Tag archive

A Voz do Dragão

Não gostei nada

Outubro 13, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores do BnH!

Na crónica desta semana vou tentar ser curto e objetivo.

Não gostei nada, como é lógico, do resultado do clássico na Luz e também da exibição da nossa equipa. Exibição sem ideias, sem classe, sem intensidade, sem nada que me agradasse.



Não criámos perigo nenhum e o resultado foi justo. Se o resultado fosse um empate também não surpreenderia, mas ganhou quem marcou e isso é que conta no futebol.

É triste termos duas derrotas à sétima jornada e estarmos em 3º lugar. Algo tem que ser feito e urgentemente. Sinto que muitos jogadores que ficaram no plantel este ano, estão com as suas cabeças noutros clubes e noutros cofres que não são a nossa realidade. São vários os jogadores a sair a custo zero e mais vão sair, mostrando uma tremenda ingratidão, e está na hora de “bazar” com esses “tios patinhas” da equipa principal. É necessário, também, reformular o plantel. A ausência de Aboubakar vai ser difícil de colmatar. Espero que esta paragem seja benéfica para o Porto e que SC agite as hostes e que acorde certos meninos. Queria endereçar uma palavra de apresso aos 3500 adeptos portistas que se deslocaram à Luz, foram incríveis e incansáveis e mereciam muito mais da nossa equipa.

No final da partida, assistimos a um episódio vergonhoso, uma música de tourada foi reproduzida no som do estádio, mostrando uma arrogância, uma prepotência e uma falta de respeito de um clube que se julga acima da Lei, do Estado e da Justiça. Não sei se a ideia foi do Pedro Guerra ou do Paulo Gonçalves ou do Nuno Cabral. Os adeptos organizados e os da Porta 18 estavam em êxtase com a música. A multa deste ato foi de 765 euros! Numa altura em que o clube de Carnide parece querer a paz no futebol, faz uma coisa destas, depois desculpam-se com coisas do Porto que ocorreram no século passado, tipo aquelas discussões de crianças do tipo “eu fiz, mas tu também fizeste”…Fazem o que querem, pois a proteção é total.

É no momento da derrota que sou ainda mais portista porque quem ama não abandona!

Até à próxima.

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Duas vitórias suadas

Outubro 5, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, malta do BnH!

Mais dois jogos do FCP, mais duas vitórias suadas!



Longe vai o tempo dos resultados gordos e dos jogos fáceis! Comecemos pelo campeonato nacional. O jogo frente ao Tondela previa-se difícil já que nos últimos dois anos este clube tinha ganho na Luz e no Dragão. O FCP entrou forte e mandão, mas encontrou um guarda-redes, “Cláudio Ramos”, inspirado e competente.  Foram muitas as oportunidades para resolver o jogo cedo. Na segunda parte, a ansiedade instalou-se, a bola não entrava, o tempo passava rápido demais, o subconsciente alertava que íamos à Luz na jornada seguinte e na única falha técnica do GR do Tondela, o recém-entrado Tiquinho Soares introduz a bola na baliza, a 5 minutos do fim. Foi um suspiro de alívio coletivo e uma descompressão mais do que justa! O apontamento triste deste jogo foi a lesão do Aboubakar, que se prevê uma longa paragem!

No jogo da Liga dos Campeões, o FCP foi incisivo na procura do golo e da vitória, mas pertenceram ao Galatasaray as melhores ocasiões de golo na primeira parte, em contra-ataques rápidos, ao qual correspondeu, com brilho, “San Iker”. Quatro pontos na Liga dos Campeões, em 2 jogos, é positivo para as contas e cofres do clube. Agora vem o jogo da Luz, um estádio em que normalmente somos muito felizes. Ganhar na Luz é das melhores sensações que existem, portanto que o meu clube faça de tudo e mais alguma coisa para conseguir os 3 pontos.  Que seja um bom jogo e que as “toupeiras” não atrapalhem.

Parabéns ao nosso Porto pelos 125 anos de belas histórias e parabéns ao nosso presidente pelo discurso de 26 minutos com uma lucidez incrível, sem guião e sem perdas de memória (como um tal presidente teve).

Para finalizar, deixo uma palavra de carinho e de orgulho para a nossa cidade, que tão bem acolheu a Supertaça Internacional de hóquei em patins.

Abraço e desculpem qualquer coisinha!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Chega de confiar na sorte

Setembro 27, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores!

Estamos de regresso às competições depois da “secante” paragem para seleções e taça dos “seguros”!

Comecemos por aí. Continua sendo tradição a dificuldade do FCP na Taça da Liga! Frente ao Chaves, a nossa equipa apresentou um onze forte, mesmo com algumas alterações e, mais uma vez não, consegue segurar uma vantagem até final!



Depois seguiu-se a Liga dos Campeões, onde o adversário estava perfeitamente ao alcance de trazer os 3 pontos e mais alguns milhões, que tanta falta fazem aos cofres do nosso clube. Demo-nos ao luxo de falhar um penalty e só marcámos com outra penalidade “caída do céu”! A exibição foi estranha e o resultado menos mau. O melhor desta jornada foi o regresso a um estádio onde escrevemos uma das mais bonitas páginas da nossa historia (2004) e, também, a marca de Casillas na Champions.

A confirmação do nosso momento exibicional menos bom foi o jogo em Setúbal. O resultado foi ótimo e importante, mas o Setúbal esteve muito tempo por cima de nós e perto de empatar. Espero que isto mude e já chega de confiar na sorte!

Venha o Tondela e que a equipa vença com qualidade e critério. É um jogo importante pois antecede a visita ao nosso “salão de festas”.

Para terminar, achei estranho Augusto Baganha (ex-presidente do IPDJ) dizer que recebeu pressões para ajudar o Benfica e também o facto de Luisão terminar a carreira à 5a jornada! Será que foi para desviar atenções de Paulo Gonçalves??!…LOL…Parabéns ao Luisão pelo profissionalismo, dedicação e longevidade no clube dos “processos”. Coisa rara!

Até à próxima…e desculpem, mais uma vez, qualquer “sinceridadezinha”!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Que voltemos a ser um “rolo compressor”

Setembro 7, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores do BnH!

Começando pelo que interessa, o nosso FCP venceu, justamente, o Moreirense por 3-0, numa boa primeira parte dos Dragões, onde resolveram o jogo e de uma forma rápida e tranquila. Fomos a vencer por 2-0 para o intervalo, mas nos últimos tempos, 2-0 não é o resultado que nos deixa seguros e na segunda parte estávamos sempre com receio das aproximações do Moreirense à baliza do Porto pois sentiam-se fantasmas do Vitória de Guimarães e do Belenenses.



Foi uma segunda parte de serviço mínimo exibicional e de gestão de resultado e esforço. Quem fica a perder é o espetáculo, mas o que conta são os 3 pontos. Para quebrar essa monotonia dos últimos 45 minutos, Marega faz o 3-0 num grande lance de Otávio.

Deste jogo, destaco, além da vitória sem sofrer golos, o regresso tão aguardado e desejado de Danilo. A reação do estádio foi a de um autêntico vulcão aquando da entrada do nosso “trinco”, este jogador que passou por um calvário e que é muito acarinhado por nós porque personifica o “jogador à Porto.”  E, também, as 44 mil pessoas presentes no Dragão após uma derrota. É a prova de que a equipa e seus adeptos estão perfeitamente ligados e juntos em qualquer circunstância, ou seja, FCP sempre a ganhar a perder.

Agora vem aquela pausa das seleções, que é uma autêntica seca! Três semanas sem campeonato nacional é um tédio! É muito bonito e tal ver a seleção, mas eu gosto mais de ver o Porto (perdoem-me a sinceridade). Que este tempo sirva para descansar e afinar certas e determinadas dinâmicas e que no regresso voltemos a ser um “rolo compressor” e a atingir a liderança o mais depressa possível.

Gostei da estreia do Militão, jogador seguro, confiante, boa presença, agressivo, qualidade no passe. Parece fazer com Felipe uma boa dupla, a fazer lembrar aquelas duplas de brasileiros nos anos 90, Aloísio, José Carlos, Argel, etc.

Quantos aos reforços, Jorge e Bazoer, confesso que não os conheço. Acho que quem está a merecer uma oportunidade no 11 é Óliver, mas certamente irá apenas voltar quando Danilo estiver a 100%.

Vou fechar esta crónica com muita tristeza pois o futebol português está de luto! Há um clube que foi constituído arguido e considerado culpado num caso de toupeiras; um clube que corrompeu e violou segredos de justiça. Sim, esse clube que se julgava um exemplo, que andou anos a falar do “Apito Dourado”! Sim, esse clube que patrocinou as escutas do “Apito Dourado” e o livro da Carolina! Sim, esse clube que teve arquivado o caso dos vouchers, mas que aguarda julgamento do “Malla Ciao”, “Lex”, “Mails”, etc.

O que pode acontecer a esse clube e seus dirigentes?? Só não quero que desçam de divisão… porque eu gosto de ir ganhar à Luz!

Até à próxima!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Nada fazia prever

Agosto 31, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores do BnH!

É com alguma tristeza que aqui escrevo esta semana e as razões são óbvias!



Nada fazia prever o que aconteceu no Dragão, no passado sábado, mas o futebol é imprevisível. O Dragão estava “à rolha”, em pleno mês de agosto, com muita gente de férias e emigrantes a disfrutar daquilo que todos pensávamos, uma vitória normal do FCP.

Percebeu-se, logo de início, que o ritmo do jogo não iria ser intenso! Devagar, devagarinho, o FCP estava a comandar o jogo e o VSC não criava situação de perigo nenhuma. Brahimi “abriu o livro” no primeiro golo, que fez levantar o estádio, e André Pereira, num belo gesto de cabeça e em posição “ilegal”, fizeram os golos ainda na primeira parte…e quase todos pensavam que o jogo estava resolvido. Era preferível que o segundo golo do Porto tivesse sido anulado pois a equipa talvez não teria relaxado tão cedo.

O início de segunda parte deu logo sinais de que algo não iria correr bem. As substituições de Brahimi, logo a abrir; Aboubakar a sair fatigado; e Corona lesionado, tiraram ao FCP toda a criatividade e dinâmica que tínhamos e as suas substituições pouco ou nada trouxeram. Sérgio Oliveira foi um “anjinho” no lance do penalty a favor do VSC; golo que alimentou as esperanças dos vimaranenses. Depois, inexplicavelmente, sofremos 2 golos num curto espaço de tempo, onde a incompetência defensiva e a falta de agressividade foi mais do que evidente. Aliás, o terceiro golo nasce de um lançamento de linha lateral!

Eu estava no estádio e estava incrédulo! Estávamos, no fundo, a reviver o jogo frente ao Belenenses, onde estávamos a ganhar 2-0 e nos deixámos empatar a 10 minutos do fim. Sinceramente, sempre pensei que iríamos, no mínimo, empatar, mas Douglas disse “presente” e fez duas defesas milagrosas, a remates de Herrera e Marega. Como foi possível não aproveitarmos o resultado do derby e, para agravar, não fazer qualquer ponto?!

Não sei que consequências irá isto trazer. Qual será a resposta da equipa e se a SAD se vai manter “impávida e serena” no que diz respeito a entradas e saídas.

Sei que, da minha parte, o meu apoio é constante, pois sou portista nas vitórias, empates e derrotas.

Aproveito para dar os parabéns ao Gil Vicente, pois conseguiu nova vitória, frente ao Taipas, e em 3 jogos, leva 3 vitórias, 8 golos marcados e 0 sofridos.

Para terminar, diz o ditado: “Onde há fumo há fogo”, certo?? Foi por isso que o tribunal considerou que o Benfica é arguido no caso “e-toupeira”??…

Desejo-vos um bom fim de semana e apresento-vos o novo reforço grego do SLB: chama-se “Buskasàsad”!

Desculpem qualquer coisinha!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

 

Não esperava tanta dificuldade

Agosto 24, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores do BnH!

Espero que se encontrem todos bem! Vamos lá falar um pouco do nosso FCP.



Confesso que não estava à espera de tanta dificuldade, depois de irmos para intervalo a vencer por 1-0 e de, aos 40 segundos da segunda parte, termos feito o 2º golo! Estava a contar que o Porto controlasse o jogo, fazendo uma posse da bola segura ou até procurar o 3º golo. O 1-2, de penalty bem assinalado por Xistra, deu alma e confiança aos belenenses e depois do conservadorismo de Sérgio Conceição, que tirou os mais perigosos jogadores (Otávio, Brahimi e André Pereira), o Belenenses empatou e não escandalizou ninguém.

Temos a sorte de ter uma equipa que, apesar de minutos apagada, não desiste e vai até ao fim! Foi com essa atitude que fomos para cima dos “pastéis de nata” e Herrera, com um tremendo pontapé, ia fazendo um golo “de placa”, que foi desviado com um braço em volumetria do jogador dos azuis. Xistra manteve o mesmo critério e assinalou penalty. Alex Telles, fria e categoricamente, selou a vitória do Porto. Espero que estas dificuldades sirvam de aviso para o próximo jogo, e que o FCP apenas relaxe e descanse no fim dos jogos.

Quem não tardou a reagir à vitória do FCP foi o Twitter do SLB. Este clube disse que este campeonato se ia chamar “Liga Blue Velvet” e eu espero que sim. Era sinal que estamos a ganhar. O Benfica pensa que vai tirar algum proveito desta saloia pressão sobre os árbitros. Aliás, lançam é suspeição e que nada favorece o clima de paz. Eles, que andam muito ativos nas redes sociais, na outra semana fizeram de tudo para castigar Brahimi e Maxi. Agora isto e ainda agora começou… Será isto desespero pela reconquista??! Espero que o “peixe não morra pela boca”.

Espero, igualmente, que o FCP prepare bem a receção ao VSC. O Vitória vem de duas derrotas, mas é uma boa equipa, bem orientada e não quero que aconteça uma surpresa. Aguardo, ansiosamente, o regresso de Danilo, a estreia de Militão e a chegada de reforços. Se Marega faz falta?? Sim faz, mas que continue com o “rabo encostado no mocho”.

Parabéns ao Diogo Leite, que se tornou no defesa mais jovem de sempre a marcar pelo campeão nacional em jogos do campeonato!

Espero, também, que o SCP vença o Benfica.

Parabéns ao Gil Vicente pela vitória frente à Oliveirense! Eu sei que não conta para classificação, mas conta para o orgulho e profissionalismo.

Bom fim de semana e Viva Barcelos e o FCP!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

FC Porto de volta…com Supertaça e goleada

Agosto 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores do BnH!

Espero que tenham tido umas boas férias futebolísticas.

Sejam bem-vindos a um espaço onde o amor por Barcelos e pelo FCP é uma constante.



Depois de termos terminado a última época a festejar, decidimos, de igual forma, dar continuidade aos festejos, celebrando a conquista da Supertaça. Para mim, foi sempre um troféu especial, mas para o jornal “A Bola” foi um troféu que só começou a ter valor a partir de 2014.

Já iniciou, também, mais uma época e o FCP decidiu “abrir as hostilidades” com uma goleada das antigas; 5 -0 a um Chaves bem orientado e organizado, mas que foi curto para um ataque e atitude ao nível do nosso treinador.

Espero que o meu clube vá ao Jamor na máxima força e ambição, já que o Belenenses é um clube que nos cria imensa dificuldade (fruto da sua localização geográfica) …LOL…. Inclusivamente, perdemos lá o ano passado. E, aliás, esse clube estava bem era na Segunda Liga!

Espero, também, que o Porto se organize o mais rapidamente possível quanto ao seu plantel. Queremos saber, de vez, com quem vamos “à guerra”, se Marega vai ficar??! Por mim, já podia ter ido… Um jogador que há 2 anos caía a fazer dribles e que, agora, faz birra publicamente porque quer mais dinheiro, já devia ter ido. Está no seu direito, é um jogador importante mas caladinho é um poeta.

Que este ano se fale mais de futebol e que a justiça trabalhe em paz, já que depois de tantas buscas, mails, toupeiras, etc., está na hora de tomar decisões.

Quero, igualmente, dar uma palavra de carinho ao Gil Vicente. O que a Liga fez não se faz, mas as gentes de Barcelos são de força e este ano o Gil vai dar uma demonstração de profissionalismo e, para o ano, lá estaremos na Primeira Liga.

Agradeço a atenção e perdoem-me a sinceridade!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Foi na Luz que ganhámos o campeonato

Junho 1, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caros leitores!

Antes de começar a minha última crónica, quero muito agradecer ao BnH a oportunidade que me dá de todas as semanas exprimir a minha paixão pelo FCP.



Esta última crónica é em jeito de balanço da época que terminou. Confesso que fiquei contente com a escolha de PC para o treinador do Porto. Mais do que um treinador, nós precisávamos de alguém que injetasse mística, agressividade, querer, ambição e que voltássemos a ser Porto o mais rapidamente possível. Não tínhamos mais margens de erro para experimentar “flopategos, peseiros, espíritos santos”, etc. SC foi a escolha certa, no lugar certo e na altura certa. Mas depois também pensei: que jogadores lhe podemos dar já que o momento económico do FCP era péssimo, fruto do fair-play financeiro da UEFA, etc. Eis que a genialidade de SC faz recuperar, animicamente, jogadores que estavam emprestados e que, muitos deles, em tempos, se recusavam em voltar ao Porto. Isso, acrescentado à base que já tínhamos, podia ser uma fórmula boa para fazer um campeonato em que pudéssemos ser campeões.

Desde a pré-época que sentia que este plantel e equipa técnica tinham algo de especial e que podíamos ser uma agradável surpresa. O plantel era curto, as soluções não eram muitas mas foi dando para o gasto. Fomos ganhando jogos atrás de jogos, a confiança ia aumentado, o Dragão enchendo e o sonho começava a ganhar forma. Há uma frase de SC, no final do Sporting 0 – FCP 0, em que ele diz, no meio da roda do staff e equipa: “Com esta atitude vamos ser campeões”. Aquilo marcou-me e fez-me sorrir porque tínhamos de volta o verdadeiro FCP. Gostava da forma como jogávamos, éramos objetivos e verticais, fortes defensivamente e extremamente focados e unidos. Prova disso, foi terminarmos a primeira volta em primeiro lugar, na Liga dos Campeões, nas Taças da Liga e de Portugal.

O mercado de inverno não foi nada útil. Fomos pedir jogadores emprestados ao Tondela, Portimonense, à segunda liga francesa (coisa que nunca vi no FCP) e nenhum deles acrescentou nada. Fiquei a pensar de quem seriam essas escolhas, se da SAD ou da equipa técnica. Mas esse era um sinal de que não havia dinheiro para compras. Eis que chega o momento crítico da época. Depois de estarmos 5 pontos à frente dos rivais, aparecem, inexplicavelmente, duas derrotas: uma com o Paços e outra com o Belenenses! Não quero escalpelizar essas derrotas, mas confesso que, na altura, “atirei a toalha ao chão” porque vi que tínhamos perdido o estofo e confiança de campeão e que as pernas já faltavam.

Tudo isto, poucas semanas antes de irmos à Luz, e sem Marega e Danilo. Já pairava em ambiente de crise até porque tínhamos saído da Liga dos Campeões de uma forma pesada mas que em nada tirou o brilho da nossa participação. Eis que chegamos à Luz em segundo lugar e, passados 90 minutos, saímos em primeiro. E foi o golo do nosso capitão que, com um forte remate, derrubou “toupeiras”, “vouchers”, “rumos aos pentas”, etc…Foi na Luz que ganhámos o campeonato, não matematicamente, mas praticamente. Até final, foi um passeio de classe, de tranquilidade, de confiança, onde ganhámos todos os jogos até final, sem facilitar um único só.

E assim, o FCP se sagrou campeão nacional, de uma forma categórica, brilhante e sem espinhas!

Os mais da equipa, na minha opinião, foram: Ricardo Pereira, Marcano, Felipe, Alex Telles, Herrera, Brahimi, Aboubakar, Tiquinho – a espaços – e, quem diria: “Marega”.

Os menos: José Sá (que teve uma oportunidade de ouro para se afirmar no clube e seleção e “borrou-se”), Osório, Paulinho, Waris, Corona – podia ser mais – e Óliver (que demora a justificar a compra de 20 milhões).

Revelação: Diogo Dalot.

Pilar: Sérgio Conceição.

Que o FCP volte forte em 2018-2019, porque todos nós “queremos o Porto novamente campeão.”

Obrigado a todos pela atenção.

Boas férias e Força Portugal!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

 

Mais uma semana o Porto festejou!

Maio 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores!

Mais uma semana passou e mais uma semana o Porto festejou!

Faltava uma jornada e, mais uma vez, o Porto não facilitou, colocando o chip da seriedade, do compromisso e da vitória! A confiança que o grupo atravessa faz com que a equipa jogue um futebol atrativo e objetivo.



Guimarães era um dos destinos mais difíceis, mas mesmo com o título no Museu, o Campeão Nacional não foi à “Cidade-Berço” festejar, mas, sim, ganhar…e bem! Foi um “golaço” de Marcano, que num tremendo golpe da cabeça, bateu, sem hipótese, a jovem promessa Miguel Silva. E depois de ganhar, foi hora de festejar…

Foi arrepiante e emocionante o que se viu e viveu nos Aliados! Há muito que suspirávamos por aquele momento…250 mil almas portistas a uma só voz e o nosso Pinto da Costa a ser medalhado com Honra pelo Município do Porto (porta que se lhe fechou durante 19 anos).  Destaco, também, o discurso de PC nesse momento. Foram palavras fortes e sentidas, sem papéis ou telepontos, e de uma lucidez genial de um octogenário!

Os cânticos, o cenário, a multidão, a alegria estampada no rosto de todos, portistas de várias idades e de muitas gerações, foram muitos os apontamentos de uma grande festa, que pretendemos repetir em 2019.

Somos Campeões com todo o mérito, brilhantismo, competência e sem truques de bastidores.

Fomos o melhor ataque, defesa e equipa com menos derrotas. Tudo isto só se podia traduzir num Porto campeão e que é o orgulho do nosso coração!

Agora é tempo de descansar mas, de igual modo, fazer uma boa gestão das vendas e renovações. É essencial manter a base e coesão.

Para terminar, quero pedir desculpa por algo que tenha dito durante a época e que não tenham gostado. Nunca quis ofender…a minha intenção é apenas dizer o que sinto. É que o Porto é uma paixão muito forte, desde os meus tempos de berço…

Que na próxima época se fale mais de futebol e não de terrorismo desportivo. Força Sporting!

Abraços!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

O Futebol Clube do Porto é Campeão Nacional!

Maio 11, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores!

Depois de tantas crónicas semanais, eis o tão esperado momento!

“O Futebol do Porto é Campeão Nacional!!!!!…”



Depois de termos ganho na Luz, ao Setúbal e Marítimo, foi no sofá que tivemos a confirmação do tão desejado título! Confesso que preferia que o Sporting tivesse ganho ao Benfica e que tivéssemos sido campeões no jogo contra o Feirense, mas não há momentos certos para se ser campeão! Confesso, também, que a certa altura deitei a toalha ao chão, fruto da tristeza de duas derrotas consecutivas, mas a chama do Dragão manteve-se forte e fez com que todos nós – FC Porto – estejamos de parabéns e muito felizes.

Foram 4 anos ao qual não estávamos habituados. Aliás, foi a primeira vez desde que nasci que ficámos 4 anos sem ganhar! É um título muito desejado e saboroso depois do que descobrimos quando “abrimos” a caixa de correio eletrónico de um rival. E por falar nisso, é coincidência ou destino que desde que descobrimos “o polvo”, o nosso rival não vai ganhar nada e corre o risco de ficar em 3º??!

Como disse anteriormente, é uma vitória do FCP, onde estão incluídos a estrutura, equipa técnica, jogadores e nós adeptos, que fomos incansáveis no apoio.

Sérgio Conceição é apenas o rosto de uma crença e de uma união de como há muito não se via. O novo “ Mourinho” teve o condão de ligar a equipa aos adeptos e potenciar jogadores que ninguém acreditava que seria possível, sequer, que alguns deles regressassem ao Porto.

Fizeram de nós falidos e mortos, mas acordaram um monstro. Ainda na segunda-feira, o jornaleco “A Bola” deu destaque total à vitória de João Sousa (que foi incrível!) e deixou o FCP para segundo plano, mas tudo isto nós transformámos em força.

Agora é hora de rumar aos Aliados e, passados 20 anos, vamos ver a nossa equipa ser recebida na Câmara Municipal do Porto, onde as portas estiveram fechadas muitos anos. O Marquês estava reservado, mas o único adepto de vermelho que lá vi foi o boneco STOP do semáforo!

Conto convosco, sábado à noite, nos Aliados ou na Avenida da Liberdade, em Barcelos, junto ao Bombeiro.

“Porto, Porto, Porto

És a nossa glória

Dá-nos neste dia, mais uma alegria

Mais uma vitória”!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

1 2 3 6

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima