Tag archive

Carlos Ferreira

Clube de Ténis ESAF leva a cabo o seu III Barcelos Open

Agosto 9, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Entre 21 e 25 de agosto, os courts da Escola Secundária Alcaides de Faria recebem o III Barcelos Open, organizado pelo Clube de Ténisa ESAF.



Este é um torneio do calendário da Federação Portuguesa de Ténis e tem um Prize Money de 2 mil euros.

Carlos Ferreira, do clube barcelense, salienta que “o melhor ténis está de volta a Barcelos”, sendo que a organização espera “alguns dos melhores jogadores e jogadoras de ténis portugueses”.

Imagem: CTESAF.

 

Clube de Ténis ESAF organiza o seu II Torneio Juvenil

Julho 7, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Entre 21 e 23 de julho, os quatro courts de piso rápido da Secundária Alcaides de Faria (Barcelos) recebem o II Torneio Juvenil ESAF, organizado pelo Clube de Ténis ESAF.



Este é um torneio que faz parte do calendário da Federação Portuguesa de Ténis, nos escalões de Sub-12 e de Sub-16, estando com inscrições abertas.

Carlos Ferreira, do Clube organizador, salienta que esperam “receber jogadores de toda a região norte e dos principais clubes de ténis”.

Sendo de entrada grátis, este responsável convida “todos os barcelenses a assistir aos jogos para ver os futuros campeões”.

Imagem: CTESAF.

 

Setembro: mês de início de novo ano escolar

Setembro 14, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Carlos Ferreira

Setembro, mês de início de novo ano escolar, novos desafios, aventuras, metas e objetivos para conquistar.



Numa sociedade cada vez mais competitiva e com uma evolução muito rápida é preciso que os nossos filhos sejam preparados para esses desafios.

A escola, como pilar mais importante de uma formação, não chega para essa preparação. São necessárias outras valências muito importantes como a família, a cultura e o desporto.

Desporto não é só essencial para manter um corpo saudável e elegante mas também para criar capacidades de motivação, superação e independência.

Ao praticar desporto, quer faça competição ou não, o indivíduo está sempre a tentar superar-se, a fazer mais e melhor do que o último treino ou jogo. Claro que nem sempre acontece mas é aqui que ele vai aprender a motivar-se e a sofrer para conseguir.

Lidar com o sucesso e o insucesso é outra das facetas desportivas que ajudam, depois, durante a vida, a não desistir facilmente dos objetivos, pois sabem que só com muito esforço e dedicação a vitória chega.

Ganhar um jogo não significa ser o melhor do mundo como perder não é o pior de certeza; ambas só servem para corrigir e trabalhar mais para evoluir.

O ténis é um desporto de eleição para se desenvolver estas capacidades, pois além de ser um desporto individual, tem uma componente física e mental muito forte que obriga o atleta a níveis de entrega muito altos. Vários estudos científicos provam como sendo um dos melhores desportos para um bom desenvolvimento.

Uma palavra para o grande campeão Nadal, que acabou de vencer o US Open e que, depois de estar bastante tempo afastado das finais e dos lugares cimeiros do ranking, volta em 2017 com uma força inesperada, recuperando o trono do ténis mundial.

No circuito feminino, a grande surpresa de duas jogadoras americanas disputarem a final do US Open, não sendo nenhuma delas as irmãs Williams que vinham dominando o ténis mundial e especialmente o ténis americano. Nova vaga de jovens jogadoras está a aparecer! A ver vamos como se comportam ao longo do ano.

Parabéns ao Hugo Maia, filho do professor Cirilo Vale, treinador do nosso clube, que se sagrou, mais uma vez, campeão nacional sub-16 anos.

Pratiquem desporto, joguem ténis!

Por: Carlos Ferreira*

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Nadal Imperador de Paris

Junho 14, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora
Carlos Ferreira
Carlos Ferreira

Rafael Nadal venceu Roland Garros pela décima vez, em doze finais, de forma categórica, não deixando dúvidas em ninguém sobre a sua supremacia em jogos de ténis em terra batida.

Vencendo Wawrinka, pelos parciais de 6/2, 6/3 e 6/1, e não perdendo nenhum set em todo o torneio, Nadal demonstrou toda a sua força e garra, apresentando um ténis de elevado nível, como há muito não se via.

Nadal é, assim, o novo Imperador de Paris, deixando uma marca muito difícil de igualar.

Este ano, o circuito profissional de ténis tem sido dominado pelas duas lendas vivas do ténis, Federer e Nadal, cada um nas suas superfícies favoritas.

Alguma desilusão de Andy Murray e Novak Djokovic, pois ainda não conquistaram nenhum título importante este ano e perdendo pontos preciosos para a manutenção dos seus lugares no ranking.

No torneio feminino, uma grande surpresa vinda da Letónia, mas treinando em Espanha, Jelena Ostapenko, de apenas 20 anos, superou a grande favorita, Simona Halep, em três sets, pelos parciais de 4/6, 6/4 e 6/3.




Este fim de semana, decorreu nos courts do Clube de Ténis ESAF, a terceira etapa do Circuito Mini-CIR, prova por equipas até aos dez anos de idade.

Com a presença de seis equipas, incluindo a da casa, num total de 30 atletas, os jogos foram decorrendo com muita animação e empenho, pois nestas idades, o resultado é o que menos interessa, estando todos de parabéns pelo sucesso do torneio.

Aprendendo a competir e a superar desafios, ao mesmo tempo que se diverte, é a grande vantagem deste tipo de torneios, para os jovens jogadores.

Pratiquem desporto, joguem ténis.

Por: Carlos Ferreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Terceira etapa do Circuito Mini-CIR no Clube de Ténis ESAF

Junho 12, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Decorreu, no último sábado, dia 10 de junho, nos courts do Clube de Ténis ESAF, a terceira etapa do Circuito Mini-CIR, torneio de ténis organizado pela Associação de Ténis do Porto, em colaboração com o Clube de Ténis Esaf.

Este é um torneio de ténis por equipas, de jogadores até 10 anos de idade, com um formato diferente do habitual, já que os jogos são determinados por tempo e não pelo resultado.

Com a presença de 6 equipas, incluindo a “equipa da casa”, num total de 30 jogadores, os jogos foram decorrendo com muita alegria e empenho de todos.

O resultado final não é o mais importante neste tipo de torneio, mas sim, proporcionar aos jovens jogadores uma aprendizagem e experiência para futuras competições, essas sim, bastante mais duras e exigentes.




Texto: Carlos Ferreira.

Foto: CT ESAF.

Federer, Nadal e Estoril Open

Maio 9, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
carlosferreira
Carlos Ferreira

Contrariando todas as expectativas, o circuito profissional de ténis tem sido dominado, este ano, por Rafael Nadal e Roger Federer.

Até agora, os principais torneios têm sido conquistados por estes dois grandes campeões, e com um ténis de elevada qualidade, voltando os dois a reentrar no top 10.

Jogar com esta paixão após tantos anos, com graves lesões pelo meio e depois de terem ganho quase tudo o que havia para ganhar, só é possível com uma dedicação total ao ténis. Exemplos a seguir, quer dentro, quer fora dos courts.




Decorreu, na passada semana, o “Estoril Open”, que é o torneio de ténis mais importante de Portugal, nos courts do Clube de Ténis do Estoril.

Num apontamento pessoal, em jeito de preâmbulo, tenho a certeza de que seria uma boa notícia se o Estoril Open voltasse a ter o quadro feminino. Seria uma referência, e experiência, para algumas das nossas melhores jogadoras.

Com a presença dos melhores jogadores nacionais, e alguns internacionais, os jogos foram decorrendo com algumas surpresas, positivas e negativas.

A positiva, foi a passagem de quatro jogadores portugueses para a segunda ronda, sendo eles Pedro Sousa, Gastão Elias, João Domingues e Frederico Silva. Infelizmente, nenhum conseguiu passar para a terceira ronda, pois os seus oponentes eram jogadores muito bem cotados e com maior experiência.

As negativas, foram, uma vez mais, João Sousa não conseguir ganhar um encontro no Estoril Open, perdendo sempre na primeira ronda, e as desistências de Juan Martin del Potro e Nick Kyrgios, ambos pelo falecimento dos seus avós, que os levou a retirarem-se, prematuramente, do torneio.

O grande vencedor do torneio foi o argentino Pablo Carrena Busta, que venceu na final o luxemburguês Gilles Müller, por 6/2, 7/6 com 7/5 no tiebreak.

Carreno Busta já tinha sido finalista o ano passado, mas desta vez não deixou fugir o troféu, provando, uma vez mais, que está a ter um princípio de ano muito bom e preparado para os grandes torneios que se avizinham.

Uma palavra para o acordo entre a Federação Portuguesa de Ténis e a Santa Casa da Misericórdia, que vai investir no Centro de Alto Rendimento (CAR) de Ténis. Espero que consigam proporcionar excelentes condições aos melhores jogadores portugueses, quer masculinos, quer femininos, pois, até agora, só os homens tinham acesso ao CAR.

No próximo sábado, dia 13 de maio, vai decorrer no clube de ténis Esaf mais uma etapa do circuito de ténis Mini-CIR, torneio para crianças até 10 anos, sendo uma prova por equipas e na qual o nosso clube vai estar representado com alguns atletas.

Convidamos, desde já, os barcelenses a assistir aos jogos destes pequenos jogadores, capazes de fazerem coisas muito bonitas.

Termino com uma palavra de orgulho para os nossos jovens jogadores do Clube de Ténis Esaf, que iniciaram a competição em torneios federados e têm tido uma postura digna, num desporto duro e competitivo. A aprendizagem também é feita de competição, com vitórias e derrotas, sabendo estar nas duas.

Pratiquem desporto, joguem ténis.

 

Por: Carlos Ferreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)



Milagre chamado “Placard”

Abril 4, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
carlosferreira
Carlos Ferreira

O ténis está a viver, em Portugal, uma fase de grande expansão e desenvolvimento.

O aumento do número de praticantes e, principalmente, o aumento do número de torneios internacionais com prize money, quer masculinos, quer femininos, potencia, em muito, o desenvolvimento e a competitividade do tenista português.

O aparecimento do jogo de apostas “Placard”, e a transferência de verbas deste jogo para a Federação Portuguesa de Ténis, é o motor que faltava, e tem impulsionado e mudado o ténis em Portugal.

Portugal, país pequeno e periférico da Europa, é um problema acrescido para os jovens tenistas jogarem ao mais alto nível, pois obriga a deslocações ao exterior para jogarem torneios internacionais, o que é sempre muito dispendioso.

Não é fácil manter um jovem jogador, durante anos, a jogar ao mais alto nível, com este tipo de despesas e a maior parte deles sem qualquer apoio a não ser o familiar.

Esta mudança no panorama de torneios internacionais em Portugal faz com que os jovens jogadores, agora, possam competir e evoluir sem saírem do país.

Claro está, que isto só não chega. É preciso muito trabalho feito nos clubes e, principalmente do atleta, para poder atingir patamares elevados e seguir, ou mesmo melhorar, os níveis atingidos atualmente pelos nossos melhores atletas.

A Federação tem, agora, uma oportunidade de elevar o ténis nacional a um desporto com grande visibilidade e valor, saiba ela aproveitar os recursos de que dispõe agora.

O Clube de Ténis Esaf vai organizar uma viagem, no dia 3 de maio, ao maior e mais prestigiado torneio de ténis em Portugal, o “Estoril Open“. Se gostava de assistir, peça informações no clube.

Pratiquem desporto, joguem ténis.

Por: Carlos Ferreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Parabéns, Miguel Fernandes

Março 14, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
carlosferreira
Carlos Ferreira

É um orgulho poder falar de um grande campeão e dar os parabéns a Miguel Fernandes, pelos resultados que tem obtido nas danças de salão em Portugal e, essencialmente, em competições internacionais. É o primeiro dançarino português a obter resultados de destaque em campeonatos do mundo.

Sei que de um sonho passou à realidade, com muito trabalho e dedicação, muitas horas de treino e viagens, muitos problemas para resolver e muito dinheiro gasto, sem ajudas ou comparticipações. Uma palavra para os pais e família, parte invisível do sucesso mas a primeira base e o grande apoio, essencialmente nos momentos difíceis, para se formar um campeão.

O gosto pelo treino e empenho para tentar atingir a perfeição são condições essenciais para que qualquer jovem possa atingir patamares elevados em qualquer desporto.

O desporto de alta competição, e em particular o ténis, exige muitas horas de treino diárias, muito descanso e uma alimentação muito cuidada. As festas e a vida social ficam sempre muito comprometidas. Normalmente, só sobra tempo para os estudos e a maior parte dos atletas tem excelentes notas.

Muitos sacrifícios são necessários de se fazer em prol do alcance de um sonho e, por vezes, este jamais é alcançado. Mas fica sempre um passado ganho, com uma experiência muito importante para o resto da vida.

A organização, empenho, competitividade e a superação são características deste tipo de atletas, que dedicam a maior parte da sua juventude à prática desportiva.

“O sonho comanda a vida” e os jovens devem sonhar. Mas, essencialmente, devem acreditar nesse sonho e prepararem-se para sofrer muito para o alcançar. As derrotas, as lesões e os inúmeros obstáculos que aparecem pela frente só servem se for para os fazer mais fortes e determinados, para alcançarem, não o sonho, mas, no fim, a realidade e o sucesso.

Pratiquem desporto, joguem ténis.

 

Por: Carlos Ferreira.

I Aniversário

Fevereiro 21, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
carlosferreira
Carlos Ferreira

Até parece que foi ontem que começámos e já estamos a comemorar o primeiro aniversário do Clube de Ténis Esaf.

Fazendo um balanço da atividade desenvolvida ao longo do ano, posso afirmar que superámos, em larga escala, as nossas previsões.

Clube aberto a toda a população e que procura divulgar e ensinar a pratica de ténis,  conseguiu, em pouco tempo, o que muitos demoram anos a fazer, com o apoio da Escola Secundária Alcaides Faria e dos nossos parceiros e patrocinadores, aos quais, desde já, agradeço a confiança neste projeto. Conseguimos realizar muitas ações a que nos propusemos desde a nossa fundação.

Começámos, desde logo, com ações de sensibilização pelas escolas do primeiro ciclo do Agrupamento Gonçalo Nunes; tivemos uma etapa do circuito Mini-Cir; fizemos um torneio interno conjuntamente com os alunos de ténis do desporto escolar, e a realização do nosso torneio de referência, o Open de Barcelos, torneio com prize money e que foi um enorme sucesso.

Alguns dos nossos atletas começaram a competir em torneios federados, apesar de praticarem ténis há muito pouco tempo, revelando coragem e gosto pela competição.

Claro que nem tudo foi como desejámos, mas estamos cientes das nossas dificuldades e esperamos melhorar a cada dia que passa.

A promoção e divulgação de um desporto tão exigente, competitivo e espetacular como o ténis é uma das nossas intenções para o próximo ano. Queremos captar mais jovens e adultos para a modalidade.

Num concelho muito jovem, ainda é muito baixa a taxa dos que praticam desporto com regularidade, sendo a prática desportiva essencial a um harmonioso e bom desenvolvimento físico-mental.

Pratiquem desporto, joguem ténis.

Nós cá estamos para vos receber. Vai ser mais um ano cheio de actividades, a começar já pelo torneio de aniversário, onde todos os alunos do clube participam e se divertem a jogar. Somos um clube jovem mas com vontade enorme de ser um clube de referência e excelência para a prática de ténis.

Contamos com todos.

Por: Carlos Ferreira.

Roger Federer: a Lenda

Fevereiro 7, 2017 em Atualidade, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
carlosferreira
Carlos Ferreira

[sg_popup id=”3″ event=”onload”][/sg_popup]

Para surpresa de muitos, e espanto de outros, o Open da Austrália acabou em grande, com vitórias de Roger Federer e de Serena Williams.

Após meia época afastado dos courts, devido a uma lesão no joelho, Roger Federer entra com o pé direito em 2017 e exibe um excelente nível de ténis, acabando por vencer, na final, o seu grande amigo e rival Rafael Nadal, pelos parciais de 6-4, 3-6, 6-1, 3-6, 6-3.

É incrível como, com 35 anos, ainda consegue aguentar jogos com duração de 5 horas, a um ritmo elevado e em condições atmosféricas desfavoráveis à resistência dos atletas. De facto, temos que concordar com este nosso ditado popular: “velhos são os trapos”!

Federer, considerado por muitos como “o melhor jogador de ténis de sempre”, é, não só, um grande atleta como, também, um grande homem, que demonstra um fairplay digno de campeão, pois, no final do jogo e sabendo que acabara de ter uma das vitórias mais saborosas e difíceis da sua carreira, diz simplesmente que: “No ténis não há empates mas que não se importaria que aquela final acabasse num.”, visto que do outro lado da rede estava Nadal, a quem Federer muito respeita e admira.

Só os grandes campeões sabem ganhar assim. Já o vi a sorrir e a chorar em campo, não tendo vergonha de exteriorizar as suas emoções. Roger Federer é, definitivamente, um grande exemplo para todos os desportistas em geral e jogadores de ténis em particular. Que continue a lenda Roger Federer!

Quanto à vitória de Serena, está já era esperada, após Angelique Kerber ter sido derrotada nos oitavos-de-final pela Coco Vandeweghe. Sem tirar mérito às restantes jogadoras, Serena Williams domina o circuito de ténis feminino e a prova disso é que está de volta ao primeiro lugar do ranking.

Este fim de semana foi de Taça Davis, a mais importante competição de ténis por países. Portugal esteve brilhante pois conseguiu ganhar a Israel, algo que nunca tinha feito. Confirmado o triunfo por 5-0, Portugal avança para a segunda ronda do Grupo I da zona euroafricana, que será disputada contra a Ucrânia, em abril.

Deste modo, contando com jogadores como João Sousa e Gastão Elias, Portugal atravessa o seu melhor período de ténis, não só em resultados como no aumento de praticantes e clubes.

Também este fim de semana, alguns dos jovens jogadores do Clube de Ténis ESAF tiveram a experiência de competir pela primeira vez, num torneio federado realizado em Viana do Castelo. Apesar de praticarem a modalidade há pouco tempo estiveram muito bem e as ilações são positivas. Os meus parabéns!

Por: Carlos Ferreira.

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima