Pai

Março 21, 2018 Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião
Joana Martins

Gostava de ser o reflexo

De tudo o que foste:

A bondade,

O carinho,

O colo,

A proteção.

A saudade de Ti, dói.

Quando estava doente estavas lá,

Fosse dor de dentes,

Gripe ou dor de garganta,

Sei lá…

Tu estavas lá!

Queria ter Te dado

O abraço que não dei,

A palavra que não te disse,

O beijo de despedida

Que o tempo me roubou.

A porta de saída

Que se abriu

Para um adeus que magoou.

Se pudesse recuar no tempo,

Apenas por um momento

E que os olhos falassem por mim

O amor que sentia, e sinto

Por Ti, meu melhor amigo.

Um pedaço de mim foi Contigo

A outra parte, quer ser como Foste.

Para que o meu filho possa dizer:

A minha Mãe foi a melhor!

Guardo-a com amor

Num lugar muito especial

Onde poucos têm entrada,

No coração de um filho(a).

Um amor incondicional

Por alguém eterno

Que tempo algum apaga.

 

SAUDADES E ORGULHO DE SI, PAI ❤

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima