Bolas paradas tramam Gil Vicente

Setembro 26, 2019 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

O relvado do Estádio Cidade de Barcelos recebeu, ontem, a primeira jornada do Grupo C da Allianz Cup, mais conhecida por Taça da Liga. O Gil Vicente FC recebeu o Portimonense SC. Para além destas duas equipas, compõem este grupo o Sporting CP e o Rio Ave.



Com arbitragem de Carlos Xistra, o retângulo de jogo contou com as seguintes constituições de equipas:

Gil Vicente FC – Wellington, Rodrigão (João Afonso, 79’), Alex Pinto, Henrique Gomes, Ygor Nogueira, Ahmed Isaiah, Samuel Lino, Leo Cordeiro, Juan Villa (Sandro Lima, 67’), Romário Baldé (Lourency, 67’) e Claude Gonçalves. No banco ficaram Bruno, Fernando Fonseca, Baraye e Erick.  

Portimonense SC – Gonda, Willyan, Henrique, Rodrigo, Bruno Tabata, Hackman (Hanzai, 79’), Cevallos, Rômulo, José Gomes (Moreno, 61’), Sérgio Santos (Anderson Oliveira, 61’) e Iury. No banco ficaram Samuel, Jadson, Lucas Fernandes e Pedro Sá.

O jogo começou dividido, mas à passagem do quarto de hora de jogo, o Portimonense assumiu, definitivamente, as rédeas do jogo, mesmo não criando grandes calafrios à defesa gilista. Ao encerrar a primeira parte, surge o golo do Portimonense (45m). Canto batido da direita e o ganês Hackman a cabecear no interior da área, de cima para baixo, “como mandam os livros”, não dando hipóteses ao guardião gilista.

Na segunda parte, o Gil Vicente equilibrou e foi superior, bastante superior até, e chegou cedo à igualdade numa jogada de transição rápida. O colombiano Juan Villa aproveitou a defesa incompleta do japonês Gonda e, na recarga, empurrou a bola para o fundo da baliza algarvia. Após o golo, o Portimonense reagiu, mas foi “sol de pouca dura”, porque o técnico gilista procedeu a substituições e lançou mais dois de uma assentada: Sandro Lima e Lourency, ambos brasileiros, sendo que este último voltou após lesão que o havia afastado da competição. E o Gil continuava a carregar. Como o velho ditado futebolístico diz: “quem não marca, sofre”, os “galos” fizeram jus e sofreram um tremendo balde de água gelada e, novamente de pontapé de canto batido da direita, tirado a papel químico do primeiro golo alvinegro, o brasileiro Willyan apontou o golo da vitória forasteira, aos 96’.

No final da partida, ambos os técnicos estiveram de acordo de que o resultado justo seria o empate.

O próximo jogo dos gilistas é a contar para a 7ª jornada da Liga NOS, na visita ao Santa Clara, nos Açores.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima