Barcelenses Inspiradores: Nélson Azevedo

Novembro 23, 2019 Atualidade, Concelho, Desporto, Entrevistas, Opinião

Na sequência da entrevista à terapeuta Lúcia Duarte, apresentamos, esta semana, o judoca Nélson Azevedo.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Nélson Azevedo é um cidadão barcelense que tem uma paixão pelo desporto, principalmente, pelo Judo, que pratica desde os seus 13 anos. Foi um desporto que o cativou desde o seu primeiro treino, na altura, no Judo Clube de Barcelos. Na sua carreira de atleta, foi destacado com várias chamadas para a seleção Nacional, 2 títulos de campeão nacional de sub-23, várias vezes vice-campeão nacional de seniores, entre outros.

Mais tarde, tornou-se treinador na Associação Desportiva e Cultural de Manhente, onde tenta levar os seus ensinamentos a todos os seus alunos, fazer deles atletas de referência, mas, principalmente, bons cidadãos para a vida. Como treinador, já formou vários campeões nacionais e zonais em todos os escalões, e, neste momento, tem vários atletas convocados a representar Portugal.

Recentemente, foi convocado pela federação portuguesa de judo como treinador para acompanhar a equipa de juniores a um torneio internacional.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou uma pessoa ansiosa e perfecionista em todos os projetos que me são propostos. Sou, também, uma pessoa calma, pois é um dos princípios do Judo trabalhar o autocontrolo             .

O que fazes é uma extensão de quem és?

Sem dúvida que sim, ajudou-me bastante em certas situações da vida. É um desporto que recomendo a todas as pessoas, pelos seus princípios. Orgulho-me de ter escolhido esta modalidade para a minha vida, pois, de certa maneira, ajudou-me a ser a pessoa que sou hoje e a ser uma referência para os meus alunos. É um desporto para a vida.

De que forma impactas a vida do próximo?

Sendo eu treinador, e tendo tantos atletas como tenho, sinto que sou uma espécie de motivação para eles.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Diria para fazerem aquilo que mais amam, nunca desistirem dos seus sonhos, como eu fiz, porque não há impossíveis. Diria, também, para todas as pessoas experimentarem o Judo, pois não se iriam arrepender.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

Ao longo da minha vida, quem mais me influenciou e não me deixou desistir dos meus sonhos foram, sem dúvida, os meus pais; mas também o Norberto Vale, que foi meu treinador quando eu era atleta, e sempre me apoiou. E, mais recentemente, na minha vida tenho também a minha esposa, Eva Barbosa, que me ajuda e apoia bastante, e que sei que se orgulha muito do meu trabalho.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

As figuras que tomo como exemplo são o Pedro Soares, treinador de Judo do Sporting, e o seu atleta Jorge Fonseca, campeão do mundo.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê.

O meu amigo Manuel Vilas Boas, que é uma pessoa incansável, que está sempre pronto para me ajudar no Judo. É uma pessoa a quem devo muito no que se refere ao sucesso do nosso clube.

Como gostarias de ser recordado?

Gostaria de ser recordado como uma pessoa bem-disposta, simples, humilde e que, de alguma forma, teve influência na vida de certas pessoas, como, por exemplo, dos meus atletas.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Momento tão Penoso

Bem-haja, caros leitores do BnH! Continuamos à procura de um rumo. De
Ir Para Cima