Arquivo de Categorias

Mundo - page 273

Gil Vicente: Vítor Tormena lança jogo frente ao Famalicão

Abril 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Pelas 16h00 deste sábado, o Estádio Municipal 22 de Junho recebe, a contar para a 32ª jornada da Ledman LigaPro, o jogo FC Famalicão-Gil Vicente FC.



O central brasileiro do Gil Vicente, Vítor Tormena, analisou o momento atual da equipa, o jogo frente ao Famalicão e a sua adaptação a Portugal e ao Gil Vicente.

Tormena salientou que a equipa está mais confiante, fruto dos resultados, nomeadamente, da vitória no último jogo, frente ao um dos líderes e candidato à subida, o Penafiel. “Uma vitória como esta, em casa, contra uma boa equipa como a deles, só dá confiança a todos. Conseguimos uma coisa que era muito esperada, que era sair da zona de despromoção e agora só pretendemos melhorar, ficar o mais longe possível. Esse é o objetivo de todos”, salientou.

Tal como em conferências anteriores, quer ao treinador, quer a outros colegas de equipa, Vítor Tormena também foi questionado sobre se haveria mais e novas etapas a conquistar pela equipa gilista. “Nós pretendemos, independentemente de o jogo ser em casa ou ser fora, respeitando o adversário, entrar nos jogos para somar pontos. Pensando sempre no próximo jogo. O melhor possível que pudermos ficar, longe da zona de despromoção, para nós é perfeito”, afirmou.

Sobre o adversário deste jogo, o central gilista salientou que trabalharam e estudaram muito bem o Famalicão, ao longo da semana de trabalho, para saberem os seus pontos fortes e pontos fracos. “Sabemos que é uma equipa boa, que na 2ª Liga não há jogos fáceis, independentemente do jogo ser fora ou em casa. Nós conquistámos, no último jogo, uma coisa muito importante, que foi sair da zona de despromoção. Isso deu-nos mais ‘gás’. Nós vamos lá para discutir o jogo, de igual para igual, e procurar a vitória”, ressalvou.

Vítor Tormena está a gosta da sua experiência em Portugal e no Gil Vicente. “Tenho gostado. Pensei que ia demorar a adaptar-me mas em um mês já estava adaptado”, ele que elogiou o grupo de trabalho, a equipa técnica e a administração, a quem só tem a agradecer “por tudo”.

Com a melhoria nos resultados e na tabela classificativa, nota-se, igualmente, uma melhoria no rendimento da equipa, com a chegada desta nova equipa técnica. Tormena salienta que a chegada deste novo treinador, e restante equipa técnica, trouxe a confiança que havia dentro de cada um dos jogadores. “Sabíamos que o grupo tinha qualidades mas estavam todos meio desmotivados pela falta de ganhar jogos. Ele chegou e conseguiu tirar isso de cada atleta, de uma forma diferente. Em união, juntos, abraçámos a ideia e estamos a ir bem”, disse.

Por fim, Vítor Tormena lançou um apelo aos adeptos para que se mobilizem e se desloquem a Famalicão para apoiar a equipa. “Eu gostaria de chamar todos os adeptos para assistir ao jogo, para nos acompanhar nesta fase final, e importante, do campeonato. E uma coisa posso garantir, independentemente se ganharmos ou perdermos, nós vamos correr até ao último minuto em busca dessa vitória e vamos tentar sair de lá com os três pontos”, terminou.

Despacito, ou…

Abril 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Devagar, devagar, devagarinho, se preferirem a versão do “seu” Jorge. É assim que o Glorioso tem feito o seu percurso ascendente ao longo desta época. É verdade que ainda ninguém ganhou nada. Mas neste momento o Benfica só depende de si. Já era assim quando estava em segundo lugar, pois bastava que ganhasse ao Porto, em casa. Agora, temos a vida mais facilitada.



A verdade é que num campeonato nestes moldes, ganha a equipa que fizer mais pontos e, portanto, a mais regular. E este Benfica, contra ventos e marés, lá tem andado pelo seu pé e chegou onde se pretendia. Diga-se o que se disser, desde muito cedo se percebeu que havia uma campanha dragartiana que visava derrotar o Benfica e impedi-lo de chegar ao penta. Ao Porto interessa manter o posto de único clube a ser “penta”. Ao Sporting, e em particular ao seu presidente, a única coisa que importa é que o Benfica perca. Ora, se a estratégia do Porto foi mais inteligente, arranjando um “peão” para fazer o trabalhinho e poupando a imagem do padrinho, do lado do Sporting vimos um presidente cheio de “ganas” mas inexperiente, que deu o peito às balas e acabou por fazer vítimas apenas no seu “quintal”.

Assim, e uma vez mais (e inclusivamente para minha surpresa), o meu querido Benfica lá se foi reinventando todas as semanas, sobrevivendo a escândalos semanais de e-mails e toupeiras, e sem se deixar abalar por nada, está, a poucas jornadas do fim, em primeiro lugar e a depender exclusivamente de si para ser campeão. Se isto não é “à Benfica”, então não sei o que o é…

Será cedo para começar a pedir o #38 ?

Quero ser penta!

Viva o Benfica!

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

[NDR: Infelizmente, por motivos pessoais, o “representante das cores portistas”, Vítor Sá Pereira, não escreveu o seu habitual artigo semanal. O Barcelos na Hora aproveita o ensejo, e este espaço, para lhe endereçar um forte abraço e demonstrar-lhe solidariedade neste seu momento de perda pessoal e familiar. Força, Vítor!]

Por culpa própria!

Abril 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Eis que quando podíamos (Sporting Clube de Portugal) reentrar (por completo) na luta pelo título, voltamos a perder! Mais uma oportunidade desperdiçada e assim torna-se mesmo impossível sermos Campeões Nacionais, esta época!



Sabíamos, de antemão, da importância deste jogo, pois “entrava-se” na fase de todas as decisões. Ainda era possível o título, (esta jornada veio demonstrar isso mesmo, com o anterior líder FC Porto a continuar a perder “gás”) mas era imprescindível não se perder mais pontos!

Jogámos a 28ª jornada num “terreno” complicado (Estádio AXA), contra uma das melhores equipas do Campeonato (SC Braga).

Início de jogo prometedor do meu Sporting Clube de Portugal! Primeiros 25 minutos de jogo em que dominámos, exercemos pressão alta, mostrámo-nos mais acutilantes e condicionámos a construção do ataque do SC Braga. Infelizmente, foi um domínio inconsequente, não traduzido em golos. Apesar do domínio territorial, praticamente não tivemos uma hipótese séria de marcar! (não apenas neste período que dominámos por completo, mas durante todo o encontro) Com o “correr” do tempo, fomos perdendo consistência e o controlo do jogo! O SC Braga esteve em crescendo ao longo do jogo e acabou por, já na parte final, marcar o golo da vitória, (SC Braga 1-0 Sporting Clube de Portugal) justa na minha opinião!

Depois de correr mal, criticar é fácil, sempre o disse!

Mas como sócio, simpatizante e adepto Leonino, tenho o direito de esperar mais e melhor da equipa de Futebol, do meu Sporting Clube de Portugal! (temos o plantel mais caro das últimas épocas e o treinador mais caro de todos os tempos)

Tenho, também, o direito à minha opinião e acho que a permanente desculpabilização do insucesso, incutida pelo treinador, é, a meu ver, uma das principais razões da pouca correspondência entre investimento avultado e sucesso desportivo. O vento, os árbitros, a relva, a sobrecarga de jogos, as lesões, tudo tem servido para, antecipadamente, justificar os fracassos. E digo antecipadamente, por ser verdade, e para que melhor se compreenda o erro crasso em que temos vindo a “laborar”. Em vez de se preparar uma equipa para a vitória, comunicam-se, previamente, razões para um eventual insucesso. E continuamos com aquele discurso de que estamos a fazer melhor do que no antigamente!

Para mim, estamos sim, é em contraciclo!

Reconheço que quando Bruno de Carvalho e Jorge Jesus chegaram ao Sporting Clube de Portugal, inequivocamente melhorámos! E reconheço também que, na primeira época com o Jesus ao “leme”, foi a nossa melhor época a jogar futebol, dos últimos tempos! Fomos de longe a melhor equipa do Campeonato (mesmo não termos sido Campeões Nacionais) nessa primeira época com Jesus! Também por isso, acho que estamos em contraciclo! Reconheço que começámos muito bem com Jesus, só que fomos piorando de época para época, mesmo tendo sido esta época a que mais investimos!

Parece-me que se está a fechar o ciclo de Jesus no meu Sporting Clube de Portugal! Não lhe tiro o mérito, como bom treinador que é, mas o seu ciclo no Sporting inverteu-se e eu já não o vejo com a mesma garra, o mesmo querer, a mesma determinação, com que chegou ao meu Sporting Clube de Portugal!

No mercado de inverno, as contratações de Wendel, Misic, Lumor, Montero e Rúben Ribeiro, (gastando-se mais 14,5 milhões para sermos sérios candidatos aos títulos) que foram pouco, ou quase nada, utilizados, só veio comprovar que, infelizmente, algo já ia mal na “gestão” do futebol do meu Sporting Clube de Portugal!

Já não sinto os jogadores com Jesus! São erros atrás de erros, faltas de concentração constantes, falhanços incríveis, tal como na última derrota em Madrid, contra o Atlético, por 2-0! Vejo um Jesus resignado e já sem vontade no meu Sporting, de se “ressuscitar”!

Tal como reconheci que Bruno de Carvalho, quando chegou a Presidente do Sporting Clube de Portugal, nos tornámos mais fortes, mais coesos, com mais garra, mais querer em conquistar títulos, hoje sinto que é preciso “pararmos” para refletir o caminho que estamos, novamente, a seguir e com o qual já não me identifico!

Erradamente, já “olhamos” demasiado a “casa do vizinho”, desviamo-nos do mais importante, que é o nosso caminho! A nossa “casa”, a nossa equipa, o nosso Clube, o nosso Sporting Clube de Portugal!

Nunca percebi aquela “necessidade” de reconhecimento por parte do nosso Presidente, ainda para mais antes de um jogo tão importante, em que éramos líderes à condição e que acabámos por sofrer as consequências, perdendo justamente contra o último classificado (Estoril) do Campeonato! Aí, foi o princípio do nosso fim, esta época!

Lá está, por culpa própria!

Nas modalidades, esta semana não vou destacar nenhuma em concreto! Mas a todas lhes “tiro o chapéu”, por mais um ano que está a ser notável a todos os níveis!

A História do Sporting Clube de Portugal nas modalidades é feita da superação de Homens e Mulheres (Carlos Lopes, Fernando Mamede, Joaquim Agostinho, Ramalhete, Patrícia Mamona, Carla Sacramento, Sara Moreira, entre muitos outros).

Superação esta que vem ao encontro do nível de exigência que nós, sócios, adeptos e simpatizantes temos com quem defende as cores do nosso grandioso Sporting Clube de Portugal, com Esforço, Dedicação, Devoção e Glória! E quando assim é, quando há esse “compromisso” de princípio ao fim, não é preciso exigir títulos, eles simplesmente surgem com naturalidade!

Quanto ao nosso Gil Vicente, regresso às vitórias, no Cidade de Barcelos, 2-1, contra o Penafiel (candidato à subida de divisão). Consequente “saída” da zona de despromoção! Bom prenúncio para a manutenção! Eu Acredito na manutenção! Força Gil!

O nosso OCB já sabe que é em Lleida (Espanha) que vai “patinar” pela conquista do TRI na Taça CERS! Eu acredito no Tri! Força “Maior de Portugal”!

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

[NDR: Infelizmente, por motivos pessoais, o “representante das cores portistas”, Vítor Sá Pereira, não escreveu o seu habitual artigo semanal. O Barcelos na Hora aproveita o ensejo, e este espaço, para lhe endereçar um forte abraço e demonstrar-lhe solidariedade neste seu momento de perda pessoal e familiar. Força, Vítor!]

Mais Juventude, de Alvelos, organiza ida a Lisboa para participação nas Cerimónias do 25 de Abril

Abril 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

A convite do deputado Joel Sá, natural de Alvelos, a Mais Juventude organiza uma ida a Lisboa, com vista à participação nas Cerimónias do 25 de Abril e uma visita ao Palácio de São Bento.



A partida está marcada para as 5h00, com a chegada de volta a Alvelos apontada para as 20h00. O custo consta do cartaz.

As inscrições são limitadas, até 19 de abril, e poderão ser efetuadas através dos contactos 96 671 9026, ou 91 974 4073 e/ou pelo e-mail maisjuventudealvelos@gmail.com.

Imagem: MJ.

Pedro Ribeiro (Gil Vicente) lança jogo frente ao Famalicão: “Estamos a caminhar com passos seguros”

Abril 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O treinador do Gil Vicente FC, Pedro Ribeiro, abordou em conferência de imprensa o momento atual da equipa gilista mas lançou, igualmente, o jogo do próximo sábado, a contar para a 32ª jornada da Ledman LigaPro, em casa do Famalicão, com o início marcado para as 16h00.



O treinador gilista começou por abordar a semana de trabalho e o próximo jogo, referindo que correu de forma positiva e a equipa está a trabalhar muito bem. “Os resultados dão-nos essa alegria e essa positividade mas estamos a encarar este jogo como os seis anteriores, com espírito positivo e a querer ir disputar os três pontos”, salientou. Na sua ótica, este será um “dérbi” da zona, bem disputado, onde se acrescentará a questão da rivalidade, da proximidade geográfica e a história entre os dois clubes. “Estamos otimistas para aquilo que vamos fazer no sábado, respeitando o nosso adversário”, disse o técnico gilista.

Sobre esse mesmo adversário, o FC Famalicão, Pedro Ribeiro referiu tratar-se de uma equipa competente e que mudou de treinador há dez jornadas atrás, “desde que mudou de treinador, em casa, em quatro jogos não perdeu. Mesmo com o anterior treinador têm apenas três derrotas em casa desde o início da época”, avisou. Por isso, será sempre um adversário difícil, que na parte inicial da época andou em zona de luta pela subida, tem mais dez pontos do que o Gil Vicente, está estável na tabela classificativa. É uma equipa “bem orientada, com bom treinador, bons jogadores. Respeitamos muito os nossos adversários, respeitamos muito o Famalicão mas estamos é preocupados connosco, com a identidade da nossa equipa, com o crescimento que a equipa está a ter, com a nossa ideia de jogo, que de jogo para jogo está a progredir, com a confiança que, de jogo para jogo, vamos ganhando e estamos cada vez mais fortes e queremos continuar a disputar jogos, queremos continuar a lutar pelos três pontos, queremos conquistá-los em Famalicão, nos outros seis jogos que irão faltar a seguir a este. A nossa equipa é ambiciosa mas é, também, humilde ao ponto de saber que do outro lado está uma equipa competente, com as ambições deles. Vamos respeitá-los mas vamos querer impor o nosso jogo”, salientou Pedro Ribeiro, que sente que a equipa está no caminho certo. E por falar em ambição, a equipa ambiciona fazer algo que ainda não conseguiu, vencer dois jogos consecutivamente, sendo esta mais uma das etapas que pretende completar, para subir na classificação. “Ainda não estamos satisfeitos com o lugar onde estamos. Saímos da zona de despromoção, não queremos lá voltar, queremos caminhar para cima”, ressalvou Pedro Ribeiro. “A confiança e crescimento da equipa são notórios e reflete-se na qualidade de jogo. A confiança surge com os resultados positivos”, afiançou.

O trabalho semanal, quer de uma equipa técnica, quer dos jogadores, não passa apenas pelas questões técnicas, táticas e físicas mas, também, pelas psicológicas. “Somos homens e a questão mental, a motivação intrínseca é determinante para o sucesso da equipa. Ser treinador não é apenas escolher jogadores mas prepará-los a todos os níveis, técnico, tático, mental, de motivação, de confiança. Tudo isso é uma preocupação diária”, salientou.

Pedro Ribeiro abordou, igualmente, uma outra ambição da equipa: vencer fora um jogo sem ser contra equipas B. Questionado sobre as palavras de Jonathan Rubio, que na semana passada, antes do jogo ante o Penafiel, falava em surpresa para os adeptos, o treinador gilista afirmou que, para ele, a surpresa é “estarmos em condições porque se nos sentirmos confiantes para isso, nós estamos em condições de disputarmos os três pontos em todos os jogos. No final, vamos somar os pontos e vamos ver em que posição estamos. Não vou estar a determinar uma posição onde queremos chegar. Estamos fora da zona de despromoção, não queremos voltar a entrar. E respeitando a nossa ambição, queremos caminhar para cima. Até onde é possível? Veremos no final da época. A surpresa poderá ser por aí”, afirmou.

Pedro Ribeiro deixou, igualmente, um apelo aos adeptos, para que acompanhem a equipa até Famalicão, por ser um dérbi, por ser a uma curta distância de Barcelos. “Queremos tê-los em Famalicão. A equipa precisa do apoio dos adeptos. Sentimo-nos muito mais confortáveis olhando para a bancada e sentindo que temos gente a apoiar-nos, tal como têm feito em casa. Sinceramente, acho que o grupo merece esse apoio, por tudo o que têm dado em campo”, salientou.

Por fim, o técnico gilista foi questionado sobre o porquê de ter aceite treinar o Gil Vicente, principalmente, tendo em conta que seria a sua primeira experiência enquanto treinador principal e, igualmente, tendo em conta a posição menos boa da equipa na tabela. “Todos nos movemos por motivações e eu entendi que o percurso de treinador-adjunto tinha chegado ao fim. Foi um percurso de que eu gostei muito, onde aprendi muito, do qual guardo amizades verdadeiras. Mas foi um percurso que terminou e estava na altura de eu próprio me desafiar a outro tipo de projectos, outro tipo de lutas. Naturalmente, depois de trabalhar como treinador-adjunto com treinadores de referência, em clubes referência, queria desafiar-me a mim próprio como treinador principal e, para isso, decidi aceitar este desafio e, felizmente, que o fiz porque o clube onde estou dá-me todas as condições para iniciar a minha carreira de treinador, para procurar o sucesso, como é óbvio, que a minha motivação o exige. Estou super satisfeito com toda a gente do clube, com a forma como tenho sido tratado e penso que não poderia ter escolhido melhor para iniciar a minha carreira de treinador”, terminou.

Race Nature 2018 arranca amanhã e com participação de Nuno Castro, da ACR Roriz

Abril 5, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

As terras de Mondim de Basto recebem, a partir de amanhã e até domingo, mais uma edição do Troféu Race Nature, que contará com a presença de Nuno Castro, atleta de BTT da ACR RORIZ SEISSA | KTM-BIKESEVEN | MATIAS&ARAÚJO | FRULACT.



Este Troféu é constituído por três provas de BTT, cada uma composta por três dias, com um prólogo e duas etapas. Realizam-se em orientação GPS e decorrem por entre caminhos rurais e trilhos das regiões. A primeira decorre em Mondim de Basto, a segunda em Vieira do Minho (entre 20 e 22 de julho) e a terceira em Sabugal (entre 14 e 16 de setembro).

Relativamente à primeira, a prova inicia amanhã, pelas 16h00, com um prólogo de 6km no centro de Mondim de Basto. No sábado, a 1ª etapa terá 80km de dificuldade elevada, pelos trilhos do Monte da Sra. da Graça. Por fim, no domingo, é a vez da 2ª etapa, considerada a “etapa rainha”, com um total de 70km.

Imagem: ACRR.

Capítulo 10 – Colesterol: uma ampla visão

Abril 4, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Sara Barbosa

O colesterol é produzido em grande parte (70%) pelo fígado e está presente em todas as células do corpo (os restantes 30% provêm da alimentação). Em quantidades normais, é fundamental, uma vez que possui as mais variadas funções: participa nos sais biliares (importantes para a digestão das gorduras), na constituição das hormonas sexuais, intervém na constituição das membranas das células, é indispensável à metabolização de vitaminas como a A, D, E e K, entre outras.



As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade e morbilidade em todo o mundo, incluindo Portugal. Quando se fala em luta contra estas doenças, surge-nos logo no pensamento o colesterol. É verdade que, em excesso, este conduz a problemas como a aterosclerose, tal como refere a Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), uma vez que se vai depositando nas artérias, obstruindo-as. Contudo, acerca deste tema têm surgido teorias muito contraditórias, pois ainda existem muitas incertezas a nível de informação científica.

Para diminuir os valores de colesterol é aconselhado a implementação de um estilo de vida saudável, o controlo do peso, a cessação tabágica e a redução da ingestão de sal. Contudo em certos casos (como pessoas que sofrem de hipercolesterolemia familiar, uma doença genética que se traduz em valores elevados de colesterol) estas medidas terão de ser complementadas (e reforço a palavra “complementadas”) com tratamento farmacológico.

Um dos fármacos mais recomendados para o tratamento das dislipidemias, como está expresso nas Normas de Orientação Clínica da Direção-Geral da Saúde, são as estatinas. Estes fármacos atuam bloqueando, no fígado, a enzima responsável pela produção do colesterol, essencial para a nossa sobrevivência, de forma a baixar o colesterol total e o colesterol LDL (conhecido como “mau” colesterol).

Contudo, como qualquer medicamento, as estatinas têm efeitos ditos secundários. Se tem colesterol elevado opte primeiramente por modificar o seu comportamento alimentar e por fazer exercício físico regularmente. E, não se esqueça de consumir gorduras boas para a saúde, como o abacate, peixes gordos, frutos secos e azeite, de forma a melhorar a razão entre o ómega 3 e o ómega 6.

Por: Sara Barbosa*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Recolha de sangue e medula óssea em Roriz

Abril 4, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 8 de abril, entre as 9h00 e as 12h30, realiza-se uma recolha de sangue e medula óssea. A mesma terá lugar no edifício da Junta de Freguesia de Roriz, sendo organizada pela Barcelos Solidário – Benemérita Associação Humanitária dos Dadores de Sangue do Concelho de Barcelos.



Esta recolha tem o apoio da Junta de Freguesia de Roriz, da paróquia rorizense e do Instituto Português do Sangue e da Transplantação.

Imagem: BS.

Pedro Silva e ACR Roriz conquistam Volta a Loulé em juniores

Abril 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Entre 29 e 31 de março, o concelho de Loulé (Algarve) recebeu a XXIV Volta ao Concelho de Loulé, que contou com a participação de 21 equipas, sendo três de Espanha e uma da França. Entre elas, encontrava-se a barcelense ARC RORIZ SEISSA | KTM-BIKESEVEN | MATIAS&ARAÚJO | FRULACT, que escreveu mais uma bela página na sua história, ao conquistar, individual e coletivamente, esta grande competição ciclística, composta por quatro etapas (três em linha e um contrarrelógio por equipas).



O barcelense Pedro Silva entrou, assim, para a história da competição, ao sagrar-se o grande vencedor da classificação geral individual (Camisola Amarela), com o tempo de 06:53:19, deixando o segundo classificado, António Ferreira (Vito – Feirense), a 13s e, na terceira posição, João Macedo (Sicasal – Bombarralense), a 24s. Ainda na classificação geral individual, destaque para os excelentes resultados dos atletas da ACR Roriz, com Hélder Gonçalves a ser 4º classificado, com o mesmo tempo do terceiro classificado, João Carvalho 5º, a 31s, e ainda dentro do Top-10, Rafael Torres ficou na 9ª posição, a 38s. João Rocha foi 36º classificado, a 3:58, Flávio Fernandes terminou na 75ª posição, a 28:25, e Manuel Barbosa foi 78º, a 29:51.

Por ser júnior de primeiro ano, Pedro Silva conquistou, também, a Camisola Branca referente ao líder da juventude, sendo que nesta classificação destaca-se, igualmente, o 3º lugar de João Carvalho. Ainda na Juventude, Flávio Fernandes e Manuel Barbosa foram 25º e 26º, respetivamente.

A competição iniciou-se no dia 29 de março, com uma etapa de 59km de extensão, distância essa que não foi suficiente para fazer grandes diferenças entre os principias atletas no pelotão, que chegou ao centro de Loulé compacto. No sprint final, Pedro Silva e Hélder Gonçalves foram os melhores posicionados da equipa rorizense, na 8ª e 18ª posição, respetivamente, a 1s do vencedor.

A segunda etapa, com 81.3km, foi disputada num ritmo alucinante, fracionando o pelotão em vários grupos. Hélder Gonçalves e João Rocha estiveram na principal fuga do dia, tendo o primeiro vencido com distinção os dois prémios de Montanha de 1ª categoria, tornando-se assim líder da Classificação da Montanha e, portanto, vestindo a Camisola Azul no final da 3ª etapa. Ultrapassadas essas dificuldades, o pelotão alcançou os fugitivos e aí surgiram novos ataques de vários atletas, tendo-se isolado o sub-23 Pedro Rodriguez (Valverde Team) na frente da corrida. Já a escassos 3km do final, Pedro Silva conseguiu isolar-se numa posição intermédia, com mais dois atletas, formando-se um trio perseguidor ao ciclista espanhol. A tentativa de fazer a ponte para a frente da corrida saiu infrutífera. Contudo, Pedro Silva foi o mais forte do trio e cortou a linha de meta na segunda posição. Em virtude de o atleta espanhol ser da categoria Sub-23, não contou para as contas finais, tendo Pedro Silva, dessa forma, conquistado o 1º lugar e, por consequência, a liderança da competição e a respetiva Camisola Amarela. Ainda nesta etapa, destaca-se João Carvalho (9º), Hélder Gonçalves (10º) e Rafael Torres (15º), que chegaram no grupo seguinte, a 22s do vencedor Pedro Silva. Ainda nas contas desta etapa, João Rocha foi 26º, Manuel Barbosa 50º e Flávio Fernandes 80º.

Ainda no mesmo dia, a prova contou com um Contrarrelógio por Equipas, na Pista Bexiga Peres, com a distância de 4km (10 Voltas). Foi já na penumbra da noite e a conhecer os tempos de todas as equipas, que a formação de Roriz partiu para a sua prova, realizando um tempo de 5:24, menos 4s que as equipas da Bairrada e Bombarral, segunda e terceira classificadas nesta etapa. Este resultado cimentou, ainda mais, a liderança de Pedro Silva na classificação geral.

Chegava-se, assim, à derradeira etapa rainha, com a Camisola Amarela (Pedro Silva), a da Juventude (João Carvalho) e da Montanha (Hélder Gonçalves) envergadas pela ACR Roriz, bem como a liderança da classificação coletiva, tendo os jovens ciclistas pela frente uns exigentes 115km, com um desnível de 2400 d+, com quatro contagens de montanha, sendo duas em Barranco do Velho e uma em Tor, de 1ª categoria e que viria a ser decisiva. Foi com grande coesão que a equipa rorizense entrou para esta etapa, que muito cedo foi atacada pelos adversários, formando-se, após várias tentativas, uma fuga de três atletas, entre os quais Guilherme Mota (Alcobaça), o 2º classificado na Montanha e que foi amealhando os prémios de montanha necessários para passar para a primeira posição, ultrapassando, assim, Hélder Gonçalves nessa classificação. Este último ficou junto de Pedro Silva, efetuando um trabalho excecional, tal como os seus colegas, no controlo da etapa. A fuga só viria a ser alcançada a escassos 10 km do final, após um excelente trabalho de equipa e já após a última grande dificuldade de Tor. Foi nesse momento que os atletas da ACR Roriz mostraram o seu poderio na montanha e isolaram-se na frente da corrida, com cerca de 12 atletas, onde estavam alguns dos principais favoritos à geral e o camisola Amarela, o camisola Azul, João Carvalho, que vestia de branco, e Rafael Torres.



Este grupo restrito viria a disputar a vitória da etapa entre si, tendo Pedro Silva feito 3º no sprint final, Hélder Gonçalves chegou na 5ª posição, a 3s, e ainda dentro do Top-10, João Carvalho. A 10s chegou Rafael Torres, na 18ª posição, João Rocha foi 46º, Flávio Fernandes 84º e Manuel Barbosa 105º.

As excelentes prestações da equipa barcelense resultaram na vitória da competição e, igualmente, na juventude, sendo pelo segundo ano consecutivo, a grande vencedora da Classificação Coletiva, ficando no segundo lugar a equipa da Vito – Feirense e na terceira posição a equipa do BTT-Loulé BPI.

Fonte: ACRR.

Fotos: DR / Tomás Mota / Carlos Viegas.

 

Quatro Alunos do Conservatório de Música de Barcelos premiados em Concurso Internacional de Música

Abril 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Quatro alunos do Conservatório de Música de Barcelos (CMB) foram premiados no Concurso Internacional de Música Cidade de Almada nos instrumentos de Guitarra e Canto. Este Concurso, que já vai na sua 8ª edição e que nasceu para colmatar uma lacuna ao nível de concursos de guitarra na região Centro e Vale do Tejo, foi alargado aos instrumentos de Canto e Piano e tem vindo a destacar-se pela sua qualidade, por ser um concurso aberto a alunos de qualquer nacionalidade.



O júri era constituído por elementos de reconhecido mérito artístico nacional e internacional. Em Guitarra, Jesús Pineda, Nuno Santos, Paula Marques, Pedro Rufino e Rui Nabais, e em Canto, Ana Paula Russo, José Corvelo, Mariana Ferreira, Susana Teixeira e André Cunha Leal.

Foi atribuído no instrumento de Guitarra o 3.º Prémio do Nível III (até 14 anos) a Vânia Silva, aluna do Curso Básico de Música do CMB em regime articulado com a Escola EB2,3 Rosa Ramalho, 2.º Prémio do Nível IV (até 16 anos) ao aluno João Carvalho e o 1.º Prémio do Nível V (até 18 anos) ao aluno Diogo Carlos, alunos do Curso Secundário de Música do CMB, da classe do Prof. Francisco Gomes. Relativamente ao Canto, a aluna Cláudia Pereira, a frequentar o Curso Secundário de Canto no CMB, da classe da Profª. Maria João Gonçalves, obteve o 1.º Prémio do Nível Elementar (até aos 15 anos).

Em nota, o CMB “congratula-se por mais este reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos professores com os seus alunos, por um Concurso cada vez mais prestigiado e que tem ganho dimensão com a sua inclusão no Festival de Música Cidade de Almada”.

Estes resultados vieram abrilhantar mais uma semana de intensa atividade musical desenvolvida no Conservatório de Música de Barcelos, o qual promoveu a realização das Masterclasses de Instrumentos de Cordas, de Instrumentos de Sopro e Percussão, ministradas por mestres de grandíssima qualidade e de reconhecimento internacional, como a Profª. Maria Macedo (violoncelo) Profª. Marta Eufrázio (violino), Prof. Jorge Alves (viola d’arco) Prof. F. Pertzbon (contrabaixo), Prof. Telmo Barbosa (trompete), Prof. R. Erculiani (fagote) e Prof. R. Petinga (Percussão), os quais se prontificaram, com maior satisfação, a virem trabalhar durante estes dias com cerca de 140 alunos, maioritariamente do CMB.

As Masterclasses de Instrumentos de Cordas culminaram com um Concerto de Encerramento, no dia 29 de março, onde foi visível nos alunos e professores a intensidade das experiências vividas ao longo da semana, manifestada na vontade de repetir numa nova oportunidade.

Fonte e foto: CMB.

Ir Para Cima