Arquivo de Categorias

Mundo - page 2

Os Lions em rede

Julho 12, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Se este ano tivesse um nome, para mim seria “O ano da Rede”.

Nunca a humanidade dispôs de tantos meios para estar em rede. Estes recursos tornam possível um contacto constante, físico e digital. Do nosso passado recente todos se recordam da dificuldade que as famílias sentiam em contactar e visitar os familiares distantes! E “distantes” incluía as várias cidades do país.



A rede aproximou-nos ao ponto de muitas vezes dizermos que “aproximou os que estão longe e afastou os que estão perto”. A razão desta observação não é a distância, mas o tempo que dividimos com cada pessoa; agora mais tempo com os que estão longe.

Este potencial do contacto em rede proporcionou a rápida disseminação da COVID, mas também a rápida disseminação da solidariedade.

Há mais de 100 anos que os Lions Clubes formam uma rede de perto de 50 mil Clubes de Serviço Comunitário com mais de 1 milhão e trezentos mil membros que prestam apoio às necessidades locais e globais pelos 5 continentes. No nosso país, cem Clubes abraçam causas locais, apoiando comunidades, instituições e hospitais locais, assim como causas globais.

Recentemente, os Lions do norte do país doaram equipamentos para a Oncologia Infantil do Centro Hospitalar de S. João, num valor acima dos 24 mil euros, no âmbito da sua missão e projeto LUCAS. Além desta doação, este projeto disponibilizou fundos para a investigação na área do cancro infantil numa ação nacional que culminou com a atribuição de duas bolsas de investigação, no total de 27 mil euros, selecionadas em concurso público, numa parceria com a Liga Portuguesa Contra o Cancro e que foram entregues a 28 de junho numa cerimónia em Águeda.

Estas doações resultam de iniciativas de angariação de fundos levadas a cabo pelos Clubes Lions, nomeadamente, da realização de oficinas de construção do LUCAS, a mascote do projeto, que contaram com uma forte adesão da sociedade civil, nos vários locais do país onde foram realizadas.

Na sequência da pandemia COVID-19, os vários Clubes desdobraram-se em iniciativas para auxiliar o SNS e a “frente de batalha” com o suporte das suas fundações.

A Fundação Internacional (LCIF – Lions Clubs International Foundation) atribuiu um subsídio de 91 mil euros a Portugal, a que se juntaram fundos angariados nacionalmente num total superior a 94 mil euros, utilizados na aquisição de ventiladores, monitores e Equipamentos de Proteção Individual, já entregues em hospitais públicos do país.

A fundação nacional (FLP – Fundação Lions de Portugal) apoiou financeiramente as iniciativas locais dos Clubes, disponibilizando uma verba no total de 40 mil euros para a situação de pandemia. A verba apoiou projetos destinados ao fornecimento de bens e equipamentos a IPSS e hospitais, bem como outras iniciativas de suporte à comunidade como no combate à fome, carências sociais e económicas, etc.

No âmbito da COVID, foram concedidos mundialmente 318 subsídios pela LCIF, num total superior a 4 milhões e quatrocentos mil euros.

Ambas as fundações são suportadas pelas doações de membros Lions e de filantropos da comunidade civil.

Todos os Clubes do mundo participam na rede, angariam e contribuem com fundos que serão distribuídos pela rede acudindo às necessidades e catástrofes que ocorrem em todo o mundo.

O Lions Clube de Barcelos tem uma participação ativa na organização e gestão de grande parte destas atividades e participa na rede com dois membros como líderes de área e de distrito da LCIF, e teve o Governador do Distrito 115CN, líder do norte do país, no ano Lionístico que findou em junho de 2020.

Nós Servimos.

https://lionsclubs.org/pt/discover-our-foundation/mission

http://fundacaolionsportugal.pt/

Por: IPDG João Pedro Silva* (Governador D115CN 2019/2020).

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

PAN consegue aprovação que reforça os direitos de participação de cidadãos em iniciativas legislativas

Julho 11, 2020 em Atualidade, Cultura, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Grupo PAN – Pessoas-Animais-Natureza viu ser aprovado no Parlamento o projeto de lei que vai permitir reforçar os direitos de participação no âmbito das iniciativas legislativas dos cidadãos. Com esta alteração, o número mínimo de subscritores destas iniciativas passará dos atuais 20 mil para as 15 mil assinaturas, ao mesmo tempo que são alargadas as matérias incluídas passíveis de integrar o objeto destas iniciativas.



Para a líder parlamentar e deputada do PAN, Inês de Sousa Real, “esta é uma importante conquista para toda a democracia”. Particularmente importante, concretiza, “é a segunda das duas alterações referidas, uma vez que a atual redação da lei assume uma abordagem muito restritiva do exercício deste direito de participação, ao excluir diversas matérias de formação da vontade democrática”.

Na prática, os cidadãos estavam impedidos de submeter ao Parlamento iniciativas legislativas referentes a todas as matérias que a Constituição da República Portuguesa estabelece como sendo da exclusiva competência da Assembleia da República, à exceção das relativas às bases do sistema de ensino (artigo 164º da CRP).

“Tal situação não é admissível num regime democrático pelo que o PAN veio propor e fazer aprovar um alargamento do direito de iniciativa legislativa dos cidadãos a essas matérias”, explica a deputada. De fora fica apenas a alínea j), tendo em conta estar em causa uma matéria reservada à iniciativa das regiões autónomas.

Para o PAN, é fundamental que se combata fenómenos como a abstenção, reaproximando as pessoas da Assembleia da República no dia a dia e potenciando as ferramentas de participação cidadã ou democracia participativa, no sentido de uma maior intervenção direta dos cidadãos nos procedimentos de tomada de decisão ou do processo legislativo. “E as iniciativas legislativas de cidadãos são precisamente uma importante ferramenta de democracia participativa, reforça o partido”, defende Inês de Sousa Real.

A iniciativa vai agora ser debatida em sede de especialidade, tendo o PAN demonstrado abertura para acolher as preocupações das restantes forças políticas relativamente a esta matéria.

Fonte: PAN.

Foto: DR.

IPCA integra Universidade Europeia RUN-EU

Julho 11, 2020 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) é uma das sete instituições portuguesas que fazem parte dos 24 consórcios aprovados pela Comissão Europeia como Universidades Europeias.



As Universidades Europeias são alianças transnacionais de instituições de ensino superior de toda a União Europeia que se unem em benefício dos estudantes, da comunidade académica e das sociedades. As Universidades Europeias são dotadas de apoio financeiro, no âmbito dos Programas Erasmus+ e Horizonte 2020.  Trata-se de uma iniciativa que reforça a qualidade, a inclusão, a digitalização e a atratividade do ensino superior europeu.

A Aliança Inter-regional de Universidades (RUN-EU) visa a concretização de programas formativos que contemplem a promoção de competências futuras e avançadas para a transformação social nas regiões da União Europeia. As Instituições de Ensino Superior irão desenvolver conjuntamente um leque diversificado de ações de ensino e aprendizagem, disponibilizando aos estudantes diferentes programas internacionais (curta duração e e-learning), sendo igualmente implementados projetos de cooperação internacional no âmbito da investigação e desenvolvimento. No futuro, os estudantes terão ainda a oportunidade de obter duplas/múltiplas titulações europeias, no âmbito de programas conjuntos de formação.

A RUN-EU terá, ainda, como missão a promoção do desenvolvimento económico, social, cultural e sustentável das regiões abrangidas pela rede, fornecendo as competências necessárias para que estudantes, investigadores e agentes regionais possam enfrentar com sucesso os desafios do futuro. Este novo consórcio pretende ser um agente ativo na transformação social das regiões, promovendo a cidadania ativa e liderando a criação de uma nova aliança inter-regional multinacional (Zona Europeia de Desenvolvimento Inter-regional).

A presidente do IPCA, Maria José Fernandes, enaltece o esforço de todos os envolvidos neste processo e refere que “este resultado posiciona o IPCA num patamar privilegiado, capacitando-nos para dar uma resposta ainda mais adequada e inovadora aos inúmeros desafios impostos pela agenda de modernização e internacionalização do ensino superior europeu”.

Balanço da 2ª Convocatória das Universidades Europeias

A RUN-EU é uma das 24 Universidades Europeias selecionadas entre 62 candidaturas. Participam 165 instituições de ensino superior (IES) de 26 Estados-Membros e de outros países participantes no programa Erasmus+.

Portugal está representado por 7 instituições de ensino superior: Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), Instituto Politécnico de Leiria (IPL), Instituto Politécnico do Porto (IPP), Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), Universidade da Beira Interior (UBI), Universidade de Coimbra (UC) e a Universidade Lusófona.

Dois dos Consórcios são coordenados por IES portuguesas: IPL e IPP.

Os projetos agora aprovados juntam-se às 17 Universidades Europeias selecionadas na primeira convocatória.

Mais Informações sobre a RUN-EU

Sob a coordenação do Instituto Politécnico de Leiria, a RUN-EU envolve as seguintes instituições parceiras, para além do IPCA: Limerick Institute of Technology (Irlanda), Athlone Institute of Technology (Irlanda), Széchenyi István University (SZE) (Hungria), Häme University of Applied Sciences HAMK (Finlândia), NHL Stenden University of Applied Sciences (Holanda) e FH Vorarlberg University of Applied Sciences (Áustria). Para a prossecução dos seus objetivos, a aliança contará, ainda, com a colaboração da CCDR-N, da InvestBraga e do INL, como parceiros associados da região Norte de Portugal. Saiba mais em:https://run-eu.eu/ .

Fonte e foto: IPCA.

COVID-19: Parlamento chumba proposta do PAN para um controlo sanitário eficiente nas fronteiras

Julho 11, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Parlamento chumbou, ontem, a proposta do PAN que recomendava ao Governo o aumento dos meios de controle e de deteção da COVID-19 à entrada em Portugal, de modo a que a abertura das fronteiras nacionais não possa vir a representar um aumento do número de casos de contágio com o novo coronavírus.



“O Parlamento mostra-se, assim, alinhado com o Governo que teima em pôr tudo em risco, ao não garantir essa cautela, por exemplo, no que toca à reabertura do país aos voos internacionais. Estes voos são importantes para a retoma do turismo e da restauração, que são das principais atividades económicas do nosso país, face à dependência que temos dos mesmos. Mas o modo como o Governo o está a fazer – sem um eficaz controlo sanitário – levanta não só muitas dúvidas como também preocupações”, defende André Silva, porta-voz e deputado do PAN.

Dado que as evidências científicas permitem hoje afirmar que a melhor abordagem no controlo de entrada do vírus no país terá que ser a de uma estratégia combinada de atuação, o PAN continua a advogar que o Governo repense a opção por uma postura de “facilitismo sanitário” e adote medidas que salvaguardem a saúde de quem está no país ou de quem chega para o visitar, contribuindo também desta forma para aumentar os níveis de confiança por parte quem procura o país, nomeadamente, para turismo.

Para tal, entre as medidas propostas do PAN constam a obrigatoriedade de entrega, por parte de quem viaja, de uma declaração de teste negativo à COVID-19 realizado nas últimas 48 horas ou a recolha e registo de informações de saúde de todos os passageiros e viajantes internacionais, por meio de questionários eletrónicos (declaração de saúde do passageiro), preenchidos antes da chegada ou nos terminais de entrada, antes de ser concedida permissão para entrar no território com capacidade de livre circulação.

Fonte: PAN.

Foto: DR.

Parlamento Europeu aprova relatório de José Gusmão sobre orientações para as políticas de emprego

Julho 11, 2020 em Atualidade, Economia, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Foi, ontem (10 de julho), aprovado pelo plenário do Parlamento Europeu o Relatório do deputado europeu José Gusmão, que estabelece as Orientações para as Políticas de Emprego, com os votos favoráveis de 550 deputados/as, 128 contra e 10 abstenções.



Para José Gusmão “o relatório das orientações para as políticas de emprego que foi hoje aprovado constitui uma total inversão das posições que têm dominado as instituições europeias de há muitos anos a esta parte. Num contexto em que a crise da COVID-19 é agravada pela generalização dos vínculos precários e pela desregulação do mercado de trabalho, este relatório propõe um caminho alternativo tão claro quanto urgente”.

O deputado do Bloco de Esquerda conseguiu introduzir, pela primeira vez num relatório sobre orientações para as políticas de emprego, várias posições importantes em áreas como o alargamento da contratação coletiva, o pleno emprego, a garantia de direitos a trabalhadores precários e trabalhadores de plataformas, a igualdade e não-discriminação, o combate à pobreza, bem como restrições à distribuição de dividendos, prémios e apoios a empresas sediadas em offshores. Entre outras orientações, o relatório recomenda que os Estados Membros devem dirigir uma parte importante do investimento público, bem como as políticas de emprego, para a criação postos de trabalho. Ao nível fiscal, recomenda que a tributação incida sobre outros rendimentos de forma a promover o combate à pobreza, a redistribuição e o crescimento inclusivo, assegurando o pleno alinhamento com os objetivos do desenvolvimento sustentável e os objetivos climáticos e ambientais, tal como definidos no Acordo Verde.

O relatório inclui várias referências à necessidade dos Estados Membros de tomarem medidas para reforçar e alargar o diálogo social e a cobertura da contratação coletiva, bem como à necessidade de eliminarem a discriminação salarial em razão da idade ou do género, assegurando que todos os trabalhadores têm direito a salários adequados e justos através de acordos coletivos ou de salários mínimos legais adequados. Relativamente ao combate ao desemprego jovem e ao trabalho precário, o relatório recomenda que lhes deve ser dada prioridade. Determina também que as relações laborais que conduziram a condições de trabalho precário e competição salarial devem ser impedidas, nomeadamente no caso dos trabalhadores de plataformas. Os Estados Membros devem assegurar que todos estes trabalhadores gozam de condições de trabalho justas, direitos sociais e acesso à proteção social, bem como ao direito de representação. Outra das prioridades dos Estados Membros deverá ser a eliminação de barreiras e criação de incentivos para o acesso ao mercado de trabalho, daqueles que atualmente estão em maior desvantagem para o conseguir, nomeadamente as pessoas com deficiência. Finalmente o relatório recomenda o investimento nos serviços públicos, quer como forma de criação de emprego quer como reforço da proteção social e do combate à pobreza.

No final dos votos José Gusmão disse que “é bom ter boas notícias a vir da Europa” e acrescentou: “Espero que este relatório, e o apoio alargado que teve no Parlamento permitam inverter a tendência e começar a implementar medidas de combate à pobreza e a recuperar níveis de proteção do trabalho que são imprescindíveis, como a crise da COVID está a demonstrar.”

Foto: DR.

Altice Portugal expande portefólio de serviços disponíveis para clientes MEO a um novo setor de atividade

Julho 11, 2020 em Atualidade, Concelho, Economia, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A Altice Portugal tem assumido a diversificação de portefólio, de produtos e serviços, como um dos seus principais eixos de atuação. Seja no segmento de consumo, seja no segmento empresarial, a Empresa tem vindo a diversificar a oferta junto dos seus clientes, com a aposta em novos ramos de atividade e de negócio.



Centrando a sua atuação nas pessoas e para as pessoas, aliando uma constante preocupação de sustentabilidade e proximidade junto das famílias, da comunidade e da sociedade em geral, a Altice Portugal tem vindo a investir em áreas de negócio que vão muito além do seu core – as comunicações eletrónicas –, como disso é exemplo a aposta na área dos seguros (para equipamentos), dos serviços financeiros, do outsourcing, com a entrada de uma nova operação em Portugal através da Intelcia, ou ainda da bilhética, com a compra, por parte da Altice Portugal, de 51% da Blueticket.

Ontem, num movimento disruptivo e inédito para uma empresa do setor das comunicações eletrónicas, a Altice Portugal anunciou a expansão do portefólio disponível para clientes MEO para um novo setor de atividade: o setor da Energia. Enquadrada na estratégia de diversificação do portefólio e novos negócios, foi lançado o MEO Energia, através da PT Live, parceira da Altice Portugal, num tarifário que junta energia, exclusivamente produzida a partir de fontes 100% renováveis, e benefícios de comunicações.

Atualmente disponível para novos e atuais clientes MEO de pacotes de comunicações com telemóveis associados residentes em Portugal Continental (a oferta não está disponível nas Regiões Autónomas uma vez que o setor da eletricidade não está liberalizado nestas Regiões), o piloto MEO Energia teve início a 2 de outubro de 2019 e os ótimos resultados alcançados demonstraram existir uma apetência no mercado pela oferta que hoje é disponibilizada.

O MEO Energia é um tarifário bastante competitivo no mercado, preocupando-se com os gastos dos clientes. Assim, os clientes MEO têm um conjunto de vantagens e benefícios associados, nomeadamente: permite poupar enquanto ajuda o ambiente, porque a energia é 100% verde, duplicando a NET dos telemóveis dos clientes MEO.

“Assente em cinco pilares estratégicos – proximidade, investimento, inovação, qualidade de serviço com foco no cliente e responsabilidade social –, a atuação da Altice Portugal tem vindo a contribuir para o desenvolvimento do País, apoiando e assumindo um papel central nos mais diversos desafios que Portugal tem vindo a enfrentar. Numa altura em que é urgente sensibilizar as populações para as questões das alterações climáticas do planeta, a vertente da sustentabilidade transforma-se também numa filosofia para a Altice Portugal, acompanhando toda a sua atuação e incorporando-a oportunamente nas diferentes áreas onde atua”, refere a companhia em nota.

“Numa altura em que o País se encontra em pleno contexto da COVID-19, a Altice Portugal continua a investir, não apenas no seu setor de atividade, mas ainda em novos negócios e áreas de atuação. Mais do que um projeto empresarial, este é um projeto sustentável que pretende apoiar e dar um forte contributo na defesa do que nos rodeia, dando respostas a problemas com os quais o planeta neste momento se depara. Campanha «Liga-te a uma nova energia»”, continua.

“No seguimento do novo posicionamento institucional do MEO, recentemente apresentado, a principal marca do segmento de consumo da Altice Portugal dá um passo firme na materialização do seu reposicionamento, através da sua associação ao setor da energia e, em concreto, com o lançamento da campanha de comunicação mass media que pretende dar a conhecer o MEO Energia.

Este é mais um passo que deixa claro o caminho de inovação e vanguarda da Altice Portugal, assim como da sólida atuação do MEO em torno do eixo da sustentabilidade, com um foco muito claro na melhoria da qualidade de serviço e da experiência de consumidor, no espaço da sua casa”, conclui.

Sob o mote «Liga-te a uma nova energia», a nova campanha do MEO dá continuidade à nova linha de comunicação MEO, recorrendo à participação dos seus Embaixadores (Carolina Deslandes, Chakall, Frederico Morais, Jéssica Silva e Miguel Oliveira), através de um conceito claramente diferenciado pelo dinamismo, cores e energia inerentes. Esta campanha de comunicação multimeios será veiculada nos meios habituais – TV, exterior, imprensa e digital – e vai estar no ar a partir de hoje, 10 de julho.

Fonte e imagens: ALTICE PORTUGAL.

Gil Vicente FC “conquista” Guimarães e a manutenção

Julho 10, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Vitória por 1-2 com golos gilistas nos descontos

Os Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, recebeu a partida Vitória SC – Gil Vicente FC, a contar para a 31ª jornada da Liga NOS.



Com arbitragem de Vítor Ferreira (AF Braga), coadjuvado por Pedro Fernandes e Paulo Miranda, com Manuel Mota (AF Braga), o jogo contou com os seguintes alinhamentos:

Vitória SC – Douglas, Hanin, Suliman, Frederico Venâncio, Sacko, Poha (PêPê, 85’), Mikel Agu, André André (André Almeida, 85’), Ola John (Davidson, 67’), Edwards (Ouattara, 78’) e Bruno Duarte (João Pedro, 78’). No banco ficaram Jhonatan, Pedro Henrique, Víctor García e Abouchakaba.

Gil Vicente FC – Denis, Alex Pinto (Vítor Carvalho, 76’), Rodrigo, Ygor Nogueira, Edwin Vente, João Afonso (Kraev, 76’), Soares, Rúben Ribeiro, Baraye (Ahmed Isaiah, 64’), Lourency (Samuel Lino, 64’) e Hugo Vieira (Claude Gonçalves, 97’). No banco ficaram Bruno e Fernando Fonseca.

Jogo de sensações fortes, com vimaranenses na luta pela Europa e com gilistas pela permanência. Saíram os “Galos” a ganhar.

O intervalo chegou com 0-0 e só a segunda parte trouxe sumo para o jogo. Aos 63’, os da casa abriram o marcador, por Bruno Duarte. Boa penetração de Edwards à linha, cruzamento para a pequena área e brasileiro a limitar-se a empurrar para a baliza.

Vítor Oliveira mexeu na equipa, refrescou unidades, primeiro, e, depois, apostou no ataque, tirando jogadores de teor mais defensivo e trocando-os por mais ofensivos. Quando se pensava que o 1-0 iria ser o resultado final, os gilistas marcaram. Aos 93’, recuperação de bola na defensiva, metida em Soares que faz um grande passe longo, de rutura. De início, parecia que a defensiva vimaranense iria controlar o lance, mas Sacko facilitou, Rúben Ribeiro acreditou e, ainda de longe, rematou para a baliza, fazendo o 1-1. Aos 97’, o treinador gilista troca Hugo Vieira por Claude Gonçalves, para “queimar” tempo e dar solidez ao meio-campo, dando a entender que o empate já servia para os intentos. Mas as redes ainda mexeriam e seria as da baliza dos da casa. Aos 99’ (?), recuperação de bola ainda no meio-campo defensivo, com apenas dois gilistas a levarem a bola. Entra um terceiro na joga para o passe de rutura para a linha, de onde sai cruzamento recuado para a área. Mais uma vez, a defensiva da casa parecia ter a bola controlada, mas Kraev não acredito nisso, apertou e roubou a bola, virou-se para a baliza e, ainda de ângulo apertado, marcou o golo da vitória gilista e da confirmação da tão ansiada permanência.

Com a vitória, o Gil Vicente FC alcança os 39 pontos. Na próxima jornada, dia 14, pelas 21h30, recebe o CD Tondela.

“Galo Net Fun”: Angariar donativos para o GASC é o objetivo desta atividade virtual

Julho 10, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A “Galo Net Fun” é uma atividade virtual organizada pelos Amigos da Montanha que junta a animação e o desporto a uma vertente solidária.



A festa online será a 18 de julho. O objetivo é solidário e aos participantes são propostos desafios para cumprirem durante a maratona. Os donativos angariados através da inscrição na atividade, que pode ser realizada no site dos Amigos da Montanha, irão reverter na íntegra para a Cantina Social do GASC (Barcelos) e para o seu trabalho de apoio a famílias carenciadas. O valor alcançado será entregue pelos Amigos da Montanha ao GASC em géneros alimentares.

Correr, caminhar, saltar à corda, fazer ginástica, dançar são algumas das propostas, mas os participantes podem delinear as suas próprias sugestões e desafios. O objetivo é que, em casa, na rua, no jardim, desde que cumprindo todas as normas das autoridades de saúde, a partir das 21h30 do dia 18 de julho, os participantes comecem a praticar desporto e a cumprir os desafios, fazendo a festa. Para isso, são convidados a colocar um cenário ou uma indumentária especial, a colocar luzes e música, tornando o espaço onde estão a participar num verdadeiro local de animação.

A atividade tem, ainda, uma vertente ambiental. Nessa área, o desafio é pegar no telemóvel e fotografar o maior número de espécies. Podem ser plantas, flores, répteis, insetos. Vale tudo para identificar espécies no território. De seguida é só colocar a foto numa na aplicação iNaturalist e as descobertas ficam registadas e categorizadas. Nesta vertente, o desafio já começou e pode ser feito todos os dias até 18 de julho.

As inscrições podem ser feitas em www.amigosdamontanha.com e não existe um valor fixo. Cada participante poderá contribuir com o donativo que pretender.

A soma do contributo de todos será fundamental para ajudar muitas pessoas.

As receitas da atividade irão reverter na íntegra para a Cantina Social do GASC (Barcelos) que neste momento difícil que estamos a atravessar tem um papel fundamental na ajuda a muitas famílias carenciadas, sendo o valor angariado entregue pelos Amigos da Montanha ao GASC em géneros alimentares.

Fonte e imagens: AM.

Exposição coletiva de pintura inaugura hoje na Galeria Municipal de Arte

Julho 10, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A Galeria Municipal de Arte abre, hoje, 10 de julho, a exposição de pintura “Doze D’Arte”, um coletivo de 12 pintores que se foram conhecendo através de diversas exposições individuais e coletivas de cada um dos seus elementos.



A exposição é inaugurada às 17h00 e, devido às restrições em termos de ocupação de espaços fechados, a mesma contará apenas com a presença da curadora da exposição, Isabel Patim, de três artistas e da Vereadora da Cultura, Armandina Saleiro.

A abertura ao público acontece no dia 11 de julho, das 14h00 às 18h00 com a presença de artistas e visitas orientadas mediante inscrição.

Esta exposição mostra obras de pintores de norte a sul do país: Ana Camilo, Carlos Godinho, Carlos Saramago, Dila Moniz, Luiz Morgadinho, Martinho Lima, Miguel Silva, Mutes, Paulo Sanches, Polen, Raf Cruz e Vitor Zapa. A curadoria fica a cargo de Isabel Patim.

Fonte e imagem: CMB.

Estamos com 36 pontos e quase a garantir a manutenção

Julho 10, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Lucy Santos

Olá a todos os leitores do BnH.

Domingo, recebemos o Rio Ave e ficaram cá os 3 pontos merecidos, perante um adversário bastante difícil.



O Rio Ave foi a primeira equipa a criar perigo aos 13 minutos, mas logo a seguir, o Gil Vicente respondeu com uma jogada de Lourency para Rúben Ribeiro. Este remate foi afastado para canto.

Algumas situações de perigo do Rio Ave, mas, aos 37 minutos, foi a vez de Sandro Lima tentar o remate, mas sem sucesso.

Aos 39 minutos, foi o cabeceamento de Rodrigo que deu origem ao único golo da partida, num canto batido por Rúben Ribeiro.

Quase em cima do intervalo, numa boa jogada de Lourency, finalizou para Sandro Lima, mas este não chegou a tempo de rematar, indo para intervalo a vencer por 1-0.

Aos 54 minutos, o capitão Rúben Fernandes viu ser-lhe mostrado o segundo amarelo por falta sobre Taremi e ficámos reduzidos a dez unidades.

Com isto, tivemos que recuar para tentar organizar o jogo e defender o resultado.

Nesta segunda parte, o árbitro assinalou grande penalidade a favor do Rio Ave por suposta falta de Lourency sobre Gelson Dala. Após indicação do VAR, e depois do árbitro ter ido ver as imagens, anulou o penalty e o consequente cartão amarelo que tinha sido mostrado ao nosso jogador.

O Rio Ave continuou a tentar o empate, mas o Gil Vicente, aos 90 minutos, quase que matava o jogo, através de um remate de Lino, na área, cruzado, com a bola a sair perto do poste.

Foi um jogo difícil, perante um adversário difícil, mas deste lado estava um Gil Vicente organizado, com atitude, a pressionar o adversário.

Neste momento, estamos com 36 pontos e quase a garantir a manutenção.

Hoje, vamos a Guimarães defrontar o Vitória para mais uma final.

Antes do jogo com o Rio Ave, várias dezenas de adeptos receberam os jogadores quase à chegada do Estádio com aplausos e gritos de apoio.

Talvez tivesse sido este o momento extra que levou a equipa à vitória? Não sabemos. Sei, sim, que os adeptos são a peça fundamental num estádio e se não podemos lá estar, podemos, pelo menos, fazer chegar o nosso apoio à equipa.

Como? Com mensagens.

Somos Barcelos 💖

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Ir Para Cima