Tag archive

Barcelos

Vereadores da oposição abandonam reunião de câmara e pedem eleições intercalares

Outubro 20, 2019 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Troca de comunicados com duras críticas entre PSD e PS

A reunião da Câmara Municipal de Barcelos do passado dia 18 de outubro foi tudo menos pacífica, com os vereadores da oposição – PSD, CDS e BTF – a saírem, um a um, da reunião por entenderem não estarem reunidas as condições para que a reunião decorresse de forma normal. Após a chegada do Presidente da Câmara e dos restantes vereadores com pelouros atribuídos, e em seguida ao momento de cumprimentos – Miguel Costa Gomes recusou-se a cumprimentar os vereadores da oposição por, referiu mais tarde, não pretender cumprimentar o vereador José Novais, que o tem criticado constantemente, e, para não estar a não cumprimentar apenas um dos vereadores, decidiu não cumprimentar todos – os vereadores Mário Constantino, José Novais, Mariana Carvalho (PSD), António Ribeiro (CDS) e Domingos Pereira (BTF), saíram da sala, sendo informados pelo Presidente de que lhes seria marcada falta injustificada.



Mais tarde, o PSD Barcelos fez chegar às redações a declaração de votos dos seus vereadores, que passamos a transcrever na íntegra, onde elencam as suas justificações para saírem da reunião e exigem eleições intercalares:

«Reunião de Câmara de 18 de outubro – As posições dos Vereadores do PSD

Período de Antes da Ordem do Dia

Declaração Política dos Vereadores do PSD

Período Antes da Ordem do Dia – reunião 18.10.2019

O Partido Socialista ganhou, sem maioria, as eleições autárquicas de 2017. Meses mais tarde, viria a ter a maioria, através de um acordo individual e publicamente desconhecido, com um vereador da oposição. A maioria então obtida, embora conseguisse fazer aprovar algumas propostas em reunião de câmara, tem vindo a estar muito longe de garantir estabilidade ao executivo, sendo notório o desconforto e a falta de coesão dos vereadores que o compõem. Além disso, e muito mais crítico do que a falta de coesão, é a falta de conhecimento e/ou transparência demonstradas em vários assuntos graves e, por isso, de superior interesse, tais como: o caso da água, da linha de muito alta tensão, do novo hospital, do aluguer/compra do parque da Barreta, do aluguer/compra dos camiões do lixo, do futuro da EMEC, da perseguição a funcionários, das obras sem licenças, do desaproveitamento de financiamentos comunitários, entre outros, para os quais foi sendo usado abusivamente o argumento de (passo a citar) “ser um assunto de elevada complexidade” para não dar respostas ou para justificar o atraso ou inércia do executivo.

Toda esta situação viu-se agravada, aos olhos de todos, há cerca de 5 meses, com a detenção e consequente aplicação de medidas de coação impostas ao Presidente da Câmara. Desde então, vive-se a história mais triste e insólita da democracia barcelense. Isto porque, apesar de todas as limitações, o Presidente da Câmara entendeu que poderia manter-se em funções. As reuniões de câmara foram então presididas pela Vice-presidente que nunca prestou qualquer esclarecimento, in loco, sobre qualquer assunto urgente para o concelho. Nas assembleias municipais verificou-se um cenário semelhante.

Sempre entendemos ser inaceitável que se colocasse os interesses da legítima defesa do Presidente de Câmara à frente dos interesses de todos aqueles que representa. Por isso, nos momentos adequados, fomos exigindo, para o bem de Barcelos, ou a suspensão ou a renúncia do mandato.

A situação agudizou-se quando o Presidente da Câmara, ao invés de atribuir mais competências aos seus vereadores, privilegiou a delegação dos poderes em pessoal, por si nomeado, a exercer funções no gabinete da presidência, perante uma aparente e constrangedora passividade e silêncio cúmplice do executivo. A situação agudizou-se, também, quando autarcas e instituições se viram obrigadas a reunir com o presidente na sua residência. A credibilidade e dignidade do órgão Câmara Municipal ficaram irremediavelmente comprometidas.

Na semana passada, o Tribunal da Relação determinou, mediante caução, a restituição do cidadão Miguel Costa Gomes à liberdade. Contudo, a Relação manteve a proibição do Presidente contactar com os funcionários do município e reforçou os indícios fortes de corrupção passiva e prevaricação.

Incontestavelmente, a alteração daquela condição conduz a grandes mudanças no campo pessoal. No entanto, à luz da política e da própria operacionalidade da gestão do município (que é o que nos traz aqui), a limitação mantém-se. O Presidente não pode acompanhar uma obra com um técnico, não pode esclarecer-se com os Serviços Financeiros ou aferir necessidades e/ou constrangimentos com os Recursos Humanos.

Não conseguimos discernir que tipo de gestão é esta.

Além disso, a imposição da presença de um presidente com estas limitações na câmara causa desconforto e constrangimento a quem diária e livremente cá trabalha, sendo necessários malabarismos anómalos, como é manifesto nesta reunião, e que deveriam ser desnecessários se houvesse decência no desempenho de cargos públicos.

O desgaste é já óbvio e, estamos certos, não foi neste mandato, carregado de restrições, que os Barcelenses confiaram quando foram às urnas em 2017.

Aliás, é já esse, também, o sentimento que se vive no seio do partido socialista, basta atentar nas declarações públicas e posições vindas a público, feitas por destacados militantes do partido socialista, nomeadamente candidatos a deputados e membros do executivo camarário que anunciam e desejam uma alteração no rumo e na liderança dos destinos da Câmara de Barcelos.

Por todos os motivos enunciados, e para defesa da dignidade, estabilidade, confiança, credibilidade e normalização do funcionamento da Câmara Municipal de Barcelos desafiamos o Presidente da Câmara, o executivo e o Partido Socialista a devolverem a palavra aos Barcelenses através de eleições intercalares.

Porque queremos deixar claro que não permitiremos que se tente normalizar o que écompletamente exótico e disfuncional, por não pactuarmos com toda esta encenação que desprestigia Barcelos e os Barcelenses e porque temos sérias e fundadas dúvidas de como pode decorrer uma reunião que impeça a presença de funcionários municipais, mesmo que seja necessário algum esclarecimento técnico ou, no caso de uma reunião pública como a de hoje, em que os mesmos funcionários não possam participar na qualidade de cidadãos, não participaremos nesta reunião, até ser dada prova cabal da possibilidade legal de a mesma ocorrer nestes moldes.

Barcelos, 18 de outubro de 2019, Os Vereadores do PSD»

Entretanto, e ainda no dia 18 de outubro, o PS Barcelos, através da sua página na rede social Facebook, lançou um comunicado repudiando a atuação dos vereadores da oposição, incidindo mais nos do PSD, o maior partido da oposição. Segue-se o referido comunicado, na íntegra:

«PSD abandona os Barcelenses

Ao abandonar a reunião de hoje, sexta-feira, da Câmara Municipal de Barcelos, a oposição, mais particularmente o PSD, abandona, mais uma vez, os Barcelenses.

A coligação negativa constituída por todos os vereadores da oposição, mais preocupada com os seus interesses partidários e pessoais, tenta impedir que os problemas dos barcelenses, das juntas e uniões de freguesias e das suas instituições, sejam resolvidos.

Depois de termos assistido a um abandono que colocou em causa projetos comunitários, a resolução das questões de recolha de resíduos; o Barcelos Bus e outros projetos e apoios muito relevantes para o desenvolvimento do concelho, a oposição municipal e particularmente o PS, como principal partido da oposição, voltaram, hoje, sexta-feira, a mais uma atitude que comprova o seu desinteressar por Barcelos.

A coligação negativa da oposição diz defender o princípio de presunção de inocência, que imaginemos sirva apenas para os vereadores da oposição constituídos arguidos ou que se encontram sobre investigação dos meios judiciais, querendo impor ao Presidente da Câmara Municipal de Barcelos uma decisão que, objetivamente, não só viole esse princípio constitucional, como o faça, também, em relação ao princípio da separação de poderes.

O caso judicial em apreço, pelo seu mediatismo e sistemáticas violações do segredo de justiça é, hoje, por todos sobejamente conhecido e assume fortes contornos políticos. Um processo que esteve parado nos últimos meses e que após as eleições legislativas teve uma decisão do Tribunal da Relação do Porto, que permitiu perceber que a medida de coação era desajustada, desproporcional e desnecessária, faz referências a contratos cuja legalidade nunca foi colocada em causa e, como também é do conhecimento público, dos 28 contratos efetuados com a empresa em questão, 21 foram efetuados pelo atual vereador da oposição, Domingos Pereira.

“À Justiça o que é da Justiça. À política o que é da política.” Esta famosa frase do léxico político, não pode ser usada apenas na sua vertente retórica, devendo, antes, ser assumida em toda a sua plenitude.

PSD Barcelos pediu a suspensão ou a renúncia dos seus responsáveis envolvidos na operação Tutti-Frutti!?

O PSD Barcelos pediu a suspensão ou a renúncia do seu líder, então presidente de junta aquando das investigações e fortes indícios, segundo o ministério público, de dois crimes de peculato!?

O vereador da oposição e líder do BTF pediu a suspensão ou renúncia do seu mandato aquando da sua constituição como arguido!?

Consideramos que não o deveriam ter feito, até que se apurem os factos e que sejam julgados com sentença transitada em julgado, mas para a oposição há dois pesos e duas medidas, consoante o seu interesse particular.

Ao abandonar a reunião de Câmara de hoje, sexta-feira, a coligação negativa abandonou os Barcelenses e em particular os alunos dos jardins de infância e suas famílias, a delegação de Barcelos da Liga Portuguesa Contra o Cancro, a APACI, os Bombeiros de Barcelinhos, a Associação Clube Moto Galos, o IPCA, a ACIB, Óquei Clube de Barcelos, Núcleo Desportivo “Os Andorinhas”, a Associação de Patinagem do Minho, o grupo Folclórico de Barcelinhos, as freguesias de Perelhal, Galegos S. Martinho, Alvelos, União de Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescaínha, União de Freguesias de Chorente, Goios, Courel, Pedra Furada e Gueral, União de Freguesias de Durrães e Tregosa, União de Freguesias de Gamil e Midões, União de Freguesias de Viatodos, Grimancelos, Minhotães e Monte Fralães e a União de Freguesias de Alvito (S. Pedro e S. Martinho) e Couto, que merecidamente usufruirão das propostas aprovadas pelo executivo municipal do PS com o apoio do vereador José Pereira.

Da nossa parte, mantemos a profunda convicção de inocência do Presidente Miguel Costa Gomes, reforçada pela decisão do Tribunal da Relação do Porto e o sentido de responsabilidade conferido pelos Barcelenses para fazer mais e melhor por Barcelos.»

Talvez na tentativa de não deixar o PS Barcelos sem resposta, o PSD Barcelos enviou novo comunicado às redações, datado de 19 de outubro, onde refuta acusações dos socialistas e exige “responsabilidade política” aos dirigentes do PS Barcelos, ao Presidente da Câmara e aos Vereadores. Leia o referido comunicado, na íntegra:

«NÃO PARTICIPAR NA REUNIÃO PARA DIGNIFICAR BARCELOS – A resposta que se impõe ao PS

O PSD Barcelos repudia veementemente o COMUNICADO DO PARTIDO SOCIALISTA sobre a reunião da Câmara de ontem, dia 18 de outubro, a qual não teve a participação dos 5 Vereadores da Oposição pelos motivos sobejamente divulgados pelos meios de comunicação social.

1º Não é o PSD que tem um presidente de Câmara arguido, a quem foram aplicadas medidas absolutamente restritivas do exercício das suas funções – proibido de contactos com funcionários da Câmara e de empresas com as quais fez ajustes diretos, por suspeitas e fortes indícios de corrupção e prevaricação nas funções de Presidente da Câmara;

2º Não é o PSD quem andou num corridinho de nomeações de delegação de poderes, dentro do executivo PS, ora nos Vereadores, ora nos assessores, ora em agentes sem poderes para tal;

3º Não foi o PSD quem nos últimos meses colocou a Câmara de Barcelos à deriva, sem uma política de governação séria e estruturada, abandonou o concelho à sua sorte, permitindo que outros concelhos vizinhos galopassem à velocidade luz em políticas de crescimento e fomento, perdendo milhares de euros e oportunidades de acesso a fundos comunitários;

4º O comunicado do PS pretende fazer dos barcelenses pessoas ignorantes e incapazes, na medida em que de forma desonesta desvirtua completamente a posição tomada pelo PSD na reunião de 18/10, a saber:

a) O PSD tem vindo a pedir suspensão, renúncia e eleições intercalares, baseado na LIMITAÇÃO evidente do Presidente da Câmara (em não poder contactar com os funcionários) e não, como querem fazer crer, por causa da sua qualidade de arguido;

b) No entanto, e como é evidente, o facto de a limitação advir de suspeitas de condutas impróprias no exercício de cargos públicos e de obstaculizar de forma direta a possibilidade de uma gestão eficiente e transparente não pode ser considerado mero detalhe;

5º Quem mistura política com justiça é o próprio Partido Socialista com um comunicado muito pouco sério, que em nada dignifica a democracia – o Sr. Miguel Costa Gomes tem todo o direito a uma defesa cabal e séria, mas, também o dever de ser um político sério e, uma vez impedido de exercer as funções para que foi eleito – deveria ter a seriedade de colocar de imediato (tal qual o fez o Autarca de Santo Tirso) o seu cargo à disposição.

Exige-se dos Dirigentes do PS Barcelos, do Presidente da Câmara e dos Vereadores – responsabilidade política.

Barcelos, 19 de outubro de 2019.»

No final da reunião, Miguel Costa Gomes salientou que “não há qualquer impedimento legal” para continuar o exercício do seu mandato, sendo que tem apenas a limitação de não poder contactar com os funcionários, algo que levou a que fosse feito um ajustamento para se ultrapassar essa limitação. Mais, o edil afirmou estar de consciência tranquila e a aguardar o desenrolar do processo de uma forma “serena, confiante e tranquila”.

O vereador do CDS, António Ribeiro, questionou, igualmente, a legalidade da situação e lamentou a «anormalidade» que diz reinar na Câmara de Barcelos, desafiando Costa Gomes a suspender o mandato enquanto decorrer o processo judicial em que é arguido.

Já Domingos Pereira, vereador do BTF, afirmou que com esta situação, “não há condições políticas objetivas” para que o executivo possa continuar a exercer o seu mandato. Afirmou, ainda, que está num momento de “avaliação pessoal”, no sentido de decidir se continua como vereador ou se suspende ou renuncia ao seu mandato.

Estão abertas as inscrições para a 6ª edição da “Galo’s Urban Race – 3h Resistência BTT”

Agosto 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Com partida e chegada na Avenida da Liberdade, as 3h Resistência de BTT, designada por “Galo’s Urban Race”, é um empolgante desafio dirigido aos amantes do ciclismo, nomeadamente de BTT.



Será disputada em circuito, com base no centro histórico da cidade, extensível às áreas verdes (jardins), à zona fluvial, às ruas de empedrado, recantos e locais recônditos, onde cada local está interligado à riquíssima História e Património Barcelenses.

Pelo segundo ano consecutivo, a “Galo’s Urban Race” estará integrada no “Troféu Urban Race”. Este Troféu é composto por 5 provas de resistência de BTT, que levará os participantes a desfrutar das magnificas paisagens urbanas do norte do país.

A “Galo’s Urban Race” será a 4ª prova deste Troféu, que decorrerá a 7 de setembro de 2019, no centro da Cidade de Barcelos.

As inscrições podem ser feitas no site oficial do “Troféu Urban Race”: https://www.trofeuurbanrace.pt/ ou diretamente no link https://plataformadeinscricoes.com/urbanrace/addinsc.php?id=NQ (basta clicar para aceder automaticamente).

Os preços são:

Solo – 12,50€

Duplas – 20€

Triplas – 30€.

Imagem: DR.

Caminhos de Fátima 2019: 2ª etapa (Barcelos a Rates) a 14 de julho

Julho 8, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

Depois da 1ª etapa, realizada ontem, que ligou Balugães a Barcelos, com passagens por Aborim, Tamel São Fins, Lijó, Vila Boa e Abade de Neiva, num percurso de aproximadamente 15km, agora é a vez da 2ª etapa, que ligará Barcelos a Rates.



No próximo dia 14 de julho, pelas 12h00, os participantes terão pela frente novamente perto de 15km, passando por Barcelinhos, Carvalhal, Pereira, Pedra Furada, Courel, Gueral, Macieira de Rates e Rates. Haverá transporte de Rates de volta para Barcelos.

Tal como na etapa anterior, quem pretender, pode iniciar a etapa em diferentes pontos do percurso.

Imagem: CMB.

Joaquim Sousa vence Matosinhos City Race 2019

Abril 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No último sábado, dia 13 de abril, realizou-se a Matosinhos City Race 2019, prova organizada pelo Grupo Desportivo 4 Caminhos, da Senhora da Hora.



Nesta prova com partida e chegada na casa da Arquitetura de Matosinhos, os atletas foram brindados com percursos que os levaram pelas várias zonas emblemáticas da zona, como foram os casos do porto de pesca, mercado municipal e os belíssimos jardins da cidade.

Em termos de resultados, o atleta barcelense conseguiu mais uma vitória e, assim, manteve o pleno de vitórias no Ranking de 2019.

A sua próxima prova será “em casa”, nos dias 27 e 28 deste mês, em Barcelos, nos Campeonatos Nacionais de Distância Longa e Sprint (provas organizadas pelos Amigos da Montanha).

Em nota, Joaquim Sousa agradeceu à Serfisio Barcelos e à Escola Pé de Dança pelo apoio.

Fotos: DR.

Natação dos Amigos da Montanha com 37 pódios no Torneio de Inverno

Janeiro 23, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A equipa de natação dos Amigos da Montanha/Becri participou, no último fim de semana, no Torneio de Inverno Absolutos, realizado em Barcelos.



Destaque para os 37 lugares de pódio alcançados, com as medalhas a dividirem-se pelas: 14 de ouro, 14 de prata e 9 de bronze. Os 20 atletas presentes – 8 infantis, 4 juvenis e 2 seniores -, nesta que era uma prova de aferição e preparação, conseguiram 49 recordes pessoais em 75 provas nadadas, merecendo realce, ainda, o facto de sete atletas conseguirem alcançar o 1º lugar em pelo menos uma das provas nadadas.

De salientar as prestações de Nuno Coelho (júnior) e João Remelhe (Infantil A), que conseguiram três vitórias cada em quatro provas.

Em destaque estiveram, também, Beatriz Silva (Infantil A), que conseguiu o tempo de acesso (TAC) para os Campeonatos Zonais e Nacionais de Infantis, nos 100 costas, e para os Zonais, nos 400 livres, e João Remelhe (Infantil A), ao alcançar o TAC para os Campeonatos Zonais de Infantis aos 200 mariposa.

Foto: DR.

Surpresa em Vila Cova

Janeiro 23, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Mais um fim de semana, mais uma jornada dos campeonatos da Associação de Futebol de Braga, com as equipas barcelenses a conseguirem, na generalidade, bons resultados. No entanto, houve surpresas a realçar.



No Pro-Nacional, o Santa Maria FC (12º) continua a recuperar e adicionou mais uma jornada sem perder, vencendo em casa o Airão (17º) por 1-0. Na próxima jornada desloca-se a terras vimaranenses para defrontar o Brito (11º), que tem os mesmos pontos da equipa de Galegos Santa Maria.

Na Série A da Divisão de Honra, houve surpresa em Vila Cova, com o MARCA (8º) a ser goleado em casa pelo Vila Chã (11º), por 0-4. Na jornada que se segue, joga em Terras de Bouro (9º), direto perseguidor.

Outro resultado digno de realce é o bom empate do Pousa (5º), a 0, no terreno do Águias da Graça (2º). O seu próximo jogo, novamente fora, é o dérbi com o Águias de Alvelos.

Novo realce para o FC Roriz (7º), que recebeu e goleou, por 5-0, o São Mamede (15º). Segue-se a difícil deslocação ao Dumiense, líder desta Série.

Bem posicionado na tabela, o Martim (3º) levou de vencida, em casa, o Esporões (14º), por 2-0. De seguida, tem novo jogo caseiro, recebendo o Águias da Graça, num jogo grande entre 3º e 2º.

Por fim, o Águias de Alvelos (13º) deslocou-se a casa do Guilhofrei (12º) e trouxe de lá um empate a 0. Tal como referido, a equipa de Alvelos recebe, na próxima jornada, em dérbi, o Pousa.

Finalmente, na Série A da 1ª divisão, o líder Viatodos voltou à normalidade, vencendo por 0-2 em casa do Operário Famalicão (13º). Na próxima jornada recebe, em dérbi, os Sub-23 do FC Roriz (14º).

Por falar nestes últimos, a equipa “B” de Roriz recebeu o Mouquim (9º) e empatou a 1.

Num jogo equilibrado, o Ucha (7º) empatou a 1 na receção ao Calendário (6º). Na jornada que se segue, tem novo jogo exigente, em casa do São Cosme (3º).

Em 10º, o Granja não conseguiu evitar a derrota caseira frente ao Delães (8º), por 0-1. Na próxima jornada, desloca-se ao terreno do “lanterna vermelha” Antas (15º), que ainda não pontuou neste campeonato.

Para terminar, o dérbi entre o Carreira (12º) e o “Os Ceramistas” (11º) terminou empatado a 1 bola. Os primeiros defrontam o vizinho Mouquim; já os segundos recebem o difícil Fradelos (2º) na jornada que se segue.

Fotos: SMFC/AFCM/ARCG/FCR/CFOC/GFCP.

O associativismo e espírito comunitário no Concelho de Barcelos

Novembro 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Pedro Sousa

Caro leitor,

Quando iniciei esta empreitada de ser o diretor deste singelo e humilde jornal online, fazendo parte do conjunto de pessoas que o fundou, não me passava pela cabeça o tamanho das “fundações” que tinha que ajudar a criar.



Vamos por partes. Primeiro, quando digo “singelo”, estou, obviamente, a usar de comicidade para nos divertirmos um pouco! Segundo, “humilde” porque é um projeto em que nenhum dos seus participantes aufere qualquer tipo de remuneração e/ou ajudas de custo. Sim, nenhum! Nem o diretor – eu –, nem os editores, os colaboradores e, mesmo, os nossos colunistas, a quem aproveito o ensejo para agradecer imenso pela dedicação. Por isso, é usual e compreensível que alguns deles não escrevam de quando em vez, porque a vida pessoal e profissional deles a isso “obriga”…e quem sou eu para os “censurar”?!

É por isso, também, que ainda não conseguimos ter um corpo jornalístico que nos permita cobrir o máximo de eventos possível, jogos, campeonatos, festas, entre outros. Ou cobrir acidentes, assuntos de política e outros casos. Por tal, tenho vindo, de quando em vez, a fazer a nossa “contrição” por não conseguirmos mesmo noticiar e/ou fazer o que desejaríamos. Mas isso são problemas nossos com os quais temos que lidar e tentar, com tempo e sustentabilidade – sim, porque não daremos “passos maiores do que as nossas pernas”, hipotecando o futuro do projeto e, até, o nosso pessoal –, menorizar estes problemas e, mesmo, transpô-los.

Depois deste grande “desabafo”, intercalado entre o preâmbulo e o corpo do artigo, reentro no tema que me traz aqui: o associativismo e espírito comunitário barcelense.

Ao iniciar funções, decidimos enviar um e-mail de apresentação do jornal, com solicitação de colaboração, ao máximo de associações, clubes, instituições, grupos, entre outros. Muitos aceitaram…infelizmente, muitos ainda não o fizeram. “No que me fui meter”, pensei logo eu! São tantos, mas tantos os e-mails que ainda hoje não consegui terminar essa parte da “empreitada” (obviamente que tenho o meu emprego e não passo todo o dia a enviar!). Aliás, eu confesso: não conheço todas as associações, todos os clubes, todas as instituições, todos os grupos, todas as comissões…de Barcelos! Não me levem a mal, mas tenho quase a certeza de que nenhum barcelense conhece! Isso é, para mim, sinal do grande espírito associativo, clubístico e comunitário dos barcelenses, que aqui louvo e destaco. Mesmo que isso signifique que um dos meus objetivos enquanto diretor fique muitíssimo difícil de concretizar: dar a conhecer o nosso “Barcelos na Hora” a todas essas instituições! Acho que não vou conseguir…

Escrevi sobre as dificuldades com que nos deparamos (nós, “Barcelos na Hora”) e sobre o facto de ninguém dos que colabora e participa neste projeto auferir qualquer tipo de ganho financeiro porque, tal como no nosso caso, são imensas aquelas pessoas que, de uma forma, muitas vezes, abnegada e gratuita, lutam pelo melhor para associações/ clubes/ instituições/ grupos/ IPSS/ comissões…de que fazem parte, quer como dirigentes, quer como associados/simpatizantes. Por vezes, as coisas correm menos bem; por outras, os sucessos são mais do que os insucessos. Há dias em que chegam a casa de “coração cheio”; há outros em que chegam de espírito em baixo! Enfim, é o “dia a dia” destas pessoas, que escolheram esse caminho para a sua vida…

Não escrevo muito mais!

Termino com um muito obrigado a todos vocês, que tornam enorme o associativismo e o espírito comunitário barcelense! Mesmo que isso – reitero – dificulte imenso a concretização de um dos meus objetivos enquanto diretor deste jornal!

PS: Tinha muitas imagens para escolher para foto de destaque, mas senti que era impossível encontrar uma que retratasse todas as instituições barcelenses de que falei! Escolhi esta por representar um evento – Festa das Cruzes – onde muito do espírito retratado se evidencia.

Por: Pedro Sousa* (Professor e Diretor do Barcelos na Hora)

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Basquete de Barcelos com 4 vitórias em 5 jogos

Novembro 15, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado fim de semana, o Basquete Clube de Barcelos (BCB) disputou 5 jogos no conjunto das suas equipas seniores e de formação.



Sábado, 10 de novembro, as Seniores Femininas levaram de vencida o Freg. Campo Sobrado/TOG por 85-48. Também os Sub-18 Masculinos venceram o FAC Famalicão por 68-47. Por fim, os Seniores Masculinos foram derrotados pelo Club 5Basket, por 68-75. Todos estes jogos disputaram-se no Pavilhão da Escola Secundária de Barcelos.

O BCB apenas disputou dois jogos no domingo, um em casa e outro fora. Fora, os Sub-14 Masculinos deslocaram-se a Braga para defrontar o SC Braga “A” e trouxe de lá uma vitória por 54-62. Finalmente, em Barcelos, o BCB – “versão” Sub-12 – recebeu o Maria da Fonte e venceu por 70-50.

Imagem: BCB.

Comemoração dos 900 anos de D. Gualdim Pais contempla várias iniciativas

Setembro 21, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Programa inclui teatro, conferências, caminhada e lançamento de livro sobre o homenageado

Barcelos assinala o 9.º Centenário do Nascimento de D. Gualdim Pais, cavaleiro de D. Afonso Henriques e Mestre da Ordem do Templo, com várias iniciativas hoje e amanhã.



O programa contempla a dupla apresentação do drama histórico “O Fronteiro de Deus – A Vida Heroica de D. Gualdim Pais, o maior monge-guerreiro de Portugal”, pela Nova Comédia Bracarense, hoje e amanhã, no Teatro Gil Vicente, pelas 21h30. Os espetáculos são de entrada livre, sujeita a reserva através do e-mail tgv@cm-barcelos.pt ou do telefone 253 809 694.

Amanhã, pelas 9h30, realiza-se uma subida ao Monte da Franqueira, com partida simbólica do Lugar de Mereces, em Barcelinhos, local onde poderá ter nascido D. Gualdim Pais, sendo que, com vista a facilitar o estacionamento dos participantes, o ponto de encontro será na Escola Rosa Ramalho.

A caminhada tem a colaboração dos Amigos da Montanha, Barcelos Sénior e Grupo Alcaides de Faria. Pelas 11h15, há uma visita guiada às ruínas do Castelo de Faria.

Da parte da tarde, há um conjunto de conferências no Auditório da Câmara Municipal de Barcelos, que começa às 15h30, com o historiador Carlos Alberto Brochado de Almeida a dissertar sobre “A importância do Castelo de Faria na Fundação da Nacionalidade Portuguesa”.

Às 16h00, o professor e investigador António Afonso proferirá a palestra “D. Gualdim Pais – Um Herói Barcelense”.

Por fim, às 17h00, será apresentado o romance histórico “O Fronteiro de Deus – A Vida Heroica de D. Gualdim Pais, o maior monge-guerreiro de Portugal”, do escritor barcelense Fernando Pinheiro, obra em que, aliás, se baseia a peça de teatro apresentada pela Nova Comédia Bracarense, nestes dois dias, no Teatro Gil Vicente.

Além de Barcelos, outros cinco municípios associaram-se ao 9.º Centenário do Nascimento de D. Gualdim Pais. O programa arranca em Barcelos, passará por Braga, Coimbra, Tomar, Vila Verde e terminará em Amares.

Fonte e imagem: CMB.

CP ainda sem definir paragens dos comboios após obras de eletrificação

Setembro 4, 2018 em Atualidade, Concelho, Mundo, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Presidente do Conselho de Administração da CP – Comboios de Portugal, E.P.E., comunicou à Câmara Municipal de Barcelos que não há ainda qualquer decisão quanto às paragens dos comboios dos serviços Alfa Pendular e Intercidades, na Linha do Minho, após serem concluídas as obras de eletrificação, uma vez que o modelo de oferta a ser implementado ainda não está definido.



Assim, “não têm qualquer fundamento”, as notícias que têm vindo a público sobre as paragens daqueles serviços, nomeadamente, na estação de Barcelos.

A Câmara Municipal pediu esclarecimentos à CP, tendo em conta o prejuízo para a cidade e para o concelho que constituiu a retirada da paragem do comboio Celta em Barcelos, desde 2014. Esta decisão, recorde-se, levou a que a Câmara Municipal aprovasse, por unanimidade, em junho daquele ano, um voto de protesto pela falta do Governo ao compromisso estabelecido com o Município, no âmbito do acordo alcançado no Eixo Atlântico, de uma paragem do Celta na estação de Barcelos.

As obras de eletrificação da Linha do Minho entre Nine e Viana do Castelo deverão estar concluídas em breve, enquanto as obras entre Viana do Castelo e Valença arrancaram no final do passado mês de julho. Juntas, as duas obras, têm um custo de 86,4 milhões de euros.

Fonte e foto: CMB.

1 2 3 14
Ir Para Cima