Arquivo de Categorias

Atualidade - page 493

Maastricht está de parabéns. E nós?

Fevereiro 26, 2017 em Atualidade, Mundo, Opinião, Política port barcelosnahorabarcelosnahora
raquelsfernandes
Raquel dos Santos Fernandes

Entre as margens do rio Mosa, cravada entre a Alemanha e a Bélgica, Maastricht, uma das mais antigas cidades holandesas, foi palco da assinatura do Tratado que adotou o seu nome, a 7 de fevereiro de 1992. Na semana* em que se comemora os seus 25 anos, a União Europeia vive agora na realidade do eurocentrismo, dos fluxos migratórios e das divisões internas na sinuosidade do bloco europeu.

Comunidades Europeias, Política Externa e de Segurança Comum (PESC) e Cooperação nos domínios da Justiça e dos Assuntos Internos conduziram a União a uma nova etapa na integração europeia, agora com uma clara dimensão política, com o objetivo de reforçar a legitimidade democrática e a eficácia das instituições, desenvolvendo a vertente social da Comunidade e instaurando uma União Económica e Monetária. Ora, o apoio ao projeto europeu – criação de um mercado único e a confiança dos europeus de que juntos somos mais fortes – entra em declínio com a crise da zona euro. Apesar do fundamento de que a integração seria benéfica para todas as nações participantes, os europeus começaram a duvidar dessa suposição, alicerçados com a vitória de Trump do outro lado do Atlântico, que visivelmente se revelou num impulso às forças populistas que convelem os principais políticos da Europa e, acima de tudo, o projeto europeu. O facto do novo Presidente dos Estados Unidos da América ser um apoiante assumido do Brexit só reforça o argumento eurocético de que a União Europeia seguiu uma direção errada.

A corporalização de um certo desprezo pela democracia nacional e supranacional – e seria importante que os apoiantes do Brexit, que agora culpam Merkel e Hollande, refletissem sobre aquela que foi a postura de Tony Blair na Europa – não estará isenta de culpas na deriva ultranacionalista da Polónia e da Hungria. E depois a humilhação económica e social da Grécia, a incapacidade de implementar cotas de refugiados equitativas, o papel hegemónico de um Estado-Membro sobre os demais Estados, o fracasso em distinguir e unificar a Europa e a falta de vontade em restabelecer um modelo social europeu. A ideia de Estado-nação também desafia a ambição do projeto europeu, daí a importância de construir um ambiente político pós-nacional e não agressivo. A concessão de poderes especiais a alguns Estados-Membros, a promoção de uma integração não harmoniosa em detrimento de “fatores alternativos”, a aprovação de uma maioria de parlamentos nacionais para bloquear a legislação da União Europeia significam, essencialmente, legitimar os nacionalismos locais e o crescimento, cada vez mais, de uma retórica eurocética.

Se as ambições pós-nacionalistas não são uma opção para a realpolitik dos nossos tempos e se continuamos a querer promover a democracia e os direitos humanos, a paz, a prosperidade, a solidariedade e a harmonia, não esqueçamos que, aos olhos do projeto europeu, que também é nosso, as várias culturas e línguas que nos unem continuam a ser uma mais-valia para o velho Continente, in varietate concordia.

*ndr: este artigo foi entregue na semana de 07 de fevereiro de 2017

Por: Raquel dos Santos Fernandes.

Quem nunca?

Fevereiro 25, 2017 em Atualidade, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
teresa pimenta
Teresa Augusta Pimenta

Este tema surge, invariavelmente, quase todos os dias. Conversas de café, artigos no jornal, reportagens na TV. Começa a ser cansativo e, de certas perspetivas, radical – até. Todavia, é necessário insistir, porquanto ainda não assente. Manifesto, desde já, a minha despreocupação, relativamente à linguagem socialmente macia. Nada que nunca tivessem feito.

Vamos a um breve jogo do “quem nunca?”, direcionado às senhoras. Tão breve, que se resume a duas perguntas.

(Uma nota merece ser feita, para evitar generalizações. Cada caso é um caso e estamos no bom caminho. A rota tem vindo a ser – continuamente – mudada. Não obstante, é como tudo: antigamente, a palavra divórcio era tabu e, hoje, tabu é continuar casado sem haver respeito, sentimento e amor-próprio.)

1.º – Quem nunca ouviu algo do género: “Ui, que saia tão curta! Que vestido tão justo! Alto decote! Tens que ter cuidado, este sítio é frequentado por muitos homens!”?

Encontra-se, algures na Terra do Nunca, estabelecido que se uma mulher for de vestido justo, de saia reduzida, ou com um decote mais acentuado para o trabalho, quer significar que está a “dar o peito às balas” ou a “pedi-las”. E quem diz trabalho, diz outro sítio qualquer. Pelo direito – socialmente aceite – de vestir o que eu quiser, sem que tenha que ouvir comentários destes, ou comentários ordinários, por parte de algum homem, era importante abrir mentalidades imberbes. Quem se comporta de maneira – socialmente – inaceitável, são eles, não nós. Onde é que um fato clássico (aka, largo) é sinónimo de capacidade de resolução de problemas? Por acaso um botão desapertado deixa transparecer as minhas limitações, enquanto profissional? É preferível ligar o ar condicionado? Por enquanto, ainda é.

2.º – Quem nunca ouviu um piropo, na rua/discoteca/centro comercial, do estilo: “Belas pernas, a que horas abrem?”?

Esta é dada. Até porque, em Setembro de 2015, entrou em vigor a Lei n.º 83/2015, que alterou o artigo 170.º do Código Penal, ficando este com a seguinte redação: “Quem importunar outra pessoa, praticando perante ela atos de carácter exibicionista, formulando propostas de teor sexual ou constrangendo-a a contacto de natureza sexual, é punido com pena de prisão até 1 ano ou com pena de multa até 120 dias, se pena mais grave lhe não couber (…)”.

Mas pena é ter que se chegar a este ponto. O ponto da imposição. Claro está, é uma lei sem género, mas todos sabemos qual é, maioritariamente, o género do público-alvo. Eu não consigo conceber como é que determinados homens, a quem reconheço uma educação polida, conseguem comportar-se desta forma. E, note-se, assédio sexual de rua, constrangimento sexual, perseguição sexual são conceitos – manifestamente – diferentes do vulgo “piropo”. Ah, mas uma mulher até pode gostar de ouvir piropos sexuais, ou “bocas” de cariz mais agreste. Muito bem, mas direito é diferente de obrigação. Se alguém me difamar, eu tenho o direito de apresentar queixa, mas não sou obrigada. A questão, aqui, reside na velha máxima de Victor Hugo: “a liberdade começa quando acaba a ignorância”. Ai, se fosse a vossa filha!… “QUEM FOI O CABRÃO? VOU LÁ E PARTO-LHE OS DENTES TODOS!”

Senhores, esta pergunta é para vós. Considerem-na como um bónus do jogo. Quem nunca se transfigurou, quando vos mandaram para a *uta que vos pariu? “Ah, porque não te dou o direito de insultares a minha mãe!” Pois é… O objetivo nunca foi esse, garanto-vos! Mas se fossem mandados para o pai que vos ajudou a serem concebidos, nem comichão sentiriam… É tudo uma questão de perspetiva. Já para não falar que a vossa irmã é bem boa e tenho um amigo que, facilmente, teria relações sexuais com ela. Mas só depois de ter ido com a vossa prima para a Franqueira (e a vossa tia a assistir).

Por: Teresa Augusta Pimenta.

A Tuna Feminina do IPCA apresenta mais uma edição do “IPCA Solidário”

Fevereiro 25, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 02 de março, pelas 21h00, no Teatro Gil Vicente, realiza-se um concerto integrado no projeto “IPCA Solidário”, levado a cabo pela Tuna Feminina do IPCA.

Para além da prestação da Tuna Feminina, o concerto contará com a performance da Tuna Académica do IPCA (TAIPCA) e do Grupo de Fados do IPCA.

De acordo com as organizadoras, “Este evento tem vindo a ser, ao longo dos últimos anos, uma oportunidade para revelar à sociedade envolvente o cariz solidário da academia do IPCA e do traje que vestimos. “

Mais, “Pretendemos sensibilizar todos os que nos queiram acompanhar para contribuir e fazer a diferença, sendo que o que enaltecemos é a vontade e o valor da ação. O segredo é deixar a sua marca com um pequeno gesto.”

Por fim, referem que “Estamos a recolher tampas de plástico, rolhas de cortiça e cones que podem ser entregues no dia ou nos vários pontos de recolha que temos pela cidade”, deixando um apelo para que possam contribuir e ajudar este menino especial que é o Tomás.

Fonte e imagem: TFIPCA.

Barcelos marca presença no II Encontro do Programa Europeu “Europe for Citizens” na Hungria

Fevereiro 24, 2017 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

No II Encontro da rede de países e respetivos municípios que integram o Programa Europeu “Europe for Citizens” – Europa para os Cidadãos, a apresentação de Barcelos marcou a diferença através de uma abordagem clara, prática e objetiva dos projetos de integração levados a cabo junto da comunidade cigana – Projeto “Escolhas”, GaloArtis -, assim como o acompanhamento que tem sido feito junto da família de refugiados que o Município acolhe desde setembro do último ano.

armandina-saleiro
Armandina Saleiro

Tendo em conta a importância dos temas em debate, este encontro contou com a presença da Vice-Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Armandina Saleiro. O ponto fulcral de todo o evento, que decorreu de 14 a 19 de fevereiro na Hungria, na cidade de Kistelek, e que juntou representantes de Itália, Espanha, Grécia, Estónia, Hungria e Portugal, centrou-se na discussão das políticas migratórias e a situação problemática que a União Europeia atravessa relativamente à entrada, acolhimento e integração de refugiados.

Houve, ainda, uma visita à fronteira do Condado, seguida de uma sessão informativa e debate acerca de todo o processo legal inerente à entrada/legalização de refugiados e a apresentação de dados estatísticos dos últimos anos.

 

O encontro pretendia que o município representante de cada país divulgasse as boas práticas em atuação no seu município em relação à questão das migrações. Barcelos deixou a sua marca em território húngaro, e prepara-se já para ser o anfitrião do próximo encontro, que irá realizar-se de 1 a 5 de maio, em plena época festiva barcelense.

O III Encontro dará lugar ao tema relacionado com as políticas da União Europeia e de que forma estas podem contribuir para o crescimento sustentável da comunidade local.

Fonte e foto: CM de Barcelos

PSD: nome do candidato pode estar em causa

Fevereiro 24, 2017 em Atualidade, Concelho, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

De acordo com uma notícia do jornal Barcelos Popular (BP), um grupo de Presidentes de Junta – cerca de dez – reuniu com o Presidente da distrital do Partido Social Democrata (PSD), José Manuel Fernandes, onde o tema terá sido o nome do candidato do partido – e da coligação – às autárquicas deste ano.

José Manuel Fernandes terá afirmado ao referido jornal que em caso de “chumbo” do nome de Sérgio Azevedo em “Plenário”, a sua legitimidade poderá ser colocada em causa, ficando, mesmo, “diminuída”.

jmf
José Manuel Fernandes

Mais, dando o exemplo de Terras de Bouro – onde o candidato aprovado na concelhia, e que deverá ser proposto a plenário, não será o escolhido –, o Presidente da distrital referiu que cabe a esta estrutura aprovar, ou não, o candidato, naquilo que foi interpretado pelo BP como uma afirmação “em jeito de aviso”.

José Novais, presidente da Comissão Política de Secção (CPS) do PSD Barcelos, não quis comentar estas informações mas salientou, ao BP, que as decisões emanadas do Plenário sobre o nome do candidato não são vinculativas, algo que foi confirmado por José Manuel Fernandes que, no entanto, em forma de reparo, afirmou que não será “normal” um nome de candidato chumbado em Plenário ser aprovado pela Distrital.

O Barcelos Popular, ainda sobre esta temática, refere que haverá uma reunião entre a Distrital, a CPS e, ao que parece, um grupo de Presidentes de Junta, no próximo domingo, em Barcelos, desconhecendo-se a hora e o local.

Entretanto, numa outra “frente” de notícia, o jornal contactou todos os Presidentes de Junta eleitos pela coligação de direita. Salienta que a maioria deles desconhece Sérgio Azevedo, mostrando estes, mesmo, “estranheza” por não terem sido auscultados no processo de escolha do candidato, ficando a saber dessa decisão pela comunicação social.

Já o líder do CDS local, António Ribeiro, afirmou que o acordo de coligação ainda não estará assinado, por estar a ser ultimado, considerando Sérgio Azevedo um “bom candidato”. Já Sameiro Serra, Presidente da Junta de Carvalhal, e reputada militante “centrista”, referiu, à imagem de muitos dos seus homónimos de direita contactados pelo BP, que desconhecia Sérgio Azevedo, acrescentando que “nunca assinaria um acordo de coligação sem saber antes qual o nome do candidato à Câmara”.

Fotos: Facebook do PSD Barcelos.

Vinte e seis

Fevereiro 24, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
luisgoncalves
Luís Gonçalves

Vinte e seis! Foi o número de golos marcados nesta vigésima jornada da 1ª divisão!

Começo pelos empates: o Fonte Coberta empatou com o Silveiros. O mesmo resultado foi conseguido entre o Carvalhal e o Carapeços.

De realçar três vitórias caseiras, todas elas com o mesmo desfecho final: 1-0. O Pereira venceu o Leocadenses; o Remelhe recebeu e venceu o Sequeade e, por fim, a Silva venceu o Macieira. Com dois golos sem resposta. Foi com este resultado que o Baluganense venceu o Pedra Furada e, assim, a par do Leões da Serra, foram as únicas equipas a vencer os dois últimos jogos realizados. Os Leões receberam e venceram o Palme por 4-0, distanciando-se, desse modo, do Negreiros, que perdeu com o Cossourado, num jogo em que a bola entrou por 7 vezes na baliza! 4-3 foi o resultado! O Campo recebeu o 4º classificado, o Oliveira, e venceu por três bolas a uma.

Os Leões mantêm a vantagem de sete pontos em relação ao Pereira e de dez para o Negreiros.

Poderá dizer-se que a luta pelo título está, agora, limitada a duas equipas? Leões da Serra e Pereira?

Quem deu um salto de um lugar foram Silva e Remelhe, para 5º e 6º lugar, respetivamente. O Carapeços caiu dois lugares e está no 7º posto. Uma palavra para o Remelhe que está há seis jogos consecutivos sem conhecer o “sabor” da derrota! Cossourado e Pedra Furada mantêm-se no 8º e 9º lugar, apesar de o Cossourado ter reduzido a desvantagem para o Carapeços, estando, agora, a apenas um ponto do 7º lugar e a dois pontos do 4º classificado, o Oliveira.

O Macieira e o Leocadenses trocaram de posições. Se na semana transata estava em 10º lugar, esta semana caiu para 11º. Já o inverso se passou com o Leocadenses.

Do 12º lugar até ao 18º tudo se manteve, mas os homens de Balugães estão a fugir, cada vez mais, da zona de despromoção.

Os jogos da próxima jornada que destaco são: o Leões da Serra vs. Macieira e Pereira vs. Carapeços – isto porque a luta pelo título continua –, e um jogo de aflitos: o Fonte Coberta vs. Palme.

Na 2ª divisão, o Feitos recuperou a liderança, juntamente com o Perelhal, com 43 pontos, depois de ter vencido em Cambeses por 3-1, tendo aproveitado o empate do Perelhal em Cristelo, a zero, e a “surpreendente” derrota do Fragoso, no seu reduto, perante o Águas Santas, por duas bolas a uma.

São Mamede, São Martinho e Águas Santas são o trio que vem logo a seguir mas, ainda assim, a 11 pontos dos lugares de subida.

Apesar de, deste ”trio”, todos terem vencido as respetivas partidas, destaco, desde já, o Águas Santas, que além de ter vencido em Fragoso, soma a quarta vitória consecutiva, amealhando 12 pontos e, desta forma, juntando-se aos candidatos pela subida, dando assim outro colorido à competição.

Num jogo de “aflitos”, o Chorente recebeu e venceu por 3-2 o Carvalhas. Desta forma, troca de posição com o Cambeses.

A meio da tabela, destaque para o Lijó, que recuperou duas posições, para o 7º lugar (ex-aequo com o Paradela), depois de ter recebido e vencido o Lama por 3-0.

Na próxima jornada, destaque, claro está, para o Feitos vs. Fragoso.

Um fim de semana feliz,vos deseja o amigo Luís!

 

Por: Luís Gonçalves.

Fevereiro 23, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
benfiquista
Hugo Pombal Lopes

Olá a todos!

Fim de semana de ansiedade e pressão para os dois primeiros classificados do campeonato: o Porto entrou na jornada com um resultado esclarecedor, deixando o Benfica pressionado para um jogo que se adivinhava difícil!

(Não ponho em causa a justiça da vitória e já disse que todos os três (?) grandes são beneficiados mas aquele segundo amarelo ao Osorio é ridículo)

O Benfica fez o que tinha a fazer, ganhou e restabeleceu a ordem natural da liderança… mas é pertinente dizer que o fez de forma abusiva. Abusiva no sentido em que abusou novamente da sorte. Confesso que consigo entender as ideias de jogo, quer contra o Braga, quer contra o Dortmund, que é explorar o erro do adversário e partir para o contra ataque. Mas antes de arriscar novamente nesta ideia, deveria o Rui Vitória explorar 3 pontos:

1º- Meter o Rafa a chutar à baliza uma hora antes e depois do treino, que é para o rapaz não hiperventilar quando vir o guarda-redes pela frente;

2º- Explicar ao Pizzi que ou aparece para jogar ou então que leve de uma vez por todas o quinto amarelo para descansar um pouquinho;

3º- Avisar o Mitroglou que desta vez correu bem mas que não tente imitar mais o Jonas.

Resumindo, achei que o importante foi conseguido, nomeadamente a vitória. Ainda assim, fiquei desgostoso com a exibição. Contra o Dortmund ainda percebo, agora contra o Braga (com todo o respeito) temos a obrigação de fazer bem melhor.

Sexta-feira temos novamente campeonato e Glorioso. Tenho a esperança que o Benfica, em casa, possa impor o seu futebol mas, fundamentalmente, que ganhe!

O Gil Vicente empatou com o Sporting B e podemos olhar para isto com duas perspectivas:

-O Gil empatou com o Sporting (grande equipa e com a melhor formação do mundo e arredores);

-O Gil empatou com o penúltimo classificado.

Eu cá para mim fico-me pela primeira…

À hora que escrevo, a equipa que mais estimo a seguir ao Benfica ganhou numa deslocação extremamente difícil! Parabéns também ao Sevilha…

Até para a semana,

Cumprimentos.

Por: Hugo Pombal Lopes.

Finalmente

Fevereiro 23, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
sportinguista
José Queirós

Há algo no futebol que, de uma maneira geral, está associado às equipas! Aquilo que eu vi, ao longo destes anos, foi sempre um Sporting bafejado pelo azar ou, ainda pior, associado ao azar estavam, também, algumas arbitragens que o ia prejudicando. Enquanto o Benfica é uma equipa em que a sorte quase sempre sorri, o Porto quando não é ajudado tem muitas dificuldades em ganhar.

Mas é sobre o Sporting que vou debruçar algumas palavras! Como disse, este clube raramente joga mal e raramente tem sorte. Então quando a exibição não é esplêndida, os adeptos passam o jogo inteiro a roer as unhas! Enfim, costuma-se dizer que ao Sporting tudo acontece.

Neste último jogo tudo se passou ao contrário! O Sporting jogou muito mal, foi muito feliz e ganhou o jogo! Mas o que se terá passado para este feito da equipa leonina? Por momentos lembrei-me do jogo do Benfica na Liga dos Campeões, em que fez só um remate e venceu perante tamanho desperdício da equipa adversária. Efetivamente, o Rio Ave entrou muito bem no jogo e falhou algumas oportunidades, perante um Sporting que praticamente fez o golo e pouco mais!

Valeu Rui Patrício, que foi enorme e graças a ele os “Leões” ganharam o jogo. Será a mudança dos tempos? Jorge Jesus disse, e bem, que os campeões são aqueles que ganham os jogos sem jogar bem. Finalmente o Sporting ganhou um jogo em que não merecia sequer empatar quanto mais ganhar! Pode ser que daqui para a frente tudo se altere, porque já estava cansado de vitórias morais, de ver tanta superioridade e não vencer! A rever daqui para a frente.

O outro Sporting, a equipa B, veio a Barcelos e empatou perante um Gil que nos últimos jogos tem evidenciando boas exibições, associadas a bons resultados. O Sporting B, com novo treinador, deixou neste jogo a ideia de que o lugar que ocupa não é condizente com a qualidade dos seus jogadores.

Saudações leoninas!

Por: José Queirós.

Fevereiro 23, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
vsapereira
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores!

Espero que tenham tido um bom fim de semana desportivo e que esta semana corra pelo melhor!

Falando de futebol, este último fim de semana começou da melhor forma possível, com uma goleada do meu clube ao Tondela por 4-0, uma boa exibição, com muitos golos e, na minha opinião, achei forçada a marcação da grande penalidade que fez com que o Porto abrisse o marcador. Quanto à expulsão, achei justa já que se foi assinalada grande penalidade, o lance a seguir é um lance claro de cartão amarelo!

Depois deste jogo veio a palhaçada, uma “choradeira” que já não ouvia desde os meus tempos de infantário. Tudo isto só porque o FCP foi beneficiado com um penalty que não foi claro, como se os “chorões” nunca tinham sido beneficiados com penalties. Aliás, a época passada foi um “fartote” de grandes penalidades e expulsões a favor das “águias”. Puseram em causa um vitória normal do FCP chamando-lhe “fruta” e “apito dourado”, termos que já enojam e que sempre lhes serviu para ocultar fracassos desportivos e diretivos!

Mas o Benfica acabou por ganhar em Braga, num lance de génio e, ao mesmo tempo, confuso e a “choradeira” acalmou! Já percebemos que cada vez que o FCP vá para primeiro lugar, nem que seja à condição, vai ser um show de lenços suados por todo o lado!

Espero que o meu clube, no próximo domingo, vença no Bessa. Vai ser um claro teste ao Dragão na luta pelo título e peço a todos os portistas, que possam, para ir ao Bessa apoiar. O nosso clube precisa de nós!

Parabéns ao nosso Gil Vicente que, numa semana, fez 5 pontos, depois de vencer o Santa Clara e de empatar com o candidato Aves e o aflito Sporting B. O clube da nossa cidade está bem lançado para uma boa segunda volta!

Não quero que gostem do que eu digo, apenas que respeitem a minha sinceridade e frontalidade!

Viva o FCP e o GVFC!

Até para semana!

Por: Vítor Sá Pereira.

Carnaval Popular em Barcelos

Fevereiro 23, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

 

Durante quatro dias, entre 24 e 28 de fevereiro, a Câmara Municipal de Barcelos tem preparado um vasto programa de comemorações, que alude ao tradicional entrudo do norte do país.

De acordo com o Município: “Longe dos ritmos sambistas e das máscaras venezianas, o Carnaval barcelense ancora-se nas profundezas das tradições regionais com o folclore, os gigantones e o figurado a saírem vitoriosos e com o melhor da sátira popular a sair às ruas.

Mais de 40 associações, três dezenas de carros alegóricos e milhares de figurantes vestidos a preceito vão preencher de cor, alegria e boa disposição as ruas da cidade de Barcelos, naquele que é considerado o maior Carnaval Popular do país.”

O ponto alto das comemorações é o tradicional Cortejo de Carnaval Popular, promovido pelas associações do concelho, que atravessa a Avenida da Liberdade no dia 28 de fevereiro, a partir das 15h, e culmina com um espetáculo musical pela “Academia Soulfly ArtLovers”.

O centro histórico da cidade vai acolher várias atividades, incluindo a “Feira do Fumeiro”, que se vem tornando habitual ao longo dos últimos anos. Os mais novos apresentam o Desfile das Escolas no dia 24 de manhã. Já a festa de “arromba” para os adultos acontece na noite de 27, com a realização do “Concurso de Máscaras” e da atuação de Victor Rodrigues e sua Banda, na Avenida da Liberdade, a partir das 21h00. Às 23h30, todos os caminhos vão ter ao Pavilhão Municipal, onde está preparada uma grandiosa noite de Carnaval, com DJ´s convidados e entrada livre.

carnaval-popular-1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte e imagens: CM de Barcelos.

Ir Para Cima