Tag archive

Apresentação de livro

Pedro Chagas Freitas apresenta em Barcelos o seu livro “A Repartição”

Dezembro 13, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O escritor Pedro Chagas Freitas apresenta o seu último livro, intitulado “A Repartição”, amanhã, dia 14 de dezembro, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal de Barcelos.



“A Repartição” é um romance envolto numa sátira dos tempos modernos, carregada de ironia e emoção, que retrata a história de um homem que é chamado para uma inspeção numa sombria Repartição de Finanças. É lá que se vai iniciar uma viagem sem retorno pelos mais obscuros segredos, pelos mais íntimos medos, pelos mais imorais desejos.

Como toda a obra de Chagas Freitas, parece teatro do absurdo. Mas a falta de lógica aqui não denuncia o absurdo da vida. Denuncia apenas a incapacidade de Chagas Freitas para ser mais do que um brinca na areia.

Pedro Chagas Freitas nasceu em 1979, em Azurém, Guimarães, e formou-se em Linguística na Universidade Nova de Lisboa, entre 1998 e 2002.

A vida profissional começou, em 1997, quando foi convidado para chefe de redação da revista vimaranense “Estádio D. Afonso Henriques”. Em 2001, começou a escrever para o jornal “A Bola” e, em 2003, também para o jornal “Desportivo de Guimarães”.

Durante o ano de 2004, foi contratado pelo grupo editorial “Impala”, onde esteve como redator de livros genéricos. Em 2005, iniciou o seu percurso no mundo da escrita publicitária, assumindo o cargo de redator criativo na agência de publicidade “Motive”. Publicou, nesse mesmo ano, a sua primeira obra literária, “Mata-me”. Seguiu-se, em 2006, a publicação de “O Evangelho da Alucinação”. Ainda em 2006, venceu o Prémio Bolsa Jovens Criadores, que lhe foi atribuído pelo Centro Nacional de Cultura e pelo Instituto Português da Juventude.

Escreveu, entre 2006 e 2009, biografias e livros genéricos para a editora “Mediapromo”. Publica, desde 2006, crónicas de reflexão e opinião no jornal “Notícias de Guimarães ”. Regressou, entre 2008 e meados de 2010, ao mundo da publicidade, como redator criativo na agência de publicidade IA&RB, onde concebeu anúncios de imprensa e onde se estreou como argumentista, escrevendo guiões de anúncios de televisão e vídeos institucionais. Foi, em 2008, um dos autores convidados a participar na antologia de homenagem a António Ramos Rosa “Um Poema Para Ramos Rosa”. Criou, em 2009, o Campeonato Nacional de Escrita Criativa.

Desde 2001, que é coordenador de sessões de escrita criativa um pouco por todo o país. Ainda neste domínio de trabalho, tem vindo a coordenar e a levar ao terreno seminários e workshops sobre metodologias criativas para professores e formadores.

Ainda em 2010, publicou 10 obras da sua autoria em simultâneo: “A Pele do Medo”, “As Incongruências da Sorte”, “Porque Ris Sabendo que Vais Morrer”, “Gotas de Dor“, “Espasmos de Pânico”, “Espasmos d’Alma”, “Só os Feios é Que São Fiéis”, “Chãos Pisados”, “Separação de Males” e “Envelhenescer”.

Em 2012, estreou-se como apresentador de televisão, sendo o autor e o apresentador da rubrica de literatura do programa MVMagazine, no canal MVM. Em paralelo, criou e apresentou o programa de Rádio “Só Te Quero Pelo Teu Corpo”, da Rádio Fundação.

Ainda em 2012, concebeu e colocou no terreno o primeiro curso de escrita criativa realizado 100% através do Facebook. A 12 de abril do mesmo ano, lançou “Eu Sou Deus”, a sua 17ª obra (um livro de crónica e autodesenvolvimento), no BBC – Belém Bar Café.

Lançou, em novembro de 2012, “Ou é Tudo ou Não Vale Nada””, uma obra escrita em direto e ao vivo ao longo de 2012 minutos.

Em 2013, lançou “In Sexus Veritas””, um romance com mais de 1500 páginas.

Fonte e imagem: CMB.

Brasileira Andréa Prestes apresenta em Barcelos o seu livro “Caminho de Santiago – de Portugal até o Fim do Mundo”

Dezembro 3, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 9 de dezembro, pelas 17h30, no auditório do Posto de Turismo de Barcelos, a jornalista, fotógrafa e peregrina brasileira Andréa Prestes apresentará o seu livro “Caminho de Santiago – de Portugal até o Fim do Mundo”.



Este trata-se do seu segundo livro fotográfico, onde mostra dois dos principais itinerários do Caminho de Santiago. São 333 km a pé em mais de 300 fotografias sobre o Caminho Português de Santiago e o Caminho até ao encontro com o mar, em Finisterra e Muxia. É um livro sobre dois caminhos, com duas capas. Edição trilíngue: Português, Espanhol e Inglês.

A apresentação tem o apoio do Município de Barcelos, da Associação ACB – Albergue Cidade de Barcelos e da Caminhos pelo Mundo.

Fonte e imagem: AB.

Teatro de Balugas apresenta hoje, em Balugães, livro “Bons Diabos”, de Paulo Alegria

Novembro 30, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Hoje, pelas 21h30, no Auditório da Junta de Freguesia de Balugães, o Teatro de Balugas apresenta o livro “Bons Diabos”, de Paulo Alegria. De recordar que esta apresentação esteve, primeiramente, agendada para 6 de agosto último mas foi adiada.



Este livro é o resultado do encontro, de apenas um dia, do fotógrafo Paulo Alegria com o grupo Teatro de Balugas. Um conjunto de fotografias que mostram a dedicação e o envolvimento do coletivo de teatro na preparação do evento num palco improvisado pelo próprio elenco, no adro da velha igreja de São Martinho de Balugães.

Nas palavras de Raul Pereira, “observando o elenco, enquanto este deitava mãos à obra e tornava palco o adro da igreja românica de São Martinho de Balugães, as imagens extraídas trazem-nos o Vale do Neiva, essa terra antiga de onde o teatro popular nunca desapareceu e onde permanecem intactos os espaços onde ele acontecia.

A peça apresentada, que é uma adaptação para teatro de rua do Auto dos Bons Diabos, obra de Cândido Sobreiro, é um forte testemunho de que os “Balugas” constroem muito mais do que singelas encenações: é que, nas suas peças, o Alto Minho emerge inteiro, como região em que a permanente dicotomia entre aceitação e recusa foi sempre o gérmen criador da nossa identidade.

O entusiasmo instala-se peça e livro adentro, quando nos apercebemos que as novas gerações retiveram um dos mais sábios ensinamentos: que um futuro interessante e suportável só surgirá da enxertia da planta do presente no sólido fuste do passado”.

O Teatro de Balugas foi fundado em 2007, o Teatro de Balugas inspira-se na cultura popular do Minho. É teatro feito na aldeia, acreditando que este trabalho comunitário manterá viva a identidade desta, enquanto espaço de criação, numa luta contra o desaparecimento do mundo rural, da festa feita nas terras pelas gentes que contavam apaixonadamente as suas crenças, tradições e costumes, de uma certa ideia de progresso que não serve homens nem comunidades. É uma história escrita por artistas anónimos que pisam o palco de balugas ou borzeguins, botas altas com atacadores, de onde deriva o topónimo da aldeia de Balugães.

Já o autor, Paulo Alegria, nasceu em 1970, em Oliveira de Azeméis, mas vive e trabalha em Viana do Castelo. Autor do livro Romeiros, um retrato contemporâneo das pessoas que se deslocam às romarias alto-minhotas e responsável pela cinematografia do filme Alto do Minho, um trabalho documental sobre a identidade do povo da mesma região. Foi-lhe atribuída uma bolsa pela Estação Imagem, em Mora, onde desenvolveu um intenso trabalho fotográfico próximo da população do concelho alentejano, documentando o seu associativismo, que resultou no livro Cultura Magra. Recentemente, integrou uma exposição coletiva itinerante no norte de Portugal e na Galiza, promovida pela DRCN, no âmbito do programa Rota das Catedrais, com um trabalho desenvolvido na Sé Catedral de Lamego. Formou-se em Design Gráfico e passou por outras áreas do conhecimento, como a Arquitetura, a Educação Visual, a Gravura, a Serigrafia e a Fotografia.

Fonte e fotos: TB.

Futebolista Tarantini apresenta livro em Barcelinhos

Novembro 27, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 10 de dezembro, pelas 17h00, no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos, Ricardo José Vaz Alves Monteiro, Tarantini no “mundo do futebol”, futebolista profissional no Rio Ave FC, apresenta o seu livro “A Minha Causa”.



Este livro é publicado pela Editora LEYA, sendo fruto da sua experiência, ao longo dos anos, como atleta profissional atuando na 1ª Liga, integrado no Rio Ave FC. No entanto, Tarantini nunca desistiu de investir na sua carreira académica e em 2014 concluiu o mestrado em Ciências do Desporto. Este livro é mais um sonho seu recentemente realizado.

Ricardo José Vaz Alves Monteiro nasceu em Gestaçô – Baião, em 1983. Aos 9 anos, a paixão pelo futebol fez com se iniciasse no Amarante FC. Ao entrar na Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, muda-se para o Sporting local – Sporting da Covilhã – mas não perdendo a ambição de chegar a um dos “grandes”. Da experiência na UBI resultaram duas licenciaturas e o início da sua experiência num clube profissional.

Agora, desloca-se a Barcelos, nomeadamente a Barcelinhos, para a apresentar este seu recente livro.

Escritor barcelense Paulo Arezes apresenta livro “Barcelos, o Jardim do Minho”

Novembro 15, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 25 de novembro, pelas 17h00, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Barcelos, o escritor barcelense Paulo Arezes apresenta o livro de sua autoria “Barcelos, o Jardim do Minho”.



Escritor muito ligado à “urbe histórica”, Paulo Arezes analisa, nesta sua obra, um número considerável de jardins e espaços verdes de Barcelos. Campo 25 de Abril, Praça de Pontevedra, Passeio dos Assentos, Jardim das Barrocas, Parque da Cidade, entre muitos outros, são alguns dos jardins e parques por onde o autor nos – leitores – leva numa espécie de visita guiada, abordando o “património verde” e como este foi surgindo no seio da cidade. Para que a pudesse escrever, o autor recorreu a pesquisa histórica, debruçando-se sobre o passado dos espaços verdes e a sua respetiva evolução, assim como faz, de uma forma subliminar, uma previsão do que lhes pode acontecer futuramente.

De salientar que Paulo Arezes não é natural de Barcelos mas reside nesta cidade desde muito novo, sendo esta, por isso, a sua “cidade adotiva”.

Fonte e imagens: PA.

Livro “Territórios Vinhateiros de Portugal” é apresentado amanhã em Barcelos

Setembro 6, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora




Amanhã, dia 7 de setembro, pelas 15h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Barcelos, realiza-se a apresentação do livro “Territórios Vinhateiros de Portugal”, que contará com a presença, entre outros, do Presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes, e do secretário-geral da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), José Arruda, que apresentará a obra. Miguel Costa Gomes, que fará uma intervenção sobre a importância da presença do território nesta publicação. A apresentação terminará com uma prova de vinhos.

A Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) está a assinalar os seus 10 anos de atividade com o lançamento do livro “Territórios Vinhateiros de Portugal”. A obra tem sido apresentada um pouco por todo o país.

Em 360 páginas ilustradas, esta obra identifica os atuais 77 municípios vinhateiros associados, caracteriza os seus produtos enológicos e dá a conhecer as potencialidades turísticas de cada território.

Barcelos não poderia deixar de integrar esta obra que percorre as diversas regiões vitícolas portuguesas – Bairrada, Verdes, Douro, Dão, Beira Interior, Tejo, Lisboa, Península de Setúbal, Alentejo, Algarve, Açores e Madeira.

No livro, o território é apresentado por Miguel Costa Gomes, como “um concelho marcado pela cor, vida e cultura, onde a vinha, o vinho e o mundo rural são parte da sua identidade e convivem numa harmonia perfeita entre a tecnologia e a tradição”. Acrescenta, ainda, que “desta união, surgem deliciosos vinhos verdes, espumantes e aguardentes tranquilas, repletos de originalidade resultantes das características do solo, do clima e da peculiaridade das castas e da arte do cultivo da vinha”.

No artigo, com quatro páginas dedicadas a Barcelos e ilustrado por imagens que convidam a uma visita, são destacados os grandes produtores da região e os eventos relacionados com o vinho.

A obra tem uma componente solidária. Por cada livro vendido a AMPV vai entregar 2,5 euros ao Fundo Financeiro de Solidariedade pelas vítimas dos grandes incêndios que devastaram Pedrógão Grande.



A AMPV foi criada em 2007 e apresenta-se como porta-voz de todos os municípios com vincada tradição vitivinícola. Desenvolve ações e atividades de interesse comum a todos os seus municípios associados a nível local, nacional e europeu e tem como missão a afirmação da identidade histórico-cultural, patrimonial, económica e social dos municípios portugueses e dos territórios ligados à produção de vinhos de qualidade.

Fonte e imagem: CMB.

Foto: DR.

Ir Para Cima