Portugal, com o barcelense Hugo Pinheiro, termina Mundial de Futebol Adaptado no 12º lugar

Setembro 22, 2017 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo

“Fizemos o nosso melhor. Obrigado a todos pelo apoio!”



É com estas palavras que o barcelense Hugo Pinheiro, de Bastuço São João, nos mostrou o seu estado de espírito, deixando o seu testemunho a este jornal, através do seu (nosso) amigo, Miguel Bastos.

A Seleção Portuguesa de Futebol Adaptado, que contou, como referido, com a prestação do barcelense Hugo Pinheiro, não conseguiu, infelizmente, alcançar os seus objetivos, que passavam por terminar o Mundial de San Luís, na Argentina, pelo menos no 9º lugar.

Ao longo da prova, Portugal apenas conseguiu um triunfo sobre o Canadá por 1-0. Desde muito cedo, o barcelense Hugo Pinheiro e os seus colegas sentiram inúmeras dificuldades.

Hugo Pinheiro (em pé, com o nº 3)

O sorteio da fase de grupos não foi o melhor, com a presença de três das melhores equipas do mundo, Rússia, Irão e a seleção da casa, a Argentina. Como resultado disso, Portugal averbou 3 derrotas em 3 jogos, mas obrigando essas seleções a “puxarem pelo estatuto” para vencerem.

Após a fase de grupos, Portugal jogou para o 9º ao 12º, mas a única vitória que conseguiu na prova, sobre o Canadá, foi insuficiente para alcançar o objetivo traçado.

Todo este trajeto de Portugal não desanimou o barcelense Hugo Pinheiro que, apesar de tudo, considera que foi uma experiência que enriqueceu tudo e todos. Eis o que o Hugo nos contou, nas suas próprias palavras:

“Lutámos com as armas que tivemos. Nunca virámos a cara a nenhum jogo. Neste tipo de provas, a diferença existe entre seleções, nomeadamente, a nível de treinos e apoios. Não conseguimos o nosso objetivo, que era o 9º lugar. Uma fase de grupos muito complicada em que estavam três das cinco melhores equipas do mundo. Perdemos os 3 jogos, mas com a Argentina foi um pouco injusto, em que o árbitro não expulsa um jogador quando estava com o cartão na mão e quando viu que tinha amarelo, não o expulsou.

Contra a Rússia e contra o Irão só com um milagre sairíamos vencedores. Mas lutámos sempre. Seguiu-se o Canadá, em que foi um jogo muito bem disputado, até ao final, em que conseguimos vencer, com o golo apontado ao minuto 59.

Contra a Austrália e, aí sim, correu-nos mal, sem conseguirmos fazer o nosso jogo e eles, num lance em que já estávamos avisados, fizeram o golo.

Por fim, no último jogo, começámos a vencer mas logo de seguida sofremos o empate. Criámos muitas oportunidades só com a baliza pela frente mas não marcámos. Fomos para prolongamento, em que jogámos melhor futebol, mais oportunidades de golo mas eles, num lançamento, marcaram.

Ficar em 12º lugar, entre 16 seleções do Mundo, não envergonha ninguém. Lutámos, suámos por dignificar o nosso país. Quero agradecer a todos que, ao longe, estiveram presentes e nos incentivaram. Estão todos, sem exceção, no nosso coração. Foi muito bom não se esquecerem de nós. Ao Barcelos na Hora, o muito obrigado pela oportunidade de ter falado da nossa seleção em particular. Senti que em Barcelos mostraram interesse neste mundial por eu estar presente.”



Por fim, o quadro de resultados da seleção portuguesa neste Mundial:

Argentina 3 – Portugal 1; Rússia 3 – Portugal 0; Irão 3 – Portugal 0; Canadá 0 – Portugal 1; Austrália 2 – Portugal 0; e Irlanda do Norte 2 – Portugal 1 (após prolongamento).

Fotos: HP.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima