Óquei de Barcelos dá luta mas sai derrotado do Pavilhão da Luz

Dezembro 2, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

Em jogo disputado hoje, para a 7ª jornada do campeonato nacional da 1ª divisão de hóquei em patins, no Pavilhão da Luz, em Lisboa, o Óquei Clube de Barcelos (OCB) vendeu por “cara” a derrota, em mais um jogo onde os barcelenses saem com queixas das decisões da arbitragem, que neste jogo ficou a cargo de Paulo Almeida (AP Aveiro) e de Sílvia Coelho (AP Braga).



Pedro Nunes fez alinhar o Benfica com Pedro Henriques, Valter Neves, Diogo Rafael, Carlos Nicolia e Jordi Adroher. Como opções no banco tinha João Rodrigues, Tiago Rafael, Miguel Rocha, Vieirinha e Guillem Trabal.

Já Paulo Pereira, treinador do OCB, apresentou Ricardo Silva, Juan López, Zé Pedro, João Almeida e Joca Guimarães. Como opções, tinha Pedro Silva, Hugo Costa, Afonso Lima, Marinho e André Almeida.

Como referido, o Benfica sentiu muitas dificuldades para levar de vencida o bravo conjunto de Barcelos. Aliás, logo aos 2 minutos de jogo, o espanho Juan López colocava o OCB na frente do marcador, situação que conseguiu levar para o intervalo.

Após o reatamento, o Benfica comete a 10ª falta, aos 4 minutos, mas Zé Pedro falha a conversão do livre direto. No entanto, quem não falhou, e logo no minuto seguinte, foi o espanhol Adroher, que na marcação de um livre direto, pela 10ª falta do OCB, igualou o marcador a 1 golo.

O Benfica continuava a ser mais faltoso e atingiu a 15ª falta aos 14 minutos. Desta feita, foi Juan López quem não logrou concretizar o livre direto. Incrivelmente, novamente apenas 1 minuto depois – tal como acontecera aquando do primeiro golo do Benfica – Marinho é admoestado com um cartão azul, levando Nicolia para a marcação do correspondente livre direto. O argentino não se viu rogado e colocou os da casa na frente do marcador, por 2-1.

Aos 20 minutos é a vez do OCB alcançar a 15ª falta, “dando” nova oportunidade a Nicolia de converter um livre direto, que poria o Benfica com uma vantagem mais alargada. No entanto, isso não aconteceu e o resultado ficou pautado pela diferença mínima de um golo. Apenas 2 minutos depois, Zé Pedro teve uma excelente oportunidade de igualar o marcador mas não conseguiu converter uma grande-penalidade.

O jogo ia “aquecendo” e Ricardo Silva, guardião do OCB, foi admoestado com um cartão azul, por volta de meados do minuto 24. Esta era mais uma oportunidade para os da casa distanciarem-se no marcador mas Adroher tornou a falhar e o resultado ficou inalterado até ao fim: vitória do Benfica por 2-1 sobre um OCB que deu muita luta e fez “suar” os de Lisboa.

Na próxima jornada, a 8ª, o OCB tem novo “teste de fogo” frente ao campeão em título FC Porto. O jogo será a 13 de dezembro, com início marcado para as 21h30, no Pavilhão Municipal de Barcelos.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Imagina

Imagina, O dia sem sol A noite sem lua O querer sem
Ir Para Cima