Livre

Abril 27, 2019 Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião
Joana Martins

Corro livremente

Em campos de girassóis

Voo sem asas

Em bando com rouxinóis.

.

Danço descalça

Mergulho no som da chuva

O meu olhar alcança

O sabor de bago de uva.

.

Livre,

No pensamento.

Livre,

No ser.

Livre!

.

E o meu corpo quer descansar

Mas eu quero sair de mim

Será loucura não parar?

Será tão louco assim?

.

Não quero ficar enclausurada

Presa aos sonhos por cumprir

Sinto-me apaixonada

Por o que ainda está por vir…

.

O horizonte me abraça

As nuvens deixam o sol passar

Fazem uma aliança

Com um nó por desatar.

.

Desata o nó

Tenta fugir

Não tenhas dó

Só fica o que não tem de vir…

.

Livre

Dos medos

Das ilusões

Dos segredos

Das desilusões.

.

Deitada em lençóis de cetim

Deixo cair as armas

Da luta que travo

Para me libertar de mim.

.

Ser livre é:

Pintar o teu mundo

Vestir do ser

Do querer

E ser quem te apetecer.

.

Ser livre

É um modo meio maluco de ser…

.

Gosto muito!

E tu?

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Até para o ano…

Não, caros leitores…não nos estamos a despedir de vós! Com o surgimento
Ir Para Cima