O que a criminologia pode fazer por si em 2020?

Dezembro 30, 2019 Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião
Iara Brito

Pergunta o leitor se a criminologia só se torna útil agora. Não, na verdade, a génese da Criminologia remonta já ao Séc. XVIII com a Escola Clássica.



Apesar disso, a criminologia como ciência não tem servido o cidadão no seu pleno, por muitas questões. Desde logo, pela dificuldade em desmistificar a ideia que criminologia é CSI. Depois, por questões legislativas e educacionais, em que se tinha dúvidas acerca de onde a Criminologia se “encaixaria”.

Durante 2019, a evolução foi notória. Iniciou-se o ano com a discussão em Assembleia da República daquilo que viria ser a profissionalização da criminologia. Em setembro é publicada a Lei 70/2019 que, finalmente, vem reconhecer as competências daqueles que dedicaram 4 anos da sua vida (3 nas universidades privadas e Universidade do Minho) ao estudo de uma ciência e a instruir-se a como contribuir para o desenvolvimento social.

Assim, o último artigo deste ano vem partilhar alguns aspetos em que a Criminologia lhe pode ser útil.

Famílias: mediação, elaboração de planos de segurança (para si e para os seus bens), atendimento e acompanhamento especializado a vítimas de crime, consultoria, intervenção em dependências/adições, pareceres científicos e periciais…

Escolas: prevenção de delinquência juvenil, prevenção e reação a temáticas como Bullying, violência no namoro, violência contra professores…

Empresas: gestão de riscos, prevenção de perdas, planeamento de segurança no espaço físico, gestão de equipas, resolução de conflitos, formações aos colaboradores…

Município: apoio à gestão do município, aconselhamento, mapas de hotspots criminais, realização de estudos científicos, propostas de políticas municipais…

A Criminologia tem muito a oferecer. Mas, é crucial que o cidadão saiba a quem recorrer para resolver um problema ou até preveni-lo, já que esse é o melhor remédio. Se permanece com dúvidas, fico ao dispor para as esclarecer. Se conhece um/a criminólogo/a não hesite em procurá-lo, pois terá a solução que precisa.

Termino por lhe desejar um excelente ano, preenchido com alegrias e bons momentos. E sempre em segurança!

Por: Iara Brito* (Criminóloga).

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Soco no estômago!

Olá a todos os leitores do BnH! Esta crónica vai custar um
Ir Para Cima