Arquivo Mensal

Outubro 2019

Centro Humanitário de Macieira de Rates ganha Prémio BPI “La Caixa” Seniores

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

O Centro Humanitário de Macieira de Rates – Cruz Vermelha Portuguesa foi premiado pelo BPI e pela Fundação “La Caixa”, com o Prémio BPI “La Caixa” Seniores, recebendo a distinção no passado dia 17 de outubro, no Centro Cultural de Belém.



A distinção surge na categoria de Capacitar Cuidadores e o valor que a referida instituição recebeu foi de 37.530 euros, que servirão para “Criar Serviço de Apoio ao Cuidador Informal para formar os cuidadores capacitando-os para reconhecer o seu bem-estar como objetivo legítimo” e “Aumentar os conhecimentos sobre a doença, criar grupos de ajuda mútua e dinamizar um sistema alargado de apoio ao cuidador”.

O BPI e a Fundação “La Caixa” lançaram a 7ª edição do Seniores, um prémio para apoiar projetos que promovam a integração social e o envelhecimento ativo, saudável e em casa, de pessoas com idade superior a 65 anos em situação de vulnerabilidade social.

O valor do Prémio BPI “La Caixa” Seniores foi de 750 mil euros e podiam candidatar-se todas as instituições privadas sem fins lucrativos que apresentassem projetos sólidos e inovadores nesta área.

Criado em 2013, o Prémio Seniores já atribuiu 3,75 milhões de euros, distribuídos por 167 projetos de Norte a Sul do País e Ilhas.

Fotos: DR.

Fim de semana de jogos entre os primeiros

Atualidade/Concelho/Desporto/Opinião port
Gonçalo Santos

Olá, amigos!

Esta semana estou de volta para vos falar do nosso Futebol Popular de Barcelos, que nos leva a esses recintos ao domingo de manhã. Escrevo com um “trago de tristeza na alma” pela partida de um familiar direto, mas não podia de vos falar sobre algo que gosto imenso, que é o futebol, no caso, o popular de Barcelos.



Tal como o título indica, as jornadas deste fim de semana trouxeram alguns jogos entre os melhores posicionados nas tabelas das duas divisões.

Na 1ª, desde logo, destaque para a vitória do líder, Leões da Serra, em casa do surpreendente Oliveira, por 0-2. Os homens de Airó parecem querer recuperar o ceptro e os de Oliveira mantêm-se no top-5.

Quem continua na peugada do líder é outro histórico do futebol popular, o Leocadenses, que não quis ficar atrás do líder e venceu, também fora e também por 0-2, no caso, o Milhazes.

O atual campeão, Carapeços, teve uma vitória tranquila em casa do Fonte Coberta, por 1-3.

Das equipas cimeiras, só o Remelhe perdeu pontos, fora, em casa do último, o Palme. O resultado ditou um empate a 1 golo.

Na próxima semana, destaco o Leões da Serra – Fragoso, o Leocadenses – Paradela e o Aborim – Carapeços.

Na 2ª divisão também houve bons jogos, entre equipas bem classificadas. O líder Juventude S. Martinho goleou o 3º classificado, Feitos, em casa deste, por 0-4. O Cossourado, a fazer um bom início de campeonato, goleou o Bastuço, em casa, por 4-1. Houve muitos golos na receção do Águas Santas ao Estrelas, com os da casa a vencerem por 4-2, aproveitando para igualar os visitantes na classificação. A fazer um bom campeonato, o Campo venceu, por 1-0, em casa, o Creixomil.

Destaco, na jornada que segue, o Baluganense – Juventude S. Martinho, o Santa Eugénia – Campo e o Silveiros – Cossourado.

Com muita estima e consideração me despeço de todos, com os votos de uma boa semana.

Por: Gonçalo Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Caminhada Solidária percorre roteiro do Figurado de Barcelos

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

Iniciativa em prol da Liga Portuguesa Contra o Cancro

No passado domingo, dia 27 de outubro, realizou-se uma Caminhada Solidária cujas receitas reverteram a favor da Delegação de Barcelos da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Nesta edição, os caminheiros percorreram o “Roteiro do Mundo Maravilhoso do Figurado de Barcelos”, com visita guiada pelo Posto de Turismo de Barcelos.



Esta Caminhada Solidária foi uma iniciativa da Associação ACB – Albergue Cidade de Barcelos, da Associação de Pais da Escola de Pontes (Tamel S. Veríssimo) e da Liga Portuguesa Contra o Cancro – Delegação de Barcelos. 

A iniciativa permitiu angariar 674,96€, que foram entregues, na sua totalidade, à referida Delegação.

A organização, em nota, deixou “um agradecimento especial aos mais de 150 participantes, ao Turismo de Barcelos (nas pessoas do Dr. Nuno Rodrigues e Dr.ª Sandra Igreja), ao Green Pilates e à Eticol, ao apoio da Pastelaria Regresso, Galliano e Padaria Velha e aos meios de comunicação social que divulgaram a iniciativa”.

Fotos: ACB.

Abre mão

Atualidade/Concelho/Cultura/Opinião port
Joana Martins

Com o passar dos anos,

Aprendemos,

Que temos de deixar ir…

Escolhemos os que amamos

E não queremos vê-los partir.

A palavra gratidão

Ganha grande sentido

Quando não abrimos mão,

Da recordação

Que nos fala ao ouvido.

Quando perdemos alguém

Que era tão importante

Sentimo-nos aquém

E a dor é dilacerante.

Impera o silêncio

Faltam-nos as palavras

E sentimos um vazio

Que descrevo em metáforas.

A vida é uma flor

E na sua delicadeza

Deixa amor

Fraqueza

Dor

Mas também uma certeza

Por onde passas

Alguns não vão dar valor

Mas os que te amam,

Sim!!!

Abre mão

E deixa um rasto de ti…

Do que ficou gravado

Do que te fez sentir amado

Abre mão

Abre o coração

E agarra-te com um sorriso

A esses…

Que não abrem a mão de ti!

E aos que partem

Que levam uma parte de nós

Não é um adeus

É um até já…❤

.

Este poema é dedicado a todos que, tal como eu, viram partir alguém especial antes de nós.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Gil Vicente derrotado em casa da “sensação” Famalicão

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Más arbitragens levam Vítor Oliveira a ponderar sair

Em noite invernal, o Estádio Municipal de Famalicão recebeu, ontem (30 de outubro), mais um jogo a contar para a 9ª jornada da Liga NOS, com a “sensação” FC Famalicão a receber o Gil Vicente FC.



Sob arbitragem de Cláudio Pereira (AF Aveiro), coadjuvado por Bruno Trindade e Carlos Campos, com André Castro como 4º árbitro, o jogo contou com os seguintes alinhamentos de equipa:

FC Famalicão – Vaná, Lionn, Nehuén Pérez, Roderick, Centelles, Gustavo Assunção, Racic, Pedro Gonçalves (Guga, 69’), Diogo Gonçalves, Toni Martínez (Anderson Oliveira, 73’) e Fábio Martins (Patrick William, 83’). No banco ficaram Rafael Defendi, Ofori, Rúben Lameiras e Walterson.

Gil Vicente FC – Denis, Fernando Fonseca, Rúben Fernandes, Ygor Nogueira, Arthur Henrique (Erick, 71’), Henrique Gomes, Soares, João Afonso, Kraev (Lourency, 66’), Naidji e Baraye (Sandro Lima, 63’). No banco ficaram Bruno, Alex Pinto, Leonardo e Juan Villa.

O espanhol Toni Martínez abriu o marcador, aos 22 minutos da primeira parte, resultado com que se foi para intervalo. Com o jogo em aberto, na segunda parte, aos 80 minutos, o brasileiro Anderson Oliveira, que tinha entrado a substituir o espanhol, marcou o 2-0 para os da casa. O máximo que os gilistas conseguiram foi reduzir para 2-1, pelo brasileiro Sandro Lima, aos 90 minutos, a corresponder a um bom cruzamento e, à entrada da pequena área, não perdoou o guardião famalicense.

O jogo teve alguma polémica com a arbitragem, com o treinador dos gilistas, Vítor Oliveira, a ser expulso ainda na primeira parte (43’). Agastado com estas decisões, que considera erradas, que têm prejudicado o Gil Vicente FC, o treinador referiu que iria conversar com a Direção e aferir se continuaria à frente dos desígnios da equipa.

Com este resultado, o Gil Vicente FC fica na 15ª posição da tabela, à condição. Na próxima jornada, dia 03 de novembro, pelas 15h00, os gilistas recebem o CS Marítimo.

Esse Cancro maldito!

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo/Opinião port
Pedro Sousa

Caros leitores,

Decidi não deixar terminar este mês de outubro, mês da “Onda Rosa”, inspirada no movimento “Outubro Rosa” (nascido nos EUA na década de 90 do século passado), e criada pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, que procura incentivar a prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama.



De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde e da sua Agência para a Investigação do Cancro, citados pelo Observador, no ano passado, registaram-se a nível mundial, 18 milhões de novos casos, sendo 23,4% desses casos na Europa. Em todo o planeta, morreram 10 milhões de pessoas vítimas desta patologia. Os tipos de cancro com maior incidência são o do pulmão (11,6%), da mama (11, 6%), do colón (10,2%) e da próstata (7,1%).

Já em Portugal, esta é a segunda causa de morte e, por ano, essa incidência aumenta cerca de 3%, em média. Só em 2018 houve 50 000 novos casos. Os estudos indicam que um quarto da população portuguesa corre o risco de desenvolver cancro até aos 75 anos e 10% poderão morrer desta doença. Atualmente, 25% dos óbitos em Portugal são causados por cancros. Os mais frequentes são o do colorretal (10 000 novos casos), da mama (7 000 mulheres) e da próstata (6 600 homens).

São, realmente, números preocupantes e, mesmo, assustadores, com tendência a aumentarem, sendo que, por outro lado, surgem cada vez mais formas de luta contra esta “maldita doença” (peço desculpa se choco com esta terminologia tão forte), assim como mais formas de prevenção (por ex.: não fumar, não beber em demasia, praticar desporto, ter uma alimentação natural e fresca, ter momentos de lazer – sim, leu bem! –, proteger-se do sol, entre outras).

Mas o intuito deste meu artigo passa além dos números e das estatísticas ou das causas e formas de combate…este meu artigo terá, para mim, muito mais de intrínseco, visceral e sentimental.

Tenho quase a certeza de que não há família, infelizmente, que se possa “dar ao luxo” de poder dizer que nenhum dos seus membros já sofreu, ou sofre, de algum tipo de cancro. A minha não é exceção. O meu pai teve a “fortuna” e “sorte” de se ter livrado de um cancro do colorretal, detetado prematuramente – os rastreios e exames são muito importantes – não se livrando, nem nós, de um valente susto e uma lição para a vida. Mas houve, e há, outros exemplos na minha família, infelizmente. No entanto, em relação aos atuais (os que já partiram já não “têm como dar a volta”), estou confiante que consigam sair deste momento menos bom da sua saúde. Basta não desistirem e lutarem com todas as forças, para combaterem essa “doença maldita”.

Sendo o movimento “Onda Rosa” dedicado à prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama, não posso deixar de pensar na minha amiga Inês, que lutou contra um cancro da mama enquanto estava grávida e pouco depois de ter “dado à luz” uma linda menina, acabou por não resistir, deixando-nos, a todos, destroçados. Mas muitos mais casos poderia referir…eu e qualquer um de vocês, infelizmente.

Permitam-me que aproveite este artigo para um momento de maior intimidade, para falar de um grande amigo, amigo de infância, amigo de muitas aventuras (em crianças, em jovens e já adultos), amigo-vizinho e meu homónimo. Recentemente, também ele não conseguiu resistir a esta doença, no caso, cancro do estômago. Vi-o debilitado e desanimado. Tentei animá-lo, mas compreendê-lo também, quando dizia que custava, que a quimioterapia o deixava fraco, que a doença o fez emagrecer, fazer o cabelo grisalhar e, depois, cair. Sempre achei que ultrapassaria esta…por considerar que ainda somos novos e estes “sustos” não nos venceriam. Infelizmente, isso não aconteceu. E eu fiquei a duvidar. Comecei a pensar que, afinal, até não somos “imbatíveis” e “infalíveis”, mental e fisicamente. Preciso de falar dele porque não pude despedir-me! No dia e na hora do seu funeral, o máximo que consegui fazer (devido à distância a que estava do local) foi ficar no meu carro, à porta de uma das escolas em que lecionava. Desliguei o rádio, fiquei em silêncio por uns minutos, em introspeção, a pensar naquele amigo que já não veria mais. E saí…para mais uma aula, onde tive que esconder a tristeza…porque os alunos mereciam isso de mim. Quero deixar aqui a minha homenagem a esta grande pessoa, de quem não me pude despedir e, por tal, lhe peço desculpa! Fica, também, a minha homenagem e lembrança a todas aquelas pessoas que, de igual forma, não conseguiram resistir a esta “doença maldita”. A todos, um “até já e que estejam bem, aí onde estiverem”!

Obrigado pela atenção.

Por: Pedro Sousa (Professor e Diretor do Barcelos na Hora) *.

Fontes: https://www.ligacontracancro.pt/paginas/detalhe/url/onda-rosa

Foto: DR.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Óquei de Barcelos informa que filmará os seus jogos

Atualidade/Concelho/Desporto/Mundo port

Filmagens serão efetuadas nos jogos em casa e fora

No passado dia 28 de outubro, o Óquei Clube de Barcelos (OCB) usou as suas redes sociais para informar o “mundo” do hóquei em patins que iria começar a filmar os seus jogos caseiros e forasteiros.



A medida foi decidida depois do jogo em que o OCB visitou o recinto da UD Oliveirense, sendo que a equipa barcelense se sentiu prejudicada pela arbitragem, num jogo em que em poucos minutos se assinalaram vários livres diretos, cartões azuis e se passaram outras situações.

Segue-se, na íntegra, o comunicado:

Na sequência do encontro entre o OCB e a Oliveirense, a contar para a 3ª jornada do campeonato nacional de hóquei em patins da época 2019/20, sobre as decisões/situações de arbitragem, verificadas nessa mesma partida, entende o Óquei Clube de Barcelos SAD informar que:

1. A bem da verdade desportiva, da transparência e, como forma de contribuir para o Hóquei em Patins positivo, defendido pelas instâncias, o OCB passará a realizar uma filmagem nos seus jogos, em casa e fora, em todas as jornadas, fazendo de seguida uma apresentação pública dos casos de arbitragem e dos critérios utilizados pelos Árbitros;

2. A anormal quantidade de erros verificados, neste jogo, contra o OCB motiva enorme preocupação, prejudicando-nos pontualmente no campeonato;

3. O OCB continuará a querer contribuir para a promoção do Hóquei positivo, mas não permitirá que, jogo após jogo, o clube venha a ser lesado por critérios dúbios e decisões erradas que coloquem em causa os objetivos do Clube, bem como a sua sobrevivência.

A Direção.»

Barcelos vence Prémio europeu “Destino de Turismo Cultural Sustentável”

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo/Política port

O Município de Barcelos foi distinguido, internacionalmente, com o Prémio Europeu de “Destino de Turismo Cultural Sustentável”, promovido pela ECTN – European Cultural Tourism Network, na cerimónia que decorreu no passado dia 24 de outubro, na cidade de Granada, em Espanha, no seguimento da candidatura realizada em julho passado, na categoria de “Contribuições das indústrias culturais e criativas (ICCs) para o turismo cultural”, com o tema “Barcelos Cidade Criativa – Contribuições do Artesanato e da Arte Popular como caminhos para um turismo mais sustentável”.



Para o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, “este prémio é um orgulho, num universo de centenas de entidades, autoridades locais, associações, empresas e outros agentes do setor turístico de toda a Europa que se candidataram. Acima de tudo, porque se trata de um incentivo à prossecução do trabalho municipal em prol do turismo criativo como fator de desenvolvimento local, mas também dando provimento à estratégia de promoção e internacionalização desenvolvidas nos últimos anos tendo o turismo como pretexto.”

O Município refere que “em Barcelos, a criatividade das nossas gentes marcou, e marca, a nossa identidade socioeconómica, mas acreditamos que essa realidade se pode catapultar para outros patamares, com a visibilidade internacional que temos conseguido dar a Barcelos, nomeadamente através das redes internacionais que trabalham o registo da Criatividade, como a Rede das Cidades Criativas da UNESCO e a Creative Tourism Network”.

“A aposta nesta candidatura, como dialeto da política de turismo cultural e criativo desenvolvidas nos últimos anos, só é possível com o envolvimento de toda a comunidade criativa numa série de ações e iniciativas tendentes a impulsionar o setor criativo e o fortalecimento dos seus laços com o setor turístico, afirmando a criatividade como alavanca de desenvolvimento”.

O turismo cultural e as indústrias criativas são, evidentemente, setores em crescimento em toda Europa e no mundo. Setores que, seguramente, irão moldar o futuro de muitos territórios. “Como tal, a aposta na sustentabilidade deste setor revela-se tão essencial para fortalecer a consciencialização europeia e mundial para a aposta em estratégias de desenvolvimento sustentável como forma de assegurar um futuro para o setor do turismo”.

“A aposta que o Município de Barcelos tem vindo a fazer na criatividade tem servido de base para o nascimento de um paradigma de desenvolvimento em Barcelos e em Portugal”, conclui.

Os prémios em questão existem desde 2014 e funcionam como incentivo a uma consciencialização ética relativamente à importância da sustentabilidade no setor. A edição 2019 dos Prémios foi organizada pela ECTN em parceria com a Europa Nostra, a Comissão Europeia de Viagens e apoiada pela Rota Cultural Iter Vitis do Conselho da Europa.

A ECTN é única rede pan-europeia que se dedica integralmente ao desenvolvimento e promoção de ações que se destinam à implementação de estratégias de turismo cultural tendentes ao desenvolvimento de um setor verdadeiramente sustentável.

Fonte e foto: CMB.

Barcelense COTTONANSWER alia-se, pelo segundo ano, à “Onda Rosa”

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

Com o objetivo de “consciencializar para a problemática do Cancro da Mama, a COTTONANSWER volta a associar-se, pela segunda vez, à “Onda Rosa”, campanha promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro.



Assim, a fachada da fábrica encontrou-se revestida por um laço rosa durante o mês de outubro e foram distribuídos flyers para sensibilização dos seus colaboradores e visitantes para este assunto que afeta tantas mulheres e famílias todos os anos. Hoje, dia 30 de outubro, Dia Nacional de Luta Contra o Cancro da Mama, foi ainda efetuada fotografia de grupo com vários colaboradores, passando assim várias mensagens de sensibilização.

A COTTONANSWER é uma marca 100% portuguesa, sediada em Barcelos e cujos clientes são 100% internacionais. Esta empresa têxtil, com 5 anos de vida, mas com mais de 30 anos de experiência no setor, através do seu Presidente do Conselho de Administração, António Santos, tem como principal objetivo revitalizar a área têxtil. A marca triplicou a faturação, mas olha para o setor têxtil nacional como um todo e afirma: “a única hipótese do têxtil português competir no mundo global é através da inovação, da qualificação e de incorporar verdadeiramente o ADN português”.

A marca triplicou a faturação em 5 anos, passou de 5 milhões/ano para 16 milhões/ano e duplicou o número de colaboradores –, em 2014 empregava 80 colaboradores e agora emprega mais de 190. O mercado de trabalho desta empresa têxtil é inteiramente internacional, atuando em mais de 100 mercados, desde o Japão, França, Austrália, Holanda, Noruega, Espanha, Itália, Suíça, Bélgica, Alemanha, Suécia, Estado Unidos da América, Canadá, Emirados Árabes Unidos, Inglaterra, Dinamarca, entre muitos outros.

Mês de outubro marca a consciencialização do Cancro da Mama

Segundo a Liga Portuguesa Contra o Cancro, o movimento conhecido como “Outubro Rosa” nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para estimular a participação da população no controlo do cancro da mama. A data é celebrada anualmente com o objetivo de promover a consciencialização sobre a doença e partilhar informações sobre o cancro de mama. Um pouco por todo o mundo, durante este mês, a cor rosa alastra-se com o objetivo de permitir sensibilizar a população para a temática da prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama.

O mês de outubro é assinalado por duas efemérides: a 15 de outubro assinala-se o Dia Mundial da Saúde da Mama e a 30 de outubro o Dia Nacional de Luta Contra o Cancro da Mama. É no período compreendido entre estas datas que a Liga Portuguesa Contra o Cancro desenvolve o movimento “Onda Rosa” procurando incentivar à prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama. A campanha da Liga Portuguesa Contra o Cancro acontece pelo 5º ano consecutivo.     

Fotos: COTTONANSWER.

“YES, We Can!” – Novo projeto para receber 5 voluntários em Barcelos

Atualidade/Concelho/Cultura/Mundo port

A SOPRO está a realizar a Visita Prévia de Preparação do projeto “YES, We Can!”, entre 28 e 31 de outubro, em Barcelos, onde recebe os líderes de 5 países parceiros (Jordânia, Macedónia, Hungria, Espanha e Itália), no sentido de preparar a receção de 5 voluntários na SOPRO a partir de janeiro de 2020.



O projeto “YES, We Can!” é financiado pelo Corpo Europeu de Solidariedade através da Agência Nacional Juventude em Ação, que consiste na receção de 5 voluntários, com idades compreendidas entre os 18 e 30 anos, que estarão em Barcelos durante 1 ano a desenvolver atividades de voluntariado com a SOPRO.

Fotos: DR.

1 2 3 16
Ir Para Cima