O “Leão da Franqueira” está de volta!

Agosto 18, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
José Costa

Retomando os comentários ao desempenho do nosso Sporting Clube de Portugal, os sentimentos são ambíguos. Na pré-época, os resultados foram repartidos entre vitórias e derrotas, acabando por vencer o jogo de apresentação frente ao Mónaco, por 2-1, e o jogo do Troféu Cinco Violinos, frente à Fiorentina, com uma vitória por 1-0. Com muitas entradas e muitas saídas, se bem que por agora se mantêm as principais figuras, o que se nota claramente é falta de “fio de jogo”.



Vai-se salvando a “honra do convento” com duas vitórias no início do campeonato da 1ª Liga, com uma vitória clara sobre o CD da Aves, por 2-0, mas com algumas dificuldades. Dificuldades essas que foram acrescidas frente ao Vitória de Setúbal, com um jogo sofrível, acabando por conseguir garantir uma vitória pela margem mínima.

Já no que às competições europeias diz respeito, o Sporting, frente ao Steaua de Bucareste, apesar de muito esforço em chegar à baliza adversária, a equipa não conseguiu, esta terça-feira, a tão desejada vitória em casa. Segundo Jorge Jesus, não se cumpriu um dos dois objetivos do jogo: um era não sofrer golos e esse foi conseguido, o outro, que não foi conseguido, e portanto falhou, foi marcar ao adversário, segundo ele – “J.J.” – “o único senão que eu tenho para a minha equipa, é não ter feito golos, o resto foi tudo muito bom”…Esperemos que com um futebol “muito bom” não tenhamos que sofrer e, consequentemente, torna-se obrigatório ir a Bucareste, na quarta-feira da próxima semana, marcar o tão desejado golo. Será esta uma prova de fogo para a equipa, achando eu que este objetivo tem, obrigatoriamente, que ser cumprido, caso contrário, já não é a equipa – Sporting Clube de Portugal – que fica mal, mas sim a sua equipa técnica liderada por Jorge Jesus, que não terá muitas alternativas de sobreviver, caso fique tão cedo pelo caminho na Liga dos Campeões. Não se adivinha vida fácil para os Leões. A ver vamos, aguardemos que os próximos desafios possam apresentar mais segurança e melhor desempenho, para bem dos nossos anseios nas competições internas, mas também nas competições europeias.

Agora uma referência ao nosso Gil Vicente, que iniciou muito bem, desde logo no jogo de apresentação, frente à equipa principal do F. C. Porto, que apesar de não ter vencido, deixando que o troféu “Caixa Agrícola” tenha ido para o Dragão, teve melhor desempenho no primeiro jogo da 2ª Liga, frente ao F. C. Porto B, aí já com uma vitória justíssima. Já em casa, na segunda jornada, apesar de ter apresentado boa qualidade técnica e jogado o suficiente para justificar uma vitória, infelizmente a sorte não esteve do nosso lado e na primeira incursão à baliza do Gil Vicente, o Cova da Piedade marcou. E como se tal não fosse suficiente, iniciámos a segunda parte a sofrer um penálti, que condicionou bastante a equipa, que não conseguiu ir além de uma derrota por 1-2.

Os próximos tempos, apesar de ainda estarmos no início das competições, são cruciais para afirmar um espírito vencedor e que permita, desde já, amealhar pontos que poderão ser fundamentais na disputa dos lugares cimeiros. E que a qualidade de jogo permita a continuidade na disputa do maior número de competições e/ou troféus.

Por: José Costa*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima