Que seja a primeira de muitas

Agosto 22, 2019 Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião
Ricardo Moreira

Bem-haja Barcelenses e caros leitores do Barcelos na Hora.

Ao terceiro jogo oficial, foi de vez! AÍ está a primeira vitória oficial da época 2019/20, do meu Sporting Clube de Portugal! Sporting Clube de Portugal 2 – 1 Sporting Clube de Braga.



Após uma pré-época e um início nada promissor, eis que, 3 meses depois, regressámos às vitorias no nosso primeiro jogo oficial em Alvalade.

Contra uma boa equipa, que o é, inequivocamente, este S.C. Braga, vencemos, mas não convencemos. Valeu pelos 3 pontos, que, apesar de tudo, acho que foram justos!

Voltámos a entrar em campo sem um único reforço no onze titular! No defeso do verão, vieram: Eduardo Henrique, Luís Neto, Rafael Camacho, Rosier e Vietto. Quatro deles até estavam no banco de suplentes, mas o técnico não parece ter confiança suficiente em nenhum, para os colocar no 11 inicial!

Entrámos muito bem no jogo. Domínio absoluto nos primeiros 20 minutos. Relegámos o Braga para o seu reduto defensivo, com pressão muito alta, condicionando a saída da bola da equipa adversária. Bons lances coletivos neste período, tanto pelas alas, como pelo corredor central. A nossa superioridade foi coroada com o nosso primeiro golo, apontado aos 16′ por Wendel.

Depois veio o melhor momento do jogo, ocorrido aos 44′, com um golo de bela execução, do, mais uma vez, melhor em campo: Bruno Fernandes!

Na segunda parte, o S.C. Braga reduziu por Wilson Eduardo, jogador que se formou na Academia de Alcochete! (nós formamos, outros aproveitam, também tem acontecido muito)

A vencer pela margem mínima, veio o sinal de medo, transmitido pelo treinador. Keizer mandou sair um elemento da linha ofensiva (Diaby, uma nulidade diga-se!), trocando-o por um central (Neto). Passámos, assim, a jogar em nossa casa, com um bloco de 5 defesas?!? Para mim, é atitude de equipa pequena, “estacionando o autocarro”, o que em nada condiz com o nosso espírito leonino.

Vencemos pela margem mínima. Foi justo, mas voltámos a não convencer!

É este o “futebol de ataque”, que os rótulos da propaganda interna colaram ao técnico holandês quando chegou ao Sporting? Foi sol de pouca dura!!!

Como vamos ser equipa goleadora, se queremos “vender/dispensar” Bas Dost?

Mais uma “telenovela”, e desta feita, parece que vamos mesmo perder o nosso goleador, e por uma “pechincha”. Já se apresentaram mil e uma razões para tal saída, onde, para mim, a mais evidente de todas é Marcel Keizer. Bas Dost, ficou fragilizado desde o “ataque” à Academia? É um facto inequívoco que sim! Mas nunca vi, (ou raramente) enquadrar-se no Futebol que Marcel Keizer pretende. Com toda a sinceridade, neste momento, preferia mil vezes Bas Dost, que Marcel Keizer. Mas eu não mando nada na estrutura leonina! Apenas dou a minha opinião e sinto que voltamos aos “tiros nos próprios pés”! O foco tem sido tudo, e mais alguma coisa, e no que realmente nos devíamos focar, que é nos nossos jogos, nos nossos adversários, é o que se vê! Exibições paupérrimas, jogadores no 11 inicial sem categoria, para o que um clube como o Sporting Clube de Portugal devia exigir.

Reforços que simplesmente pouco tempo, ou nenhum, jogam, e jogadores como Bas Dost, com médias de 30 golos por época, a serem vendidos ao “desbarato”!

Um passo em frente…dois passos atrás!

Assim vamos andar muitos e bons anos a lutar por conquistas de Taças! Sim, porque, com esta pré-época sem exigência, com este início tão fraco e o nosso Presidente a achar que não é motivo de preocupação, o título nacional será uma miragem, cada vez maior, ano após ano!!! Falta estabilidade e ponto!

Que eu esteja tremendamente enganado…mas não me parece, de todo!!!!!

Quanto ao nosso Gil Vicente, vou deixar a opinião, e as boas-vindas, à nova cronista do BnH, a Gilista Lucy Santos!

Desporto é Vida! Viva o Desporto com Respeito e Fair-Play!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Últimas de

Ir Para Cima