Arquivo de Categorias

Mundo

Estudantes do IPCA ensinam a trabalhar as redes sociais

Abril 3, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

IPCA no programa “Somos Todos Digitais”

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) foi a primeira instituição de ensino superior a ser convidada para ser parceira no projeto “Somos Todos Digitais” da INCoDe.2030 – Iniciativa Nacional para as Competências Digitais – sob o mote “Comunicar sem barreiras”.



Este programa traduz-se numa linha de apoio aos infoexcluídos e tem como objetivo dotar esta população das competências digitais para melhor ultrapassarem o isolamento a que estão sujeitas.

O projeto operacionaliza-se através da disponibilização de uma linha de apoio que, de forma imediata, apoie todas as pessoas que, tendo acesso à Internet, têm maior dificuldade em manusear aplicações digitais que permitem manter o contacto social e a realização de interações à distância. O principal objetivo é, assim, dotar os utentes da linha de apoio de competências básicas de comunicação digital, nomeadamente, Facebook, Instagram, Messenger, WhatsApp e Skype, para uma maior interação com a família e amigos, permitindo diminuir o nível de isolamento a que estão sujeitos. Além da linha de apoio, o projeto “Somos Todos Digitais” inclui ainda um site, onde serão disponibilizados tutoriais de manuseamento dessas mesmas aplicações.

Desta forma, os estudantes do IPCA foram convidados a passar as competências digitais nas plataformas de comunicação já referidas e a participar, na qualidade de voluntários, para o atendimento das chamadas da linha de apoio e esclarecimento das pessoas infoexcluídos.

Este projeto conta com o apoio da operadora NOS para a execução desta linha de apoio, coordenada pelo Digital Transformation Colab (DTx) e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, através da sua Unidade de Computação Científica Nacional (FCT/FCCN).

A linha de apoio está prevista iniciar na próxima terça-feira e estará disponível para a população no horário das 12h00 às 20h00, todos os dias úteis da semana. Os turnos são de 4h00 (um voluntário pode fazer um número inferior de horas) e deverá haver sempre 10 voluntários em simultâneo. O objetivo é captar um número suficiente de voluntários que permita uma maior rotatividade (por exemplo, dias alternados). Estará sempre disponível para apoio aos voluntários um docente do IPCA (coordenador) da área da informática; o atendimento será feito a partir do computador de cada estudante, através do reencaminhamento automático das chamadas. Não é necessário qualquer equipamento específico, uma vez que a plataforma corre no browser normal; todos os voluntários receberão um kit com informação genérica e uma formação inicial para estarem aptos a operar, que se realizará na próxima segunda-feira, às 15h00, com duração prevista de 2h00; todos os voluntários terão referência da participação neste projeto no Suplemento ao Diploma.

“O IPCA quer contribuir ativamente para esta causa!” é a motivação da instituição de ensino superior barcelense.

Imagem: IPCA.

Altice Portugal e Huawei disponibilizam tecnologia ao Ministério da Saúde para ligar Hospitais e famílias portuguesas

Abril 3, 2020 em Atualidade, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A Altice Portugal e a Huawei colocaram à disposição do Ministério da Saúde centenas de equipamentos de comunicações que vão permitir manter ligados milhares de portugueses, nomeadamente, profissionais de saúde e doentes internados que, devido às circunstâncias impostas pelo surto pandémico de COVID-19, se encontram atualmente privados de contactar com as suas famílias.



Numa iniciativa conjunta, as empresas asseguram a tecnologia necessária para que milhares de portugueses possam manter-se, remotamente, mais perto dos seus entes queridos, através da disponibilização de várias centenas de tablets com ligação de dados móveis 4G e infraestrutura Wi-Fi.

Impedidos de receber visitas, e estando privados do contacto com os seus familiares e amigos, os doentes internados passam, assim, a ter a oportunidade de estar mais próximos dos seus familiares e amigos através da tecnologia da Altice Portugal e da Huawei.

Imagem: DR (alterada).

Tranquilidade/Generali injeta 50 milhões de euros de liquidez adicionais na economia antecipando pagamentos

Abril 3, 2020 em Atualidade, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Pagamentos a parceiros, prestadores de saúde e fornecedores

A Tranquilidade/Generali informou, em nota, que “reconhecendo as consequências do abrandamento da atividade económica provocado pelo COVID-19”, decidiu avançar com um programa de antecipação de pagamentos que ascende a 50 milhões de euros e que tem como objetivo “garantir maior liquidez a agentes, fornecedores e prestadores de saúde e apoiar os agentes na gestão da sua carteira de seguros”.



A Tranquilidade/Generali procede regularmente a pagamentos mensais de aproximadamente 100 milhões de euros e decidiu reforçar o seu esforço para apoiar a sua rede de parceiros e fornecedores num momento particularmente complexo em termos de liquidez.

Foram, também, implementadas medidas para que os agentes possam agilizar soluções e garantir uma resposta rápida, por forma a que os clientes tenham uma proteção e garantias ajustadas à sua situação atual. Destas medidas fazem parte o alargamento dos prazos de anulação de apólices, o ajustamento das regras de subscrição dos seguros e o alargamento de garantias. Estas abrangem os seguros automóvel, de saúde, de acidentes de trabalho e de vida, entre outros.

Ficou, igualmente, estabelecido o alargamento da cobertura de acidentes de trabalho para os colaboradores das empresas em regime de teletrabalho, bem como para os restaurantes que tenham optado por manter-se em funcionamento em regime de entrega ao domicílio. É, ainda, estendida a cobertura de equipamento eletrónico em casa do colaborador em regime de teletrabalho.

Com o objetivo de facilitar a deteção atempada, evitando a propagação do vírus, a Tranquilidade/Generali, no âmbito dos seguros de saúde, passou a suportar os custos dos testes de diagnóstico sempre que haja a necessária prescrição médica e lançou recentemente um seguro de saúde COVID-19 para as empresas disponibilizarem aos seus colaboradores.

A Tranquilidade/Generali disponibilizou, ainda, uma linha telefónica para assistência aos clientes em caso de acidente que não sejam relacionados com situações de emergência ou problemas de saúde/doença ou COVID-19 e reforçou os canais de atendimento não presencial, através do seu serviço de chatbot do WhatsApp.

Imagem: DR.

COVID – 19: PAN reage às comunicações ao País do Primeiro-Ministro e do Presidente da República

Abril 3, 2020 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O porta-voz e deputado do PAN (Pessoas-Animais-Natureza), André Silva, reagiu às medidas anunciadas pelo Governo, em resultado da Reunião de Conselho de Ministros, bem como, à comunicação do Presidente da República ao país, no contexto de renovação do estado de emergência para fazer face ao surto da COVID-19.



Resumidamente, sobre a restrição da circulação no período da Páscoa, principalmente, para fora dos concelhos de residência e o encerramento de aeroportos, o PAN considera que a “medida é sensata e prudente e vai ao encontro do que o PAN defende, no sentido de nesta fase crítica restringir ao máximo os contactos para reduzir ao máximo a possibilidade de contágio. Os dados dizem-nos que o isolamento social está a contribuir para a redução da taxa de infetados. Mas a medida de restrição de movimentos aéreos deveria ser estendida para além da Páscoa, a países como o Brasil, cujo presidente, Jair Bolsonaro, se recusa a seguir as mais básicas orientações da OMS”.

Relativamente à medida de reforço de competências e meios da ACT, esta “vai ao encontro das reivindicações do PAN, ao permitir combater despedimentos ilegais e imposição de gozo de férias a milhares de trabalhadores do nosso país. Num contexto excecional como este, não estamos perante um período normal de férias, pelo contrário, as pessoas veem limitado o seu direito a passear e a fruir da sua pausa laboral como habitualmente, sem as férias poderem cumprir a sua função, quer pelas medidas de contenção aplicadas, quer pelo facto de que o próprio vírus não descansa, nem tira férias”.

Quanto aos indultos para os reclusos, o PAN considera que “ficou por esclarecer se estes abrangem as situações das mulheres que estão a cumprir penas acompanhadas dos seus filhos menores que, contrariamente ao habitual, também não podem ir para as creches, ficando confinados num ambiente de maior risco. Por uma questão humanitária, o PAN considera que devem ser acauteladas estas situações, sem pôr em causa a separação da criança e da mãe, seja através do confinamento domiciliário ou noutro espaço penitenciário mais adequado às necessidades da criança”.

O Partido vê “como positiva a mobilização das forças armadas para o que for necessário para ajudar o país, e, nesse sentido, nesta época do ano não podemos esquecer a prevenção dos incêndios e a limpeza dos terrenos, que temos que acautelar, desde já, sob pena do país ficar, em breve, a braços com outro grave problema.  Por isso, o PAN vai solicitar uma audição, por videoconferência, com caráter de urgência, ao Senhor Ministro da Administração Interna, para que possa explicar ao Parlamento e ao País como está a ser preparada a época de incêndios, para mais no atual contexto”.

Assinala, ainda, que “fora das decisões desta reunião de conselho de ministro ficaram: a fixação de preços para equipamentos de proteção individual e desinfetantes; a limitação de cobrança de juros pela banca no âmbito das moratórias de crédito à habitação; e ainda fica de fora a proteção social aos sócios gerentes das MPM empresas”.

Fonte e foto: PAN.

COVID-19: PAN pede explicações ao Ministério do Ambiente sobre mudanças no transporte de resíduos hospitalares perigosos

Abril 3, 2020 em Atualidade, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza quer ouvir as explicações do Ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, que “entendeu dispensar o transporte de resíduos, como sejam resíduos hospitalares, de guias de acompanhamento, alegando o atual estado de emergência face ao surto da COVID-19”. Para o PAN, esta decisão é, não só, “muito preocupante” em face ao nível de perigosidade dos resíduos hospitalares, como poderá resultar num aumento de operações de gestão de resíduos à margem da lei.



Em causa está a publicação no Portal Governo de uma nota, emitida a 31 de março de 2020, relativa à gestão de resíduos no período de Estado de Emergência, com o objetivo de alegadamente proteger a saúde pública e a segurança dos trabalhadores do setor.

Acontece que o referido documento prevê a dispensa “de emissão de guias de transporte de resíduos oriundos de produtores não inscritos e de setores prioritários (p. ex. hospitais de campanha)”. Ou seja, no entender do PAN, tal dispensa “conduz a uma falta de transparência sobre a origem e destino de resíduos perigosos”, alerta o porta-voz e deputado do PAN, André Silva. É o caso dos resíduos provenientes dos hospitais de campanha, conforme reconhecido pelas orientações de 17 de março de 2020, da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e da Entidade Reguladora do Setor das Águas e Resíduos (ERSAR), que tornam claro que resíduos potencialmente contaminados pelo vírus SARS-CoV-2 (COVID-19) são equiparados a resíduos hospitalares de risco biológico (grupo III), ou seja, a resíduos perigosos.

Para o porta-voz do PAN, “não se compreende de que forma poderá esta dispensa de emissão de guias de transporte, que aliás devem obedecer às regras de transporte de resíduos perigosos no caso dos hospitalares, contribuir para a proteção da saúde pública e da segurança dos trabalhadores do setor”. Na verdade, acrescenta, “a falta de fiscalização quanto à origem e destino deste tipo de resíduos perigosos poderá, essa sim, colocar em perigo a saúde pública, ao poder resultar desta medida uma menorização dos cuidados a observar no manuseamento, transporte e no destino a dar a estes resíduos perigosos”.

Por outro lado, questiona André Silva, “da medida do Ministro João Pedro Matos Fernandes poderá igualmente resultar que, no transporte de qualquer tipo de resíduos, se poderá vir a alegar, com má fé, que estão ao abrigo dessa dispensa de guia de transporte, de forma a evitar a respetiva fiscalização. Ou seja, no limite, ficam assim dispensados de fiscalização, nesta fase, todos os resíduos. Ora, o PAN não só está muito preocupado com esta decisão como a considera inaceitável”.

O PAN exige, por conseguinte, ao Ministério do Ambiente que explique, não só, de que forma a dispensa de guia de transporte de resíduos perigosos contribuirá para a proteção da saúde pública e da segurança dos trabalhadores do setor, mas também, de que forma será controlada a origem e destino destes resíduos perigosos e como poderão os agentes fiscalizadores garantir que esta dispensa de guia de transporte não é utilizada para o transporte de outro tipo de resíduos sob falsas alegações.

Fonte: PAN.

Foto: DR.

COVID-19: Santander paga a fornecedores a pronto pagamento

Abril 2, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Para ajudar a tesouraria das empresas nesta fase difícil, o Santander informou, em nota enviada às redações, que vai passar a pagar aos seus fornecedores a pronto pagamento, solicitando o envio da fatura através dos meios digitais.



“Esta medida reforça o conjunto de outras que o Santander tem vindo a implementar para apoiar a economia e minimizar os impactos negativos provocados pelo COVID-19, com especial foco na tesouraria e liquidez dos seus clientes”, refere.

O Banco continua a promover ativamente a utilização das Linhas de Crédito com garantia mútua, disponibilizadas pelo Estado – as Linhas de Apoio à Economia COVID-19.

Foto: DR.

COVID-19: PAN pede ao Governo mais apoios às micro, pequenas e médias empresas

Abril 2, 2020 em Atualidade, Economia, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Em sequência da pandemia COVID-19, o PAN – Pessoas-Animais-Natureza apresentou propostas de alteração à proposta de lei nº21/XIV do Governo, com medidas que assegurem aos sócios-gerentes de micro, pequenas e médias empresas a possibilidade de escolha dos apoios de que vão beneficiar para assegurar a sua proteção social.



“O objetivo é que estes empresários possam optar por beneficiar do regime do lay-off simplificado ou por beneficiar do regime de proteção do trabalhador independente”, refere o Partido em nota.

Foto: DR.

O que o Coronavírus muda no pagamento de impostos? A DECO responde…

Abril 2, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

O Governo anunciou algumas medidas excecionais em tempo de pandemia para trabalhadores independentes e empresas. Mas atenção que nem tudo muda. Comecemos pelo que muda.



  • Execuções e planos de pagamentos suspensos

Até 30 de junho, estão suspensos todos os processos de execução fiscal já instaurados pela Autoridade Tributária. Enquanto durar o período de situação excecional determinado pelas autoridades nacionais de saúde pública, ficam também suspensos todos os planos de pagamentos a prestações às Finanças que já estivessem em curso.

  • Pagamentos a prestações para independentes e empresas

Os trabalhadores independentes e empresas que em 2018 tenham registado um volume de negócios igual ou inferior a 10 milhões de euros ou que apenas tenham iniciado a sua atividade depois de 1 de janeiro de 2019, podem requerer o pagamento em prestações das suas obrigações fiscais de IVA, IRC e IRS retido a trabalhadores, referentes ao segundo trimestre de 2020.

  • Pagamentos a prestações em caso de quebras superiores a 20%

Os trabalhadores independentes ou empresas (independentemente do seu volume de negócios) podem também requerer o pagamento em prestações das suas obrigações fiscais de IVA, IRC e IRS retido a trabalhadores, referentes ao segundo trimestre de 2020, desde que nos três meses anteriores à obrigação tenham registado uma quebra no volume de negócios médio de pelo menos 20%, face a igual período do ano anterior.

Por exemplo, a empresa X tem retenções de IRS para entregar em abril de 2020. Mas no período compreendido entre janeiro e março de 2020, o seu volume de negócios foi de 2 milhões de euros, quando em igual período de 2019 havia registado um volume de negócios de 4 milhões de euros. Como a quebra de um ano para o outro, em trimestres iguais, foi de 50%, esta empresa pode requerer a entrega do IRS a prestações.

Nestes casos, a demonstração da diminuição do volume de negócios deve ser efetuada por certificação de revisor oficial de contas ou contabilista certificado.

Nos dois casos anteriores, os impostos referidos passam a poder ser pagos em três ou seis prestações mensais, sem juros e sem qualquer obrigação de prestar garantia. Todos os pedidos de pagamentos em prestações têm de ser apresentados por via eletrónica, até ao último dia inicialmente previsto para o pagamento voluntário.

O que é que não muda?

Os prazos de pagamento do Imposto Único de Circulação (IUC) e do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), cujo pagamento da primeira prestação de IMI (ou prestação única, se for inferior a 100 euros) tem de ser liquidada em maio.

Os prazos relacionados com a entrega de IRS, que permanecem entre 1 de abril a 30 de junho. Para esclarecer outras dúvidas sobre o preenchimento do IRS, consulte a nossa linha de apoio fiscal, através do número de telefone 218 418 743 ou o nosso Guia Fiscal.

Para esta e outras questões, a DECO Minho está disponível para si, pronta para esclarecer as suas dúvidas, mas apenas via telefone para o 258 821 083 ou via email para deco.minho@deco.pt.

Fique em casa!

IPCA durante a pandemia COVID-19: Balanço das aulas a distância é positivo

Abril 1, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Os estudantes do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) continuam a ter aulas com recurso ao ensino a distância e os serviços administrativos estão a funcionar com a “normalidade possível online”.



Três semanas depois das aulas presenciais terem sido suspensas (desde dia 10 de março) devido à pandemia da COVID-19, o IPCA conseguiu, de forma imediata, dar continuidade às aulas no modelo de ensino a distância.

“Passadas três semanas o balanço das aulas em formato digital é positivo. Com o esforço acrescido dos docentes, estudantes e colaboradores, as aulas continuam a decorrer dentro da normalidade possível face à situação atual em que nos encontramos”, garante a presidente do IPCA, Maria José Fernandes.

A presidente adianta ainda que “nos dias de hoje a normalidade já é o IPCA dar as aulas online, as reuniões online… o online é cada vez mais uma realidade nas nossas vidas, temos que nos adaptar e está tudo a decorrer a bom ritmo”.

João Pereira é o Presidente da Associação Académica do IPCA desde 2019, e lembra, como voz dos estudantes, que as rotinas foram alteradas e as salas de aulas deram origem aos ecrãs dos computadores e a uma adaptação a novos meios de aprendizagem: “As vídeos aulas têm funcionado da melhor forma, também por uma adaptação já existente na instituição com cursos já a ser lecionados em ensino a distância”.

Paula Rocha, é estudante do 2º ano do curso de Solicitadoria em regime pós-laboral, está satisfeita pelo facto de continuar a ter aulas, que estão a ter uma boa adesão, e não ter necessidade de interromper o ano letivo. “As aulas por videoconferência correm bem. A nossa participação pode ser verbal ou no chat, sendo que quando resolvemos problemas práticos, temos um tempo para os fazer, como em contexto de sala de aulas, e temos os professores sempre online para esclarecermos as nossas dúvidas”.

De realçar ainda a forma imediata com que 5 000 estudantes e cerca de 450 docentes se adaptaram a uma nova realidade de ensino, não pondo em causa o normal funcionamento das atividades letivas.

Fonte e fotos: IPCA.

Profissionais de Saúde com nova funcionalidade no Instituto de Registos e do Notariado

Abril 1, 2020 em Atualidade, Concelho, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O IRN – Instituto de Registos e do Notariado informou, através dos seus meios de comunicação, que os profissionais de Saúde têm uma nova funcionalidade ao seu dispor.



No caso, se for profissional de Saúde e precisar alterar ou recuperar o pin do seu Cartão de Cidadão, já pode fazê-lo num dos balcões do IRN, em funcionamento, e mediante pré-agendamento.

Para saber mais, consulte: https://irn.justica.gov.pt/COVID-19-Servicos-de-Registo, ou mais concretamente:

https://irn.justica.gov.pt/COVID-19-Servicos-de-Registo?fbclid=IwAR2F75P5qAygLtINpI-hg5vKZM6X5enjPEKvDXcWwstMYNjVn7697J7nha0#Quaisosserviospresenciaisconsideradosessenciaiseprestadosmedianteprvioagendamento.

Neste último link poderão consultar todas os serviços que poderão ser realizados por pré-agendamento, sendo que também pode descarregar os contactos necessários para o fazer.

Foto: DR.

1 2 3 345
Ir Para Cima