Estudantes do Ensino Superior exigem medidas ao Governo devido à pandemia COVID-19

Junho 2, 2020 Atualidade, Concelho, Educação, Mundo, Política

Quarentena Académica apresenta reivindicações

Amanhã, dia 4 de junho, a plataforma Quarentena Académica organiza um protesto nacional, com presença em frente à reitoria da Universidade do Minho, “contra a inação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior no combate à crise social e económica que a comunidade estudantil atravessa devido à pandemia da COVID-19”, refere em nota.



Uma comitiva da Quarentena Académica entregará, dia 4 de junho, às 11h00, ao Conselho de Ministros todas as queixas remetidas à plataforma até à data, exigindo respostas concretas, para assuntos como: propinas, taxas e emolumentos, alojamento estudantil, regras claras para aulas à distância e avaliações, combate ao excesso de trabalho e burnout, ação social direta, mais apoio psicológico.

Ao mesmo tempo que a comitiva nacional estará à porta do conselho de ministros, vários grupos de estudantes em cada Instituição de Ensino Superior farão o mesmo, mostrando o seu apoio ao grupo presente no conselho de ministros. “As várias ações – a nível nacional e local – cumprirão todas as normas recomendadas pela Direção Geral da Saúde, nomeadamente, uso de máscara e distanciamento social”, salienta a Plataforma.

A Quarentena Académica é uma plataforma de apoio a Estudantes para a crise atual, feita por estudantes para estudantes. O seu principal objetivo é criar um sistema solidário de entreajuda. Nesse sentido, tem vindo a monitorizar virtualmente um conjunto de pedidos e queixas que lhes chegam por parte dos estudantes do Ensino Superior, Secundário e Profissional em Portugal, durante o período de e-learning, face à pandemia da COVID-19. “É nosso objetivo conseguir colaborar e encontrar as melhores soluções para todos, que não se coloque o trabalho dos docentes em causa e que se faça com que as Instituições do Ensino Superior sejam promotoras de mecanismos de solidariedade num tempo difícil e extraordinário como este que vivemos”, conclui.

Foto: DR.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima