão robusta e disponível que é necessário que os agentes sejam capazes de a saber usar para construir uma sociedade mais feliz. Efetivamente, num período em que o turismo tem ganho uma notoriedade tão relevante no nosso país e no mundo, importa estudar e planear o uso de toda a tecnologia disponível. Referiu, ainda, que na atualidade existe tecnologia digital que nos possibilita ver num telemóvel os mais importantes monumentos de todo o mundo. Ver museus, quer exteriormente e apreciar a arquitetura, quer mesmo, proceder a uma visita interior em 360º. Sendo possível efetuar uma visita virtual, o que acontece em turismo é que embora exista essa facilidade, os turistas, mesmo assim, querem visitar fisicamente o monumento, a cidade o museu, etc. Afinal, os aromas e os sabores e, sobretudo, as experiências não são virtuais. A tecnologia disponível não nos dá as vivências e o ambiente humano, o sentir do serviço que nos disponibilizam os profissionais de turismo.

Referiu, ainda, que as transformações digitais em turismo apenas “aguçam” o apetite para a viagem, dando mais e melhor informação. O turista, hoje, está mais informado e mais exigente, isso porque as novas tecnologias favorecem esse desenvolvimento humano tão desejável. Considera que existe mesmo uma forte convicção de que a tecnologia digital veio ampliar as vantagens da economia da felicidade, como hoje é referido o turismo.

Quando questionado sobre a saturação turística em cidades como Lisboa, Porto, Barcelona, motivada pela forte dinâmica do uso das tecnologias digitais, em desfavor de outras localidades do interior, referiu que esse desafio está colocado também aos poderes locais e na necessidade de uma articulação mais forte com os seus operadores turísticos. As tecnologias estão disponíveis, os dados e a sua manipulação via digital constituem, hoje, um poder fortíssimo ao alcance de todos. O interesse do bom uso dos dados em favor do turismo do interior é um desafio.

No que diz respeito ás tecnologias disse que “A estrada está feita, é preciso percorrer o caminho”, quanto aos técnicos de turismo, possuem hoje competências muito importantes e sabem usar as tecnologias, por isso o futuro pertence-lhes. Acredita que na sociedade do conhecimento, no mercado global, com as tecnologias disponíveis e com as competências que hoje possuem os profissionais do turismo existem condições únicas para que Portugal, em geral, e o Minho, em particular, possam beneficiar, ainda mais, da economia da felicidade.

O Vereador do pelouro do Turismo e Ambiente da Câmara Municipal de Barcelos, José Beleza, destacou a oportunidade de a conferência se integrar nas comemorações do Dia Mundial do Turismo e que a APROTURM o fez por antecipação, para despertar todos os atores do turismo e a sociedade em geral, para a relevância do turismo e dos seus profissionais no desempenho da nossa economia.

Referiu que Barcelos possui uma forte marca da idiossincrasia do Minho, onde, há centenas de anos, os peregrinos a Santiago de Compostela atravessam o território e que têm muito orgulho em contribuir para o turismo de forma determinada. Salientou, ainda, que o concelho de Barcelos tem uma presença marcante no turismo religioso e é, hoje, uma cidade criativa da UNESCO, que conquistou já o reconhecimento de todos os quadrantes sociais, culturais e económicos a nível internacional.

Destacou, também, que no turismo religioso e cultural, Barcelos tem um potencial que deve ser explorado de forma sábia, pois a proximidade de Braga e Guimarães tende a atenuar a qualidade do seu turismo cultural e religioso. Existe, no entanto, uma forte tradição de uma cultura religiosa muito assumidas e da qual também “muito nos orgulhamos”. Refira-se que a primeira grande romaria do Minho é a Festa das Cruzes, de Barcelos, com toda a solenidade e envolvimento da população e das forças vivas do concelho. Referiu, ainda, que aquela grande romaria, associada ás dinâmicas do Santuário da Senhora da Franqueira, dos monumentos e património existentes e à dimensão própria dos Caminhos de Santiago de Compostela, permite, com propriedade, assumir a ambição de o município ter uma presença mais forte na oferta de turismo religioso e cultural na região norte.

Está convicto que no município está a crescer a dinâmica do turismo e quer mobilizar todas as forças para que Barcelos se afirme no contexto nacional e internacional como um Destino Turístico de referência.

Cristiana Molho, Vice-Presidente da Direção da Associação dos Profissionais de Turismo do Minho (APROTURM) referiu que a conferência da APROTURM tinha a virtude e a oportunidade de se poder comemorar, por antecipação, o Dia Mundial do Turismo, correspondendo a uma atitude de demonstrar que no turismo estamos sempre em prontidão.

Referiu aquela dirigente da APROTURM que o turismo está em mudança e, naturalmente, que a APROTURM quer conhecer e ajudar a preparar os seus profissionais para essas transformações que a ciência, a investigação e, sobretudo, a economia estão a promover no setor do turismo.

Salientou os indicadores relativos á evolução do turismo, ressalvando que os dados de 2018 demonstram um crescimento brutal do número de chegadas de turistas a nível mundial, com cerca de 1,4 mil milhões de pessoas. Referiu, ainda, que quando se analisa o efeito desse crescimento em Portugal, os dados são extremamente confortáveis. Recorreu-se da central estatística da PORDATA, no primeiro semestre de 2019, em que Portugal registou no setor do alojamento, 12,1 milhões de hóspedes e 30,5 milhões de dormidas, constituindo um aumento de 7,6% e 4,7%, respetivamente, relativamente ao mesmo período de 2018. Os proveitos cresceram 7,6 % nesse mesmo período, registando 1 781,9 milhões de euros. Em 2018 registamos 67.662.103 de dormidas relativas a 25.249.904 hóspedes.

Mencionou, ainda, que face aos indicadores, fica, no entanto, um desafio para todos. Questionando como deverão evoluir os salários e se devem organizar as carreiras profissionais dos profissionais do turismo e da hotelaria. Salientou que no turismo se está a evoluir bem, mas ainda será necessário compreender e estudar as diferentes realidades dos setores no país, combater a sazonalidade e estudar e compreender a evolução tecnológica.

Tomada de posse do delegado da APROTURM em Braga

Luís Ferreira, que é quadro superior no Departamento de Turismo da Câmara Municipal de Braga, integra a equipa do Posto de Turismo de Braga e que, recentemente, foi agraciado pelas forças vivas da cidade pelo excelente desempenho em favor do turismo na cidade, foi empossado como delegado da APROTURM em Braga.

Fonte e fotos: APROTURM.

Barcelenses Inspiradores: Fernanda Pereira

A música era a influência do nosso barcelense inspirador da semana passada. Hoje, damos a conhecer Fernanda Pereira, que motiva e é motivada através das letras.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Fernanda Pereira nasceu a 24 de junho de 1969, na freguesia de Alturas do Barroso, concelho de Boticas, e reside na freguesia de Arcozelo, concelho de Barcelos.

Casou a 24 de junho de 1995, na cidade de Barcelos, com um barcelense, e é mãe de dois filhos – João Pedro e Guilherme.

Iniciou o seu percurso escolar na Escola Primária de Alturas do Barroso. Com 10 anos, foi estudar para a sede de concelho – Boticas, onde ficava durante a semana e, com 15 anos, para a cidade de Chaves. Terminou o ensino secundário e iniciou-se no mundo do trabalho, através do programa “Ocupação dos Tempos Livres”, no Serviço de Finanças de Boticas. Foi ali que tomou conhecimento do concurso de acesso à função de escriturária nas conservatórias e cartórios notariais, tendo sido selecionada e colocada nos Açores, na Ilha de S. Jorge, nos Serviços Anexados de Velas.

Com 20 anos, ganhou a sua independência e autonomia. Foi um tempo maravilhoso, mas as saudades eram imensas, quer da sua mãe e restante família, bem como dos amigos, que tinham ficado do lado de cá do mar.

Daí que, logo que surgiu um concurso – Braga seria o alvo, concorreu para a Secretaria Notarial de Barcelos. Foi ali empossada – ainda com 20 anos – e nunca mais saiu desta cidade. Com a separação dos cartórios, escolheu o 2º Cartório Notarial de Barcelos.

Aquando da privatização do notariado, foi convidada pela notária daquele cartório a acompanhá-la na abertura do seu cartório privado, na cidade de Braga. Há exceção do trabalho prestado neste cartório, em Braga, todo o resto decorria e continuava a decorrer na cidade de Barcelos.

Regressou ao “público” e foi colocada na Conservatória do Registo Civil de Barcelos, onde se encontra até à presente data, exercendo funções no Front Office do Espaço Registos de Barcelos.

A sua formação superior aconteceu em Barcelos, no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA). Assim, em 2010, regressou à Escola e, em 2013, terminou a licenciatura em Solicitadoria.

Mais tarde, principiou o mestrado em Solicitadoria, especialização em Contratos, tendo defendido o seu trabalho de dissertação para obtenção do grau de mestre em julho de 2018.

Desafiada a publicar este trabalho, surgiu o livro “A TITULAÇÃO DOS NEGÓCIOS – Aspetos Jurídicos, Fiscais e Registais”, publicado em junho de 2019, que a enche de orgulho, bem como aos seus orientadores, para com os quais terá para sempre uma dívida de gratidão.

A par da família, trabalho e estudos, há o associativismo e o voluntariado, que têm bastante relevo na sua vida quotidiana e se tornam em atividades muito gratificantes para si.

Esteve na constituição da “SOLICITIUS – Associação para a Promoção da Solicitadoria”, com sede em Barcelos e na qual mantém um cargo na direção da mesma.

É uma pessoa apaixonada pela vida, pela família, pelo trabalho, pela natureza e por esta cidade, que é a nossa cidade de Barcelos.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Eu sou a Fernanda, orgulhosamente transmontana, mas completamente integrada nesta cidade maravilhosa que é Barcelos e que me acolheu de braços abertos.

Vim para cá trabalhar em 1990, casei, tive filhos, estudei, integrei as várias Associações de Pais das Escolas por onde os meus filhos passaram, bem como o Conselho de Pais da Catequese de Santo António, onde atualmente sou catequista.

Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida”, Sócrates

Conheço-me desta forma, vivendo diariamente novos desafios. Desafios, inacreditavelmente, despontados em momentos aparentemente improváveis, mas que se têm relevados nos momentos certos.

Um dos desafios foi o meu regresso à escola, que surgiu em consequência da privatização do notariado. Explicitando, trabalhei cerca de 20 anos, no notariado, sendo os três últimos num cartório privado. Quando vim para a Conservatória, deixei de estar na minha zona de conforto. Seguiu-se um período de aprendizagem, incluindo uma formação de requalificação em registos. Esta formação, além de me ter proporcionado amizades para a vida, criando o grupo IRN Maio/2009, levou-me a perceber que estava na altura de fazer aquilo que não tinha feito, uma vez que comecei a trabalhar imediatamente ao término do ensino secundário – aprender e ter uma licenciatura.

Mas o gosto pela aprendizagem não ficou pela licenciatura e depois de feito o exame de acesso à Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução (OSAE), inscrevi-me no Mestrado, Especialização em Contratos, com o objetivo da obtenção de grau de mestre. Relativamente ao trabalho da dissertação foi muito gratificante fazê-lo, porque abordei questões de que gosto e que integram a minha profissão, mas foi por outro lado muito penoso, quer para mim, quer para a minha família, perante quem me penitencio pelo tempo em que não lhes pude dar a devida atenção. Houve momentos em que pensei desistir, em que pensei que não seria capaz. Enfim, que não era possível. No entanto, o incentivo de muitos levaram-me até ao final. Ao longo do trabalho houve uma frase, que para mim foi inspiradora, da autoria de Nelson Mandela “Tudo é considerado impossível até acontecer.” Aconteceu, defendi o trabalho e obtive o grau de mestre. Seguiu-se um novo desafio, que foi a publicação do trabalho de dissertação. Foi publicado e o dia da apresentação do livro, no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), a minha casa, foi um dia repleto de emoções.

Mas “como a vida não vai parar”, este ano estou a fazer uma pós-graduação em Direito Notarial e Registal, em Coimbra.

À parte disto, vejo-me como uma pessoa extremamente sensível (sou caranguejo), de emoções fortes e à flor da pele, em constante crescimento…que aprecia os pequenos gestos e atitudes, valorizando cada vez mais o “ser/estar” e cada vez menos o “ter”.

O que fazes é uma extensão de quem és?

Sem dúvida. Em tudo o que faço coloco AMOR, que para mim é a base de tudo. Depois, se por um lado sou demasiado perfecionista (comigo, acima de tudo), por outro, sou tolerante e tento-me colocar sempre do outro lado.

De que forma impactas a vida do próximo?

Pois, isso já não sei. Uma coisa eu sei, nunca guardo nada na “manga”. Tudo o que tenho dou, levando a que nada se perca, seguindo desta forma um dos lemas de Madre Teresa “Tudo o que se perde é o que não se dá”. Daí o meu gosto pela “Partilha” que se traduz em “repartir com alguém”. Repartir ideias, conquistas, alegrias, conhecimentos…E nada melhor para o conhecimento, que quando o partilhamos que alegria alcançamos!

Foi o que aconteceu em resultado de ter oportunidade de dar aulas no IPCA. Foi uma das melhores experiências da minha vida, pois pude partilhar o que aprendi, quer academicamente, quer em resultado da prática diária. Nada mais gratificante!

É o que acontece quando participo em conferências, onde posso partilhar aquilo que vou sabendo, em resultado do estudo, investigação e prática diária.

A publicação do meu livro também tem este efeito. De uma forma simples, direta, mas com o rigor e linguagem jurídica como se pretende, ajudar as pessoas nas suas dúvidas diárias e relacionadas com a Titulação.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Colocava todas as pessoas de mãos dadas, para que o amor trespassasse entre elas e estabelecesse a paz necessária à tomada de boas decisões em prol da humanidade.  

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

A minha mãe. Uma resiliente nata. Pensando que não sabe ler, nem escrever, porque não teve oportunidade, mas que consegue ter uma sabedoria de meter inveja a muitos diplomados.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

O “nosso” Papa Francisco. Um outro verdadeiro exemplo é a Madre Teresa de Calcutá. Revejo-me em todos os seus pensamentos. E de uma forma geral, todas as pessoas que, diariamente, fazem algo em prol do próximo. Mais que não seja, deixar-lhe um sorriso, uma palavra amiga…

Diz-nos um barcelense que te inspire.

Em vez de um, dois, que verdadeiramente são um. Pela sua forma de ser e estar, um casal de amigos, que são a família que escolhi, em Barcelos.

Como gostarias de ser recordada?

Alguém com uma preocupação constante em, diariamente, fazer mais e melhor. Que a minha maior satisfação era, com humildade e simplicidade, fazer tão pouco e tornar alguém feliz. Que sempre tive como influência uma das maiores figuras da humanidade – Madre Teresa de Calcutá, não permitindo que alguém saísse da minha presença sem se sentir melhor e mais feliz.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Câmara de Barcelos transfere mais de 1,4 milhões de euros para as freguesias

Atualidade/Concelho/Política port

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou, em sessão ordinária de 20 de setembro, a transferência de 1.333.199,00€ para as freguesias do concelho, correspondente ao terceiro trimestre e a vinte e cinco por cento do valor do contrato de cooperação, no valor global de 5.332.784,00€, que o Município e as freguesias subscreveram para vigorar durante este.



Também conhecido por protocolo dos 200%, este mecanismo permite que a Câmara transfira do orçamento municipal para as freguesias do concelho o dobro da verba que estas recebem do Fundo de Financiamento das Freguesias, contribuindo, deste modo, para uma gestão mais autónoma e eficiente por parte das freguesias.

Para além desta transferência, a Câmara Municipal aprovou, igualmente, um conjunto de subsídios a oito freguesias, no valor global de 99.000,00€, como comparticipação em obras de pavimentação, construção de muros de suporte e alargamento de vias, requalificação de espaços e equipamentos públicos.

Ainda no âmbito das freguesias, foi aprovado um contrato de comodato com a Freguesia de Roriz, tendo em vista a cedência, pelo Município, do antigo edifício e respetivo recheio do Jardim de Infância, para servir de estrutura de apoio e armazenamento a diversas associações da Freguesia.

Acordos com 14 instituições sociais para as refeições escolares

Ainda na mesma reunião, o executivo municipal aprovou acordos de colaboração com 14 instituições de caráter social, para execução do programa de generalização do fornecimento de refeições escolares aos alunos do 1º ciclo do ensino básico e de jardins de infância. Através destes acordos, as instituições fornecem refeições aos alunos durante o ano letivo 2019/2020, sendo o pagamento das mesmas assegurado pelo Município.

Também no âmbito escolar, aprovou a proposta que autoriza o fornecimento de refeições ao pessoal auxiliar dos estabelecimentos de ensino, contratados pelo Município para suprir a falta de efetivos ou para acompanhar e apoiar os alunos em períodos mais críticos do quotidiano escolar, como o período do almoço.

O executivo aprovou a atribuição de um subsídio à Associação de Pais do JI de Barcelinhos, no valor de 2.060,00€, e um subsídio à Associação de Pais do Centro Escolar António Fogaça, no valor de 8.640,00€, para colmatar a falta de pessoal auxiliar.

Ao nível da ação social escolar, foi aprovado apoio financeiro às refeições escolares de 60 alunos do 1.º ciclo e dos jardins de infância.

Subsídios no valor de 150.000,00€ aos bombeiros do concelho

O executivo aprovou, ainda, um subsídio no valor de 50.000,00€ a cada uma das três corporações de bombeiros do concelho de Barcelos, como comparticipação nas despesas realizadas no âmbito das suas ações, que implicam desgaste de material. A atribuição desta verba tem em conta as ações prestadas à comunidade pelas corporações de bombeiros e a relevância do serviço público que desenvolvem.

Fonte e foto: CMB.

Dupla dos Amigos do BTT de Barcelos em 3º no Troféu Urban Race

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Feito fica a cargo de Tânia Araújo e César Gonçalves

No último sábado, dia 14 de setembro, Guimarães recebeu a última prova do Troféu Urban Race, a Berço Urban Race, que contou com várias dezenas de betetistas.



Entre essas dezenas encontravam-se Tânia Araújo e César Gonçalves, da equipa Amigos do BTT de Barcelos, a competirem em Duplas Mistas.

Ao 4º lugar conquistado na “Cidade-Berço”, esta dupla juntou um 6º na “Bracara”, um 2º lugar na “Trofa”, um 3º na “Cabeceiras”, sendo que na “Galo’s” – a sua terra –, por motivos profissionais, não conseguiram competir, sendo que fica no ar a ideia: “e se?…” Qual seria a sua classificação final se tivessem conseguido participar nesta prova em Barcelos?

O “Troféu Urban Race” nasceu “com o intuito de homogeneizar a estruturação dos Urban Race’s”, refere a organização.

O Troféu reúne eventos de 3 horas de resistência BTT da Região Norte do país, sendo composto por cinco provas, realizadas em Barcelos, Braga, Cabeceiras de Basto, Guimarães e Trofa.

Fotos: DR.

Carlos “Xavi” Silva, da Casa do Povo de Alvito, é campeão distrital de ténis de mesa

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Terminaram os Campeonatos Distritais Absolutos, de Seniores e Cadetes, tendo Carlos “Xavi” Silva, da equipa de Ténis de Mesa da Casa do Povo de Alvito, se sagrado Campeão Distrital em Seniores.



Da mesma equipa barcelense, Tiago Sousa conseguiu um grande 2º lugar, mas em Cadetes.

Por fim, com um resultado igualmente de pódio e em Seniores, João Costa [Ndr: de verde na foto que se segue] conquistou o 3º lugar. Já em Cadetes, Susana Costa e Gustavo Ferreira ficaram em 4º e 5º, respetivamente.

Condições de treino melhoradas

A Casa do Povo de Alvito, em conjunto com o IPDJ – Instituto Português da Juventude e do Desporto, investiu cerca de 11 mil euros na renovação do piso, na aquisição de mesas de árbitro STAG e de uma mesa da mesma marca. A estas melhorias, seguir-se-á a renovação da caixilharia das instalações.

Torneiro de Ténis de Mesa de Barcelos

A equipa de Alvito São Pedro organiza, entre 16 e 17 de maio de 2020, o primeiro Torneio de Ténis de Mesa de Barcelos.

Fotos: CPA.

“triciclo” regressa com três meses de música em Barcelos

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

O ciclo de concertos “triciclo” está de volta para mais três meses de programação transversal, que conta com Conjunto Corona, Krake + Adolfo Luxúria Canibal e Ruído Vário. Entre outubro e dezembro, a cidade de Barcelos vai receber, ainda, showcases e uma produção inédita inserida no programa de Serviço Educativo. O “triciclo” é uma iniciativa do Município de Barcelos.



O ciclo de concertos arranca a “todo o gás” com o trio punk Deaf Kids, a 5 de outubro. A banda de São Paulo regressa a Portugal e traz uma sonoridade psicadélica e pesada à blackbox do Teatro Gil Vicente. Para terminar o mês, Adolfo Luxúria Canibal junta-se a Krake para repetir um espetáculo que foi criado e apresentado para o Zigurfest deste ano. O vocalista dos míticos Mão Morta e o baterista barcelense vão apresentar um espetáculo experimental e ainda desconhecido para o grande público, mas com o selo de qualidade que os dois músicos carimbam em cada projeto que integram. Realiza-se a 30 de outubro, no Teatro Gil Vicente.

O mês de novembro arranca dia 9, com os portuenses Conjunto Corona e os barcelenses Solar Corona. Uma noite entre o hip-hop e o stoner rock que acontece na sede do Gil Vicente FC. O Teatro Gil Vicente vai receber os belgas Slumberland, liderados pelo cineasta e músico Jochem Baelus, a 21 de novembro. Secadores de cabelo agulhas de tricô, câmaras super 8 ou máquinas de costura são alguns dos instrumentos improváveis utilizados pelos Slumberland.

No último mês de programação, o “triciclo” vai juntar O Gringo Sou Eu e a escola de música da Banda Musical de Oliveira. O músico brasileiro vai preparar um espetáculo original com os jovens alunos desta banda, com mais de duzentos anos de existência, nascida na freguesia de Oliveira, em Barcelos. Esta iniciativa insere-se no projeto de Serviço Educativo do “triciclo”, que tem como objetivo a aproximação de comunidades, assim como a formação pessoal e artística de jovens locais. A apresentação ao vivo decorre a 14 de dezembro, no Teatro Gil Vicente.

O encerramento fica a cargo de Ruído Vário, projeto de Ana Deus e Luca Argel que aborda a obra de Fernando Pessoa. O espetáculo foi criado a convite da Casa Fernando Pessoa, em 2017, e vai ser apresentado na Biblioteca Municipal de Barcelos, a 21 de dezembro.

Os bilhetes estão disponíveis no Teatro Gil Vicente, em www.bol.pt e nos locais habituais.

Imagens: DR.

Barcelos comemora Dia Internacional do Turismo

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

O Município de Barcelos volta a assinalar o Dia Internacional do Turismo com diversas atividades centradas em experiências no âmbito do turismo criativo, “que se afigura como um cluster de oportunidades para o emprego jovem, experiências que promovem o contacto com as artes tradicionais do concelho, as fusões criativas, bem como a interpretação do território através de atividades no Rio Cávado e no Caminho de Santiago, não fosse Barcelos um território marcado pela criatividade e pela cultura jacobeia e devoção a Santiago”, refere o Município.



As atividades decorrem nos dias 27 e 28 de setembro, sendo que a primeira é uma Creative Walk pela Cidade de Barcelos sobre Experiências de Turismo Criativo e oficinas de pintura criativa com artes tradicionais, no dia 27, entre as 9h00 e as 13h00, na Torre Medieval.

Às 14h30 decorre, para os mais radicais, uma descida do rio Cávado em canoa com uma degustação de produtos tradicionais, até à Barca do Lago, em Esposende, numa parceria entre o Município de Barcelos e o Município de Esposende, com início na Praia Fluvial de Mariz. Esta atividade está, essencialmente, vocacionada para os profissionais do Turismo e pretende mostrar e sensibilizar para o potencial do Rio Cávado enquanto eixo de dinamização turística.

O programa continua às 22h00, no Largo da Porta Nova, com a performance audiovisual “An Essence of a Legacy”, inspirada na arte e na criatividade do figurado de Barcelos e que tem como objetivo desenvolver uma viagem de experiências percetivas, procurando representar as suas caraterísticas identitárias mais particulares.

O Dia Mundial do Turismo fica também marcado pela iniciativa “Turismo Náutico no Rio Cávado” com percurso interpretativo das Lagoas de Caíde, no dia 28 de setembro, às 8h30, em Areias de Vilar.

A tarde é dedicada a um passeio a cavalo pelo Caminho de Santiago, com início às 14h30, em Macieira de Rates.

O Dia Mundial do Turismo comemora-se desde 27 de setembro de 1980, depois de ter sido decretada a data pela Organização Mundial do Turismo (OMT) na terceira conferência da Assembleia Geral da OMT em 1979.

Os interessados em participar nas atividades devem inscrever-se através do e-mail turismo@cm-barcelos.pt ou através do número 253 811 882.

Fonte e imagem: CMB.

Atleta dos Amigos da Montanha conquista medalha de bronze no Europeu de Masters

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Graça Costa representou Portugal, no último domingo, no Campeonato da Europa de Masters, em Veneza, Itália.



A atleta dos Amigos da Montanha fez uma excelente prova e subiu ao pódio com as cores da seleção nacional para receber a medalha de bronze da Meia Maratona, no escalão W55.

Graça Costa conseguiu, ainda, um novo recorde nacional de escalão, ao percorrer a distância em 1h31m40s.

Fotos: DR.

1 2 3 9
Ir Para Cima