Tag archive

Concerto

Banda brasileira Boogarins chega a Barcelos no sábado

Outubro 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Barcelenses Tresor&Bosxh também sobem ao palco do CCOB

Os Boogarins vão voltar a Barcelos, no próximo sábado, dia 20, para um concerto no Círculo Católico dos Operários de Barcelos (CCOB). Para além da banda brasileira também os barcelenses Tresor&Bosxh sobem a palco da segunda noite do ciclo de espetáculos “triciclo”. O evento começa às 22h00 e a entrada tem o custo de 5€.

Para além do concerto, os Boogarins apresentam-se em formato de showcase no Largo Dr. Martins Lima, em frente ao Teatro Gil Vicente, às 17h00, no sábado. O espetáculo especial terá um cariz informal, minimalista e será filmado na íntegra.



Dino Almeida e Benke Ferraz começaram a fazer música juntos quando eram ainda adolescentes a viver na cidade de Goiânia, no Brasil. Faziam pop psicadélico absorvendo toda a rica cultura musical do país que viu nascer Os Mutantes e do mundo que explodiu com Pink Floyd, Beatles ou Tame Impala. Os Boogarins lançaram o primeiro disco “As plantas que curam” (2013) a partir de uma gravação caseira e o mundo rendeu-se. Depois disso, já cruzaram o mundo desde Austin a londres, de Lisboa a Nova Iorque, de Santiago à cidade do México. Em 2014, estrearam-se em Barcelos no festival Milhões de Festa e, em 2018, voltam a fazer a rota de Pedro Álvares Cabral para mostrar o mais recente disco de estúdio “Lá vem a morte” (2017).

Já os Tresor&Bosxh vão experimentar o seu segundo EP “Grocery” pela primeira vez ao vivo em Barcelos. Este espetáculo conta com um toque especial da bateria de Pedro Oliveira (Dear Telephone e Peixe:Avião), que participou no mais recente trabalho da dupla.

Os bilhetes podem ser adquiridos em www.bol.pt, Fnac, Worten, CTT e restantes pontos aderentes. Há ainda a possibilidade de compra à entrada do espetáculo, no CCOB.

Este concerto termina o primeiro mês de programação do “triciclo” que segue com concertos até dezembro. Norberto Lobo, Lavoisier e Harmonies são alguns dos nomes que compõem o cartaz.

Imagens: DR.

Conservatório de Música de Barcelos enche novamente Casa da Música do Porto

Julho 11, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 9 de julho, o Conservatório de Música de Barcelos (CMB) realizou o seu já tradicional Concerto Final de Ano na Casa da Música, no Porto. Pelo quinto ano consecutivo, segundo na Casa da Música, este concerto contou com a participação de mais de 300 alunos, que transformaram a Sala Guilhermina Suggia, completamente esgotada, numa verdadeira Festa da Comunidade Educativa do CMB.



O programa apresentado, que teve como intenção “torná-lo o mais próximo possível do grande público”, segundo o CMB, foi constituído por duas partes distintas e que, de certa forma, se completaram.

A primeira parte começou com a Abertura da ópera “O Barbeiro de Sevilha”, de G. Rossini (arr. J. Manoukian), pela Orquestra de Cordas Juvenil, a que se juntou, de seguida, o Coro Juvenil e o Coro Vozes D’Ouro para apresentarem a obra “Salmo 23”, do compositor canadiano S. Irving Glick.

O programa continuou com a Orquestra de Sopros Juvenil, que interpretou a obra “The Lion King”, de H. Zimmer (arr. J. Higgins), que deu vez à sua “homónima mais crescida”, a Orquestra de Sopros, que juntamente com o Grande Coro (cerca de 200 alunos) apresentaram trechos da ópera “Carmen”, de G. Bizet, começando com “Avec la Garde Montante”, seguindo-se das árias “Habanera” e “Toreador”, que tiveram como solistas os alunos Cláudia Pereira e João Miranda, respetivamente, momento que fez recordar a tão bem conseguida produção que o CMB realizou com esta ópera no passado mês de junho.

A primeira parte, caracterizada por um programa cheio de variedade, frescura e fantasia, culminou com a ritmada obra “Heijamano”, de B. Appermont, e “We All Stand Together”, de P. McCartney. Nesta última, juntou-se ao Grande Coro, o Coro da Iniciação e a Orquestra Sinfónica do CMB, o que permitiu às pessoas que estavam no público ir para intervalo “leves”, “felizes”, “cheios de reminiscências”, como alguns tiveram a oportunidade de partilhar.

A segunda parte, com um programa, de certo modo, mais contemplativo, foi toda constituída por grandes obras primas, presentes nos inúmeros registos discográficos dedicados aos grandes hits da Música Clássica, o que permitiu manter a matriz de um concerto popular. Começou pelo segundo andamento do “Concerto de Aranjuez”, de J. Rodrigo para Guitarra Clássica, que teve como solista o aluno Diogo Carlos acompanhado ao piano pela Prof. Eugénia Moura, seguindo-se a Orquestra de Cordas, que interpretou o “Adágio”, de T. Albinoni, e o “Verão” (das quatro estações), de A. Vivaldi. Esta última teve como solistas os alunos João Carvalho e Joana Ribeiro e contou com a colaboração do cravista Diogo Zão.

Seguiu-se a Orquestra Sinfónica para voltar a trazer fantasia, esta com tons “natalícios”, com a Suite do Bailado “O Quebra Nozes”, de P. I. Tchaikowsky, e a sua famosa “Valsa das Flores”, que contou com a colaboração da harpista Eleonor Picas antes de se juntar, novamente, o Grande Coro para terminar o Concerto com o apoteótico “Halleluja”, de G. F. Haendel.

“Este ambicioso projeto, idealizado desde o início ano letivo, materializou-se essencialmente com a realização de dois estágios intensivos, na interrupção letiva do Carnaval e ao longo de toda a última semana, que o tornou possível com um querer muito expressivo, uma dedicação de toda a comunidade, desde a direção, professores, alunos, pais e funcionários”, refere o CMB em nota.

Sob a liderança da Direção Pedagógica do CMB, este projeto teve como professores responsáveis Adalgisa Pontes (Coro Iniciação), Joana Ribeiro (Coro 2.º ciclo), Isabel Silva (Coro 3.º ciclo) e Maria João Gonçalves (Coro Galtom), Carlos Martinho (Orquestras de Sopros e Orquestra Sinfónica), Jorge Teixeira (Orquestras de Cordas) e contou com a participação dos alunos em regime integrado, articulado com as escolas protocoladas com  o CMB –Agrupamento de Escolas de Barcelos, Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes, Agrupamento de Escolas Rosa Ramalho, Agrupamento de Escolas Vale de Tamel, Agrupamento Vertical de Vila Cova, Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio e Colégio da Trofa  – e regime supletivo.



Na mesma nota, a direção do CMB “congratula-se com mais este feito educativo e agradece aos pais, alunos, professores e a todas entidades que connosco colaboram, pelo empenho e dedicação”.

Fotos: CMB.

Concerto de Final de Ano Letivo da Academia de Música de Viatodos realiza-se hoje

Julho 7, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Hoje, pelas 18h00, o Salão dos Bombeiros Voluntários de Viatodos recebe o Concerto de Final de Ano Letivo da Academia de Música de Viatodos.



Esta Academia, fundada a 23 de outubro de 2010 por iniciativa da Artesmusivi – Associação de Artes de Viatodos, é uma escola particular de ensino especializado de música, tendo já realizado inúmeros concertos com performances dos seus alunos.

Imagem: AMV.

Concerto abrilhanta comemorações dos 518 anos da Misericórdia de Barcelos

Junho 3, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, levou a efeito um Concerto, dirigido pelo maestro Alfredo Macedo, pela Orquestra da Escola de Música da Banda Musical de Oliveira e pelo Coro de Pais da Banda Musical de Oliveira.



A iniciativa, realizada no âmbito do programa comemorativo dos 518 anos da instituição, decorreu, dia 31 de maio, na Igreja da Misericórdia.

De realçar que os presentes foram brindados com Bravour 1900 (Randy Beck), Ammerland  (Jacob De Haan), Peer Gynt (E. Grieg), Prince of Egypt (Stephen Schwartz, arr. Jay Bocook), Les Misérables (arranged by Johnnie Vinson) e I Will Follow Him – (Arr: Ron Sebregts). À Orquestra juntou-se o Coro de Pais, que apresentou Verdes São os Campos (Arr: Filipe Cunha), Coro das Maçadeiras (Arr: Alfredo Macedo) e Saudação a Barcelos (Desconhecido).

Integrado, ainda, no programa dos 518 anos, na parte da manhã, teve lugar uma missa que assinalou o Dia Nacional das Misericórdias.

Próxima atividade

No dia 8 de junho, pelas 21h30, encerra o programa comemorativo com o lançamento do terceiro volume do livro “Apontamentos para a História de Barcelos”, de António Miguel da Costa Almeida Ferraz. A apresentação está a cargo do Pe. Prof. Doutor António Júlio Trigueiros.

Fonte e foto: SCMB.

Banda barcelense L-Blues apresenta novo álbum no Teatro Gil Vicente

Abril 2, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

A 6 de abril, sexta-feira, pelas 21h30, o palco do Teatro Gil Vicente recebe a banda barcelense L-Blues, para um concerto de apresentação do seu novo álbum “Vol.2”.



Este novo álbum é composto por seis músicas de Rock N’ Roll, Blues e Folk. “És Pó”, “Fúria”, “Outono”, “Ódio de amor”, “Cães negros” e “Perto do longe” são os títulos dessas seis músicas, de um disco que tem distribuição digital mundial nas lojas digitais como Spotify, Amazon, Itunes, HMV digital, Google Play ou Soundcloud, mas também está disponível em formato físico nas lojas FNAC.

A banda L-Blues tem origem em 2010, quando se cria o projeto “Guitarras de Manhente”, por intermédio de Bruno Lopes, músico que tem no seu historial vários projetos artísticos, entre os quais, os High Flying Bird (2003/2013), de música Folk e Blues e que editou seis discos, ou a banda The Pisces (1998/2001), na área da música rock.

Tal como referido, o folk, country, Blues e rock constituem as sonoridades desta banda. O seu nome faz uma homenagem à mitologia do pacto com o diabo, de Robert Johnson, e da encruzilhada (crossroads) dos Blues. A banda é constituída por Bruno Lopes (Voz, Guitarras, Slide, Harmónicas), Diogo Silva (Baixo), Jorge Braga (Bateria), Céu Neiva (Teclas, Violino e Guitarra Elétrica) e Ana Neto (Voz).

A entrada é gratuita mas não dispensa a reserva de lugar. Para mais informações e/ou reservas, pode utilizar o e-mail  tgv@cm-barcelos.pt  ou o telf. 253809694.

Fonte e imagem: AB.

Quaresma celebrada por concertos do Conservatório de Música de Barcelos

Março 28, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

O Conservatório de Música de Barcelos (CMB) realizou, nos dias 23 e 24 de março, os Concertos de Quaresma.



O primeiro aconteceu no Mosteiro de São Salvador, em Areias de Vilar, a 23 de março, que contou com a participação do Grande Coro 2. Ciclo do CMB, composto pelo coro do 2.º ciclo em regime integrado e os coros do mesmo ciclo em regime articulado com as escolas EB 2,3 Abel Varzim, EB 2,3 Gonçalo Nunes, EB 2,3 Rosa Ramalho, EBS Vale de Tamel e EBS Vila Cova e a Orquestra de Cordas do CMB.

Com cerca de 140 elementos, o Grande Coro interpretou as partes da Missa nº7, do compositor C. Gounod – Kyrie, Sanctus, O Salutaris Hostia e Agnus Dei – sob a direção da Professora Joana Ribeiro, acompanhado ao órgão pelo Prof. Daniel Ribeiro.

Depois deste massivo momento, seguiu-se a Orquestra de Cordas do CMB, dirigida pelo Professor Jorge Teixeira e que contou com a colaboração do cravista Diogo Zão, para apresentarem um programa de extrema qualidade, que incluía obras de dois grandes compositores do período barroco, A. Vivaldi e T. Albinoni. Iniciou com a Alla Rústica, de A. Vivaldi, seguindo-se o famoso Adágio Solm, de T. Albinoni, que teve como solista Margarida Pereira (violino), para culminar com o Concerto SolM “Verão”, das “Quatro Estações”, de A. Vivaldi, que contou com os solistas Joana Ribeiro e João Carvalho.

No dia seguinte (24 de março), a Orquestra de Cordas do CMB apresentou o mesmo programa no Concerto da Igreja Matriz de Barcelos, mas desta vez com o Coro Galtom, sob a direção da Profª. Maria João Gonçalves, que interpretou as partes Introitus, Dies Irae, Tuba mirum, Confutatis e Lacrimosa, do imponente Requiem Kv.626 de W.A. Mozart, momento que aglutinou o público numa emoção própria do período quaresmal. No final, em jeito de encore, o Coro Galtom e a Orquestra de Cordas do CMB juntaram-se para concluir o concerto com o Lacrimosa do Requiem de W.A. Mozart, momento de profunda emoção para a qual esta sublime música transportou todos os presentes.

A semana do CMB foi enriquecida pelos já tradicionais Saraus Musicais, que se realizaram no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Barcelos, nos dias 19 e 21 de março às 19h00 e às 21h30, onde se apresentaram os alunos que se destacaram ao longo do 2.º período dos cursos iniciação, básico e secundário das classes dos instrumentos violino, violeta, violoncelo, contrabaixo, guitarra clássica, flauta transversal, clarinete, saxofone, trompete, trompa, piano e canto.

Cada sarau foi encerrado por uma classe de conjunto, onde participaram o Coro 2.º ciclo (regime integrado) do CMB, o Ensemble de Guitarras, o Coro dos Pequenos Cantores e o Coro Galtom. O Conservatório de Música de Barcelos salientou que a evolução qualitativa da performance dos alunos foi bastante expressiva como também o número de alunos propostos para estes momentos.

Fonte e foto: CMB.

Concerto de Páscoa na Igreja Matriz de Barcelos

Março 23, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo domingo, dia 25 de março, a Igreja Matriz de Barcelos recebe a Orquestra da Costa Atlântica para o Concerto de Páscoa, com início marcado para as 17h00, com entrada livre.



A Orquestra da Costa Atlântica – Associação de Música e Cultura, decidiu estabelecer, em 2015, um agrupamento musical sinfónico designado por Orquestra da Costa Atlântica, constituída por sessenta instrumentistas, podendo ser reduzida ou expandida de acordo com as exigências de cada programa de concerto. Essa constituição permite a esta Orquestra interpretar um amplo repertório que se estende do Barroco até à música contemporânea.

A Orquestra da Costa Atlântica reúne jovens músicos profissionais, de grande talento, numa formação que empresta às suas interpretações uma extraordinária energia, uma especial irreverência e uma intensa paixão.

Em cada temporada, a Orquestra da Costa Atlântica realiza uma série regular de concertos em diversas salas do país, cumprindo uma função descentralizadora e contribuindo, dessa forma, para a captação e formação de novos públicos para a música erudita gerando, assim, um indiscutível valor cultural e social para as comunidades.

Em cada concerto, a Orquestra apresenta repertório diversificado, destacando-se na interpretação de sinfonias de Beethoven, Mozart, Dvorak e Schubert, obras de Ravel, Martinú, Copland, Fauré, Brahms, Borodin, Prokofiev, Strauss, Wagner, entre outros.

Apesar de recente, o projeto artístico e cultural protagonizado pela Orquestra da Costa Atlântica é reconhecido, nacional e mesmo internacionalmente, como um dos mais inovadores no âmbito da música erudita. Desde a sua fundação, tem como diretor musical e maestro titular, o maestro Luís Miguel Clemente.

Fonte e imagem: AB.

Let the Jam Roll em concerto na Biblioteca Municipal de Barcelos

Fevereiro 19, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 24 de fevereiro, às 21h30, no auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos, realiza-se o concerto dos Let the Jam Roll, integrado no festival CA Noroeste ao Vivo, numa colaboração do Crédito Agrícola do Noroeste com a Câmara Municipal de Barcelos, sendo o concerto de entrada gratuita.



Os Let the Jam Roll são naturais de Guimarães. Os seus membros são adeptos de uma sonoridade declaradamente orientada para espetáculos ao vivo, primando pela animação e versatilidade dos temas, aliados a uma mensagem moderna e de forte componente social, permitindo, assim, uma maior comunicabilidade com o público. A banda tem uma vasta influência musical que vai desde o jazz, clássico, blues, funk, rock até aos ritmos afro-cubanos.

O “CA Noroeste ao Vivo” é um projeto da responsabilidade do Crédito Agrícola do Noroeste e apresenta oito concertos, em oito localidades, com o objetivo de fomentar a cultura musical na região onde a instituição bancária está inserida.

Fonte e imagem: CMB.

MOONSHINERS em concerto no Círculo Católico de Operários de Barcelos

Janeiro 30, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 09 de fevereiro, pelas 23h00, o palco do Círculo Católico de Operários de Barcelos (CCOB) recebe o concerto da banda MOONSHINERS.



Surgida em 2012, esta banda aveirense é constituída por Gamblin’ Sam (voz e harmónica), Susie Filipe (bateria) e Vítor Hugo (voz e guitarra). Sob influência de Bob Dylan e MORPHINE, a sua música destaca-se pelas harmónicas estridentes e riffs explosivos.

Depois de uma longa digressão, de norte a sul do país, em outubro de 2013 lançam o seu primeiro EP, homónimo, que continha seis canções originais sobre whisky e cerveja, “conversas entre Deus e o Diabo” e réquiens de amor falhado. Voltando à estrada, passam por festivais como “Jardins Efémeros”, “OffBeatz” e “Vagueira Surf Fest”.

Em 2015 lançam o seu segundo EP, “Good News For Girls Who Have No Sex Appeal”, que conta com a participação especial de Paulo Furtado (THE LEGENDARY TIGER MAN). Desde temas mais caóticos e eletrizados, como “Louie”, até aos mais melódicos, como “Man On Wire”, o trabalho é composto por sete faixas inéditas que deslindam uma banda mais madura, consolidada e, sobretudo, mais viajada.



Já no ano passado, atuam no “Eurosonic Noorderslag “ (Holanda), considerado o maior festival profissional de música europeia; no “Veszprémi Utcazene Fesztivál” (Hungria) e fazem uma tour por Espanha. Em outubro, lançam uma cassete com dois temas do álbum “Prohibition Edition”. Com o primeiro single, “Hello Again”, os MOONSHINERS preparam-se para lançar, agora, o seu primeiro álbum “Prohibition Edition”, com edição marcada para o mês de fevereiro, onde são prometidas canções “para homens sensíveis e mulheres da barba rija”, conforme refere a banda.

Sobre os seus elementos, Susie Filipe – atriz e baterista – nasceu em Anadia. Já passou por várias artes cénicas, como o ballet, o rancho e a ginástica artística mas resolveu dedicar-se, em especial, ao teatro e à música. Estreia-se, este ano, no cinema português como protagonista do filme “Uma Vida Sublime”, de Luís Diogo.

Vítor Hugo, natural de Aveiro, é cantor, guitarrista e compositor. Em 2009 ingressou no London Center of Contemporary Music. De regresso a Portugal, é membro fundador dos THE UNDERDOGS, com quem lança “Silence” (2011), “Songs of the few” (2012) e “Blame it all on Jazz” (2014).

Por fim, Gamblin’ Sam, também natural de Aveiro, é cantor, harmonicista e compositor. Em paralelo com o percurso nos MOONSHINERS, tem participações em bandas como BONE DRILL, JOHNNY BLUES BAND, TRONCO NU, THE UNDERDOGS e MARX E OS COELHOS DO PÂNTANO.

Fonte e fotos: PR | PA.

Concerto “Fado Violado” no Teatro Gil Vicente

Janeiro 30, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 09 de fevereiro, pelas 21h30, no Teatro Gil Vicente, realiza-se o concerto “Fado Violado”, um projeto que funde o Fado com o Flamenco, composto por Ana Pinhal e Francisco Almeida.



Ana Pinhal começa por se dedicar à canção Pop, à Bossa Nova e ao MPB de forma amadora, até integrar, em 2002 os coros de BOITEZULEIKA, com a qual viria a gravar o seu primeiro disco “Éramos assim”. O seu desejo de aprender mais leva-a a frequentar aulas de formação musical e canto. O primeiro contacto com o Cante Flamenco chega pela mão de Francisco Almeida, que por esta altura já andava “às voltas” com a guitarra. O profundo interesse por esta arte leva-a até Sevilha onde, durante três anos, estuda na Fundación Cristina Heeren.

É na capital andaluz que, talvez pela saudade, o fado conquista o coração de Ana Pinhal e que, da comunhão com a guitarra de Francisco Almeida, faz nascer “Fado Violado”. Com este grupo apresenta-se ao vivo em Portugal, Espanha, França e Holanda.

Já o seu companheiro de palcos, Francisco Almeida, começa a sua aventura musical ainda adolescente, integrando várias bandas de garagem, começando por tocar baixo elétrico e por cantar, mas foi com a guitarra que as suas primeiras canções se facilitaram. Aos 20 anos, a música torna-se opção profissional, os BOITEZULEIKA logravam algum êxito com “Cão muito mau” e os pedidos para concertos multiplicavam-se. Nesta altura, começa a levar o estudo da música e da guitarra mais a sério e em 2003 tem o primeiro contacto com a guitarra flamenca, tendo feito, mais tarde, vários workshops e master classes em Córdova e Sevilha. Aos 27 anos, ruma de novo a Sevilha, onde durante três anos estuda guitarra flamenca também na Fundación Cristina Heeren.

A entrada é paga (2€) e não está ao abrigo do Cartão Quadrilátero. Para mais informações, utilize o e-mail tgv@cm-barcelos.pt e/ou telf. 253809694.

Fonte e imagem: AB.

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima