Gil Vicente eliminado da Taça de Portugal com golo de Drogba

Setembro 25, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto

Não, caro leitor. Não falamos de Didier Drogba, astro costa-marfinense que joga, atualmente, na equipa Phoenix Rising, dos EUA. Estamos a falar de Drogba Camará, o “herói” do Moura, que com o seu golo contribuiu para eliminar os gilistas.



Ontem, “houve taça” e o Gil Vicente “caiu” aos pés do Moura, do Campeonato de Portugal. O jogo realizou-se no Estádio do Moura Atlético Clube, em Moura, e foi arbitrado por André Narciso (AF Setúbal).

A equipa da casa, treinada por Rui Maside, alinhou com Igor Landim, Paul Moussinga, Tó Miguel, Bruno Torres (Bruno Jesus, 81’), Drogba Camará, Lucas, Mamadi Baldé, Walter (Hanifi, 68’), Bruno Gomes, Pedro Almeida, Botuly (Miguel Lopes, 46’). No banco ficaram Gilson Lima, Ricardo Machado, Rafa Santos e João Tavira.

Os gilistas alinharam com Júlio Neiva, Gonçalo Duarte (Rui Miguel, 46’), Luiz Eduardo, Reko, Valdeir (Fall, 66’), João Pedro (James Igbekeme, 55’), Rafael Batatinha, Vítor Tormena, Camara, Luís Tinoco e André Fontes. No banco ficaram Rafa, Rui Faria, Tiger e Jonathan Rubio.

No campo da disciplina, o árbitro de Setúbal mostrou cartão amarelo a Walter (42’), Bruno Gomes (66’), Vítor Tormena (82’) e Rui Miguel (87’).

O jogo ficou marcado pelo golo, aos 26 minutos, do guineense Drogba Camará, num cabeceamento que bateu o guardião gilista Júlio Neiva. Na segunda parte, os comandados de Jorge Casquilha “massacraram” o Moura mas sem conseguirem obter qualquer golo, levando à eliminação, surpreendente e prematura, da turma de Barcelos.

No final, e em declarações citadas pelo jornal O Jogo, o técnico gilista mostrou o seu desagrado com o rendimento dos jogadores e pediu desculpa aos sócios e adeptos gilistas. “Quero fazer um pedido de desculpa aos nossos adeptos e sócios pelo comportamento que hoje tivemos em Moura. Não tivemos um comportamento em que defendemos a 100 por cento a camisola e quando isso acontece estamos mais perto de perder e foi isso que aconteceu», lamentou Casquilha.

Comparando a atitude de ambas as equipas, o treinador do Gil Vicente salientou que “jogámos contra uma equipa que quis tudo, que deu a vida pelo jogo, nós não demos, e acabámos por ter um dissabor, que não estava nos nossos planos, mas temos de encarar isso e retificar, porque claramente não estávamos à espera deste resultado”.

Quanto ao rendimento dos seus jogadores, Jorge Casquilha avançou que “o grande problema não foi o que o Moura fez, mas sim o que nós não fizemos e fico mais triste pelo comportamento da maior parte dos atletas, ainda para mais quando fizemos oito mexidas do último jogo para o de hoje, demos oportunidade a oito jogadores e dos oito só um ou dois é que aproveitaram essa oportunidade, todos os outros passaram ao lado do jogo. Reclamam durante a semana que merecem jogar, mas quando jogam não dizem presente. Falharam.”

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima