O Gil Vicente precisa de uma cidade unida

Novembro 1, 2019 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Lucy Santos

O campeonato está de volta!

Depois de uma curta (?!?) paragem de 2 semanas (para mim, bastante tempo), voltam, novamente, as emoções da Primeira Liga!



O Gil Vicente deslocou-se a Penafiel para o jogo da Taça de Portugal. Dos dias cinzentos reza a história do Gil Vicente. Começámos da melhor maneira esta volta à competição, com uma vitoria sobre o Penafiel. Como sabem, há sempre deslocações disponíveis para assistir aos jogos do clube da nossa terra. Nesta deslocação, foram apenas algumas pessoas, debaixo de um tempo não muito agradável. Mas trouxemos na bagagem a passagem à próxima eliminatória que, por sinal…já posso adiantar que nos calhou o SC Braga. Entrámos bem no jogo e apontámos o primeiro golo de grande penalidade, marcado por Sandro Lima, aos 36 minutos. Numa jogada individual de Claude, viríamos a marcar o segundo golo, que fechava, assim, o marcador deste jogo. Rúben Fernandes, Claude e Lourency regressaram à titularidade e logo nos primeiros tempos davam favoritismo à nossa equipa.

Foi um bom jogo, em que estivemos sempre por cima e viria a dar um novo alento à equipa para os próximos jogos que se aproximavam.

No sábado seguinte, recebemos, em casa, o Portimonense e fechámos o marcador com um empate. Na primeira parte, poucas ocasiões de golo para ambas as partes e um jogo bastante morno. O Portimonense abriu o marcador e o Sandro Lima empatou, de grande penalidade.

Na segunda parte, a pouca qualidade de jogo que se viu na primeira parte repetiu-se.

Quarta-feira, a meio da semana, em horário pouco convencional, jogava-se em Famalicão, às 21h. O pessoal de Barcelos alinhou e foi, mais uma vez, apoiar a equipa ao estádio, apesar do mau tempo que se fazia sentir.

O Famalicão abria o marcador aos 22 minutos.

O Gil Vicente entrou melhor na partida e até se podia ter adiantado a marcar. Mas quem não marca…sofre! Aos 80 minutos, o Famalicão marcou, sem grandes oportunidades para isso, e de tanto que o Gil tentou que aos 91 minutos, Sandro Lima fez o golo, que não chegou para trazer pontos para Barcelos.

A mesma nota de atenção que dei nas crónicas atrás, sobre Fábio Veríssimo volto a fazer!

Grande penalidade por marcar a favor do Gil Vicente e aos olhos de todos, e quem tinha de marcar, e quem tinha de ver, não marcou! No “calor do jogo”, Vítor Oliveira proferiu palavras ao árbitro, que deu direito a um cartão vermelho, ficando, assim, a assistir ao jogo nas bancadas!

O Gil Vicente continua sem ganhar desde a primeira jornada e os tempos adivinham-se difíceis, já que o treinador diz ter agendado uma reunião com a direção para decidir a sua continuidade no clube.

Nós, adeptos, precisamos, cada vez mais, de nos unir e mostrar que Barcelos e o Gil Vicente andam de mãos dadas.

O próximo jogo é já este domingo contra o Marítimo, que vem de um empate com o FC Porto.

Quem foi ao jogo com o Famalicão e tiver o bilhete na sua posse, tem acesso livre ao jogo de domingo.

O que o Gil Vicente precisa? De uma cidade unida!

Até domingo!

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima