Óquei de Barcelos empata a 4 com HC Braga, em jogo polémico

Janeiro 4, 2020 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

Jogo esteve interrompido por falta de segurança

Disputou-se, hoje, o HC Braga – Óquei Clube de Barcelos (OCB), a contar para a 12ª jornada, jogo realizado no Pavilhão das Goladas, em Braga.



Com arbitragem de Joaquim Pinto e Pedro Silva (AP Porto), o jogo contou com os seguintes alinhamentos:

HC Braga – Constantino Acevedo, Ângelo Fernandes, Pedro Delgado, Joca Guimarães e Danilo Rampulla (cinco inicial); Gabriel Costa, Juanjo López, António Trabulo, Carlos Loureiro e Afonso Lima (banco inicial); Rui Neto (treinador).

OCB – Ricardo Silva, Zé Pedro, Ezequiel Mena, Luís Querido e Alvarinho (cinco inicial); Joka, Gonçalo Meira, Gonçalo Nunes, Miguel Rocha e Franco Ferruccio (banco inicial); Paulo Pereira (treinador).

Este foi um jogo polémico, que iniciou sem forças policiais a garantirem a segurança dos espetadores, tendo apenas cinco seguranças. Durante a primeira parte tudo foi decorrendo dentro dos limites aceitáveis. O OCB marcou primeiro, pelo capitão Zé Pedro, aos 9’. Os homens da casa não se viram rogados e marcaram três golos de uma assentada: 1-1 por Rampulla, aos 13’, de livre direto; 2-1 por Juanjo, aos 15’; e 3-1 por Trabulo, aos 18’. Os barcelenses reagiram e reduziram o prejuízo, ainda aos 18’, por Miguel Rocha, e aos 20’, Mena, num livre direto, conseguiu empatar o jogo a 3. Por causa deste azul dos bracarenses, mostrado a Juanjo, houve protestos, sendo amarelados Rui Neto e Carlos Loureiro. No último minuto, Trabulo recolocou os da casa na frente do marcador, a 4-3, resultado com que se fechou a primeira parte, sem que antes o “caldo entornasse de novo”, com Rui Neto a ser admoestado com azul e os guarda-redes suplentes de ambas as equipas a serem expulsos.

No reatamento, as equipas entraram com menos um jogador, sendo que essa penalização durou mais para os locais por causa do vermelho e do azul. Ainda não tinha terminado o primeiro minuto e já o OCB chegava às 10 faltas, mas Fernandes não concretizou o livre direto. Aos 4’, foi a vez do HC Braga alcançar as 10 faltas, com Mena a falhar o livre. Por esta altura, começaram os problemas na bancada, com os adeptos da casa a cuspirem a equipa de arbitragem, entre insultos e ameaças. Depois, iniciaram os desacatos nas bancadas. Os árbitros interromperam o jogo, solicitando policiamento para garantia da segurança. O jogo esteve muito tempo parado. Quando reiniciou, aos 16’, os da casa chegaram às 15 faltas, mas Miguel Rocha não conseguiu aproveitar o livre direto, acontecendo o mesmo a Rampulla, no minuto seguinte, igualmente pelas 15 faltas do OCB. O resultado ficou fechado aos 20’, quando Alvarinho apontou o golo do empate, fazendo o 4-4 final.

Este resultado colocou o OCB provisoriamente isolado na frente do campeonato, com um ponto de avanço sobre Benfica, Sporting e Oliveirense. Na próxima jornada, a 22 de janeiro, recebe o SL Benfica. Pelo meio, a 11 de janeiro, há os 32 avos de final da Taça de Portugal, com o OCB a visitar o recinto do HC Santa Cruz.

Fotos: André Miranda.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Soco no estômago!

Olá a todos os leitores do BnH! Esta crónica vai custar um
Ir Para Cima