Tag archive

Ensino

Município de Barcelos mantém Banco de Livros Escolares para famílias necessitadas

Agosto 9, 2018 em Atualidade, Concelho, Educação, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

A Câmara Municipal de Barcelos vai implementar, pelo segundo ano consecutivo, o Banco de Livros Escolares que, no ano letivo 2018/2019, permitirá o empréstimo de manuais escolares aos alunos que ingressam agora no 3º ciclo do Ensino Básico, mais precisamente no 7º ano, em parceria com os Agrupamentos de Escolas do concelho.



A medida implica um investimento municipal a rondar os 70 mil euros, que vão ser destinados à aquisição de cerca de 5000 manuais escolares de disciplinas nucleares como português, matemática, história e geografia, inglês e ciências naturais.

Esta medida, em complemento com a do Ministério da Educação, vai possibilitar a cobertura de livros gratuitos até ao 7º ano a alunos que se encontrem no escalão B e C da Segurança Social. Recorde-se que a Câmara Municipal de Barcelos já ofereceu os manuais escolares aos alunos do 1º ciclo antes mesmo do Ministério da Educação ter assumido este apoio e agora passa, também, a oferecer os cadernos de atividades a estes alunos, desde que se encontrem nos escalões B e C.

O Banco de Livros é uma iniciativa do Município de Barcelos que disponibiliza gratuitamente manuais escolares, a título de empréstimo. Cada Agrupamento de Escolas ficará responsável pela constituição e gestão do seu Banco de Livros Escolares, com normas e procedimentos definidos por regulamento próprio, coordenando, dessa forma, os empréstimos de manuais, sem custos para as famílias.

Os encarregados de educação que pretendam ter acesso aos manuais escolares deverão oficializar o pedido junto do seu Agrupamento, sendo que, quem beneficia dos livros durante um ano letivo, deve garantir uma prudente utilização dos manuais para que voltem a ser emprestados no ano letivo seguinte.

A promoção da reutilização dos manuais escolares, a diminuição dos custos de aquisição de livros por parte das famílias e o incentivar de boas práticas de proteção e educação ambiental junto das gerações mais novas são os principais objetivos do Banco de Livros Escolares.

Para qualquer esclarecimento de dúvidas sobre o Banco de Livros Escolares, pode enviar e-mail para educacao@cm-barcelos.pt.

Fonte: CMB.

Imagens: DR e CMB.

Município de Barcelos participa em projeto europeu do Programa Erasmus

Julho 24, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O Município de Barcelos, enquanto coordenador do projeto “A School for Tomorrow’s: Dropout Prevention, Intervention and Retrieval Through Art Education”, no âmbito do Programa Erasmus, apresenta os primeiros resultados do projeto depois de dois anos de intervenção, que tem como parceiros o Agrupamento de Escolas de Barcelos e a Associação Intercultural Amigos da Mobilidade e, em termos internacionais, a Itália e a Polónia.



O objetivo central deste projeto passa por refletir, discutir e partilhar boas práticas educativas acerca do combate ao abandono e insucesso escolar, a partir de uma abordagem diferenciada de intervenção através da arte.

O resultado final tem como objetivo permitir aos alunos, que caracterizados em termos escolares como alunos de insucesso, se expressarem livremente através das artes, refletirem sobre as suas dificuldades, experimentarem o sucesso e trabalharem emoções positivas com impacto na autoimagem e autoestima. Estas competências podem ser transferidas para a realização escolar, esperando-se, assim, um impacto muito positivo ao nível do sucesso académico.

Já o produto final deste projeto materializa-se em dois guias. O primeiro, faz um ponto de situação do abandono escolar em cada um dos países e as respetivas políticas educativas de combate a este fenómeno; o segundo, refere-se à partilha de projetos e boas práticas existentes em cada um dos países, de intervenção escolar no fenómeno do abandono e insucesso através de práticas educativas que privilegiam a expressão artística.

Este projeto piloto consistiu numa abordagem estruturada, no qual os alunos foram expostos a diferentes atividades de expressão artística em espaços culturais do município ou outros, permitindo trabalhar diferentes áreas como a pintura, o desenho, a expressão dramática, a relação com o património local, a escrita criativa, entre outros. Todo esse trabalho culminou com a apresentação pública num espetáculo, denominado “Do Avesso”, que se realizou no passado dia 24 de junho.

Fonte e foto: CMB.

Banco de Material Escolar da SOPRO está aberto a doações

Julho 14, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora

O Banco de Material Escolar (BME) da SOPRO já iniciou a preparação do novo ano letivo (2018/2019).



O BME tem como principal objetivo apoiar o acesso à escolaridade. Assim, o projeto está orientado para a recolha de manuais e materiais escolares e encaminhamento dos mesmos para crianças, jovens e famílias devidamente sinalizadas. Este apoio pretende abranger as famílias mais desfavorecidas e, também, prevenir situações de abandono escolar, visto muitas dessas famílias terem dificuldade em manter as crianças devido às suas enormes carências.

Para o desenvolvimento deste projeto, a SOPRO precisa da colaboração de todos. Para isso, basta doar manuais em vigor e/ou material escolar (novo ou usado) ao Banco de Material Escolar.

para mais e melhores informações, pode contactar a Coordenadora do Projeto, Joana Miranda, através do contacto telefónico 96 565 9916 ou do e-mail geral@sopro.org.pt. Pode, igualmente, consultar as páginas da SOPRO na Internet e na rede social Facebook (basta clicar nos links para aceder automaticamente): https://www.facebook.com/soproongd/ e http://www.sopro.org.pt/.

Imagem: SOPRO.

Já se conhece o calendário escolar para 2018/2019

Junho 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Educação, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Foi publicado a 19 de junho, ao final do dia, o Despacho Nº 6020-A/2018, que designa o calendário escolar para o próximo ano letivo (2018/2019), assim como o calendário de provas e exames dos ensinos básico e secundário.



Assim, entre 12 e 17 de setembro iniciam as atividades letivas do 1º Período, que termina a 14 de dezembro (interrupção de Natal). O 2º Período inicia a 3 de janeiro de 2019 e termina a 5 de abril (interrupção de Páscoa). O dia 23 de abril marca o reinício das atividades letivas, com o 3º Período, que termina a 5 de junho para os alunos do 9º, 11º e 12º anos; a 14 de junho para os alunos do 5º, 6º, 7º, 8º e 10º anos; e a 21 de junho para os do pré-escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. A interrupção “de Carnaval” será entre 4 e 6 de março de 2019.

Na imagem que se segue, retirada do Despacho, pode observar estas informações:

Foto: DR.

Juventude Socialista de Barcelos divulga propostas a estudantes

Março 26, 2018 em Atualidade, Concelho, Educação, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

Na passada sexta-feira, dia 23 de março, a Juventude Socialista (JS) esteve com centenas de estudantes no sentido de divulgar as propostas desta juventude partidária para o ensino e para os estudantes.



Esta iniciativa realizou-se no âmbito da atividade Action Week – “Dá Voz Ao Conhecimento”, promovida pela estrutura nacional da JS.

Foi uma semana de atividades, que terminou no dia 24 de março com a comemoração do Dia Nacional do Estudante.

Fotos: JS-B.

Os contextos de aprendizagem (Parte I)

Novembro 26, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Dr.ª Maria José Amaral Neco

Atualmente, fala-se muito da sociedade da informação ou do conhecimento, como preferirmos chamar-lhe. No entanto, é impreterível questionarmo-nos acerca de como podemos garantir a aquisição de novas competências quando a escola deixou de ser o único espaço de transmissão do saber.



É do conhecimento geral que os métodos tradicionais de ensino são considerados, atualmente, ultrapassados, o processo de ensino aprendizagem vai para além da memorização da informação. Hoje, incentiva-se e estimula-se o desenvolvimento do pensamento crítico-reflexivo e de competências no acesso à informação. Há, de certo modo, uma preocupação por parte dos profissionais educativos/informativos em formar/preparar o cidadão para a aprendizagem ao longo da vida.

Nesta perspetiva do ensino urge-me falar de um dos espaços que considero privilegiado para a promoção de uma educação mais informal e que oferece diferentes fontes de informação que ajudam a garantir a equidade na educação, sem restrições sociais, culturais e económicas. Esse espaço é a Biblioteca em geral e a Biblioteca Escolar em particular.

Durante muitos anos, a Biblioteca foi considerada um lugar de conhecimento e de acesso restrito; apenas os mais letrados e com status social mais elevado tinham acesso à informação. Muito se devia ao analfabetismo e ao receio pela ascensão à sabedoria, fruto dos regimes políticos mais autoritários e rígidos.

Há muito tempo que a Biblioteca deixou de ser considerada apenas um espaço de armazenamento de livros, um lugar onde eram guardadas as informações registadas pelo homem, para passar a ser reconhecida como um espaço de interação e interdisciplinaridade com os seus reais e potenciais utilizadores.

No ambiente educacional, a Biblioteca é vista como um recurso básico no processo educativo, promovendo e desenvolvendo a literacia informacional, dotando e preparando o futuro cidadão de competências fundamentais na interpretação dessa mesma informação.

Por: Dr.ª Maria José Amaral Neco*

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Novo Paradigma Educacional – Novas Tecnologias (Parte III)

Outubro 22, 2017 em Atualidade, Concelho, Educação, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Dr.ª Maria José Amaral Neco

Como analisámos em edições anteriores, a Internet é, sem sombra de dúvidas, um meio facilitador aos métodos de ensino. Esta permite uma maior flexibilidade e acessibilidade ao contexto educativo. A plataforma Moodle, que muitos já conhecem, é bastante utilizada no contexto do ensino a distância, permitindo uma maior interação com o professor e os participantes de uma determinada unidade curricular, e tudo em tempo real.



A elaboração de materiais de apoio ao aluno, como manuais impressos que se tornam obsoletos, são assim substituídos pelo suporte digital, podendo estar sempre atualizados e disponíveis.

Este novo método pedagógico suscita algumas questões, nomeadamente, no que respeita à nova metodologia de ensino/aprendizagem. Posso afirmar que, agir pedagogicamente nesta metodologia de ensino exige trabalhar motivações, aspirações, desejos e necessidades dos alunos que se confrontam com novos modelos de aprendizagem em ambientes que não lhes são totalmente familiares. O tempo foi passando, a progressão na unidade curricular afigurou-se natural e à minha volta o número de não-esclarecidos foi diminuindo, fruto de muitos “nós no estômago!”

O consenso aparentemente foi estabelecido, mesmo que natural e inerente à condição de ser social e humano, o processo educativo é suscetível de ser melhorado e potenciado com a ajuda de profissionais conscientes, capazes e dotados tecnicamente, assumindo o papel de facilitadores/animadores/gestores, em suma o papel de Educadores.

Neste contexto, o professor aparece com o papel de facilitador da aprendizagem, é importante por isso, que saiba orientar e responsabilizar os seus alunos para os métodos a serem utilizados nas aulas não presenciais; esta metodologia proporciona uma política de participação, em que todos os atores intervenientes participam ativamente nas práticas pedagógicas, o aluno deixa de ter aparentemente uma postura passiva, passando a ter uma postura pró-ativa.

Toda esta dinâmica pedagógica motiva o desenvolvimento do trabalho colaborativo, interativo e construtivo por parte dos grupos. No entanto, posso partilhar com o leitor, que na minha experiência pessoal, assisti a resistências na partilha de conhecimento entre os diferentes grupos. Este fenómeno reflete bem a cultura educativa que está enraizada no nosso percurso escolar e, quando confrontados com novos ambientes de aprendizagem, ainda que inconscientemente, reagimos de forma individualista e não colaborativa na partilha do conhecimento.

Por: Dr.ª Maria José Amaral Neco*

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Águas de Barcelos e Conservatório de Música de Barcelos promovem Dia Nacional da Água

Setembro 26, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Educação port barcelosnahorabarcelosnahora

Na próxima sexta-feira, 29 de setembro, a convite do Conservatório de Música de Barcelos, a Águas de Barcelos associa-se às comemorações do Dia Nacional da Água, num evento que alia a música, a água e a poesia. As atividades realizam-se a partir das 16h00, nas instalações do conservatório.



Serão cerca de centena e meia de alunos, do 2.º e 3.º ciclos daquela instituição de ensino, que irão ter a possibilidade de experienciar e saber mais sobre a vitalidade da água e sobre os seus ciclos natural e urbano. Serão experiências divertidas com água sobre o “Ciclo Natural da Água”, “Filtração da Água” e “Poluição Invisível”, que visam sensibilizar para a importância do ciclo da água como sistema natural de purificação da água e renovação das reservas de água doce e a importância do tratamento da água e do controlo da sua qualidade para assegurar que a mesma é saudável e segura.

Em nota enviada a este jornal, a Águas de Barcelos “considera a educação ambiental fundamental, pois os alunos, ao serem consciencializados sobre a importância deste recurso, e como a água é usado pelo ser humano, irão certamente adotar comportamentos mais ecológicos na sua vida futura. O objetivo pedagógico desta ação é consciencializar os alunos sobre a importância do ciclo natural da água na renovação dos nossos reservatórios naturais de água doce, e que o ciclo urbano da água, ao tratar a água para consumo humano e os esgotos resultantes das atividades domésticas e industriais, é muito importante como resposta ao problema da poluição, contribuindo significativamente para promover a saúde da população e proteger os nossos recursos hídricos.”

Fonte e imagem: AdB.

Novo Paradigma Educacional – Novas Tecnologias (Parte II)

Setembro 24, 2017 em Atualidade, Concelho, Educação, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Dr.ª Maria José Amaral Neco

O ensino à distância, e-learning e b-learning, são práticas cada vez mais presentes nas modalidades de educação escolar, tornando-se numa alternativa válida ao ensino tradicional/presencial, através do diploma enunciado na Lei de Bases do Sistema Educativo Português.



Sabemos que, atualmente, o sistema educativo português utiliza um conjunto diversificado de meios de comunicação, que potenciam uma viragem gradual e progressiva na forma de ensinar e aprender. Mas será que o nosso sistema de educação, conforme se apresenta hoje, está devidamente preparado para desenvolver e implementar estas metodologias nos diferentes níveis de ensino? Será que o e-learning é utilizado de forma a estimular a autoaprendizagem? Será que permite atingir os mesmos resultados que o ensino presencial? Estas são questões que alguns educadores e educandos levantam no momento da avaliação do desempenho do aluno.

É certo que o e-learning é uma modalidade essencial no contexto educativo face às necessidades emergentes da atual sociedade, uma sociedade do conhecimento, da informação e da aprendizagem. Todavia, são muitas as dúvidas e lacunas que se verificam nesta modalidade de ensino.

Questiona-se, por exemplo, se faz sentido a aplicação deste paradigma mais construtivista, nos diferentes níveis de ensino, sendo esta modalidade uma prática que exige maturidade, autodisciplina, uma maior gestão do tempo, uma maior motivação e um maior desempenho comparado com o sistema educativo presencial. Neste contexto, parece-nos que o público privilegiado serão os adultos.

Esta evolução do paradigma educativo tradicional, centrada na sala de aula, para um paradigma onde a construção do saber se produz sem limitações de horário e de espaço físico, é de facto uma prática educativa e de aprendizagem ideal para o adulto, que por motivos profissionais ou geográficos não tem a possibilidade de frequentar o ensino presencial. Trata-se de um domínio da educação em que as novas tecnologias são essenciais na mediatização da transmissão de conteúdos e da relação pedagógica, de forma a ultrapassar as barreiras do espaço e do tempo, entre o professor e o aluno. Esta modalidade de ensino terá um maior impacto no âmbito da formação profissional como meio facilitador do ensino/aprendizagem ao longo da vida.

Reconhece-se que a aprendizagem on-line representa uma mudança paradigmática, não apenas para os alunos, mas também para os professores e restantes técnicos educativos.

No entanto, esta modalidade educativa não rompe com o paradigma tradicional, pelo contrário, assiste-se a uma articulação e complementaridade entre ambos, onde as diferentes realidades e necessidades de qualquer projeto político-educativo devem ser ajustadas.

Por: Dr.ª Maria José Amaral Neco*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

O Regresso às Aulas

Setembro 20, 2017 em Atualidade, Concelho, Educação, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Sandra Martins

O regresso às aulas é um dos acontecimentos do ano. Desperta uma mistura de emoções: alegria, euforia, melancolia, ansiedade e entusiasmo. E também um sentimento de esperança: “Este ano é que vai ser!”, “Vou estudar desde o início.”, “Vou ser mais organizado.”, “Vou ter mais paciência para o meu filho.”, “Vou acompanhar mais o meu filho.” Trata-se de um recomeço e gostamos desse sentimento. Significa mais uma hipótese para concretizarmos os nossos objetivos e sonhos!



Vamos, então, encarar o regresso às aulas com otimismo e conduzir as (boas) energias para os objetivos a que nos propomos!

Um dos objetivos (principais) é obter sucesso escolar. O que representa para cada um de nós, o sucesso escolar?

Acredito que o sucesso escolar traduz-se de uma forma muito simples: “O meu filho gosta de ir à escola e está a aprender.” É um equilíbrio entre essas duas condições, sendo sustentado pela relação que desenvolve com os professores, os colegas e a escola. O acompanhamento dos pais é fundamental. Os alunos, com melhor acompanhamento em casa, têm condições mais favoráveis para obter sucesso escolar.

O envolvimento emocional dos pais faz toda a diferença no percurso de vida de qualquer criança ou jovem e, consequentemente, no seu percurso escolar.

Cada criança, cada jovem representa um mundo a descobrir e interpretar. Para os pais, há orientações transversais a todos esses “mundos”.

– Fazer perguntas simples: “Como foi o teu dia?”, “O que gostaste mais?”, “O que aprendeste?”, “A matéria é mais difícil? Ou mais fácil?”, “Quais foram as brincadeiras no intervalo?” (conversar é uma boa maneira de sabermos aquilo que pensa).

– Ouvir com atenção (as expressões faciais e gestuais oferecem pistas para uma melhor compreensão).

– Responder às perguntas, mesmo que pareçam nunca acabar (estimular a curiosidade é estimular a procura do conhecimento).

– Valorizar o esforço e os progressos, mesmo que sejam pequenos (a motivação torna a aprendizagem mais eficaz).

– Passar tempo em conjunto, todos os dias, sem trabalhos de casa, nem obrigações (e sem telemóveis).

No fundo, com esses pequenos (grandes) gestos, mostramos interesse e que estamos juntos nessa nova etapa.

A rotina do dia-a-dia é avassaladora. Devemos ser nós, pais, a exigir esse tempo de qualidade, definir prioridades e criar novas rotinas. Não há vidas perfeitas, nem pais perfeitos. O grande desafio é aceitar isso com tranquilidade e gerir cada dia da melhor forma. Um dia de cada vez!

Um Novo Ano Letivo com muitos sonhos concretizados para todos!

Por: Sandra Martins* (Professora).

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima