Barcelenses Inspiradores: Luciana Silva

Outubro 26, 2019 Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto, Entrevistas, Opinião

No passado sábado, Quito Arantes deu-se a conhecer melhor aos seus conterrâneos. Hoje, Luciana Silva é a barcelense inspiradora.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Luciana Silva, nasceu em Barcelos no dia 6 de julho de 1977. Aos 13 anos era a mais nova a competir no campeonato nacional de aeróbica que decorreu no Porto e aos 14 anos voltou a competir em Lisboa.

Apesar de desde nova ter uma grande apetência pelo desporto, frequentou, no secundário, o curso de Quimicotecnia. Posteriormente, licenciou-se em Engenharia Cerâmica no IPVC. Durante cerca de três anos exerceu a sua atividade profissional em Águeda, como responsável da secção de vidragem e de laboratório, mas as saudades apertavam e resolveu regressar à terra natal.

Profissionalmente, além de formadora e explicadora, foi chefe de equipa de outbound na PT (telemarketing) e, depois, na Tele2 chegando, por vezes a conciliar três trabalhos.

Em 2001, participou num programa de televisão e explorou um bar numa discoteca no Porto juntamente com outros colegas dos “reality-shows”.

 Em 2002 casou e, passados cinco anos, teve a “princesa” Eliana (o seu orgulho). Mas o “bichinho” do desporto e da dança sempre a acompanharam.

Há cerca de 8 anos, aceitou o desafio de dar aulas de dança a crianças!! Para além disso, tirou o curso de Técnica Especialista em Exercício Físico, que lhe permitiu colmatar mais uma paixão…as aulas de grupo.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Quem sou eu? Sou a Luciana. Sou uma mulher/menina que adora dançar, ouvir música, ir à praia (é a minha fonte de energia), viajar, que acredita no próximo e vê sempre o que de melhor ele tem.

Adoro estar com a minha família e amigos, mas também valorizo a minha companhia. Adoro sentar-me no chão, andar descalça, sentar na varanda a beber chá e olhar para o céu, ver filmes de comédia, romances, mas os meus preferidos são os bibliográficos.

Sou uma eterna romântica e valorizo as pequenas ações e atitudes. Os valores humanos em detrimento dos materiais.

Sou uma mulher de emoções! Muito mimalha, mas extremamente forte. Uma antítese.

Sou simples e de fácil acesso, amiga do amigo. Como digo várias vezes, “estou aqui para o que der e vier”. Falo sozinha!! Pois é! Faço parte daquela pequena percentagem de pessoas que fala com elas próprias, canto alto no carro e falo para o espelho. Sou a minha própria conselheira e psicóloga.

Apesar de socialmente ativa e de ter uma profissão que, por vezes, exige muita exposição, sou uma pessoa reservada e tímida (quando digo isto poucos acreditam!!)

Sou muito observadora relativamente a posturas, atitudes e comportamentos, mas totalmente “desligada” de pormenores materiais. E, como é notório, “falo” muito.

O que fazes é uma extensão de quem és?

Eu digo sempre que sou abençoada por fazer o que amo. E é verdade! Em todas as profissões que tive, sempre dei o meu melhor e sempre a tornei como sendo parte de mim.

Amo o que faço. Amo dar aulas! Amo as pessoas e tudo o que me dão, sem terem noção disso.

Muitas vezes, questionam-me sobre a minha profissão e, inicialmente, hesitava devido à complexidade do que faço. Atualmente, respondo assertivamente que sou professora!

De manhã dou aulas de ginástica sénior nos lares e dança/ginástica nas creches; à tarde dou explicações e apoio escolar de matemática e física e química e à noite dou aulas de grupo (zumba e localizada).  

Todas elas associadas a pessoas, a partilha, a entrega, a alegrias, a emoções e a aprendizagem. E nesta vida estamos em constante aprendizagem, por isso considero que o que faço é uma extensão de quem sou.

De que forma impactas a vida do próximo?

Essa é uma pergunta que o próximo deveria responder.

O que posso afirmar é que, independentemente da situação, do local e de quem esteja, eu sou sempre EU! Todas as pessoas têm sempre algo a dizer, a partilhar, a ensinar, pode não ser diretamente através da linguagem verbal, mas através da linguagem não verbal, com os seus comportamentos, posturas e atitudes.

Estou sempre disposta a absorver tudo que de positivo me dão. Os sorrisos e o brilho no olhar que recebo nas aulas. O “click” que é feito nos alunos aquando das explicações e a sensação de bem-estar é, com certeza, a maior gratificação de todas.

Quando recebo o feedback dos pais, que os filhos dizem que falo a “língua” deles, que dou exemplos práticos facilmente percetíveis; quando uma aluna de zumba diz que veio à minha aula para se sentir melhor; quando ouço dos meus “velhinhos”: -”Chegou a nossa alegria!”; quando sou abordada na rua por um dos meus “meninos” a chamarem “Uxiana” e a correr na minha direção para me abraçar e dar um beijinho…são reflexos do quanto recebo e talvez uma explicação da forma que os “impacto”.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Cinco minutos podem ser eternos ou instantâneos! O que diria ou faria? Esta é uma pergunta difícil de tão ambígua e utópica que é.

Sempre que rezo peço…”Paz no mundo!”, mas, infelizmente, outros valores são sobrepostos. Uma vez, o Papa Francisco disse: “Quando virem um estranho na rua, deem-lhe um sorriso, pois poderá ser o único sorriso que ele verá durante o dia!”

Então, respondendo à questão, diria para que fossem melhores pessoas! O que pressupõe o respeito pelo próximo, a partilha, a entrega, permitir que o próximo tenha uma vida tão digna quanto a sua, com direitos, mas também com obrigações.

Uma vez vi o filme “Favores em cadeia”, penso ser este o nome. É com o mesmo menino/ator do “Sexto sentido”, e seria isso que faria…favores em cadeia.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

O meu pai!

A minha FAMÍLIA! Os meus amigos! As pessoas que cruzam e cruzaram o meu caminho.

As diferentes culturas e etnias que já tive a possibilidade de conhecer, de vivenciar e privar. 

As crianças, os adultos e os idosos com quem trabalho e trabalhei que, ao encontrarem-se em diferentes estágios da vida, permitem-me crescer e valorizar o que realmente é importante: a família, a amizade, a relação humana, o respeito, a atenção, o cuidado, a capacidade que temos em nos erguer e tornarmo-nos mais fortes e o AMOR.

Por isto, e mais, de uma forma sucinta, citando Antoine de Saint- Exupéry: “Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.” 

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

 Sem dúvida o Papa Francisco. Por ser um visionário, HUMANO, por defender a aceitação das pessoas pelo que são, independentemente das raças, crenças, etnias, estado civil e orientações sexuais. Por acreditar que este pode ser um mundo melhor! São estes e outros fatores, que o tornam um exemplo da humanidade e alguém com quem me identifico.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê?

A minha irmã! Por ser das pessoas mais humanas e corretas que conheço. Pela sua determinação e garra com que defende o que acredita. Pelos valores que tem e por defendê-los. Por contagiar todos que com ela privam, com a sua luz, a sua visão otimista e a proatividade que lhe é característica. Principalmente, por lutar SEMPRE pelo que acredita!

Como gostarias de ser recordada?

Gostaria de ser recordada como uma boa pessoa. Como alguém que aproveitou tudo de bom que a vida teve para lhe dar, que tentou sempre aprender com todas as adversidades com que se deparou e reter a parte positiva das mesmas.

Gostaria de ser recordada como uma AMIGA! Pois pelos amigos guardamos sempre um carinho e admiração.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima