Carlos Sá vs. Carlos Sá

Março 24, 2020 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

Juntos a favor do Banco Local de Voluntariado de Barcelos – COVID-19

Tal como os homónimos Carlos Sá, desafie os seus limites e lute contra este inimigo invisível e de difícil investigação, sendo que, o muito que pode fazer, passa pela salvaguarda da sua saúde e da sua própria vida, permanecendo na sua habitação, respeitando as recomendações e imposições governamentais, da Direção Geral da Saúde, do Município, etc., adotando medidas de proteção e prevenção contra a infeção, deixando o restante trabalho de ajuda a terceiros, para os profissionais de saúde, Forças de Segurança, Bombeiros, voluntários, etc.



Carlos Sá nasceu em 24 de dezembro de 1973 na freguesia de Vilar do Monte, no concelho de Barcelos.

Deu os primeiros passos desportivos com 12 anos na modalidade de atletismo no Núcleo Desportivo da Silva-Barcelos, onde ganhou diversas provas nos respetivos escalões, em campeonatos de pista e corta mato.

Em 2000, fruto do sedentarismo, passou a pesar 90 Kg e a fumar dois maços de cigarros por dia. É então que se transforma, perdendo 30 Kg e tornando-se no atleta de alta competição.

Em 2003 participou numa prova BTT organizada pela Associação barcelense “Amigos da Montanha”, tendo-se feito sócio, frequentou o curso de montanhismo e passou a desafiar os seus próprios limites em provas de escalada e alpinismo nos cumes das mais altas Montanhas dos Pirenéus Aneto e Monte Perdido.

Em 2005, começou a organizar expedições às mais altas montanhas do mundo, na cordilheira do Andes, no Peru, e face à necessidade de treinar muito mais, passou a dedicar-se a corridas em montanha.

A partir de 2008, iniciou a grande caminhada em provas longas, de grande resistência física e psicológica, ou seja, provas de ultra trail onde obteve diversos 1ºs lugares, como por exemplo: Ultra Trail Geira-Gerês, 101 Km Perigrinos-Espanha, Grand Raid dês Pyrénées-França, Ultra Trail Aldeias do Courel-Espanha, Badwater Ultramarathon-Califórnia, EUA, Madeira Island Ultra-Trail-Madeira-Portugal, World Record da Aconcágua-Argentina, e ultrapassou outros enormes desafios, como cruzar a Gronelândia, costa a costa (600 Km), correr 6 vezes a maratona das areias no Deserto do Saara. Concluiu, também, o Tor des Geant (Alpes Italianos-330 Km-sem parar).

Carlos Sá, o grande impulsionador e continua a ser o Embaixador do Trail Running em Portugal, através do projeto “Carlos Sá – Nature Events“, desporto que aumentou exponencialmente os seus praticantes e simpatizantes, nestes últimos anos.

Sempre correu para atingir novos cumes e para ultrapassar as suas próprias metas, “Se fosse só para competir, nada faria sentido.” Mais que correr, fazia-o como estilo de vida e com o lema: “Correr pela vida”.



Já o seu homónimo, Carlos Sá, nasceu em 01 de abril de 1976 na freguesia de Palme, no concelho de Barcelos.

Começou a trabalhar, em 1998, na Cablinal Portuguesa – Indústria de Cablagens automóveis e ingressou em setembro de 2000 na Guarda Nacional Republicana, onde prestou em serviço em Oeiras até 2003 e a partir de 2004 passou a desempenhar funções ao serviço dos cidadãos barcelenses, na GNR de Barcelos.

A trabalhar em Barcelos, efetuou vários cursos de especialização, progressão na carreira e liderou equipas de trabalho que elevaram o bom nome e a imagem da Instituição que orgulhosamente representa. Sob sua coordenação, foram realizadas grandes operações policiais que desembocaram em detenções de grupos criminosos organizados, primando pelo combate à criminalidade especialmente violenta. Foi condecorado pelo Comandante Geral da GNR.

Como formação académica, possui a licenciatura em Criminologia e Cursos avançados em Direito Penal, Igualdade de Género, Psicologia Forense e Cibercrime.

Militar de vocação, dedicação plena à carreira e total entrega ao serviço público, sempre em prol cidadão, sacrificando e abdicando do descanso pessoal e da convivência com a família, sob os princípios que jurou ao abraçar esta profissão, “mesmo com o sacrifício da própria vida”.

De características comuns, podemos salientar que nasceram em freguesias vizinhas do concelho de Barcelos, de famílias humildes e que lutaram pelo futuro desde o zero.

Apesar de toda a dureza e dedicação extrema nas suas atividades, procuram sempre aderir às causas sociais e solidárias, como sejam, organização de eventos para causas sociais da Caritas e de crianças vítimas de doenças crónicas ou raras, com necessidades especiais; ainda participaram nas causas alusivas às vítimas dos grandes incêndios em Portugal, melhoramento das condições da urgência Pediátrica do Hospital de Barcelos, e todos os eventos solidários organizados pelos Amigos da Montanha, Câmara Municipal de Barcelos, Cruz Vermelha, IPSS´s e outras entidades organizadoras, sempre em prol do Povo de Barcelos e outros.

Nesta violenta prova de resistência física e psicológica a que o povo do mundo inteiro se encontra sujeito, no âmbito da pandemia COVID-19, vêm estes dois barcelenses exemplares, habituados e treinados a exercícios de superação pessoal e profissional, associarem-se ao Banco Local de Voluntariado (BLV) de Barcelos do Gabinete da Ação Social e Saúde Pública da Câmara Municipal de Barcelos, para promoção e fomento de medidas de proteção, principalmente, para com os idosos do concelho, das famílias monoparentais e todos aqueles que necessitem de ajuda para que não sejam obrigados a sair de casa, neste momento, em que é imperioso permanecer em casa.

Com este grupo de voluntariado, pretendem ajudar os mais idosos (necessitam de mais proteção que os outros), principalmente os que não possuem autonomia, e outras pessoas que necessitem, estejam em isolamento ou quarentena, através de uma rede de apoio ao sistema de alimentação e medicação por forma a que essas pessoas possam estar em casa tranquilas, se sintam apoiadas, em segurança e com garantias de que nada lhes faltará. Pretende fazer a entrega de bens essenciais ao domicilio para aquelas pessoas que forem triadas pelo sistema em articulação com as juntas de freguesia.

“Nesta ultramaratona da luta pela vida, não saia de casa porque, juntos, vamos escalar o arco-íris e tudo vai ficar bem”, sensibilizam.

Imagens: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima