A espera…

Novembro 22, 2019 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Hugo Pinto



A espera é desespero. O desespero é sufoco. O sufoco é desfalecer.

Então desfaleço. Desfalece o ânimo. Desfalece o entusiasmo.

Esse golo que tarda. Esse jogo que parda.

Então sofro. Espero, desespero, sufoco e desanimo.

É golo.

É alegria. É renascer. É a alma a aquecer.

É o ânimo a regressar e o coração a pular.

Rejubila o adepto. Esperou a semana toda por aquele momento.

O jogo avança e desvanece a esperança. Volta o marasmo e foge-me o espasmo.

A convulsão do rosto que se chama sorriso. E o adepto desespera vai-se o juízo.

O jogo findou. Nosso amor ganhou.  A exibição não convence, mas a equipa vence.

Segue em primeiro sem jogar em cheio.  É a sensação de barriga vazia. Mesmo com VAR dá uma azia.

Para a semana há mais. Oh, rapazes, vede lá se jogais.

Eu adepto, recordo Eugénio. Que apesar de não o ser, é o de Andrade:

.

Aqui onde o exílio

dói como agulhas fundas,

esperarei por ti [oh bom futebol]

até que todas as coisas sejam mudas.

Até que uma pedra irrompa

e floresça [e o golo apareça]

Até que um pássaro me saia da garganta

e no silêncio desapareça.

[É golo…]

.

E viva o Benfica.

E pluribus unum.

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima