Tag archive

Barcelenses Inspiradores

Barcelenses Inspiradores: Bruno Lopes

Janeiro 18, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O segundo convidado da 2ª edição da rubrica é o músico e professor Bruno Lopes.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.

Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/. Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, terá que se inscrever até 31 de janeiro na plataforma online, seguindo-se o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. Para esses procedimentos, entre e inscreva-se em https://participe.cm-barcelos.pt/inscricao-no-op-barcelos/.



Bruno Lopes é um músico nascido em Lisboa no ano de 1978, tendo mudado, pouco tempo depois, para a cidade de Barcelos.

Desde cedo se começou a interessar pelas artes, principalmente, pela literatura. Estas fortes influências literárias acompanharam as musicais, na área do Folk, Rock e Blues.

Por volta de 1995, forma os “The Pisces”, grupo com o qual grava dois trabalhos: “Oceans”, editado em 1998, e “Inner Truth”, editado em 2001.

A banda permite a Bruno Lopes o primeiro contacto com o meio musical português. Em 2001, lança doze poemas numa obra intitulada “Escritos”, obra essa que será, mais tarde, gravada em disco no álbum “Escritos”, em 2007. Em 2003, inicia o projeto a solo High Flying Bird, tendo lançado a seguinte discografia: “Songs of freedom” (2003); “Autumn” (2004); “Backyard Desert” (2005); “Escritos” (2007); “Ruas” (2010); “O desassossego” (2013).

Em 10 anos dá cerca de 150 concertos por todo o país nas variadas tours de promoção dos respetivos discos.

Em 2010, com o apoio da Associação Desportiva e Cultural de Manhente e da Junta de Freguesia de Manhente, cria o projeto Guitarras de Manhente: Escola de Rock. Escola de Música localizada na freguesia de Manhente com o objetivo de promover o ensino da música na nossa região e junto das pessoas de todas as faixas etárias e de diferentes classes sociais. Ao tornar o ensino da música mais acessível, ajuda a uma melhor integração social e cultural. As suas aulas são dadas nas instalações da antiga Escola Primária de Manhente. Atualmente, conta com mais de 100 alunos das mais variadas freguesias do concelho de Barcelos, possibilitando a aprendizagem de vários instrumentos, entre os quais, o Canto, Guitarra, Bateria, Baixo, Piano, Violino, Cavaquinho e Ukelele.

A escola rapidamente se tornou uma referência em Barcelos, onde são efetuados concertos regulares, workshops e várias apresentações de cariz social nas escolas do conselho.

Em 2016, cria, com alunos formados nas Guitarras de Manhente, a banda L-Blues. O Folk, Country, Blues e Rock caminham lado a lado na ideologia desta banda. O seu nome faz uma homenagem à mitologia do pacto com o diabo, de Robert Johnson, e da encruzilhada (crossroads) dos Blues. O CD de estreia “L-Blues” foi editado em 2016, o que permitiu à banda percorrer o país durante dois anos.

Em 2018, a banda lançou o novo disco “Vol.2” que foi gravado no AMP Studio com a produção do Paulo Miranda. É um disco de puro Rock N’ Roll e Blues e tem distribuição digital mundial nas principais lojas online: Spotify, Amazon, Itunes, Hmv digital, Googleplay e Soundcloud. O CD físico poderá ser comprado nas lojas Fnac.

Os singles “Outono” e “Ódio de amor” tiveram honras de entrar em muitas playlists de várias rádios nacionais.

A banda vai lançar este ano o 3º disco.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Eu sou o Bruno. Casado e pai de dois filhos, músico e professor na Escola Guitarras de Manhente: Escola de Rock.

Uma pessoa que gosta de arte, principalmente, de música e de tudo o que a envolve, desde a criação, desenvolvimento e promoção da mesma. Gosto sempre de ter o tempo ocupado, seja a trabalhar, a criar, fazer música, a dar aulas e passar tempo com a minha família.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Sim. O que nos define é aquilo que fazemos por nós e pelos outros.

Fazer música é deixar um legado aos meus filhos e a todos os que me rodeiam de que devem sempre até ao fim acreditar em nós mesmos, nos nossos sonhos e lutar pelos nossos objetivos. Vamos ter sempre, ao longo da nossa vida, pessoas que nos dizem que é difícil fazer algo, mas devemos pegar nessa adversidade e a tornar no nosso objetivo de vida.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Acho que compunha uma canção sobre a paz interior! Acredito plenamente que se não formos felizes com nós mesmos também não fazemos os outros felizes.

A vida é curta demais para não ser partilhada com o resto do mundo.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

São muitos, porque o meu percurso de vida sempre foi uma luta e um caminho.

Que não foi feito sozinho, por isso, agradeço à minha esposa por acreditar em mim e por me dar o espaço necessário para ser eu mesmo.

Agradeço também a todas as pessoas que encontrei ao longo da minha vida e que contribuíram para eu ser o que sou hoje.

Mas há três momentos específicos que me marcaram e foram um ponto de viragem na minha vida! Passo a numerar:

– A primeira vez que tomei consciência do poder da música. Foi aos 6 anos, ao assistir na televisão, com a minha mãe, ao filme “Hard´s Day Night”, dos Beatles, e de lhe perguntar porque as pessoas gritavam tanto.

– O nascimento dos meus filhos!

– A criação e o desenvolvimento das Guitarras de Manhente: Escola de Rock.

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Livro: “No One Here Gets Out Alive”. A primeira biografia de Jim Morrison, vocalista e letrista da banda rock norte-americana The Doors.

Filme: “Forrest Gump”, um filme norte-americano de 1994, dirigido por Robert Zemeckis, com Tom Hanks.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

A viagem de Lua de Mel à Madeira.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Adorava ir aos Estados Unidos da América. “Home of the free and the brave”.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Ler, escrever música e ver filmes.

Qual é a tua maior habilidade?

Tocar Guitarra!

O que seria para ti um dia perfeito?

Um dia perfeito seria fazer a minha família feliz e compor a música perfeita.

Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Na verdade, quem me inspirou e ainda me inspira em Barcelos são todos os músicos Barcelenses da minha geração e da nova geração. Porque é preciso força e coragem para fazer arte na nossa cidade, e, quanto mais os artistas forem apoiados, mais a nossa cidade enriquece e se desenvolve.

De igual modo e muito sinceramente, quando vejo alguém que luta em prol da arte essa pessoa me inspira, por isso, faço a minha homenagem aos poetas, músicos, agentes culturais, promotores artísticos e políticos que apoiam o desenvolvimento artístico no nosso país.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Nuno Calçada Loureiro

Se tivesse a possibilidade de alterar as coisas, tendo em conta a cidade e/ou sociedade barcelense, o que alteraria de imediato e o que ficaria imutável no tempo?

Tentaria descentralizar culturalmente a nossa cidade. É um processo que acredito que está a ser feito e deve ser feito aos poucos, porque é preciso educar as pessoas a irem aos teatros, aos eventos musicais e culturais. Acredito que há muitas pessoas com vontade em fazer muitas coisas a nível artístico e cultural nas suas freguesias, mas que, por vezes, não são apoiadas, por falta de conhecimento ou vontade, tanto pelas suas entidades locais, quer pela população geral. Em Manhente, por exemplo, tive a sorte de ter um apoio incondicional da população, da Junta de Freguesia e da nossa Associação Cultural e Desportiva de Manhente.  Leva tempo e dedicação, mas os resultados aparecem. E é esse desenvolvimento que tornaria imutável. Uma sociedade rica culturalmente é uma sociedade desenvolvida.

Uma mensagem* inspiradora…

Deixo o poema da Florbela Espanca, “O Que Alguém Disse”, do livro “Livro de Soror Saudade“.

“Refugia-te na Arte”, diz-me Alguém

“Eleva-te num voo espiritual,

Esquece o teu amor, ri do teu mal,

Olhando-te a ti própria com desdém.

.

Só é grande e perfeito o que nos vem

Do que em nós é Divino e imortal!

Cega de luz e tonta de ideal

Busca em ti a Verdade e em mais ninguém!”

.

No poente doirado como a chama

Estas palavras morrem… E n’Aquele

Que é triste, como eu, fico a pensar…

.

O poente tem alma: sente e ama!

E, porque o Sol é cor dos olhos d’Ele,

Eu fico olhando o Sol, a soluçar…

.

* Nota: Mensagem em latim significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: Nuno Calçada Loureiro

Janeiro 11, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Em 2020, iniciamos a 2ª edição da rubrica com um convidado de enorme mérito pessoal, curricular e profissional. Falamos do músico, maestro, professor e investigador Nuno Calçada Loureiro.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o e-mail: barcelensesinspiradores@outlook.pt.

Nesta 2ª edição, temos várias novidades, entre elas, na entrevista, que conta com novas perguntas e secções, com uma pergunta mistério do convidado da semana anterior e, ainda, uma grande surpresa.



Esta rubrica foi um dos projetos selecionados pelo Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Barcelos com o título “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”. Para saber mais detalhes, aceda a este link: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/. Este projeto será sujeito a votação, por isso, para nos apoiar, terá que se inscrever até 31 de janeiro na plataforma online, seguindo-se o período de votação online de 7 a 21 de fevereiro. Para esses procedimentos, entre e inscreva-se em https://participe.cm-barcelos.pt/inscricao-no-op-barcelos/.



Nuno Calçada Loureiro nasceu no Porto, em 1976, é casado e tem 2 filhos. Reside em Barcelos desde o seu casamento, em 2009.

Licenciou-se em Engenharia Mecânica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, instituição onde obteve também o grau de Mestre em Design Industrial. Através do Programa MIT-Portugal doutorou-se em Líderes para Indústrias Tecnológicas pela Universidade do Porto, Universidade do Minho e Universidade de Lisboa.

Atualmente, é docente do Instituto Superior de Entre Douro e Vouga (ISVOUGA), onde é coordenador da Licenciatura em Engenharia de Produção Industrial e Presidente do Conselho Técnico-Científico. É, também, investigador integrado no Laboratório Associado de Energia, Transportes e Aeronáutica, onde se dedica ao I&D de materiais e tecnologias sustentáveis. Membro Sénior da Ordem dos Engenheiros; atualmente, é membro diretivo do Colégio Regional de Engenharia Mecânica.

Desde novo, iniciou o estudo de música. Primeiro, na escola de música LAMIRÉ, onde estudou piano, flauta de bisel e percussão orff, prosseguindo os seus estudos no Conservatório de Música do Porto, onde estudou Flauta Transversal, Piano, História da Música e Acústica Musical. No Conservatório, integrou a Big Band de Jazz e a Orquestra Clássica, onde chegou a ser solista.  Prosseguiu os estudos de música, ingressando na Escola Diocesana de Ministérios Litúrgicos, transferindo-se posteriormente para o III Curso Nacional de Música Litúrgica, onde estudou direção coral.

Participou em várias master classes, nomeadamente, de Flauta Transversal (Prof. Jorge Caryevchi), Música Natural (Maestro David Porcelijn), Direção de Orquestra (Maestro Florin Totan), Canto Gregoriano (Prof. Dr. Johannes Göeschl) e Direção Coral (Maestro Jorge Matta).

Pertenceu ao Orfeão Universitário do Porto, à Tuna de Engenharia da Universidade do Porto e ao Coral de Engenharia da Universidade do Porto. Com o Coral de Engenharia, obtém o 3º lugar no 50º Festival Internacional de Música para Jovens em Neerpelt – Bélgica.

Foi diretor fundador do Coro da Catequese da Igreja Paroquial de Santo Ildefonso e diretor do Coro da Igreja de Santo Ildefonso. Foi também o Diretor Artístico dos Jovens Flautistas do Porto.

É o diretor do Coro da Colegiada de Barcelos desde a sua fundação, em 2016.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Eu sou o Nuno Loureiro. Desde novo que me dividi entre duas paixões: a ciência e a música. Considero-me uma pessoa simples, honesta, otimista e facilmente crio empatia com as pessoas com quem convivo (em parte, fruto dos 22 anos em que fui escuteiro). Adoro esta dicotomia ciência/música, que me permite deslocar-me de uma área matemática e objetiva para uma área artística e subjetiva. Sou um sonhador e detesto quando existe a falha aos compromissos e às responsabilidades, quer minhas, quer das pessoas que me rodeiam. Tento sempre encontrar e desenvolver o melhor das pessoas.

O que fazes é uma extensão de quem és e do teu propósito de vida?

Obrigatoriamente. O ensino, a ciência e a música mantêm a minha vida equilibrada e proporcionaram-me momentos de grande alegria que recordo regularmente.

Encontro a realização quando vejo o sucesso dos meus alunos, a aplicação da minha investigação ou quando o coro que dirijo faz alguém sentir-se tocado pelas sensações transmitidas.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Na nossa sociedade que cada vez mais se transforma numa sociedade egocêntrica e sem valores humanos, 5 minutos seria pouco tempo para dizer tudo o que penso.

Precisamos de olhar para nós próprios e encontrar o dom da gratuidade.

Hoje em dia, tudo tem um preço. Até o voluntariado tem um preço. Temos de ser recompensados por tudo. Queremos fama, reconhecimento, status social, dinheiro, poder ou influência.

Torna-se difícil encontrar quem coloque o que sabe fazer em prol da sociedade, sem pedir algo em troca.

Precisamos de ser mais auxiliadores….

Também precisamos de não ter vergonha em defender de uma forma consciente os nossos valores que são originários de uma matriz cristã de respeito pela vida, pela diferença e pela igualdade, e também de não ter vergonha de afirmar publicamente que são estes valores pelos quais orientamos a nossa vida.

Qual foi o acontecimento que mais te marcou até hoje?

É difícil de elencar um único acontecimento. Existem alguns…No campo pessoal, o meu casamento e o nascimento dos meus filhos…No campo profissional, a conclusão do meu doutoramento, que foi o culminar de uma longa jornada…

Curiosidades do Convidado

Qual é o teu livro preferido? E o teu filme?

Livro: A “fórmula de Deus”, de José Rodrigues dos Santos.

Filme: Toda a Saga Star Wars.

Qual foi a viagem que mais te marcou?

As várias que fiz a Roma. A primeira como membro da delegação do Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português à Canonização de S. Nuno de Santa Maria. As restantes, levaram-me a conhecer os túmulos de S. Pedro e de S. Paulo, as Basílicas Papais, os jardins do Vaticano, a Capela Sistina e Castel Gandolfo.

Que viagem de sonho ainda pretendes realizar?

Ir à Terra Santa visitando os lugares sagrados.

Qual é a tua atividade de tempo livre preferida?

Sem dúvida, a música.

Qual é a tua maior habilidade?

A capacidade de gerir o tempo.

O que seria para ti um dia perfeito?

Todos os meus dias, na sua diferença, são perfeitos, pois são construídos desde o momento em que acordo até ao momento em que me deito de experiências únicas e irrepetíveis.



Diz-nos um barcelense e um não barcelense que te inspirem e porquê.

Existem muitas pessoas que me inspiram pelo que escolher uma vai ser uma tarefa ingrata.

Em primeiro, indico os meus dois filhos que me fazem dar o meu melhor todos os dias.

Como barcelense, destaco o Prof. Doutor António Tomé Pereira. Dono de uma humildade notável, genuíno, é um médico extremamente competente, calmo, atencioso e dedicado. Amante das artes, conjuga em si a ciência, a arte e o amor desinteressado ao próximo, características que o tornam influente sem o querer ser. Não é, portanto, de estranhar todas as instituições e causas de cariz social, humano, artístico e religioso com as quais se encontra envolvido.

Como não barcelense vou destacar o Prof. Doutor José Luís Esteves. Foi meu professor durante a minha formação em Engenharia e acompanhou-me desde que entrei na Universidade do Porto (como caloiro) até que de lá saí (com o grau de doutor). É o meu modelo de professor, próximo, atento, disponível e pronto para transformar uma sala de aula num espaço de discussão e aprendizagem. O professor passou a colega e depois a amigo. Já passámos por muitos episódios juntos (uns bons, outros menos bons), mas em todos eles, desde logo, ressalta a humanidade deste colega, que a todos trata por igual e que desde cedo tomei como modelo para a minha forma de lecionar e de me relacionar com alunos e colegas.

Pergunta mistério do convidado da semana anterior, Sérgio Garrido:

Qual a tua principal virtude e o teu principal “defeito”?

A minha principal virtude: nunca desistir.

O meu principal “defeito”: Pensar que quem está à minha volta está disponível para fazer os mesmos sacrifícios e ter a mesma atitude perante a responsabilidade que eu tenho.

Uma mensagem* inspiradora…

No filme “O Clube dos Poetas Mortos”, o Prof. John Keating abre a aula de literatura inglesa com a célebre frase “Carpe diem. Aproveitem o dia, rapazes. Façam das vossas vidas uma coisa extraordinária.”

É esta a mensagem que deixo a todos os leitores. Façam da vossa vida uma coisa extraordinária, sejam honestos convosco próprios. Divirtam-se, sejam úteis, gratuitos…Não se escondam atrás de preconceitos, vaidades, raivas ou ilusões…

Sejam vocês próprios…deem o melhor de vós em cada situação da vossa vida…E não tenham medo de se comprometerem e de serem felizes e autênticos…

* Nota: Mensagem, em latim, significa mens agitat molem, ou seja, “o espírito agita a matéria”.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Projetos aprovados no Orçamento Participativo de Barcelos 2019 já são conhecidos

Janeiro 9, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Projeto “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco” inspirado em rubrica do Barcelos na Hora

O Município de Barcelos recebeu 61 propostas para o Orçamento Participativo 2019, das quais foram admitidas 38 ideias.



Entre as propostas elegíveis a votação, 12 projetos são na área do desporto, saúde e bem-estar, 3 projetos preveem a área cultural, 5 a área da ecologia, ambiente e energia, 2 a área da qualidade de vida, 4 a área do património material e imaterial, 5 a área da educação e juventude, 2 a área da inovação e empreendedorismo, 2 a área da democracia e cidadania, 2 a área da solidariedade e coesão social e 1 na área da mobilidade.

Entre estes projetos encontra-se “Barcelenses Inspiradores – do papel para o palco”, inspirado na rubrica “Barcelenses Inspiradores”, deste jornal, e com a mesma autoria: Sandra Santos e Iara Brito.

Como é sabido, na referida rubrica, agora em fase de reestruturação, através de entrevistas, todas as semanas é apresentado um barcelense de excelência. O objetivo primordial deste espaço é inspirar outras pessoas a partir da história de vida de barcelenses oriundos das mais diversas áreas. Na explicação do projeto, na área da Cultura e Arte Urbana, as autoras salientam que, “pretende-se passar este conceito do papel para o palco. A ideia principal será a criação de um espetáculo quinzenal, a cargo de Sandra Santos, tendo como mote a apresentação ao público de, pelo menos, dois ou três barcelenses de diferentes áreas disciplinares. Além disso, serão convidadas individualidades de fora do concelho, podendo até ser de origem internacional. O espetáculo será multidisciplinar e artístico, na medida em que, tendo como foco as entrevistas aos convidados barcelenses, será pontuado por momentos de dança, música, pintura, teatro e literatura/poesia. Portanto, será um momento de fusão e elevação cultural e artística” (in: https://participe.cm-barcelos.pt/projetos/opb-ref-06-2019/)

A fase de inscrições acontece até 31 de janeiro seguindo-se a votação online de 7 a 21 de fevereiro.

O anúncio público dos projetos vencedores será feito até março de 2020.

Todos os documentos estão disponíveis na plataforma do https://participe.cm-barcelos.pt/.

“O Orçamento Participativo é um mecanismo de promoção da cidadania ativa e de democracia participativa e voluntária que assenta na consulta direta aos cidadãos, dando-lhes oportunidade de proporem e elegerem projetos de interesse para o Concelho”, que “pretende ser o resultado de uma gestão participada e informada, nos termos dos princípios e compromissos organizacionais relacionados com a aproximação da Administração Pública ao cidadão, e, naturalmente, com os valores da democracia participativa”, refere o Município em nota.

Imagem: CMB.

Barcelenses Inspiradores: 2019 revelador, 2020 surpreendente

Dezembro 28, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Chega ao fim mais um ano. 2019 foi marcado por momentos de uma intensidade desafiante. Momentos esses que nos fizeram remexer interna e externamente, revelando-nos, a cada dia, que tudo é constante descoberta e aprendizagem. Se achávamos que já muito conhecíamos e controlávamos, a vida tratou de nos desenganar. Estar aberto ao fluxo e correnteza da existência é melhor presságio. Enquanto co-criamos a nossa realidade, chegam até nós informações e sinais, basta que estejamos sintonizados com o Presente. Esse estado de presença, ou plena atenção, permite-nos observar os nossos pensamentos e as nossas emoções e, em função das situações, decidirmos como reagir. Este estado de consciência adquire-se com disciplina, mas, sobretudo, com comprometimento ao nosso processo de evolução espiritual. Nesse sentido, compreendemos que por este processo passamos todos, com diferentes ritmos, é certo, – somos seres únicos, jamais nos podemos comparar e/ou julgar -, e que não existe separação. Isto é, todas as nossas ações desencadeiam reações em nós e no próximo.



Também por isso, este ano, decidimos criar a rubrica “Barcelenses Inspiradores”. Este espaço tinha, e tem, a pretensão de ser um canal de comunicação com o público barcelense e não só. Ao contar histórias inspiradoras em nós reverbera a possibilidade do sonho tornado realidade. E todos temos um papel nesta história. Porque todos habitamos um palco. E esse grande palco tem os alicerces bem cimentados em Barcelos.

Agradecemos imenso a todos os que, até ao momento, participaram na rubrica e contaram a sua versão da história. Em 2020, entrarão neste “palco” novos personagens, novos adereços e novas paisagens. A vida não pára de nos surpreender, o “Barcelenses Inspiradores” também não.

Boas Festas e um extraordinário e inspirador 2020!

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Foto: DR.

Barcelenses Inspiradores: Sérgio Garrido

Dezembro 21, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Antónia Ruivo revelou-se e inspirou-nos na semana passada. Desta vez, ficaremos a conhecer melhor Sérgio Garrido, um apaixonado pelo Desporto e fundador da Fittraining Systems.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



O barcelense Sérgio Garrido sempre foi um apaixonado pela atividade desportiva. Desde jovem que o desporto esteve presente na sua vida, passando pelo karaté e futebol. Como professor de educação física sempre tentou ensinar aos seus alunos que os obstáculos precisam ser ultrapassados e que a luta pelos seus sonhos deve ser uma constante.

Como fundador da Fittraining Systems, procura inovar e contribuir para o desenvolvimento do fitness em Portugal.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

O meu nome é Sérgio Manuel Ferreira Garrido. Desde que me conheço que sempre tive uma enorme paixão pelo Desporto e Atividade Física. Gosto imenso de ajudar as pessoas, principalmente através da Atividade Física e do Desporto. Tenho na memória de muitas aulas que lecionei, que através da Educação Física podemos mudar a vida de um aluno, de uma criança, fazê-lo ver que o estabelecimento de objetivos na vida é extremamente importante para podermos “guiar o barco a bom porto”! Lembro-me da uma turma que tive nas escolas onde lecionei, no concelho de Barcelos, em que muitos dos miúdos não tinham nem sequer “sapatilhas” e propus-lhes ir ao “Dia Mundial da Criança” participar nos jogos sem fronteiras. Treinámos à chuva, quase sem material nenhum (barreiras, coletes, pavilhão, etc.) e, no final, alcançaram o 2º lugar na prova. Ficaram super felizes e para eles aquilo significava um enorme triunfo de crer, garra e determinação! A minha mensagem foi: “Levem isto que conseguiram para a vossa vida e nunca desistam dos vossos sonhos, lutem sempre até conseguirem…!

O que fazes é uma extensão de quem és?

Sou Licenciado em Educação Física e Desporto pela Escola Superior de Desporto de Rio Maior!

Na verdade, sim, toda a minha vida foi Desporto e Atividade Física. Comecei no Karaté aos 8 anos de idade. Aos 13 anos, como cadete, já competia nos Seniores e o meu mestre levava-me às competições todas de adultos, por isso tive que saber enfrentar desafios desde cedo.

Pratiquei futebol, ainda, no Gil Vicente Futebol Clube (camadas jovens), mas na altura havia muitos interesses económicos que se colocavam à frente de muitos miúdos talentosos, incluindo eu. Como muitos, desisti, não tive apoio familiar para continuar, mas se continuasse daria um excelente jogador de futebol (médio ofensivo)!

Hoje tenho uma empresa: Escola de formação em Desporto e Fitness (“Fittraining Systems®”)!

Foi um projeto em que depois de muitos anos a lecionar em escolas como professor de educação física e em ginásios como “Group Trainer” e “Personal Trainer”, em cadeias de ginásios como: Solinca, Holmes Places, entre outras, resolvi criar a minha própria empresa e dar uma “nova imagem”, marcar pela diferença na área do Desporto e Fitness! Em 2016 inscrevi-me no IPCA e fiz um curso de programação Web, onde durante o curso um professor me informou do concurso do IAPMEI “Voucher Start Up” ao qual me candidatei!

Ganhámos com um projeto de software que tinha desenvolvido “Personal Trainer Inteligent Web System”, uma plataforma inteligente de prescrição e avaliação de treino com inteligência artificial para “Personal Trainers”!

Hoje a Fittraining Systems®- SEG FITNESS – Escola de Fitness e Desporto (www.fittrainingsystems.com), com sede na Rua Elias Garcia, loja 230, 4750-144 Arcozelo-Barcelos, é uma escola certificada pela Direção Geral do Emprego e Relações de Trabalho e pela Agência Nacional para a Qualificação! Para além disso, temos já duas plataformas web para apresentar ao mercado nacional e internacional do mundo do Fitness! Para além disso, a empresa também oferece um conjunto de formações exclusivas/únicas, entre as quais destacamos:

  • Power Combat®
  • Power Cycling (BIAM)®
  • Jump Bound®
  • Power HIIT MIx Training®
  • Técnico Especialista em Exercício Físico
  • Curso de Personal Trainer
  • Formações Modulares (Fisiologia do Esforço, Metodologia do Treino, Marketing no Desporto, entre outras…)

De que forma impactas a vida do próximo?

Eu sou uma pessoa extremamente divertida, simpática, amigo do amigo e que gosta de ajudar o próximo! Ao mesmo tempo, como profissional, sou muito exigente com meus alunos, já que a minha vida toda foi “ensinar”, ajudar alunos a atingirem os seus objetivos e conseguirem ter sucesso na vida como profissionais e seres humanos dentro de uma sociedade!

Os meus alunos costumam dizer que “sou mau e bom ao mesmo tempo”! Isto quer dizer que sou exigente, que “não brinco em serviço”, mas também sei relaxar e brincar.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Pergunta difícil. Diria, essencialmente, para se acabarem com as guerras, com o ódio, com o racismo, com a xenofobia e tudo o que o “mal” faz a este mundo! Eu acredito que todos viemos ao mundo com uma missão e essa missão é de bem. Só que algumas pessoas deixam-se desviar para “maus caminhos”! Hoje, vejo os problemas climáticos como um sério problema, que na minha opinião só ficará resolvido com a redução de 80% de CO2 e outros gases maléficos ao meio ambiente! Mas para isso, os países industrializados teriam que abdicar de poder, dinheiro e, na verdade, não acredito que isso irá acontecer, infelizmente! Assim, como mensagem final, diria: deem-se todos bem e pratiquem o bem, ajudem quem está na vossa frente, ao vosso lado, não sejam promíscuos ao ignorar, por exemplo, um maltrato a um animal ao lado de vossa casa!

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

  • Bruce Lee
  • Ayrton Senna
  • Vários Cantores
  • Steve Jobs
  • Minha mãe, excelente mãe ao seu jeito.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

Carla Maria de Abreu Pereira, a minha Noiva.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê.

Pergunta difícil! Tenho vários, principalmente aqueles que se dedicam ao trabalho e fizeram de Barcelos uma cidade respeitada e conhecida no mundo inteiro!

Como gostarias de ser recordado?

Como uma pessoa que nunca passou dificuldades. Tive uma infância extremamente difícil. O meu pai foi militar, nunca tive aquela presença paternal, aquele apoio, aquele abraço!

Sinto-me orgulhoso do que alcancei e de, até agora, ter atingido todos os meus objetivos de vida, ou quase todos. Fui sempre um aluno exemplar e um atleta de Desporto de eleição e isso faz-me sentir orgulhoso! Gostaria de ficar recordado como o “Happy Fight One” (o “Lutador Feliz”), que apesar de todas as amarguras da vida, sempre tentei ajudar o próximo e colocar um sorriso no rosto dia a dia! Deixar uma mensagem positiva para as pessoas, que lutem sempre pelos seus sonhos e sejam unidos em família, em grupo de amigos e leais!

Obrigado, equipa do Barcelos na Hora.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: Antónia Ruivo

Dezembro 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Depois de a escritora Susana Pinto nos ter contado a sua história, revelamos um pouco do trajeto pessoal e profissional da psicóloga Antónia Ruivo.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Antónia Ruivo nasceu a 16/06/1983 em Barcelos. Exerce Psicologia desde 2007. Trabalha na AMAR 21 – Associação de Apoio à Trissomia 21 e outras Perturbações do Neurodesenvolvimento (http://amar21.weebly.com/amar21.html), no MODATEX – Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, Vestuário, Confecção e Lanifícios, Polo de Barcelos, e no B’Life wellness center & spa.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou a Antónia Ruivo. Sou Psicóloga com pré-especialização em Clínica e Saúde. Amo a profissão que abracei. Costumo imaginar que o consultório de um terapeuta é como um verdadeiro jardim! Nele chega todo o tipo de flor, planta e arbusto, cada qual numa fase diferente de desenvolvimento. Não podemos perder de vista que, para cumprir a sua tarefa, o jardineiro precisará, todos os dias, fazer do seu jardim um terreno fértil ao desenvolvimento de tudo o que ali cresce. Precisará ir a fundo no conhecimento da alma humana, assim como bom jardineiro, é conhecedor de todo o tipo de vegetação.

Na minha experiência, a partir de cada troca e relação, vejo brotarem no meu próprio jardim interno novas raízes e flores, que me tornam cada vez mais plena e mais humana. Espero um dia, como todo o terapeuta, que as sementes espalhadas dêem uma linda floresta, onde tudo possa viver em expansão e equilíbrio. Pois ser jardineiro é também sonhar com um mundo onde cada plantinha tenha o seu espaço e o seu valor.

O que fazes é uma extensão de quem és?

Sim, sem dúvida. Tudo o que abraço, entrego-me de paixão. Sem dúvida de que os trabalhos que exerço dentro da Psicologia, o que mais me move é a área da deficiência, nomeadamente, o trabalho que desenvolvo na AMAR 21 – Associação de Apoio à Trissomia 21 e outras Perturbações do Neurodesenvolvimento de Barcelos.

Iniciei a minha caminhada como voluntária, ajudei a constituir a associação e, desde então, esta paixão faz-me todos os dias querer lutar por estas crianças, jovens e adultos, para que possam ter as mesmas oportunidades na sociedade.

De que forma impactas a vida do próximo?

Penso que crio impacto na vida do próximo, sendo como sou, transmitindo as minhas paixões, o que me move, o que acredito. Uma pessoa amiga uma vez disse-me uma expressão de como me via, que realmente faz sentido e nunca havia pensado nisso: “Antónia, tu és a formiguinha”, ou seja, movo mundos e fundos, crio estratégias e tento encontrar soluções para os problemas que estão sempre por atrás dos “holofotes”; pois tudo o que faço, faço porque acredito de verdade e visto a camisola infinitas vezes para que se consiga alcançar o sucesso.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Diria o que digo sempre em qualquer ocasião em que pretendo colocar a sementinha no coração das pessoas, na sensibilização e mudança de mentalidades na aceitação e integração das crianças e jovens com alguma perturbação na sociedade. Uma frase que verbalizo e dita bem quem sou, é: “Cada um de nós é uma gota de água que cai no mar. Se cada uma dessas gotas lutar e acreditar que estes jovens são capazes, então o ‘mar’ será Diferente”.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

Sem dúvida alguma, a minha querida irmã. Infelizmente, partiu cedo, sem a vida dar tempo para despedidas. Deixou-me dois tesouros, o que mais de especial tenho na minha vida. Ela ensinou-me a cada dia ser melhor pessoa, a lutar pelos meus ideais e a “deitar as garras de fora” para defender o que acredito. Uma verdadeira guerreira, um ser humano especial. A minha alma gémea, e sei que todos os dias a minha estrela brilha, pois vê que continuo dia a dia a lutar por aquilo em que acredito.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

O Papa Francisco, sem dúvida. Pelo Ser Humano que é, por defender que todos temos direito à vida. Por acreditar que o mundo pode ser melhor, se as pessoas começarem a exercer boas ações uns para com os outros.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê.

Cada pessoa que se cruze no meu caminho inspira-me de alguma forma, pois acredito que todas as pessoas que passam na nossa vida, vêm trazer algo de novo. Umas vão-se e outras permanecem para nos ajudarem a continuar a semear boas sementes no terreno da vida. Mas, sem dúvida alguma, agradeço do fundo do coração a seis pessoas que pertencem ao meu núcleo mais íntimo: os meus pais, os meus sobrinhos, o meu cunhado e a minha super irmã, que fazem de mim muito do que sou hoje, inspirando-me a cada dia que passa que a vida é uma passagem e que temos de dizer a quem amamos o quanto os amamos e são importantes para nós.

Como gostarias de ser recordada?

Como alguém que conseguiu ser diferente, na Diferença. Alguém que conseguiu mudar e alterar a visão da sociedade perante a deficiência, onde a inclusão é mesmo possível de se fazer.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: Susana Pinto

Dezembro 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

A jovem Andreia Fonseca foi a nossa última entrevistada, dando agora vez e voz à escritora Susana Pinto.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Susana Pinto nasceu no dia 20 de novembro de 1975, sendo natural de Galegos S. Martinho. Desde muito nova que as suas paixões são a escrita e a fotografia. No ano 2000, participou no lançamento do livro de poemas “Antologia dos Jovens Poetas do Baixo Minho”, com o pseudónimo Beatriz Castelhana. Em 2008, publicou o livro infantil “Nini, a ovelha Corajosa”, com a apresentação da Associação Às Artes e do Dr. Victor Pinho, a quem agradece. Promoveu o livro nas escolas primárias de Barcelos e Vila Nova de Famalicão. Em 2015, a título particular, escreveu um livro dedicado à sua querida avó materna com as suas histórias e fotografias. Uma biografia. Ela adorou. Atualmente, está a escrever um livro, a publicar no próximo ano, onde relata histórias reais vividas pelos adolescentes e seus pais. Um livro de afetos e dilemas que vão surgindo. A fotografia é um hobby que a inspira. Com ele tem ganho alguns concursos que lhe dão muitas alegrias.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Considero-me uma pessoa simples, de bem com a vida. Sou muito descontraída. Facilmente, crio empatia com as pessoas que me rodeiam. Tento sempre ver o lado positivo de tudo. Dos maus momentos, aprendo sempre algo e, dos bons, fico com as recordações. No fundo, sou uma mulher resiliente. Considero-me alguém com um bom sentido de humor. Adoro viver e tudo o que faço tento fazê-lo com paixão e dedicação. E, raramente, desisto dos meus sonhos. Sou muito sonhadora, mas tenho os pés bem assentes na terra.

O que fazes é uma extensão de quem és?

Claramente. São paixões que me mantêm viva e com elas registo momentos, não só meus como de outras pessoas que vão aparecendo na minha vida. Não me imagino sem a escrita e a fotografia, porque já as considero como grandes companheiras.

De que forma impactas a vida do próximo?

Gostaria de acreditar que tenho influência positiva na forma como os que lidam comigo encaram a vida com alegria e determinação. Nem tudo é fácil, mas também não precisa de ser muito difícil. Gostaria de ser um bom exemplo de alguém que luta pelos seus objetivos.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Eu diria para viverem o momento, aproveitando o melhor que a vida nos possa dar e usufruir dos nossos talentos. Lutem pelos sonhos, com garra e paciência. Fazer acontecer é trabalhar com paixão para nos sentirmos realizados pessoal e profissionalmente. E banir a palavra DESISTIR do nosso vocabulário, pois se nos faz feliz estamos no caminho certo.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

As pessoas que mais me influenciaram foram os meus pais, a minha irmã e as minhas avós. O que aprendi com eles ajudou a moldar a pessoa que sou hoje. Quero também destacar o meu marido, que sempre me apoiou neste sonho de escrever e fotografar. Os meus filhos, que me ensinam bastante. Os meus amigos, que me apoiam. Todos me transmitem boas sensações.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

Gosta da escritora Helena Sacadura Cabral, que escreve com tanta espontaneidade que me fascina. Também é mãe e transmite-me uma sensação de paciência e naturalidade com questões relacionadas com os filhos.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê.

Os meus filhos, porque me inspiram a ser boa mãe. Ensinam-me diariamente o valor dos afetos e da importância que estes têm para nos melhorar. Inspiram-me a transmitir amor e bons sentimentos.

Como gostarias de ser recordada?

Gostaria de ser recordada como uma mulher simples que adora viver. Gostaria que dissessem que é muito fácil gostar de mim e que vivo cada momento de uma forma autêntica e genuína.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: Andreia Fonseca

Novembro 30, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

O judoca Nélson Azevedo foi a nossa inspiração da semana passada. Hoje, revelamos mais uma jovem que se tem caracterizado pelo empenho e dedicação que deposita em tudo o que faz.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Andreia Fonseca, 20 anos, serviu o Clube Cávado como atleta de patinagem artística durante, aproximadamente, 10 anos. Mantém-se ligada à modalidade, sendo atualmente treinadora no Leça Futebol Clube.

A jovem barcelense é Vice-Presidente da Assembleia Geral e Coordenadora do Departamento Administrativo e Financeiro do Projeto Universidade +. Este projeto barcelense tem como objetivo apoiar os alunos do secundário na transição para o ensino superior, descomplicando esta entrada. Esta jovem dinâmica integra também o grupo de teatro Tom de Festa- TAS´S em Campo.  

A par de tudo isto, Andreia Fonseca frequenta o 3º ano da Licenciatura em Bioquímica na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Porque em todo o lado que passa, Andreia “arregaça as mangas” e age, na Faculdade é membro da Comissão de Acompanhamento do seu ciclo de estudos. Esteve durante dois anos como Vogal do Departamento Desportivo da AEFCUP e a sua lista foi a vencedora para mais um mandato. Recentemente, a lista a que pertencia ganhou as eleições para o Conselho Pedagógico da FCUP. Encontra-se a estagiar na FFUP, na área alimentar.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces. 

Sem dúvida que essa deve ser das perguntas mais difíceis que nos podem fazer ou de nós fazermos a nós mesmos. Mas algo que me caracteriza é que sou daquelas meninas “com bichinhos carpinteiros”. Estar parada e não ter nada para fazer não é nada comigo. Preciso de andar de agenda completa (risos).

O que fazes é uma extensão de quem és?

Claramente. Transmitir aquilo que aprendi aos outros e defender aquilo em que acredito, dando sempre o meu melhor. Entrego-me sempre ao máximo naquilo que faço.

De que forma impactas a vida do próximo?

Acho que quem melhor iria responder a esta questão seriam os outros. Contudo, eu pretendo sempre auxiliar os outros naquilo que posso, daí alguns dos projetos em que estou envolvida terem um cariz de voluntariado/ ação social.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

O mais óbvio a responder claro que seria a paz, o amor…mas as pessoas esquecem-se que para haver tudo isto, acho que é preciso apelar primeiro ao respeito, gratidão e compreensão.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

Acho que todas as pessoas que conheci ao longo da minha vida me influenciaram. O ser humano tem a tendência de imitar o outro. Alguns devem perguntar-se: e as más influencias? Sim, já tive, e muitas, mas cabe a cada um pegar nisso e reverter e tornar que isso se torne uma boa influência para nós. Também se aprende muito com os erros dos outros e com os nossos.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

É impossível escolher uma! Gosto de personalidades fortes e que me inspirem a ser melhor. 

Diz-nos um barcelense que te inspire.

Sinceramente, o barcelense que me inspira foi variando ao longo da minha vida. Acho que em cada fase houve, claro, alguém que eu tomava como exemplo, mas foi sempre algo a curto prazo, porque isso definiu um bocadinho a minha personalidade naquele momento e depois eu fui-me moldando à minha maneira.

Como gostarias de ser recordada?

Eu quero deixar uma marca diferente em cada pessoa, pois há experiências/momentos únicos com cada determinada pessoa. Não quero ter uma imagem uniforme, no entanto, ser a menina inquieta, a patinadora, o andar de sorriso de orelha a orelha, serão sempre marcas que deixarei em todos.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Fotos: DR.

Barcelenses Inspiradores: Nélson Azevedo

Novembro 23, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Na sequência da entrevista à terapeuta Lúcia Duarte, apresentamos, esta semana, o judoca Nélson Azevedo.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Nélson Azevedo é um cidadão barcelense que tem uma paixão pelo desporto, principalmente, pelo Judo, que pratica desde os seus 13 anos. Foi um desporto que o cativou desde o seu primeiro treino, na altura, no Judo Clube de Barcelos. Na sua carreira de atleta, foi destacado com várias chamadas para a seleção Nacional, 2 títulos de campeão nacional de sub-23, várias vezes vice-campeão nacional de seniores, entre outros.

Mais tarde, tornou-se treinador na Associação Desportiva e Cultural de Manhente, onde tenta levar os seus ensinamentos a todos os seus alunos, fazer deles atletas de referência, mas, principalmente, bons cidadãos para a vida. Como treinador, já formou vários campeões nacionais e zonais em todos os escalões, e, neste momento, tem vários atletas convocados a representar Portugal.

Recentemente, foi convocado pela federação portuguesa de judo como treinador para acompanhar a equipa de juniores a um torneio internacional.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Sou uma pessoa ansiosa e perfecionista em todos os projetos que me são propostos. Sou, também, uma pessoa calma, pois é um dos princípios do Judo trabalhar o autocontrolo             .

O que fazes é uma extensão de quem és?

Sem dúvida que sim, ajudou-me bastante em certas situações da vida. É um desporto que recomendo a todas as pessoas, pelos seus princípios. Orgulho-me de ter escolhido esta modalidade para a minha vida, pois, de certa maneira, ajudou-me a ser a pessoa que sou hoje e a ser uma referência para os meus alunos. É um desporto para a vida.

De que forma impactas a vida do próximo?

Sendo eu treinador, e tendo tantos atletas como tenho, sinto que sou uma espécie de motivação para eles.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Diria para fazerem aquilo que mais amam, nunca desistirem dos seus sonhos, como eu fiz, porque não há impossíveis. Diria, também, para todas as pessoas experimentarem o Judo, pois não se iriam arrepender.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

Ao longo da minha vida, quem mais me influenciou e não me deixou desistir dos meus sonhos foram, sem dúvida, os meus pais; mas também o Norberto Vale, que foi meu treinador quando eu era atleta, e sempre me apoiou. E, mais recentemente, na minha vida tenho também a minha esposa, Eva Barbosa, que me ajuda e apoia bastante, e que sei que se orgulha muito do meu trabalho.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

As figuras que tomo como exemplo são o Pedro Soares, treinador de Judo do Sporting, e o seu atleta Jorge Fonseca, campeão do mundo.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê.

O meu amigo Manuel Vilas Boas, que é uma pessoa incansável, que está sempre pronto para me ajudar no Judo. É uma pessoa a quem devo muito no que se refere ao sucesso do nosso clube.

Como gostarias de ser recordado?

Gostaria de ser recordado como uma pessoa bem-disposta, simples, humilde e que, de alguma forma, teve influência na vida de certas pessoas, como, por exemplo, dos meus atletas.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Barcelenses Inspiradores: a terapeuta Lúcia Duarte

Novembro 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Entrevistas, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Após termos apresentado o percurso da investigadora Inês Torres, esta semana é a vez de conhecermos a terapeuta Lúcia Duarte.

Se tiver interesse em participar ou em sugerir alguém inspirador para esta rubrica, escreva para o email: barcelensesinspiradores@outlook.pt.



Lúcia Duarte nasceu a 24 de dezembro de 1984 em Galegos Santa Maria. É licenciada em Animação Sociocultural, mas teve a necessidade de complementar a sua parte académica com o conhecimento espiritual.

Foi escuteira durante 17 anos, onde aprendeu a ajudar o próximo. Contudo, foi em 2002, como uma das primeiras bombeiras de Barcelos, que pôde colocar tudo isso em prática e quando sentiu que a sua missão estava concretizada, houve o que considera ser de “chamamento” e começou a ajudar pessoas na parte “física, mental, emocional e espiritual”, usando as terapias complementares, ditas como alternativas, que ainda são um grande tabu para a maioria dos barcelenses.

Sendo que esta grande aventura nas terapias complementares começou com o convite da fisioterapeuta Joana Novo para trabalhar no espaço dela, mas rapidamente percebeu que teria de criar algo que fosse diferente e que pudesse chegar a mais pessoas. Então, com um “empurrãozinho” de Olinda Ribeiro, nasce o projeto “Reikilibrate – Hospital da Alma”, onde, juntamente com Susana Ricardo e Patrícia Marques, ajudam todo o tipo de pessoas com variadas terapias a baixo custo, como meditação, Reiki, terapia multidimensional, Yoga kids, Yoga familiar, hipnose, constelações sistémicas familiares, leitura de aura, eventos de expansão de consciência, entre outros. No entanto, uma boa parte do mesmo é com base no voluntariado, uma vez que estas terapias são cada vez mais procuradas, mas nem todos têm a capacidade financeira para o fazer (exemplo dos reformados com baixos rendimentos); e no anonimato, uma vez que zelam pela integridade de todos os doentes oncológicos que vão auxiliando, juntamente com uma equipa de voluntários que cresce a cada dia que passa.



Quem és tu? Conta-nos quem és apenas como tu te conheces.

Olá a todos! Eu sou a Lúcia, sou uma mulher com feições fechadas, mas que é a alegria personificada, uma sonhadora que gosta de ver o mundo que me rodeia mais além do que o que temos, e que, por isso, gosta de quebrar padrões sociais através da expansão da consciência, usando a ação, a comunicação e todo o dinamismo que me é possível. Sou alguém que gosta de aventura, desafios e, sobretudo, de uma boa jantarada em família ou com os amigos. Claro que nem tudo é uma maravilha e tenho um mau acordar e sou muito rabugenta de manhã (risos). Sou alguém que ama ler, pois sou extremamente curiosa e adoro aprender, mas também gosto de passar um dia super chuvoso deitada no sofá a ver um bom filme e a comer pipocas.

O que fazes é uma extensão de quem és?

Claro que sim, não deixo nunca de cuidar de mim, pois se não estiver bem comigo mesma não consigo ajudar os outros. De uma forma muito natural e instintiva, ajudar o outro é o que me faz feliz, e, quando fazemos o que gostamos, os desafios tornam-se apenas um degrau para realizarmos os nossos sonhos. Logo, o que faço é uma extensão do que eu sou.

De que forma impactas a vida do próximo?

Muitas pessoas precisam de se sentir sempre amadas, rodeadas de pessoas que as bajulem, ou de se sentirem intelectual ou socialmente melhor do que as outras pessoas. Mas quando percebem que esse não é o caminho, chegam até mim já com um problema que parece o bicho papão e lamentam-se disto ou daquilo, e eu digo: “chega de mimimi, vamos é trabalhar!” (risos). E é assim que eu sinto que crio impacto na vida do próximo, quando consigo ajudar quem me rodeia e, sobretudo, aqueles que me procuram fazendo deste modo os outros sentirem-se a parte mais especial de si mesmos e transformando o bicho papão numa lição de vida que os leva à vitória; e, sinceramente, sinto sempre que a vitória deles é a minha própria vitória.

Se pudesses ter a atenção do mundo durante 5 minutos, o que dirias ou farias?

Diria ao mundo que muitas pessoas devem a grandeza das suas vidas aos problemas e obstáculos que tiveram de vencer na vida, por isso, pega na melhor parte do pior problema que tens e transforma em algo grandioso.

Ao longo da tua vida, quem foram algumas das pessoas que mais te influenciaram?

Sem dúvida alguma, os meus pais, que sendo pessoas simples do campo são pessoas dotadas de uma grande bagagem cultural e que sempre me diziam “os estudos e o conhecimento são a enchada da vida, faz por seres alguém e alguém serás ”. E foram eles que me passaram o gosto pela leitura, não só a mim como às minhas irmãs, e até os próprios netos que já devoram livros. Também B.P., o fundador do escutismo, é uma referência para mim, e quando tenho dúvidas sobre o lutar pela mudança e quebrar padrões de pensamento/comportamento social, lembro-me sempre do que ele disse, “deixa o mundo um pouco melhor do que o encontraste”, e vou à luta.

Atualmente, que figuras de influência tomas como exemplo?

Nenhuma em especial, mas confesso que tenho uma inclinação para o nosso Presidente da República, uma vez que este demonstrou que, apesar do cargo que ocupa, também se pode ser humano, mostrando que as pessoas não são apenas números.

Diz-nos um barcelense que te inspire e porquê

Sem dúvida nenhuma, que Paula Costa, a mulher do Presidente dos Amigos da Montanha, pois aqui aplica-se mesmo muito bem o provérbio que diz que “por detrás de um grande homem está sempre uma grande mulher”; e, sim, ela é mesmo uma grande mulher e muito especial!

Como gostarias de ser recordada?

Fácil, fácil: gostaria de ser lembrada pelo sorriso com que recebo as pessoas e pelos abraços que lhes dou, e talvez como alguém que fez o melhor que podia com o talento que tinha.

Por: Sandra Santos (Poeta e Tradutora) e Iara Brito (Criminóloga)*.

(* A redação do artigo é única e exclusivamente da responsabilidade das autoras)

Ir Para Cima