Tag archive

Biblioteca Municipal de Barcelos

Barcelense Ana Barroso apresenta “Sina da mulher cigana? Um complexo processo de autonomização”

Junho 25, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Obra tem por base tese de mestrado reconhecida pela Cáritas Portuguesa

No próximo dia 29 de junho, pelas 16h00, a Biblioteca Municipal de Barcelos é o espaço escolhido pela barcelense Ana Barroso para a apresentação do seu livro “Sina da mulher cigana? Um complexo processo de autonomização”.



Este livro resulta de uma investigação levada a cabo, em 2015, no âmbito do Mestrado em Serviço Social, da Faculdade de Ciências Sociais, da Universidade Católica Portuguesa (Braga). A escolha do tema deve-se, por um lado, ao seu interesse pessoal pela cultura cigana e pelo modus vivendi dos elementos que a compõem. Por outro lado, trata-se de um assunto ainda relativamente pouco investigado, apesar de haver um conjunto cada vez mais significativo de estudos e relatórios sobre a matéria. Com esta obra, a autora pretende dar o seu contributo para a “desmistificação de alguns estereótipos seculares em relação à comunidade cigana”.

Ana Barroso nasceu na freguesia de Faria, conselho de Barcelos, a 4 de agosto de 1992. Licenciou-se em Educação, em 2013, pela Universidade do Minho. Posteriormente, ingressou na Universidade Católica Portuguesa – Centro Regional de Braga, onde concluiu o Mestrado em Serviço Social, em 2015, com a dissertação “A autonomização feminina no grupo sociocultural cigano português. Estudo de caso no concelho de Braga (Programa Escolhas)”. Nesse mesmo ano, voluntariou-se na PSI-ON – Associação para a Educação, Desenvolvimento e Intervenção, como Técnica de Apoio à Vítima de Violência Doméstica e Mentora para Migrantes. Esta foi uma experiência enriquecedora que terminou com a sua entrada na APACI – Associação de Pais e Amigos das Crianças Inadaptadas para realização de um estágio profissional. Pelo meio, ainda fez parte de uma equipa que fundou um Grupo de Ação Social (GAS) na freguesia de Faria. Este grupo realizou algumas campanhas de recolha de roupas, medicamentos fora de prazo e exames clínicos para reciclagem, rastreios visuais e aulas gratuitas de apoio ao estudo durante as férias escolares da Páscoa. Infelizmente, o GAS terminou muito cedo por não conseguirem um espaço físico para se fixarem.

No ano de 2019, a sua referida dissertação foi eleita uma das melhores teses de mestrado de temática social e recebeu o prémio “Padre David de Oliveira Martins” pela Cáritas Portuguesa. Com este prémio nasceu o livro “Sina da mulher cigana? Um complexo processo de autonomização”.

Ao Barcelos na Hora, Ana Barroso refere que “a edição do livro é, sem dúvida, um momento de muita realização pessoal e profissional. Sinto-me muito feliz por esta conquista que culmina um trabalho desenvolvido no âmbito do Mestrado em Serviço Social, da Universidade Católica Portuguesa, em Braga. Este livro é o culminar de um percurso em que fui sempre acompanhada por pessoas importantes, sem as quais nunca poderia ter chegado até ao fim”.

Com as suas próprias palavras, a autora dá-nos a conhecer sua obra: “Esta obra permite-nos um conhecimento mais aprofundado sobre a comunidade cigana pois procurámos compreender a sua cultura, desfazer alguns mitos e preconceitos persistentes, mas, acima de tudo, dar voz à mulher cigana e projetá-la para a sociedade maioritária. A observação dos cursos de educação escolar e profissional na idade adulta mostrou-nos que, apesar de não darem frutos no imediato – ou seja, contrariamente ao que se pretende, não constituem uma porta de acesso ao mercado laboral –, não deixam, porém, de ser importantes para as mulheres ciganas. Na verdade, apercebemo-nos que lhes permite ganhar consciência das suas capacidades e do seu papel enquanto mulher nos espaços comunitário e público, o que pode vir a refletir-se na educação que transmitem aos seus filhos. A frequência escolar em idade adulta permite-lhes ter maior consciência da importância da educação escolar para os seus filhos em geral e para as suas filhas em particular – por razões culturais as meninas ciganas continuam a ser retiradas do percurso escolar ainda mais cedo do que os seus irmãos –, começando a olhar mais para a instituição escolar como uma oportunidade para as gerações mais novas e não apenas como uma entidade cultural concorrente à cultura cigana”.

Por ser uma obra baseada numa investigação, fica no ar quais as conclusões da mesma. Ana Barroso salienta que “as conclusões desta investigação constituem um apelo junto dos responsáveis pela integração das minorias étnicas e pelos processos de integração – mas também junto da opinião pública em geral – para a necessidade premente de se implementar uma política de integração de cariz mais global. Não basta investir em projetos centrados apenas na comunidade cigana. É também essencial apostar na formação de uma sociedade maioritária que, hoje em dia, continua a colocar de parte aqueles que são diferentes. Não basta apostar na formação se não houver oportunidades de emprego na área ou em áreas semelhantes ou qualquer abertura das entidades empregadoras. É fundamental criar oportunidades reais de trabalho e de integração”.

Questionada sobre o facto de estar a apresentar a sua obra em Barcelos, Ana Barroso explica que “a apresentação deste livro na minha cidade, Barcelos, é mais uma conquista neste percurso. Barcelos tem dado passos importantíssimos no apoio à comunidade cigana local e esta obra é mais um pequeno contributo para a sensibilização da sociedade portuguesa relativamente à discriminação da comunidade cigana em geral e ao papel da mulher cigana, de forma a favorecer a sua autonomia intra e extracomunitária”.

Imagens: DR.

José Rodrigues dos Santos, escritor e jornalista da RTP, na Biblioteca Municipal

Junho 5, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

José Rodrigues dos Santos, jornalista, pivot do “Telejornal” da RTP, e um dos mais lidos romancistas portugueses, vai deslocar-se a Barcelos, no próximo dia 6 de junho, quinta-feira, às 19h00, para um encontro com os leitores, na Biblioteca Municipal. A sessão será moderada pela jornalista Sónia Sousa.



Trata-se de uma oportunidade única de os barcelenses conhecerem de perto um dos escritores portugueses contemporâneos a alcançar maior número de edições com livros, que venderam mais de cem mil exemplares cada. O romance de estreia, intitulado «A Ilha das Trevas» foi reeditado pela Gradiva, em 2007, atual editora do autor.

«A Filha do Capitão», o seu segundo romance, é um tributo aos seus antepassados que participaram na 1ª Guerra Mundial, na Flandres e na Guerra Colonial.

José Rodrigues dos Santos é um dos mais premiados jornalistas portugueses, tendo sido galardoado com o Grande Prémio de Jornalismo, em 1994, atribuído pelo Clube Português de Imprensa. Internacionalmente, venceu três prémios da CNN: O Best News Breaking Story of the Year, em 1994, pela história “Huambo Battle”, relacionada com a guerra de Angola; o Best News Story of the Year for the Sunday, em 1998, pela reportagem “Albania Bunkers”; e o Contributor Achievement Award, em 2000, pelo conjunto do seu trabalho, aquele que é considerado o Pullitzer do jornalismo televisivo.

Fonte e foto: CMB.

Cerimónia final de entrega de prémios do “Falar de Água com Amor”

Maio 10, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 16 de maio, pelas 21h30, no Auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos realiza-se a cerimónia de entrega dos prémios relativos ao concurso de poesia “Falar de Água”, organizado pela Águas de Barcelos.



Com o objetivo “de fomentar junto dos mais jovens o gosto pela escrita e pela leitura”, a Águas de Barcelos desafiou, pelo segundo ano consecutivo, os alunos do 3º e 4º ano, do Ensino Básico, a assinalarem o Dia de São Valentim com um poema “recheado de sentido”. O Concurso de Poesia sob o tema «Falar de Água com Amor» abrangeu todas as escolas públicas do 1º ciclo do ensino básico do concelho, com um total de 973 participantes.

Após seleção dos três melhores poemas de cada escola pelos respetivos professores, o júri do concurso, constituído por Bernardete Costa, Victor Pinho e José Serra, selecionou os três melhores poemas, sendo já conhecidos os vencedores: O poema “Água e Barcelos”, da autoria de Afonso Tomás P. Dias, da EB1 de Galegos (Santa Maria), é o vencedor; o segundo lugar foi atribuído a Patrícia Vieira Rodrigues, da EB1 de Pontes; e o terceiro lugar foi atribuído a Filipa Ribeiro Nibra, da EB1 de Aldreu.

O aluno vencedor irá receber um tablet de oferta, o segundo classificado receberá um MP4 e o terceiro, um MP3. À escola vencedora (do aluno vencedor) será oferecido um vídeo projetor, ou outro equipamento equiparado, que corresponda às necessidades do estabelecimento de ensino.

Serão, ainda, entregues a todos os alunos participantes no concurso um certificado de participação e uma garrafa reutilizável.

Os melhores poemas de cada escola estarão em exposição no balcão de atendimento da Águas de Barcelos entre os dias 30 de abril e 30 de junho de 2019.

Imagem: DR.

Concurso Nacional de Leitura com alunos de agrupamentos escolares de Barcelos

Fevereiro 20, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O Teatro Gil Vicente recebe, no próximo dia 25 de fevereiro, segunda-feira, a Prova Regional – Municípios da 13.ª edição do Concurso Nacional de Leitura.



As provas municipais organizadas pela Biblioteca Municipal contam com 60 alunos vencedores dos agrupamentos de escolas do concelho, nas várias categorias, do 1º Ciclo ao Ensino Secundário.

Os alunos vencedores desta final irão representar o Município de Barcelos nas provas da Comunidade Intermunicipal do Cávado, que contará com todos os Municípios que integram o Vale do Cávado, e que se realizam no dia 29 de abril, também em Barcelos. A final nacional é transmitida pela RTP, no dia 25 de maio, em Braga.

O concurso consta de uma prova escrita e de uma prova oral, subdividindo-se esta em prova de argumentação e prova de leitura, sendo o júri constituído por Miguel Borges (escritor), José Campinho (professor) e Victor Pinho (Bibliotecário Municipal).

Aos alunos selecionados para a prova oral será atribuída uma menção honrosa e ao primeiro classificado será atribuído um prémio.

O Concurso Nacional de Leitura tem como “objetivo central estimular o exercício da leitura e desenvolver competências de expressão escrita e oral e é promovido pelo Plano Nacional de Leitura, em articulação com a DGLAB – Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, com a Rede das Bibliotecas Escolares e com o Camões- Instituto da Cooperação e da Língua.

Fonte e imagem: CMB.

Concerto de São Valentim na Biblioteca Municipal de Barcelos

Fevereiro 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Na próxima sexta-feira, dia 15 de fevereiro, pelas 21h30, o Auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos recebe um Concerto de São Valentim, organizado por dois alunos finalistas da classe de canto do Conservatório de Música de Barcelos.



Joana Teixeira e João Miranda, esses alunos finalistas, serão acompanhados pelos pianistas Daniel Ribeiro e Eugénia Moura. Interpretarão Il core vi dono (Così fan tutte) – Wolfgang Amadeus Mozart, Somewhere – Leonard Bernstein, Contrastes – Luíz Freitas Branco, Sogno – Paolo Tosti, Seit ich ihn gesehen – Robert Schumann, Du Ring meinem Finger – Robert Schumann, Malia – Paolo Tosti, Chanson Romanesque – Maurice Ravel, Printemps qui commence – Camille Saint-Saëns e Alfin siam liberati… Là ci darem la mano (Don Giovanni) – Wolfgang Amadeus Mozart.

Imagem: DR.

Livros sobre exilados políticos apresentados na Biblioteca Municipal

Novembro 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Realiza-se no próximo sábado, 24 de novembro, às 16h00, na Biblioteca Municipal de Barcelos, a apresentação dos livros “Exílios1” e “Exílios2”, que relatam testemunhos de exilados políticos portugueses na Europa entre 1961 e 1974.



Os livros contam memórias e recordações de um passado de perseguição e exílio e pretendem dar a conhecer as vivências dos exilados e desertores portugueses. Falam das dificuldades, dos momentos dolorosos e dos momentos felizes, da festa, da revolta, do medo, e da saudade de uma pátria triste e violenta.

Vão ser apresentados por Fernando Cardoso, José Dias e José Luís Torres e procuram contribuir para a libertação da memória e para relançar a discussão pública sobre estes assuntos.

A publicação do livro “Exílios1”, de memórias de antigos camaradas e amigos, veio catalisar as vontades de quem pensava que as suas histórias não tinham valor e não eram contributos para a história do tempo presente, mas apenas coisas pessoais das quais raramente se falava.

Assim, surgiu o livro “Exílios2”, com 29 testemunhos de mulheres e homens, de exílios diversos, de vidas interrompidas, de vidas reencontradas e de percursos acidentados. São testemunhos fortes e transparentes para que não se esqueça que, em Portugal, a guerra colonial, a perseguição e o exílio existiram.

Fonte e foto: CMB.

Exposição “E o Galo Cantou…” na Biblioteca Municipal de Barcelos

Novembro 21, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Inaugura no próximo dia 23 de novembro, pelas 14h30, a exposição “E o Galo Cantou…”, a cargo do Centro de Atividades Ocupacionais da APAC – Associação de Pais e Amigos de Crianças.



Os trabalhos ficarão expostos até ao final do ano, mais propriamente, até 31 de dezembro.

Imagem: DR.

Biblioteca Municipal de Barcelos recebe duas apresentações de livros

Novembro 15, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Realiza-se, nos dias 16 e 17 de novembro, na Biblioteca Municipal de Barcelos, o lançamento de dois livros.



O primeiro, intitulado “Enterro da Loba”, do barcelense António Gaspar Cunha, será apresentado por José Moreira da Silva, no dia 16, às 21h30. Trata-se de um livro de ficção, editado pela Editorial Novembro, sobre as praxes académicas, com a história de uma aluna universitária.

António Gaspar Cunha começou por escrever poesia, dando expansão ao saber e, sobretudo, ao viver acumulados durante os seus 50 anos de vida. Escrever é, para si, não só uma emancipação, mas também uma expressão do seu pensamento acerca do mundo atual, fazendo-o através de uma “tormentosa serenidade”, expressa quer na sua escrita poética, quer na narrativa.

“Yang Sheng” é o título do livro de Wenqian Chen, que será apresentado no dia 17 de novembro, às 15h00, e que fala dos fundamentos da Medicina Tradicional Chinesa e como podemos aplicá-los no nosso dia a dia.

Wenqian Chen, fundadora e diretora do Centro de Terapias Chinesas em Lisboa, partilha a sua experiência quotidiana com doentes portugueses para nos oferecer conselhos práticos e fáceis de seguir e revela os segredos de uma ciência milenar, a medicina tradicional chinesa, que cada vez conquista mais adeptos entre os ocidentais.

Fonte e foto: CMB.

António Gaspar Cunha apresenta “Enterro da Loba” na Biblioteca Municipal

Novembro 14, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 16 de novembro, pelas 21h30, a Biblioteca Municipal de Barcelos será palco da apresentação da obra “Enterro da Loba”, da autoria de António Gaspar Cunha.



A obra, tal como o autor, será apresentada por José Moreira da Silva. Este é um livro de ficção editado pela Editorial Novembro, que retrata a história de uma aluna universitária – Ana – convicta de que certo tipo de praxe são desvios ausentes da humanidade. Ela não é contra as praxes, é contra a falta de humanidade e a violação dos direitos humanos que se perpetuam nesses rituais.

O “Enterro da Loba” é o segundo romance deste autor barcelense, nado em 1964, depois de ter publicado: “O menino de África e outros contos” (contos), 2017; “A Fronteira do Amor”, (romance), 2016; “Tormentosa Serenidade” (poesia), 2015; “Amo a Ideia de Ti” (poesia – com o pseudónimo de João Raphaël), 2014; e “O Triunfo dos Cucos & Outros Contos” (contos), 2014.

António Gaspar Cunha nasceu em Barcelos, tendo-se licenciado na Escola de Engenharia da Universidade do Minho em 1991. Desde então é docente do Departamento de Engenharia de Polímeros dessa mesma Universidade, onde fez o Doutoramento em 2000 e as provas de agregação em 2014.

No âmbito do seu trabalho científico/técnico foi editor de 4 livros, autor e/ou coautor de cerca de 17 capítulos de livro, de cerca de 40 artigos científicos com revisão pelos pares e de mais de 100 artigos publicados em conferências internacionais.

Imagem: DR.

Marcelino Abreu expõe “Momentos” na Biblioteca Municipal de Barcelos

Outubro 27, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

O advogado barcelense Marcelino Abreu, natural de Galegos Santa Maria, volta a expor na Biblioteca Municipal de Barcelos, passado quase um ano de ali ter feito uma exposição a que deu o título de “Vidas”.



A presente exposição, intitulada de “Momentos”, inaugura hoje, dia 27 de outubro, pelas 17h00, e manter-se-á aberta ao público até dia 30 de novembro.

Após ter estudado no seminário em Braga e concluído, depois, o ensino secundário em Barcelos, na área de humanidades, Marcelino Abreu ingressou, em 1992, no Curso de Direito, que concluiu em 1997. Em 2009, já depois de diversas pós-graduações concluídas, obtém o grau de mestre em direito. Profissionalmente exerce a advocacia, tendo dois livros já editados, sobre temas jurídicos.

O gosto pela pintura descobriu-o em 1997, no Brasil e, desde aí, sempre pintou, contando atualmente com mais de duzentas obras.

Sem ter ou querer um estilo definido, gosta, como costuma de dizer, de pintar de tudo um pouco e o que lhe apetece no momento, com e sobre os mais diversos materiais (ora a óleo, ora a acrílico, ora a pastel, ora sobre tela, ora sobre cartão, ora sobre, simples seixos da praia).

Contudo, não se considera (“de modo algum!”) pintor, sendo a pintura, para si, um mero hobby, ao lado de outros. Por este motivo, nunca quis vender qualquer quadro que tenha pintado.

Apesar do repto de alguns amigos para que expusesse os seus trabalhos, também nunca se preocupou muito em concretizar isso. Por esse motivo, só, recentemente, aceitou expor os seus trabalhos, participando, inicialmente, de algumas exposições coletivas e em duas exposições individuais.

Em sinal de gratidão pelo carinho e boa crítica expressos pelos visitantes (aquando e posteriormente) da anterior exposição na Biblioteca Municipal de Barcelos, decidiu voltar a expor na sua terra natal mais alguns quadros do seu espólio.

Fonte e imagens: AB.

1 2 3 7
Ir Para Cima