Barcelenses Inspiradores: João Macedo

Janeiro 25, 2020 Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião

Esta semana, apresentamos João Macedo, um jovem barcelense com uma história de vida capaz de nos inspirar.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/.

Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, terá que se inscrever até 31 de janeiro na plataforma online, seguindo-se o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. Para esses procedimentos, entre e inscreva-se em https://participe.cm-barcelos.pt/inscricao-no-op-barcelos/.

Desde já, agradecemos a sua participação e divulgação!



João Macedo nasceu em Barcelos em 1994. Licenciado em Gestão Bancária e Seguros pelo Instituto Politécnico do Cávado e do Ave; recentemente, terminou o mestrado em Economia Monetária, Bancária e Financeira pela Universidade do Minho.

Em 2019, lançou o livro “Testa os teus limites”, que consiste numa autobiografia e numa espécie de Coaching motivacional.

Atualmente, trabalha como administrativo e auxiliar de Contabilidade numa empresa em Barcelos. Paralelamente, tem feito alguns eventos de promoção do livro, assim como presenças na FNAC de Braga, na Escola Secundária de Barcelos e num evento que houve na sua freguesia, Galegos Santa Maria.

Quando era jovem, foi escuteiro, pertenceu ao grupo de jovens, jogou futebol federado, durante 5 anos e meio, e foi árbitro de futebol, durante 9 anos.

Em 2011, quando frequentava o 12° ano, foi vítima de um acidente de moto, que culminou num traumatismo crânio encefálico grave, colocando-o em coma durante 3 semanas. Portanto, foi a partir daí que acabou por surgir a ideia do livro e o seu posterior lançamento, como forma de passar alguma motivação às pessoas, tendo em conta todo o seu processo de recuperação.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

(Sorrisos)…

Bem, posso dizer que sou o João Macedo. Um jovem como tantos outros, ou talvez diferente… Mas fora de clichés, sou uma pessoa ambiciosa, que luta até ao fim pelos seus sonhos e sou amigo do meu amigo. Considero-me uma pessoa genuína, educada, e, essencialmente, uma pessoa persistente. Não sou capaz de passar por cima de ninguém para atingir os meus sonhos, preocupo-me e respeito muito o outro, mas quando tenho algum objetivo, faço tudo o que é possível para o atingir, afinal, impossíveis só existem na nossa cabeça. A prova disso é a minha história e aquilo que retrato no meu/no teu/no nosso “Testa os teus limites”.

Claro, além de todas estas características, convém ressalvar que também adoro sair e faço por aproveitar cada momento ao máximo.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sim, sem dúvida. Tudo o que faço é porque tenho em vista um futuro e sei onde estou hoje e onde quero estar daqui a alguns anos. Depois, sem ser a nível profissional, tudo o que faço na minha vida social é uma extensão da minha pessoa, quer seja com os amigos/as, quer seja numa outra situação qualquer.

Em suma, considero-me uma pessoa calma e educada, e, dessa forma, tento fazer as coisas da melhor maneira, tendo em vista o meu propósito de vida, quer na vida pessoal, quer na profissional.

E sei que se for uma extensão de mim mesmo, com sonhos, trabalho e uma certa delicadeza, acredito que tenho um futuro brilhante.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Em primeiro lugar, diria às pessoas para lerem o “Testa os teus limites”.

Mas, se pudesse transmitir por palavras a mensagem que o meu livro pretende passar, diria para as pessoas serem sonhadoras, porque, quando há sonhos, tudo é mais fácil. Depois, diria para que nunca deixassem os sonhos ficar a meio. Por fim, diria que fossem pessoas amigas do seu amigo, que fossem pessoas boas, sem inveja, e, acima de tudo, que fossem humildes, que é algo que falha em muitas pessoas.

Se cada um fizer um bocadinho, se cada um tentar respeitar a mensagem que escrevi, tenho a certeza que o mundo seria bem melhor. Mas, visto que não consigo ter a atenção do mundo, se pelo menos esta entrevista fizer sentido para quem a vier a ler, e se as pessoas tentarem seguir aquilo que disse, já fico satisfeito e, por pouco que seja, já teremos um mundo ou um país melhor. Se todos fizermos um bocadinho, o nosso mundo acaba por ser diferente e melhor.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

Infelizmente, em 2011, com 17 anos, tive um acidente que me colocou em coma durante 3 semanas. Em alguns meios de comunicação, cheguei a ser dado em morte cerebral. De facto, foi um acontecimento que me marcou a todos os níveis, e, ultrapassar todas as dificuldades que se seguiram, foi algo marcante. Felizmente, por mais dificuldades que tenha tido, com sonhos, trabalho – muito trabalho – e com a família e amigos fantásticos, tudo foi acontecendo naturalmente e hoje posso dizer que estou na plenitude das minhas capacidades, quer físicas, quer sociais, quer intelectuais.

Mas, na minha vida, costumo dizer que houve uma espécie de antes e pós-acidente, ou seja, ainda que o acidente possa parecer um acontecimento negativo, convém salientar as coisas positivas.

Desse modo, os acontecimentos que mais me marcaram foram: Em primeiro lugar a licenciatura; depois, foi o lançamento do livro “Testa os teus limites”. Desde a sua edição que tem sido uma experiência incrível. Tenho recebido mensagens fantásticas de quem o tem lido, e sentir que consegui passar uma mensagem às pessoas é das coisas mais gratificantes que podem existir. Por fim, como forma de conclusão, recentemente, no dia 8 de janeiro deste ano, defendi a minha tese e terminei o mestrado, exatamente com a nota a que me propus no início. Ainda é algo recente e ainda estou em êxtase, mas também já é uma conquista que me marcou e que vai ditar um pouco o meu percurso.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Bem, já li bons livros, mas, por não me estar a ocorrer nenhum e pelo facto de o meu livro ser um trabalho que acho que vale a pena ser lido, escolho o “Testa os teus limites” como o meu livro preferido.

Em relação a um filme, é uma questão um pouco pessoal, mas, por me estarem mais presentes na memória, destaco “A star is born” e “Joker”. Dois filmes muito bons.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

Amei Paris a todos os níveis. Mas a viagem que mais me marcou foi, talvez, à Bósnia. Foi uma viagem muito intensa e com histórias muito marcantes, conforme retrato no livro.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Ir ao Brasil e à Holanda. São países que sempre me despertaram interesse em conhecer.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Nos tempos livres, adoro jogar futebol com os amigos. Também gosto de corrida. Em suma, tudo o que envolve desporto. Depois, também convém dizer que adoro escrever. É um refúgio que me faz bem.

Qual é a tua maior habilidade?

Talvez a persistência. Com trabalho, esforço, sem deixar de aproveitar os momentos de lazer, posso dizer que, no ano de 2019, consegui conciliar o trabalho, com o lançamento do livro e, ao mesmo tempo, entregar a tese de mestrado.

Penso que só o consegui com muita persistência e teimosia da minha parte. Queria mostrar a mim mesmo que conseguia.

O que seria para ti um dia perfeito?

Se esse dia for passado junto dos que amo, com boa disposição geral, penso que estão reunidos os requisitos para o dia ser perfeito.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Para ser sincero, faço por inspirar-me nos bons exemplos e há várias pessoas que tenho como referência e que me inspiram. Podia citar inúmeras pessoas, mas, com medo de me esquecer de alguém, prefiro não fazê-lo. Mas, no geral, quer em barcelenses, quer em não barcelenses, encontro características que são uma profunda fonte de inspiração.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Bruno Lopes.

O que é para ti viver em Barcelos?

…Sinceramente, adoro viver em Barcelos. No geral, gosto das pessoas de Barcelos e a cidade acaba por estar muito bem localizada.

Mas, claro, gosto, porque tenho na cidade/periferia a grande maioria dos meus amigos e familiares, o que acaba por contribuir para que assim seja.

Uma mensagem* inspiradora…

A todos e todas que vierem a ler esta pequena entrevista, apelo a que as pessoas não vivam em vão. Acredito que a coisa que mais felicidade nos dá é o realizar dos nossos sonhos. Portanto, sejam eles quais forem, sejam eles difíceis ou não, gostava que as pessoas acreditassem neles e que fizessem sempre o máximo para os alcançarem.

Depois, também gostava que as pessoas não se esquecessem de viver o seu presente. Por fim, estejam com os/as amigos/as com quem se sentem bem, façam o bem, sejam pessoas humildes e acreditem que viver vai ser a melhor coisa do Mundo. Se tiverem essas características, mais cedo ou mais tarde, a vida vai acabar por compensar-vos.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Não é só Racismo

Print 🖨 PDF 📄 eBook 📱 Bem-haja, caros leitores do BnH! Aquilo

Ainda estamos a 1…

Print 🖨 PDF 📄 eBook 📱 Esta semana dizemos que ainda estamos
Ir Para Cima