Barcelense Márcio Dias “faz magia” no Basquetebol em Cadeira de Rodas

Junho 15, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto, Entrevistas, Mundo

O Mágico! É desta forma que Márcio Dias, barcelense de Feitos, é conhecido no “mundo” do basquetebol em cadeira de rodas (BCR).

Já conquistou quase tudo que um atleta desta modalidade sonha conquistar.

Vice-Campeão Europeu Divisão C (com subida à Divisão B), em 2015; Campeão Nacional e Vencedor da Taça de Portugal (2012/13); Most Valuable Player (MVP) do Campeonato Nacional e da Final da Taça de Portugal (2012/13); Melhor marcador e Melhor ressaltador (2011/12 e 2012/13); 3º lugar do Campeonato Nacional de Espanha, sendo o 5º melhor marcador (2014/15); Campeão da Primeira Liga de Espanha de BCR, com a equipa Servigest Burgos (2015/16); Melhor marcador da final four, com essa mesma equipa; Vencedor da Supertaça, Campeão Nacional e Vencedor da Taça de Portugal, pela Associação Portuguesa de Deficientes (APD) – Braga (2016/17).

Faz parte dos quadros de preparação e competição da Seleção Nacional de BCR desde 2000.

Entre 1993 e 2005, representou a Associação de Deficientes Motores (ADM) de Barcelos. De seguida, entre 2005 e 2013, jogou pela APD – Braga, sua atual equipa e da qual se transferiu para Espanha, para o Servigest Burgos, onde jogou entre 2013 e 2016. Voltou para Portugal, para representar, novamente, a APD – Braga, onde alcançou mais três títulos. Curiosamente, esta equipa bracarense é presidida por Manuel Vieira, também barcelense.



Márcio Dias disponibilizou-se para responder a algumas questões que o Barcelos na Hora lhe colocou. Desde já, agradecemos pela oportunidade.

Márcio, antes de mais, muitos parabéns, quer pela magnífica carreira, quer pelo “triplete” que conquistaste ao serviço da APD – Braga. Nesta hora de vitória, o que te vai na alma? Tens alguma dedicatória ou agradecimento que gostasses de fazer?

MD – Dedico estes triunfos a toda a minha família e a todos os meus amigos pois eles são os que me apoiam nestes momentos. Queria agradecer à minha equipa por me receber de braços abertos.

Uma pergunta que os desconhecedores do BCR fazem é: quais as diferenças entre o BCR e o Basquetebol? Ao nível de regras, por exemplo.

MD – Só há uma regra que muda em relação ao basquetebol em pé que é a regra dos dribles. Nós podemos driblar, agarrar a bola e voltar a driblar. De resto, as regras são as mesmas e as medidas do campo também são as mesmas. A diferença principal é que nós, além de termos que transportar a bola com as mãos, também temos que movimentar uma cadeira de rodas com as mesmas.

Este desporto implica muitos gastos pessoais?

MD – Sim. Este desporto implica gastos pessoais pois ainda é difícil conseguir um patrocinador para podermos adquirir o material necessário (cadeiras de rodas específicas para jogar basquete).

Têm qualquer tipo de apoio de entidades públicas ou privadas?

MD – A nível pessoal não, mas a nível de equipa sim. A minha equipa, APD – Braga, tem um protocolo com o Município de Braga e com alguns patrocinadores.

Tiveste a oportunidade de jogar no estrangeiro. Como foi a experiência?

MD – Sim, tive a oportunidade de jogar numa das ligas mais fortes da Europa e foi uma experiência enriquecedora pois ajudou-me a crescer como jogador e como pessoa.




 

Márcio Dias celebra mais um título em Espanha
Márcio Dias celebra mais um título em Espanha

O nível competitivo entre os dois países é muito diferente?

MD – Sim, o nível competitivo não tem comparação pois, em Espanha, as melhores equipas são profissionais, logo, os atletas são atletas profissionais. Cá em Portugal não é possível, neste momento, ser profissional.

O que sentes quando representas Portugal, quando representas o teu país?

MD – É uma sensação que é difícil de descrever, é algo único, um orgulho vestir a camisola de Portugal.

Márcio Dias em representação da Seleção Nacional
Em representação da Seleção Nacional

A nível pessoal, depois de tanto alcançado e conquistado, ainda tens mais aspirações e sonhos desportivos que pretendes alcançar?

MD – Sim. Neste momento quero trabalhar para ajudar a Seleção Nacional a alcançar o máximo de triunfos possível, e claro que quero ajudar a minha equipa a continuar com a invencibilidade.

As duas últimas questões são de teor mais pessoal e intrínseco. O que representa Barcelos para ti?

MD – Barcelos é a minha terra, é o meu porto de abrigo. Barcelos é onde estão as minhas raízes, que me ajudaram a chegar onde estou agora.

É fácil de constatar que fizeste das tuas limitações, forças. Elas não te impediram de realizar sonhos e conquistar a glória. Que conselhos podes dar a pessoas que, igualmente com limitações físicas, pretendam concretizar sonhos, alcançar objetivos ou “derrubar barreiras”?

MD – Primeiro temos mesmo que querer muito que esses sonhos se realizem. Nunca devemos desistir de batalhar e lutar por algo que nos faz felizes e, claro, muito importante, procurar quem já está nestes meios, para termos um suporte logístico à altura.

A entrevista termina com um novo agradecimento ao Márcio Dias, pela sua disponibilidade, e votos de que continue a ter sucesso, quer a nível pessoal, quer a nível desportivo.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima