Por culpa própria!

Abril 6, 2018 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Eis que quando podíamos (Sporting Clube de Portugal) reentrar (por completo) na luta pelo título, voltamos a perder! Mais uma oportunidade desperdiçada e assim torna-se mesmo impossível sermos Campeões Nacionais, esta época!



Sabíamos, de antemão, da importância deste jogo, pois “entrava-se” na fase de todas as decisões. Ainda era possível o título, (esta jornada veio demonstrar isso mesmo, com o anterior líder FC Porto a continuar a perder “gás”) mas era imprescindível não se perder mais pontos!

Jogámos a 28ª jornada num “terreno” complicado (Estádio AXA), contra uma das melhores equipas do Campeonato (SC Braga).

Início de jogo prometedor do meu Sporting Clube de Portugal! Primeiros 25 minutos de jogo em que dominámos, exercemos pressão alta, mostrámo-nos mais acutilantes e condicionámos a construção do ataque do SC Braga. Infelizmente, foi um domínio inconsequente, não traduzido em golos. Apesar do domínio territorial, praticamente não tivemos uma hipótese séria de marcar! (não apenas neste período que dominámos por completo, mas durante todo o encontro) Com o “correr” do tempo, fomos perdendo consistência e o controlo do jogo! O SC Braga esteve em crescendo ao longo do jogo e acabou por, já na parte final, marcar o golo da vitória, (SC Braga 1-0 Sporting Clube de Portugal) justa na minha opinião!

Depois de correr mal, criticar é fácil, sempre o disse!

Mas como sócio, simpatizante e adepto Leonino, tenho o direito de esperar mais e melhor da equipa de Futebol, do meu Sporting Clube de Portugal! (temos o plantel mais caro das últimas épocas e o treinador mais caro de todos os tempos)

Tenho, também, o direito à minha opinião e acho que a permanente desculpabilização do insucesso, incutida pelo treinador, é, a meu ver, uma das principais razões da pouca correspondência entre investimento avultado e sucesso desportivo. O vento, os árbitros, a relva, a sobrecarga de jogos, as lesões, tudo tem servido para, antecipadamente, justificar os fracassos. E digo antecipadamente, por ser verdade, e para que melhor se compreenda o erro crasso em que temos vindo a “laborar”. Em vez de se preparar uma equipa para a vitória, comunicam-se, previamente, razões para um eventual insucesso. E continuamos com aquele discurso de que estamos a fazer melhor do que no antigamente!

Para mim, estamos sim, é em contraciclo!

Reconheço que quando Bruno de Carvalho e Jorge Jesus chegaram ao Sporting Clube de Portugal, inequivocamente melhorámos! E reconheço também que, na primeira época com o Jesus ao “leme”, foi a nossa melhor época a jogar futebol, dos últimos tempos! Fomos de longe a melhor equipa do Campeonato (mesmo não termos sido Campeões Nacionais) nessa primeira época com Jesus! Também por isso, acho que estamos em contraciclo! Reconheço que começámos muito bem com Jesus, só que fomos piorando de época para época, mesmo tendo sido esta época a que mais investimos!

Parece-me que se está a fechar o ciclo de Jesus no meu Sporting Clube de Portugal! Não lhe tiro o mérito, como bom treinador que é, mas o seu ciclo no Sporting inverteu-se e eu já não o vejo com a mesma garra, o mesmo querer, a mesma determinação, com que chegou ao meu Sporting Clube de Portugal!

No mercado de inverno, as contratações de Wendel, Misic, Lumor, Montero e Rúben Ribeiro, (gastando-se mais 14,5 milhões para sermos sérios candidatos aos títulos) que foram pouco, ou quase nada, utilizados, só veio comprovar que, infelizmente, algo já ia mal na “gestão” do futebol do meu Sporting Clube de Portugal!

Já não sinto os jogadores com Jesus! São erros atrás de erros, faltas de concentração constantes, falhanços incríveis, tal como na última derrota em Madrid, contra o Atlético, por 2-0! Vejo um Jesus resignado e já sem vontade no meu Sporting, de se “ressuscitar”!

Tal como reconheci que Bruno de Carvalho, quando chegou a Presidente do Sporting Clube de Portugal, nos tornámos mais fortes, mais coesos, com mais garra, mais querer em conquistar títulos, hoje sinto que é preciso “pararmos” para refletir o caminho que estamos, novamente, a seguir e com o qual já não me identifico!

Erradamente, já “olhamos” demasiado a “casa do vizinho”, desviamo-nos do mais importante, que é o nosso caminho! A nossa “casa”, a nossa equipa, o nosso Clube, o nosso Sporting Clube de Portugal!

Nunca percebi aquela “necessidade” de reconhecimento por parte do nosso Presidente, ainda para mais antes de um jogo tão importante, em que éramos líderes à condição e que acabámos por sofrer as consequências, perdendo justamente contra o último classificado (Estoril) do Campeonato! Aí, foi o princípio do nosso fim, esta época!

Lá está, por culpa própria!

Nas modalidades, esta semana não vou destacar nenhuma em concreto! Mas a todas lhes “tiro o chapéu”, por mais um ano que está a ser notável a todos os níveis!

A História do Sporting Clube de Portugal nas modalidades é feita da superação de Homens e Mulheres (Carlos Lopes, Fernando Mamede, Joaquim Agostinho, Ramalhete, Patrícia Mamona, Carla Sacramento, Sara Moreira, entre muitos outros).

Superação esta que vem ao encontro do nível de exigência que nós, sócios, adeptos e simpatizantes temos com quem defende as cores do nosso grandioso Sporting Clube de Portugal, com Esforço, Dedicação, Devoção e Glória! E quando assim é, quando há esse “compromisso” de princípio ao fim, não é preciso exigir títulos, eles simplesmente surgem com naturalidade!

Quanto ao nosso Gil Vicente, regresso às vitórias, no Cidade de Barcelos, 2-1, contra o Penafiel (candidato à subida de divisão). Consequente “saída” da zona de despromoção! Bom prenúncio para a manutenção! Eu Acredito na manutenção! Força Gil!

O nosso OCB já sabe que é em Lleida (Espanha) que vai “patinar” pela conquista do TRI na Taça CERS! Eu acredito no Tri! Força “Maior de Portugal”!

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

[NDR: Infelizmente, por motivos pessoais, o “representante das cores portistas”, Vítor Sá Pereira, não escreveu o seu habitual artigo semanal. O Barcelos na Hora aproveita o ensejo, e este espaço, para lhe endereçar um forte abraço e demonstrar-lhe solidariedade neste seu momento de perda pessoal e familiar. Força, Vítor!]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

O princípio do fim

O princípio do fim… como era no princípio. O princípio do fim

Vamos ao Jamor

Bem-haja, caros leitores do BnH! Quando presumia que toda a controvérsia que
Ir Para Cima