Arquivo de Categorias

Atualidade - page 430

Sameiro Serra:«O meu trabalho não acaba aqui»

Setembro 17, 2017 em Atualidade, Concelho, Entrevistas, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Agora que se avizinha o dia 1 de outubro, dia de eleições autárquicas, o Barcelos na Hora decidiu dar voz a quem tem que, por imposição legal, deixar o seu cargo de Presidente da Junta. E por imposição legal, compreenda-se por limitação de mandatos. Ao final de três mandatos consecutivos, o detentor do cargo de Presidente (de Câmara e/ou Junta) não pode recandidatar-se para um 4º mandato.



A primeira Presidente de Junta com quem falámos foi Sameiro Serra. Apesar de se ter candidatado para este último mandato numa coligação de direita, em 2013, é a única militante CDS que ocupa um cargo como este, no concelho de Barcelos. A autarca acedeu, muito gentilmente, à nossa solicitação de entrevista, por escrito, respondendo a algumas perguntas que lhe colocámos.

Empresária, de 49 anos, nasceu e vive em Carvalhal. É casada e mãe de quatro filhos. Na sua freguesia, fomentou a criação da Associação de Pais da Escola Básica de Carvalhal, que presidiu por quatro anos e à qual pertenceu desde a sua criação até sair para se candidatar à Junta de Freguesia. Enquanto cidadã foi sempre uma pessoa atenta às necessidades das pessoas e às “movimentações” políticas, nacionais e locais, levando a que, em 2005, enveredasse por uma candidatura à Junta, candidatura essa que saiu vencedora, tinha então 37 anos. De lá até aos nossos dias, exerceu a sua função de Presidente da Junta de Freguesia de Carvalhal e sobre esse trajeto, mas não só, Sameiro Serra deixou-nos as suas palavras.

1 – Fazendo um exercício de memória, consegue dizer-nos o que a levou a candidatar-se pela primeira vez? E o que sentiu ao saber que tinha conquistado a Junta?

O que motivou a minha candidatura foi a minha indignação em relação ao trabalho que faltava ser feito na minha freguesia. Sendo eu uma cidadã atenta e preocupada com o meio onde vivo, senti que, a determinada altura, podia ser útil. Desse modo, candidatei-me, predispondo-me a tentar fazer melhor do que teria sido feito até então.

Quando me candidatei, jamais pensei que fosse vencer. Pensava apenas que iria “agitar” um pouco com quem detinha o poder e retirar alguma da apatia em que se vivia. Na altura, a freguesia era liderada pelo PSD, desde o 25 de abril, pelo que pensei que fosse impossível vencer, ainda para mais, por um partido com pouca visibilidade na freguesia. No entanto, como para mim, perder não é vergonha nenhuma, mas sim, não ir a jogo com medo de perder, avancei com a minha candidatura e no dia das eleições, para grande surpresa minha, acabei por vencer. Na altura pensei: “e agora?”. Mas a boa vontade e paixão pela causa pública são coisas que não me faltam. Logo no dia posterior já tinha imensas ideias e uma enorme vontade de as pôr em prática.

“Se nos tivéssemos mantido unidos a freguesia teria ganho muito mais” (Sameiro Serra)

2 – Ao longo dos seus mandatos teve, certamente, momentos altos e momentos baixos. Consegue nomear qual o mais alto e qual o mais baixo?

Felizmente, lembro-me muito melhor dos momentos altos, do que dos baixos. Os momentos altos foram todos muito bons, pelo que me é difícil nomear um. No entanto, a requalificação da Escola Básica/Jardim de Infância (EB/JI) de Carvalhal foi a obra que mais me marcou. Para além disso, o que me dá maior satisfação é poder contribuir, todos os dias, para o bem-estar dos idosos da minha freguesia, bem como contribuir para o sorriso das crianças que frequentam a EB/JI de Carvalhal.

Os momentos baixos passaram-se em períodos de campanha eleitoral, ao ver pessoas próximas de mim, diria até meus amigos, deixarem-se levar por estratégias partidárias e interesses pessoais, em detrimento daquilo que eram os interesses da freguesia, pois estou certa de que se nos tivéssemos mantido unidos, tal como no primeiro mandato, a freguesia teria ganho muito mais.

3 – A Freguesia de Carvalhal é conhecida pelas boas condições que proporciona aos seus habitantes. Sente que contribuiu para esse facto?

Fico muito feliz pela freguesia ser reconhecida pelas boas condições que proporciona aos seus habitantes. Quando era mais nova, e me perguntavam onde eu vivia, eu dizia com muito orgulho que era de Carvalhal. Logo de seguida ficava triste, pois aquilo que dizia da minha freguesia não era motivo de orgulho. E, claro que sim, sinto-me responsável por esta nova conotação, já que fui eu que iniciei a prestação desses serviços à população, que melhoram, todos os dias, a qualidade de vida dos habitantes de Carvalhal.

4 – Se pudesse voltar atrás, mudaria alguma coisa do que fez?

Se voltasse atrás não mudaria absolutamente nada, nem no que disse, nem no que fiz. Considero-me de princípios e coerente comigo mesma. Sempre que falei publicamente foi para defender, acima de tudo, os interesses da minha freguesia. Nunca usei o meu cargo na Junta para obter favores pessoais. Estive doze anos num dos sistemas mais “lamacentos” que eu conheço. Um sistema que, já está provado, não serve da melhor maneira o povo mas que interessa continuar porque serve para muitos viverem, faustosa e irresponsavelmente, à custa da desgraça de milhares de cidadãos indefesos, que todos os dias são vítimas dessa irresponsabilidade. É com imenso orgulho que saio desse mesmo sistema sem me confundirem com ele. Por isso, melhor não poderia ter sido. Apesar das circunstâncias difíceis em que me encontro, consegui sempre salvaguardar a minha liberdade de pensamento e o meu carácter. Isso, para mim, foi a minha grande vitória.

Quanto ao meu trabalho pela freguesia, de todos os apoios e serviços que implementei, às obras que executei, também não mudaria nada. Simplesmente pelo facto de se revelarem, ainda hoje, de extrema importância e utilidade para os Carvalhenses e muitas delas, até, para o concelho de Barcelos. Estou a lembrar-me das inúmeras associações e instituições que beneficiaram do nosso autocarro, que orgulhosamente comprámos, sem qualquer tipo de apoio da Câmara, apenas e só com o esforço e união da freguesia.

“Até posso tentar compreender mas jamais alguém me irá obrigar a aceitar” (Sameiro Serra)

5 – A opinião pública achou “estranho” o CDS não se coligar com o PSD numa candidatura à Junta de Freguesia de Carvalhal. Pode esclarecer os nossos leitores sobre, afinal, o que se passou?

É uma pergunta complicada e na qual eu teria muito a dizer. No entanto, vou resumir o que foi a minha interpretação dos factos. Para dizer, apenas, que mais uma vez a estratégia partidária e o caciquismo do maior partido da coligação, com a benevolência do meu partido, se sobrepôs ao respeito e à consideração pelo trabalho efetuado pelas pessoas e ao que seria o interesse da população de Carvalhal. Como sempre nestas situações, dizem-me que a política é assim e que eu tenho que aceitar. Eu até sei que, infelizmente, assim é. E até posso tentar compreender mas jamais alguém me irá obrigar a aceitar.

6 – Como mandatária da candidatura CDS à Junta de Freguesia de Carvalhal, quais as suas expectativas para o próximo ato eleitoral autárquico?

Como mandatária da candidatura do CDS à Junta de Freguesia de Carvalhal, e tendo fomentado a formação da lista do CDS, mantenho sempre a mesma expectativa. Sei que temos na lista pessoas de bem que, tal como eu, não visam servir-se do cargo que ocupam mas, sim, servir da melhor maneira a população, sem qualquer tipo de descriminação, seja ela política ou social. Tudo o que fazemos na Junta, para nós, não é trabalho, é satisfação do nosso dever cívico cumprido.



“Dei sempre o melhor de mim, muitas vezes, com custos elevados para mim” (Sameiro Serra)

7 – Por fim, e pedimos desculpa, quer pelo número de questões, quer pelo teor mais pessoal desta última, … e agora? Vai continuar na “vida política”? Ou vai deixá-la?

Quem me conhece e acompanhou nestes doze anos em que exerci o cargo de Presidente da Junta, sabe que estive, sempre e só, nesta causa pela enorme vontade de contribuir com a minha forma de ser para melhorar a qualidade de vida de todos. Sei que com o meu trabalho fiz a diferença na vida das pessoas. Dei sempre o melhor de mim, muitas vezes, com custos elevados para mim. Mas os sorrisos que o meu trabalho provocou nos rostos das pessoas valeram tudo e foram sempre o motivo do meu próprio sorriso. Por isto, e muito mais, tenho a certeza que o meu trabalho não acaba aqui e para desistir só se for obrigada. Posso até nem ter um cargo ativo dentro do sistema mas vou continuar sempre, enquanto cidadã, atenta às necessidades daqueles que mais precisam. E para terminar, parafraseando Baden Powell “Sei que deixo o lugar onde vivo um bocadinho melhor do que o encontrei “.

Foram estas as respostas da Presidente de Junta de Carvalhal, Sameiro Serra, neste momento em que está prestes a deixar o cargo. A ela, o Barcelos na Hora deixa um enorme agradecimento pela simpatia e por ter aceite responder, por escrito, a todas as nossas questões.

Fotos: DR.

Presidente da Câmara marca presença no arranque do ano letivo na Escola Rosa Ramalho

Setembro 16, 2017 em Atualidade, Concelho, Educação, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, acompanhado pela Vereadora da Educação, Armandina Saleiro, visitou a Escola EB 2,3 Rosa Ramalho, sede do Agrupamento, no arranque do ano letivo 2017/2018.



Miguel Costa Gomes frisou que este executivo tem tido como prioridade a “ aposta em políticas educativas que promovam a igualdade de oportunidades, a inclusão social e uma escola pública de excelência, consubstanciado em alguns projetos e ações municipais”. O Presidente da Câmara, na sua intervenção, referiu ainda que “não pensamos em Educação sem meios e condições, pois as crianças, jovens e família têm direito de usufruir de um ensino com dignidade”.

Na visita, foi entregue à diretora do Agrupamento o cheque, no valor de cerca de 6.000€, relativo ao Projeto INOVATEC LAZER RR, desenvolvido pelos alunos do Agrupamento, que consiste na beneficiação de um espaço escolar onde os alunos possam desenvolver atividades de lazer, com todo o conforto necessário, no âmbito do Orçamento Participativo Escolar.

Em nota enviada a este jornal, o Município informou que “ao longo do ano letivo transato, a Câmara Municipal de Barcelos fez uma série de melhoramentos nas escolas do concelho, nomeadamente de beneficiação, conservação e melhoramento, assim como manutenção de equipamentos e infraestruturas. Foram ainda instalados parques infantis nas escolas do concelho e foi feita a sua certificação”.

Ainda de acordo com essa nota, o ano letivo que agora inicia, terá novos projetos, “apoiados pelo Programa Norte 2020, num valor estimado de 1.500.000€, salientam-se o ‘Comunidade Educativa Digital’, que prevê a modernização dos equipamentos informáticos escolares com a aquisição de 153 computadores e 89 multifunções a distribuir pela generalidade das escolas e jardins de infância; o Projeto Apoio psicoeducativo e psicossocial ao 1º ciclo do Ensino Básico, e que consiste na disponibilização de uma equipa especializada de psicólogos e terapeutas da fala com intervenção direta no contexto escolar e familiar, no âmbito do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Abandono e Insucesso Escolar; o Programa ‘Barcelos a Ler’, constituído por um conjunto de ações de promoção da literacia junto da população do pré-escolar e do 1º ciclo, promovido pela Rede das Bibliotecas Escolares e que tem como objetivo o incentivo à leitura e à escrita, de forma a promover o sucesso escolar; o Projeto ‘A diferença está no desporto’, que visa dotar os Agrupamentos de Escola e Escola Não Agrupada de Barcelos de repostas complementares que permitam uma abordagem integrada e diferenciada a partir do desporto, com impacto direto na motivação dos alunos, na fomentação de sucesso, na promoção de algumas competências transversais com impacto na realização escolar, no estabelecimento de objetivos e, por sua vez, com impacto direto no sucesso académico”.

Fonte e fotos: CMB.

FC Roriz vence fora o Soarense por 0-3

Setembro 16, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo realizado hoje, em Braga, o Futebol Clube de Roriz venceu o Soarense Sport Clube, por 3 golos sem resposta.



A equipa rorizense alinhou com Flávio, Tony, Pecas, Mário, Rodolfo, Edinha, Dany (Vilas Boas, 85’), Tuka, Zé Pedro, Cláudio (Quaresma, 75’) e Fábio Jr. (Edu, 60’).

O “homem do jogo” acabou por ser Cláudio, que apontou todos os golos da equipa barcelense, fazendo, assim, um hat-trick.

Foto: FCR.

Tiago Fernandes, da ACR Roriz, é 2º no Atlantic Enduro

Setembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora




Alguns atletas da equipa de Enduro da ACR RORIZ SEISSA/KTM-BIKESEVEN/MATIAS&ARAÚJO/FRULACT deslocaram-se ao Cadafaz Bike Parque, Celorico da Beira, onde participaram este domingo na 2ª etapa do Atlantic Enduro, um troféu que conta com 4 etapas e com a participação de alguns dos melhores atletas nacionais e da vizinha Espanha.

Tiago Fernandes, em Juniores, esteve em especial destaque, ao ser 2º classificado, sendo superado apenas pelo espanhol Nicolas Carrera (CORUXO C.C.). Ainda em Juniores, Pedro Figueiredo foi 4º classificado. No escalão de Elites, João Araújo foi 7º e Eduardo Rodrigues 11º classificado.

A próxima etapa é nos dias 13, 14 e 15 de outubro, em Pé do Negro – Ponte de Lima.

Fonte e foto: ACRR.

Uma chama a apagar-se

Setembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Olá, Barcelenses! Olá, Benfiquistas!

Esta será a minha primeira crónica, que nasce de um desafio que me foi lançado por amigos ligados à produção e edição deste jornal. É uma experiência nova e, como tal, rogo a vossa paciência para esta fase de adaptação a estas jornadas.



Sou barcelense por adoção e minhoto por paixão. Benfiquista de 4ª geração, mas sempre procurando assumir uma postura não facciosa e procurando ter sobre o “desporto-rei” um olhar pristino, alheio a “novelas” e a “túneis”. Mas sempre benfiquista! Mas vamos à “bola”.

A exibição do nosso Glorioso na última jornada da Liga, não tendo sido aborrecida, também não foi de um entusiasmo incontido. O Portimonense apresentou-se uma equipa muito bem organizada e muito aguerrida. Um adversário complicado, que promete dar muito trabalho aos seus adversários. Ainda assim, esperava-se mais do campeão em título, ainda para mais a jogar em casa.

Na Liga dos Campeões, mais do mesmo. Certo que o CSKA nunca seria um adversário fácil, pelo seu coletivo e pelos valores individuais, mas nunca poderia o SLB apresentar tão fraco futebol. Tão inconsistente.

Quer para o campeonato, quer na Liga dos Campeões, a jogar em casa, este Benfica versão 2017/2018 mostra muito pouco futebol. E agora não há desculpas. Já se via na pré-época que o futebol jogado era paupérrimo. E o fado continua. Sempre acreditei que, ao contrário do que se diz por “aí”, o campeão vê-se na pré-época. Os “grandes” perdem pontos sobretudo nas primeiras jornadas. Depois, salvo anos em que a organização desportiva dos clubes seja péssima, o fio de jogo mantém-se constante e só por um deslize os adversários perdem pontos.

A principal fragilidade do Benfica 17/18 continua a ser a defesa. Perdeu muito com as saídas do Nélson Semedo e do Lindelöf e, sobretudo, do guardião Ederson. É possível que ainda estejam em fase de ajustamento. Mas também é verdade que não são exatamente jogadores desconhecidos entre si. Exibição laboriosa do André Almeida, com alguma sorte no golo que marcou, mas que não lhe retira mérito. Só marca quem chuta. E um veterano Luisão que, mesmo em fase descendente da (já avançada) carreira, continua a ser o patrão da defesa. Entende-se a necessidade de clubes nacionais venderem jogadores para manterem o equilíbrio financeiro. Mas decepar desta forma um setor crucial da equipa, como é a defesa, pode ter custos desportivos desaprazíveis. Repare-se que o FCP teve mudanças maiores na sua estrutura e apresenta, à data, um futebol mais consistente. Talvez o Luís Filipe Vieira tenha que começar a pensar, seriamente, em reforçar a defesa. Já em janeiro. E a ver vamos se não peca por tardio. É sabido, na gíria futebolística, que os avançados ganham os jogos mas são os defesas que ganham os campeonatos.

Nunca tendo sido um grande adepto do estilo “pezinhos de lã” do Rui Vitória, tenho de lhe reconhecer o mérito de ter conquistado dois títulos em dois anos. Merece, certamente, o benefício da dúvida. Mas fica, muitas vezes, a sensação de que fazia falta um pouco mais de desfastio.

Uma nota final para o desempenho do nosso Gil, que venceu o Sporting B na última jornada. Oxalá esta época seja “a tal” e a sorte bafeje os rapazes de Barcelos.  Ainda uma palavra de incentivo para os sub-19. Bom futebol e bem jogado! Falta afinar a pontaria. Sem pressão. Força e Coragem!

Viva o Glorioso! Dá-me o Penta!

Por: Hugo Pinto* (Professor)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Transferências ou trapalhadas…eis a questão

Setembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
José Costa

Na crónica desta semana, uma referência especial a outras modalidades em que o Sporting Club de Portugal se destacou:

Supertaça de Futebol Feminino: Sporting 3 – Braga 1, em Coimbra, com Ana Capeta a protagonizar um hat-trick, que no prolongamento garantiu este troféu.



Supertaça de Futsal Masculino: Sporting 3 – Benfica 2. Para resumir, basta citar Nuno Dias, o técnico Sportinguista: “Penso que, acima de tudo, o Sporting CP foi melhor e venceu com toda a justiça contra uma equipa que tem muita qualidade e que nos obrigou a trabalhar nos limites para segurar a vantagem. Quando é assim, o futsal está de parabéns. Estamos todos de parabéns pelo que conquistámos, principalmente o Sporting pelo título que conquistou e que já fugia há dois anos”, concluiu.
Além dos dois títulos ganhos, também a equipa de andebol se destacou, ao conseguir a qualificação para a fase de grupos da EHF Champions League.

Agora no que ao futebol de onze diz respeito, depois da pausa no campeonato para os jogos da seleção, e apesar de todas as polémicas de propostas reais ou não, o certo é que William Carvalho se mantém, agora como capitão no lugar de Adrien Silva, transferido para o Leicester, mas que tudo indica, por atraso de 14 segundos no processo de registo junto da FIFA, em princípio ficará sem jogar até janeiro de 2018! Assim, no campeonato, em jogo frente ao Feirense, mais uma vez o Sporting “viu-se aflito”, de tal modo que, só nos descontos conseguiu alcançar a vitória, por 2-3. Continuando, deste modo, na frente do campeonato, juntamente com o F. C. Porto, este com vantagem em golos.

Para a Liga dos Campeões, frente ao Olympiacos, Jorge Jesus contou com a equipa na sua melhor condição, com uma primeira parte soberba, que garantiu a vitória histórica (2-3), num terreno sempre muito difícil. Aos 2 minutos, Doumbia abriu o marcador e, depois disso, a “dupla do costume”, primeiro Gelson, aos 13 minutos, a ampliar a vantagem e, mais tarde, Bruno Fernandes – o “jogador sensação” desta época, ao serviço do Sporting – marcou o terceiro golo, aos 43 minutos. Na segunda parte, o Olympiacos veio determinado a virar o resultado e, nos últimos minutos do jogo, Pardo marcou dois golos, que serviram de aviso para que o Sporting, em próximos jogos da Liga dos Campeões, esteja concentrado até ao fim do jogo, até porque os adversários são de respeito – Juventus e Barcelona –, não sendo permitidos erros de desconcentração. De referir que a vantagem poderia ter sido bem maior não fosse os vários remates ao ferro, que falharam golo por milímetros. Por fim, salientar a 21ª presença de Rui Patrício em jogos da Liga dos Campeões, tornando-se, assim, o jogador sportinguista com mais presenças.

Uma referência às seleções nacionais de futebol, para onde o Sporting contribuiu com muitos atletas. Assim, nas fases de qualificação em curso, foram bem-sucedidas, em duas das quatro “finais”. A seleção A venceu: Portugal 5 – Ilhas Faroé 1 e Hungria 0 – Portugal 1. A seleção de Futebol Sub-21, com a equipa das quinas a vencer: Portugal 2 – País de Gales 0.

Finalmente, um último destaque ao hóquei em patins. No mundial que decorreu na China, Portugal esteve, na fase de grupos, quase para ficar com os “olhos em bico”, tendo sido derrotado pela campeã em título, Argentina, e não fazendo melhor frente a Itália, com desempenhos sofríveis. Tendo sofrido bastante para passar à fase seguinte, com uma vitória em jogo impróprio para cardíacos. Nessa fase, venceu sem problemas Moçambique, por 6-2, e na meia-final acabou por vencer a Argentina, naquilo que poderíamos chamar de uma final antecipada, não fosse a final efetivamente ser frente a Espanha, outra “eterna” rival da equipa portuguesa, que acabou por levar a melhor, apesar de termos lutado até às penalidades, onde não conseguimos ser melhores.

O nosso Gil Vicente, num jogo onde estive de coração repartido, foi a Alcochete vencer o Sporting B, por 0-1, garantido, assim, uma vitória importante sobre um adversário nada fácil e em casa deste.

Por: José Costa*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

A última semana do meu clube

Setembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores!

Vou dar a minha opinião sobre a última semana do meu clube!



Por acaso, não vi o jogo contra o Chaves! Fiquei descansado quando vi o resultado mas não tanto quando vi o resumo. O Chaves teve, nos últimos 15 minutos, oportunidades para empatar, mas acabámos por vencer…e justamente.

Em relação ao jogo da Champions, foi uma derrota inesperada mas que premiou a capacidade de defender do Besiktas e que meteu “a nu” algumas fragilidades do meu clube. Foi, também, a prova de que este plantel é curto e insuficiente para uma Liga dos Campeões. Espero que a equipa descanse bem e e que esteja a 100% para o Rio Ave (um dos jogos mais difíceis da temporada).

Queria, também, dizer que isto do vídeo-árbitro (VAR) é uma “tanga”! Nunca pedi, nem nunca fui a favor disto! O Benfica – Portimonense foi “anedótico”! Aquele penalty e a unha do jogador do Portimonense fora de jogo foi algo de rir! Se o jogo estivesse 4-1 para o Benfica, o golo era validado! Mas como dava o empate, o VAR tratou logo do assunto e sem ter acesso a linhas…ou será que estava a ver a BTV?? Continua a ser mais do mesmo!

Parabéns ao nosso Gil pela brilhante vitória em Alcochete! Acredito no nosso clube e na nossa cidade!!

Obrigado a todos pela atenção e perdoem a minha paixão!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Jorge Casquilha faz a antevisão do Gil Vicente vs. Santa Clara de domingo

Setembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

Em declarações à Gil Vicente TV (GVTV), o treinador dos gilistas, Jorge Casquilha, fez a sua análise ao momento atual da equipa e, igualmente, a antevisão desse jogo grande de domingo, no Estádio Cidade de Barcelos, pelas 16h00, contra o líder Santa Clara.



Depois da grande vitória em Alcochete, frente à equipa B do Sporting, o regresso ao trabalho foi feito de uma forma mais entusiasmante. “O regresso ao trabalho, depois de uma vitória, faz-se sempre com muito mais dinâmica. Estamos muito mais predispostos para voltar ao trabalho. Felizmente, estamos numa fase muito positiva, há quatro jogos que não perdemos, temos vindo a somar pontos nas últimas quatro jornadas e encontramo-nos no 4º lugar, o que nos dá muita satisfação, para continuar a trabalhar e, se possível, continuarmos a somar vitórias e a estar nos primeiros lugares da classificação”, salientou o técnico gilista.

“Quem enverga esta camisola tem que jogar sempre para ganhar”

Mesmo sendo contra o 1º classificado, a equipa tem o objetivo de conquistar a vitória e os 3 pontos. “Quem já nos acompanhou nas primeiras seis jornadas, observou que a equipa tem o mesmo comportamento, tanto em casa, como fora. Tentamos assumir o jogo, tentamos fazer uma pressão alta e, na maior parte das vezes, temos conseguido. Em alguns períodos dos jogos não o conseguimos, também por mérito dos adversários. Jogamos contra alguém e também depende muito do que o adversário nos deixe jogar ou não. Mas a nossa intenção, o nosso objetivo, é sempre jogar para ganhar e temos provado isso, tanto quando jogamos em casa, como fora. A identidade da equipa, o ADN está lá. Os jogadores assimilaram rapidamente a nossa mensagem. Quem enverga esta camisola tem que jogar sempre para ganhar e é isso que temos feito em qualquer lado. É sempre lutar pelos 3 pontos e, felizmente, as coisas têm acontecido muito positivamente”, referiu Jorge Casquilha.



“Jogando em casa somos claramente favoritos”

Precisamente por ser contra o líder da classificação, o jogo será difícil, mas será para ambas as equipas. “Será, certamente, um jogo muito difícil. Mais difícil, ainda, porque iremos defrontar o líder. Uma equipa muito motivada, que está isolada na classificação. Assumiu, de início, a subida de divisão como grande objetivo da época e, certamente, será um jogo muito difícil. Mas também acredito, e tenho quase a certeza, que para o Santa Clara também vai ser um jogo muito difícil porque queremos ganhar, jogamos em casa, perante os nossos adeptos e considero que, jogando em casa, somos, claramente, favoritos”, ressalvou Casquilha.

“Importante somar mais 3 pontos para nos mantermos nos primeiros lugares”

A vitória é sempre o objetivo da equipa gilista, e neste jogo, para Jorge Casquilha, a vitória pode valer 6 pontos. “Com uma vitória iremos encurtar distâncias para os primeiros lugares, principalmente, para o Santa Clara. É um jogo que vale 6 pontos e a verdade é que estamos muito moralizados e estamos conscientes da importância do jogo. Sabendo que esta é a 7ª jornada, nada se ganha à 7ª jornada, mas era importante somar mais 3 pontos para nos mantermos nos primeiros lugares”, salientou.

“Que as pessoas possam vir ao futebol para empurrar a equipa para mais uma vitória”

De relembrar que as crianças e jovens até aos 16 anos não pagarão bilhete para poder assistir ao jogo. Logo, esta é uma ótima oportunidade de o estádio estar mais completo e o apoio à equipa ser ainda maior. O apoio dos adeptos é muito importante? Para o técnico gilista é, e deixa, igualmente, uma palavra à claque. “Sim, claramente. Nós estamos sempre a pedir o apoio dos adeptos porque gostamos de atuar em casa, com os adeptos a puxar por nós, a apoiar-nos. Nos dois jogos que fizemos, tivemos uma boa casa. Nos jogos fora não têm sido muitos adeptos, principalmente este último, que foi bastante longe. Mas a verdade é que a claque estava lá e eram poucos mas eram ruidosos. Apoiaram a equipa de princípio ao fim. Queremos que agora neste jogo, em casa, perante o líder, – certamente vai estar bom tempo – que as pessoas possam vir ao futebol e que esteja uma boa casa e que nos apoiem de princípio ao fim, para empurrar a equipa para mais uma vitória.”

Peça de teatro “Que vida Zé!” vai a cena em Alvelos

Setembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Numa organização da Junta de Freguesia de Alvelos, com o apoio do Município de Barcelos, vai a cena, amanhã, pelas 21h30, no Pavilhão Multiusos de Alvelos, a peça de teatro “Que vida Zé!”.



Esta é uma peça encenada pela Companhia de Teatro de Santo Tirso, que integra o ator barcelense Sérgio Macedo.

Setembro: mês de início de novo ano escolar

Setembro 14, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Carlos Ferreira

Setembro, mês de início de novo ano escolar, novos desafios, aventuras, metas e objetivos para conquistar.



Numa sociedade cada vez mais competitiva e com uma evolução muito rápida é preciso que os nossos filhos sejam preparados para esses desafios.

A escola, como pilar mais importante de uma formação, não chega para essa preparação. São necessárias outras valências muito importantes como a família, a cultura e o desporto.

Desporto não é só essencial para manter um corpo saudável e elegante mas também para criar capacidades de motivação, superação e independência.

Ao praticar desporto, quer faça competição ou não, o indivíduo está sempre a tentar superar-se, a fazer mais e melhor do que o último treino ou jogo. Claro que nem sempre acontece mas é aqui que ele vai aprender a motivar-se e a sofrer para conseguir.

Lidar com o sucesso e o insucesso é outra das facetas desportivas que ajudam, depois, durante a vida, a não desistir facilmente dos objetivos, pois sabem que só com muito esforço e dedicação a vitória chega.

Ganhar um jogo não significa ser o melhor do mundo como perder não é o pior de certeza; ambas só servem para corrigir e trabalhar mais para evoluir.

O ténis é um desporto de eleição para se desenvolver estas capacidades, pois além de ser um desporto individual, tem uma componente física e mental muito forte que obriga o atleta a níveis de entrega muito altos. Vários estudos científicos provam como sendo um dos melhores desportos para um bom desenvolvimento.

Uma palavra para o grande campeão Nadal, que acabou de vencer o US Open e que, depois de estar bastante tempo afastado das finais e dos lugares cimeiros do ranking, volta em 2017 com uma força inesperada, recuperando o trono do ténis mundial.

No circuito feminino, a grande surpresa de duas jogadoras americanas disputarem a final do US Open, não sendo nenhuma delas as irmãs Williams que vinham dominando o ténis mundial e especialmente o ténis americano. Nova vaga de jovens jogadoras está a aparecer! A ver vamos como se comportam ao longo do ano.

Parabéns ao Hugo Maia, filho do professor Cirilo Vale, treinador do nosso clube, que se sagrou, mais uma vez, campeão nacional sub-16 anos.

Pratiquem desporto, joguem ténis!

Por: Carlos Ferreira*

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Ir Para Cima