Barcelenses Inspiradores: Joana Luísa Matos

Fevereiro 7, 2020 Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião

Apresentamos a multifacetada Joana Luísa Matos. Desde a área da saúde, passando pelas letras e artes, a barcelense desta semana abre-nos algumas páginas do livro da sua vida.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.

Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, finda a fase de inscrições através da plataforma online (terminou a 31 de janeiro), segue-se agora o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. O seu voto conta, o seu voto torna real o nosso projeto. Entre na plataforma online do Orçamento para mais informações: https://participe.cm-barcelos.pt/ .

Desde já, agradecemos a sua participação e divulgação!



Joana Luísa Matos nasceu a 25 de novembro de 1973 em Barcelos. Licenciou-se em Medicina Dentária, em 1997, na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, com pós-graduações nas áreas de Ortodontia, Oclusão e Ortopedia Funcional dos Maxilares.

Cedo despertou para o mundo das artes, com incursão pela poesia, tendo publicado, em 1993, o seu primeiro livro.

No ano 2000, participou na “Antologia dos Jovens Poetas do Baixo Minho”. No ano 2004, iniciou-se nas artes de dizer poesia, do teatro e do canto, tendo participado em várias peças de teatro e em espetáculos poético-musicais.

Foi Vice-Presidente e fundadora da “Associação D’Improviso – Artes do Espetáculo”.

Publicou, em 2015, o seu primeiro conto infantil, “As Cinco Ânforas de Ouro”, pela Editora OPERA OMNIA.

Também pela editora OPERA OMNIA, publicou o primeiro e o segundo volume da coleção “Raimundo canta Barcelos”, respetivamente, em 2018 e 2019. É uma coleção que pretende contar, em quatro volumes e através da personagem do Galo Raimundo, a história da cidade de Barcelos aos mais pequenos. Esta coleção conta com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Considero-me uma apaixonada pela vida. Apaixonada pelo meu trabalho, pelas minhas atividades extraprofissionais e, sobretudo, pelo conhecimento. Sou curiosa, os mistérios da vida são altamente sedutores. Daí gostar muito de estudar, de ler, de escrever…

Mas, acima de tudo, procuro muito o autoconhecimento. Acho o autoconhecimento uma chave preciosa para a resolução de muitos factos na nossa vida.

Procuro melhorar todos os dias e agradeço sempre o presente que é a vida.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sem dúvida que é! Felizmente.

Profissionalmente, faço o que gosto. Além disso, tenho uma atividade que me permite estar próxima das pessoas e ajudá-las a melhorarem as suas vidas.

Tenho o privilégio da escrita, do canto e da declamação poética preencherem a minha vida com a riqueza que só a arte traz.

Tudo isto me incentiva à busca incessante da minha identidade. Portanto, não tenho dúvidas de que o que faço é uma extensão do meu projeto de vida.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Como disse Helen Keller: “Prefiro ser cega, a ver não tendo visão.” Diria às pessoas para procurarem conhecer-se melhor. Conhecer as suas virtudes e os seus defeitos. Talvez assim possam ser mais sábias, mais tolerantes e mais humanas. Tudo ficaria mais limpo, mais justo. E, muito provavelmente, os líderes mundiais aprenderiam a gerir com a razão e a liderar com o coração.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

O acontecimento que mais me marcou e que me permitiu ter a maior e a melhor mudança na minha vida é algo muito pessoal e que eu não posso revelar. Apenas posso dizer que o lema desse acontecimento está escrito numa das paredes da minha clínica e cito: “Ser livre é ser autêntico.”

Curiosidades do Convidado  

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Sou apaixonada por livros! São tantos e tão bons…

Mas há três aos quais eu regresso sempre:

O Livro do Desassossego”, de Fernando Pessoa;

A Sabedoria da Natureza”, de Roberto Otsu;

O Principezinho”, de Saint-Exupéry.

Filme? Também não consigo dizer apenas um:

A Lista de Schindler”; “Breakfast at Tifanny´s”; “A Vida de Brian”.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Açores – sempre que lá volto, trago algo de novo.

Roma – a cidade eterna, eternizada na minha memória.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Japão – cultura que instiga a minha curiosidade.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ler, escrever, ouvir música, caminhar, viajar e namorar muito…

Qual é a tua maior habilidade?

A declamação poética e o canto.

O que seria para ti um dia perfeito?

Acho que nós temos a obrigação de fazer dos nossos dias, dias perfeitos. Seja no trabalho ou nas nossas relações pessoais, se formos honestos, leais e esforçados, temos meio caminho andado para que tudo corra bem.

Mas, para ser um dia perfeito, ter os meus entes queridos perto de mim, basta! Para ser mais do que perfeito, é ter um final de tarde com o meu amor e o mar!

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Sem a menor sombra de dúvida, o barcelense que escolho é o meu querido tio, já desaparecido, o escritor Fernando Lopes. Abriu-me as portas para a arte, para os livros e, consequentemente, para esta sede de conhecimento que é a chama da minha vida.

Um não barcelense, escolho o Professor Hélio Venâncio, ortodontista, uma das pouquíssimas pessoas que sigo nas redes sociais. Um estímulo e um incentivo a esta minha paixão que é a Ortodontia e a Ortopedia Funcional dos Maxilares.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Albino Miranda:

Tens algum sonho por realizar? Se sim, o que te falta fazer para o concretizar?

Citando Bernardo Soares: “Eu tenho uma espécie de dever, de dever de sonhar, sonhar sempre…”. Revejo-me neste pequeno texto do Livro do Desassossego. Enquanto a vida me chamar continuarei a venerá-la com a minha alegria, gratidão e amor por mim e pelo próximo. Sonho poder continuar a lutar por ser um ser humano melhor, ver a minha clínica crescer, fazer mais cursos, escrever mais livros, abraçar muito os meus pais, o meu amor, os meus amigos… enfim…

Olhar-me no espelho e poder dizer: –Valeu a pena!

Uma mensagem* inspiradora…

“Há que dar início a tudo o que podemos fazer ou sonhamos fazer. A audácia é genial, mágica e poderosa.”

Johann von Goethe

Não deixem para amanhã o que devem começar hoje. Os vossos sonhos começam agora. É acreditar e pôr mãos à obra.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Solidariedade

Print 🖨 PDF 📄 eBook 📱 Dizem-nos os antropólogos que foi a
Ir Para Cima