Prevalência da Doença Psiquiátrica em Portugal

Agosto 16, 2017 Atualidade, Concelho, Cultura
Rita Rodrigues

Hoje vou falar sobre a incidência da doença mental em Portugal, situação que preocupa cada vez mais o país e o mundo. Os dados são assustadores e, cada vez mais, aumenta esta incidência.



No Primeiro Relatório Epidemiológico Nacional de Saúde Mental (2015) foi realizado um estudo com pessoas de nacionalidade portuguesa, com mais de 18 anos e de ambos os géneros. Pessoas não-institucionalizadas, residentes em morada privada e apenas no continente, constituindo uma amostra que é representativa da população adulta de Portugal.

De acordo com o estudo realizado, verificou-se que a prevalência das perturbações psiquiátricas é superior a um quinto, ou seja, significa que Portugal tem a mais elevada prevalência de doenças psiquiátricas da Europa, conjuntamente com a Irlanda do Norte.

Ainda de acordo com o 1.º relatório Epidemiológico Nacional de Saúde Mental, Portugal, relativamente aos outros países europeus, apresenta maior prevalência de doença psiquiátrica em quase todos os grupos de perturbações do foro mental.

De acordo com os dados estatísticos, Portugal, em comparação com outros países da Europa, nas perturbações:

  • de Ansiedade posiciona-se em 1.º lugar;
  • do Humor posiciona-se em 3.º lugar;
  • de Controlo dos Impulsos posiciona-se em 1.º lugar;
  • por Utilização de Substâncias posiciona-se em 3.º lugar;

Com os resultados deste estudo podemos concluir que 1 em cada 5 pessoas da amostra apresentou perturbação psiquiátrica; que as perturbações de ansiedade são as que têm maior prevalência em Portugal, sendo que as mulheres, pessoas separadas e viúvas apresentam maior frequência de perturbação psiquiátrica. As perturbações não apresentam distribuições semelhantes entre sexos; se por um lado as mulheres apresentam mais perturbações depressivas e de ansiedade, os homens acabam por ter uma maior incidência de perturbações por abuso de substâncias e de controlo de impulsos.

Deixo, para reflectir, uma frase de Nathanael West “Os números constituem a única linguagem universal”.

Por: Rita Rodrigues*.

Psicóloga e Diretora Técnica da Unidade Paul Adam Mckay, da Associação RECOVERY IPSS.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima