Krisis…e pluribus unum

Outubro 5, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Hugo Pinto

Num clube que tem como lema e pluribus unum, expressão do latim que significa algo como “o primeiro entre outros”, vive agora uma situação cuja designação aprendemos do grego: Krysis (κρίσις). Crise. Pelo menos, crise de resultados. Todos concordaremos. Crise, também diretiva, dirão outros. Facto é que as coisas não vão bem para os lados da Luz.



Depois de uma assembleia geral de sócios que não correu da melhor forma, com ânimos exaltados e “cadeiras voadoras”, bem como insultos e demais agressões à mistura, um resultado na Madeira a confirmar o que já sabíamos. Os resultados financeiros melhoram pelo oitavo ano consecutivo, mas no plano desportivo as coisas têm vindo a piorar.

Desde a saída do Jorge Jesus, o futebol do SLB perdeu brilho. Perdeu, nas palavras do ex-treinador do Benfica, “nota artística”. Com o Rui Vitória assistimos a um sucedâneo de “tiki-taka”, sem brilho, morno e sem grande emoção. É certo que ganhou dois campeonatos nos dois primeiros anos do clube. Mas, como já li escrito por um outro alguém, falta saber até que ponto o SLB (e Rui Vitória) beneficiou do legado do trabalho do Jorge Jesus. Sendo que, é verdade, este deve ser um dos mais fracos “onzes” do Benfica, dos últimos oito anos, a par da época 2010/2011, quando as saídas de Di María e Ramires não foram devidamente compensadas. Resultado? Campeonato perdido…Oxalá lá para finais de abril ou meados de maio, eu esteja a “engolir” estas palavras e esteja a escrever frases de júbilo e regozijo.

Mas para já, enquanto adepto benfiquista, aponto o dedo, sobretudo, à péssima preparação do plantel para esta época e a um treinador que é bom, mas não é fabuloso, tal qual o Benfica merece e necessita.

Sendo que Krisis também era usado como sinónimo de mudança, desenvolvimento ou “crescimento”, pelos Gregos da antiguidade, espero que também o Benfica se reorganize, evolua e cresça. Espero que deixemos os nomes comuns do grego, para voltarmos às expressões do Latim. Deixo aqui uma para o LFV e para o RV:

fortuna juvat audaces”; Virgílio, Eneida, X, 284

Termino com uma breve referência ao regresso às vitórias por parte do nosso Gil, frente ao Vitória B, com uma exibição bem conseguida. Que seja para continuar…

Por: Hugo Pinto* (Professor)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima