Tag archive

Faria

Festa de Nª Sr.ª da Assunção em Faria

Agosto 9, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Entre 13 e 15 de agosto a paróquia de Faria recebe mais uma festa em honra de Nossa Senhora da Assunção.



A 13 de agosto, pelas 21h30, realiza-se a procissão de velas. No dia seguinte, véspera de feriado, pelas 19h00, reza-se a novena. Segue-se, pelas 21h30, o espetáculo de Rui Bandeira. Após o fogo de artifício, começa a after hours, com os DJ’s Marco Ferreira e Cristiana de Matos, que incluirá uma festa da espuma.

Uma nota: apesar de surgir no cartaz o cantor Zé Amaro, este acabou substituído por Rui Bandeira, por motivos de saúde.

Dia 15 de agosto, pelas 10h00, celebra-se missa solene em honra de Nossa Senhora da Assunção. À tarde, pelas 15h00, entra a Fanfarra dos Escuteiros do Agrupamento 545 – São Romão – Milhazes. Segue-se a entrada da Banda Musical de Oliveira, que atuará após os atos religiosos.

Imagens: DR.

9º Passeio de Motos e Motorizadas Antigas de Faria

Julho 12, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 21 de julho realiza-se a nona edição do Passeio de Motos e Motorizadas Antigas de Faria, com um percurso de mais ao menos 30km. Participação gratuita, com inscrição no local, no dia.



A receção às máquinas de duas rodas (ou poderão ser de mais) e seus tripulantes trajados a preceito será feita pelas 14h00, com a saída a efetuar-se pelas 15h00. A reunião dos participantes e a partida realiza-se junto à Igreja Paroquial de Faria. Na ida, o percurso passará por Milhazes, Carvalhal, Barcelinhos (com paragem no quartel dos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos, com bênção dos capacetes). Na volta, passarão por Barcelos, Vila Boa, Barcelinhos, Gilmonde, Fornelos, Vila Seca e terminando em Faria, onde haverá a entrega de prémios, fotografias e porco no espeto. Os prémios em disputa são os de Melhor Traje e Melhor Restauro.

Este é um evento levado a cabo pelo Grupo de Amigos de Duas Rodas de Faria. Para mais informações, contactar a organização pelos números 963 970 458 ou 966 856 605.

Imagem: DR.

Faria celebra os Santos Populares no próximo sábado

Junho 26, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

Sábado, dia 29 de junho, dia de São Pedro, pelas 20h00, Faria celebra os Santos Populares com muita música, comida e alegria.



No Parque de Merendas, os foliões poderão comer sardinhas grátis, chouriça assada, bifanas, broa de milho caseira, batatas fritas, caldo verde, bolo caseiro ou fruta laminada; beber verde branco e tinto, maduro branco e tinto, sangria, águas, sumos ou café. Também poderão assistir à atuação do grupo Vozes do Cávado.

Imagem: DR.

Barcelense Ana Barroso apresenta “Sina da mulher cigana? Um complexo processo de autonomização”

Junho 25, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Obra tem por base tese de mestrado reconhecida pela Cáritas Portuguesa

No próximo dia 29 de junho, pelas 16h00, a Biblioteca Municipal de Barcelos é o espaço escolhido pela barcelense Ana Barroso para a apresentação do seu livro “Sina da mulher cigana? Um complexo processo de autonomização”.



Este livro resulta de uma investigação levada a cabo, em 2015, no âmbito do Mestrado em Serviço Social, da Faculdade de Ciências Sociais, da Universidade Católica Portuguesa (Braga). A escolha do tema deve-se, por um lado, ao seu interesse pessoal pela cultura cigana e pelo modus vivendi dos elementos que a compõem. Por outro lado, trata-se de um assunto ainda relativamente pouco investigado, apesar de haver um conjunto cada vez mais significativo de estudos e relatórios sobre a matéria. Com esta obra, a autora pretende dar o seu contributo para a “desmistificação de alguns estereótipos seculares em relação à comunidade cigana”.

Ana Barroso nasceu na freguesia de Faria, conselho de Barcelos, a 4 de agosto de 1992. Licenciou-se em Educação, em 2013, pela Universidade do Minho. Posteriormente, ingressou na Universidade Católica Portuguesa – Centro Regional de Braga, onde concluiu o Mestrado em Serviço Social, em 2015, com a dissertação “A autonomização feminina no grupo sociocultural cigano português. Estudo de caso no concelho de Braga (Programa Escolhas)”. Nesse mesmo ano, voluntariou-se na PSI-ON – Associação para a Educação, Desenvolvimento e Intervenção, como Técnica de Apoio à Vítima de Violência Doméstica e Mentora para Migrantes. Esta foi uma experiência enriquecedora que terminou com a sua entrada na APACI – Associação de Pais e Amigos das Crianças Inadaptadas para realização de um estágio profissional. Pelo meio, ainda fez parte de uma equipa que fundou um Grupo de Ação Social (GAS) na freguesia de Faria. Este grupo realizou algumas campanhas de recolha de roupas, medicamentos fora de prazo e exames clínicos para reciclagem, rastreios visuais e aulas gratuitas de apoio ao estudo durante as férias escolares da Páscoa. Infelizmente, o GAS terminou muito cedo por não conseguirem um espaço físico para se fixarem.

No ano de 2019, a sua referida dissertação foi eleita uma das melhores teses de mestrado de temática social e recebeu o prémio “Padre David de Oliveira Martins” pela Cáritas Portuguesa. Com este prémio nasceu o livro “Sina da mulher cigana? Um complexo processo de autonomização”.

Ao Barcelos na Hora, Ana Barroso refere que “a edição do livro é, sem dúvida, um momento de muita realização pessoal e profissional. Sinto-me muito feliz por esta conquista que culmina um trabalho desenvolvido no âmbito do Mestrado em Serviço Social, da Universidade Católica Portuguesa, em Braga. Este livro é o culminar de um percurso em que fui sempre acompanhada por pessoas importantes, sem as quais nunca poderia ter chegado até ao fim”.

Com as suas próprias palavras, a autora dá-nos a conhecer sua obra: “Esta obra permite-nos um conhecimento mais aprofundado sobre a comunidade cigana pois procurámos compreender a sua cultura, desfazer alguns mitos e preconceitos persistentes, mas, acima de tudo, dar voz à mulher cigana e projetá-la para a sociedade maioritária. A observação dos cursos de educação escolar e profissional na idade adulta mostrou-nos que, apesar de não darem frutos no imediato – ou seja, contrariamente ao que se pretende, não constituem uma porta de acesso ao mercado laboral –, não deixam, porém, de ser importantes para as mulheres ciganas. Na verdade, apercebemo-nos que lhes permite ganhar consciência das suas capacidades e do seu papel enquanto mulher nos espaços comunitário e público, o que pode vir a refletir-se na educação que transmitem aos seus filhos. A frequência escolar em idade adulta permite-lhes ter maior consciência da importância da educação escolar para os seus filhos em geral e para as suas filhas em particular – por razões culturais as meninas ciganas continuam a ser retiradas do percurso escolar ainda mais cedo do que os seus irmãos –, começando a olhar mais para a instituição escolar como uma oportunidade para as gerações mais novas e não apenas como uma entidade cultural concorrente à cultura cigana”.

Por ser uma obra baseada numa investigação, fica no ar quais as conclusões da mesma. Ana Barroso salienta que “as conclusões desta investigação constituem um apelo junto dos responsáveis pela integração das minorias étnicas e pelos processos de integração – mas também junto da opinião pública em geral – para a necessidade premente de se implementar uma política de integração de cariz mais global. Não basta investir em projetos centrados apenas na comunidade cigana. É também essencial apostar na formação de uma sociedade maioritária que, hoje em dia, continua a colocar de parte aqueles que são diferentes. Não basta apostar na formação se não houver oportunidades de emprego na área ou em áreas semelhantes ou qualquer abertura das entidades empregadoras. É fundamental criar oportunidades reais de trabalho e de integração”.

Questionada sobre o facto de estar a apresentar a sua obra em Barcelos, Ana Barroso explica que “a apresentação deste livro na minha cidade, Barcelos, é mais uma conquista neste percurso. Barcelos tem dado passos importantíssimos no apoio à comunidade cigana local e esta obra é mais um pequeno contributo para a sensibilização da sociedade portuguesa relativamente à discriminação da comunidade cigana em geral e ao papel da mulher cigana, de forma a favorecer a sua autonomia intra e extracomunitária”.

Imagens: DR.

Festa de Nossa Senhora da Assunção em Faria

Agosto 8, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Depois das novenas de preparação para a festa, entre 6 e 14 de agosto, o programa da festa em honra de Nossa Senhora da Assunção, em Faria, começa a ser mais completo.



Assim, a 13 de agosto, pelas 21h30, realiza-se a procissão de velas. Após este ato religioso, vai a palco o grupo de fado humorístico Terra Velhinha.

No dia seguinte, véspera de feriado, pelas 19h00, celebra-se missa e sermão em honra de Nª Sr.ª da Assunção. Pelas 21h30, inicia o espetáculo de Johnny Abreu e sua banda.

A 15 de agosto, feriado, o programa tem a missa solene, pelas 10h00. À tarde, pelas 14h00, dá-se a abertura da Casa da Memória das Terras de Faria. Meia hora depois dá-se a entrada da Banda Filarmónica de Estorões – Ponte de Lima. Pelas 15h30, iniciam os atos religiosos, com terço e sermão seguidos da procissão, após a qual atua a referida Banda.

Pelas 19h00, encerra a exposição permanente da Casa da Memória das Terras de Faria. À noite, pelas 21h00, atua Mickael do Akordeão.

Barcelense Márcio Fernandes inaugura exposição “Um novo olhar para a construção de Cabeçudos e Gigantones”

Abril 30, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 27 de abril, inaugurou, no Posto de Turismo de Barcelos, a exposição “Um novo olhar para a construção de Cabeçudos e Gigantones”, do barcelense Márcio Fernandes, residente em Faria.



A inauguração contou com a presença dos vereadores José Beleza e Anabela Real, que puderam, em primeira mão, apreciar as várias obras deste artista barcelense, nesta que é a primeira exposição de cabeçudos e gigantones em Barcelos.

Márcio Fernandes (direita) com José Beleza

Nesta exposição, que é mais um reflexo da criatividade, originalidade e identidade barcelense, será possível apreciar alguns exemplares de cabeçudos e gigantones que Márcio Fernandes tem vindo fazer, bem como o seu processo construtivo, atestando mais uma vez a distinção de Barcelos através da sua integração na Rede Mundial das Cidades Criativas da UNESCO.

O interesse pela construção de cabeçudos surgiu-lhe em 2013, quando decidiu adquirir um exemplar de um Diabo para usar como adereço na “Queima do Judas”, em Faria, uma tradição desta freguesia, da qual Márcio Fernandes é o autor dos testamentos e das peças de teatro de rua. O propósito para a utilização do cabeçudo era fazer a ligação de duas tradições populares tão enraizadas no Minho, de carácter satírico.

Márcio Fernandes iniciou a pesquisa deste tema, mas a tarefa que parecia ser fácil, tornou-se árdua, uma vez que não conseguiu encontrar artesãos e/ou artistas plásticos com disponibilidade para o ajudar na concretização de um objetivo que parecia ser simples. Decide então enveredar pelo autodidatismo, com o objetivo de dominar esta técnica.

Marcou presença em várias feiras de artesanato, festas e romarias, nas quais sabia que iria encontrar artesãos e Grupos de Zés Pereiras e gigantones, de forma a obter orientações para a elaboração do cabeçudo. Com muita persistência, no fim do ano de 2015, após ter efetuado inúmeros testes, conseguiu chegar ao seu primeiro exemplar, um cabeçudo que retratava um homem comum.

Atualmente, Márcio Fernandes é um apaixonado pelo processo criativo, sendo um dos seus principais objetivos contribuir para a continuidade desta arte no concelho de Barcelos, através da propagação dos seus conhecimentos a quem queira aprender as diferentes fases de construção, em prol da divulgação e preservação deste ofício tradicional.

Fonte e fotos: CMB.

 

Márcio Fernandes expõe “Cabeçudos e Gigantones” no Posto de Turismo de Barcelos

Abril 26, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Abre amanhã, dia 27 de abril, no Posto de Turismo de Barcelos, a exposição “Um novo olhar para a construção de Cabeçudos e Gigantones”, de Márcio Fernandes, patente até 28 de maio.



Nesta exposição, que é mais um reflexo da criatividade, originalidade e identidade barcelense, é possível apreciar alguns exemplares de cabeçudos e gigantones que Márcio Fernandes tem vindo fazer, bem como o seu processo construtivo, atestando mais uma vez a distinção de Barcelos através da sua integração na Rede Mundial das Cidades Criativas da UNESCO.

O interesse pela construção de cabeçudos surge em 2013, quando decide adquirir um exemplar de um Diabo para usar como adereço na “Queima do Judas”, em Faria, uma tradição desta freguesia, da qual Márcio Fernandes é o autor dos testamentos e das peças de teatro de rua. O propósito para a utilização do cabeçudo era fazer a ligação de duas tradições populares tão enraizadas no Minho, de carácter satírico.

Márcio Fernandes iniciou a pesquisa deste tema, mas a tarefa que parecia ser fácil, tornou-se árdua, uma vez que não conseguiu encontrar artesãos e/ou artistas plásticos com disponibilidade para o ajudar na concretização de um objetivo que parecia ser simples. Decide então enveredar pelo autodidatismo, com o objetivo de dominar esta técnica.

Marcou presença em várias feiras de artesanato, festas e romarias, nas quais sabia que iria encontrar artesãos e Grupos de Zés Pereiras e gigantones, de forma a obter orientações para a elaboração do cabeçudo. Com muita persistência, no fim do ano de 2015, após ter efetuado inúmeros testes, conseguiu chegar ao seu primeiro exemplar, um cabeçudo que retratava um homem comum.

Atualmente, Márcio Fernandes é um apaixonado pelo processo criativo, sendo um dos seus principais objetivos contribuir para a continuidade desta arte no concelho de Barcelos, através da propagação dos seus conhecimentos a quem queira aprender as diferentes fases de construção, em prol da divulgação e preservação deste ofício tradicional.
Fonte e imagem: CMB.

7º Grande Encontro de Motos e Motorizadas Antigas realiza-se no próximo domingo

Julho 20, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

O Grupo de Amigos das Duas Rodas, de Faria, organiza, no próximo domingo, dia 23 de julho, o seu “7º Grande Encontro de Motos e Motorizadas Antigas”, num iniciativa dinamizada pela União de Freguesias de Milhazes, Vilar de Figos e Faria, com a colaboração de diversos grupos e associações, pela ACD Alcaides Faria e apoio do Município de Barcelos.

A receção realiza-se no local da partida, junto à Igreja de Faria, pelas 14h00, com a partida a dar-se por volta das 15h00. O trajeto levará as “máquinas de duas rodas” a passarem por Faria, Vila Seca, Gilmonde, Barcelinhos, Barcelos (em frente ao Senhor da Cruz), volta a Barcelinhos e termina, numa primeira fase, em Gamil.

Na Quinta da Poça, em Gamil, dá-se a paragem para descanso, com a chegada prevista para, sensivelmente, as 16h00. Uma hora depois, arrancam para uma segunda fase do trajeto, indo de Gamil a Faria, passando pela Várzea, Silveiros, Remelhe e Vilar de Figos. O local da chegada será o Campo de Jogos da ACD Alcaides Faria, prevendo-se que por volta das 17h45, os participantes comecem a chegar a este local, onde se realizará um churrasco para todos os participantes (a pagar).




O evento contará com uma Bênção de Capacetes, prémio para o Melhor Traje e para o Melhor Restauro. A animação ficará a cargo de Pedro Cachadinha e um amigo. Mas não só. Os participantes terão direito a assistência em viagem gratuita, combustível SOS, reboque gratuito para veículos avariados, acompanhamento policial durante o percurso, “comes e bebes” durante o percurso e oferta de fotografia individual a cada participante.

Um pormenor muito interessante deste Encontro é que não é necessária inscrição e a participação é gratuita.

Imagem: ACD AF.

IV Encontro de Bicicletas Antigas de Vilar de Figos marcado pela animação

Julho 11, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado dia 9 de julho, a Associação Recreativa, Cultural e Desportiva de Vilar de Figos organizou a 4ª edição do “Encontro de Bicicletas Antigas de Vilar de Figos”, que decorreu com muita animação.

O percurso iniciou pelas 10h00, no campo de futebol de Vilar de Figos e levou as “máquinas de duas rodas a pedal” a passarem por Courel, Faria, Milhazes e voltarem ao mesmo local do início, pelas 12h40, onde decorreu o almoço.

Este encontro contou com a presença de 100 participantes e com os socorristas da Cruz Vermelha de Macieira de Rates, a quem a organização, através da comunicação enviada a este jornal, deixa um grande agradecimento.

Na mesma comunicação, a Associação refere que o “balanço da nossa atividade foi bastante positivo”, tendo-se alongado até às 18h00 e contando, igualmente, com a animação do Rancho Folclórico de Courel, com insufláveis para as crianças e com sorteio de rifas.






Fonte e fotos: ARCDVF.

Presidente da Câmara inaugura Casa da Memória da Terra de Faria

Junho 13, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Política port barcelosnahorabarcelosnahora

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, inaugurou no último sábado, dia 10 de junho, a Casa da Memória da Terra de Faria, em Faria, no dia em que também se comemorou o Dia da Freguesia.

Na sua intervenção, Miguel Costa Gomes começou por dizer que “quem não tem memória, não tem futuro. O que estamos aqui a fazer é resguardar, preservar a memória das ruínas de Faria e todo o património arqueológico que está associado”. Sublinhou, ainda, que “esta Casa da Memória vem de uma forma afirmativa e clara dizer, não só à União de Freguesias, mas ao concelho, a todos, que preservando esta memória, asseguramos o nosso presente e o nosso futuro. E é este património que iremos deixar aos nossos filhos, aos nossos netos e assim sucessivamente.”

Por sua vez o Presidente da Junta da União de Freguesias de Milhazes, Vilar de Figos e Faria, José Luís Arantes, disse que “é com elevada satisfação que hoje assisto à inauguração da Casa da Memória da Terra de Faria, projeto este inovador para a União de Freguesias, e particularmente para a preservação da história das nossas terras. Hoje encontramos aqui um exemplo de descentralização e de confiança nas pessoas e no associativismo como garantia do saber fazer e do bem-fazer que muito nos deve orgulhar”.

O Presidente do Grupo Alcaides de Faria, Manuel Luís Lomba, deu a conhecer a história do Castelo de Faria, dizendo que “a origem da nacionalidade está aqui”, pois o Rei D. Afonso Henriques terá “furtado os castelos do Neiva e de Faria para fazer guerra à mãe”.




Descerrada a placa e terminados os discursos, foram inauguradas as duas exposições que constam na Casa da Memória: uma retrospetiva do primitivo Grupo Alcaides de Faria, da sua atividade e seu legado, e uma exposição de Arqueologia sobre o Castelo de Faria na Idade Média. Esta última, numa vertente pedagógica, mais direcionada para crianças e jovens, de forma a permitir uma interpretação para todos os públicos.

A Casa da Memória é um espaço do Património do povo que habita à volta do Monte da Franqueira, e que pretende a valorização dos saberes tradicionais, da salvaguarda e o reforço da identidade e da memória da terra, fonte de coesão e de desenvolvimento social. Tem como propósito ser um espaço de interpretação das Ruínas do Castelo de Faria e da Estação Arqueológica subjacente, sendo repositório do espólio arqueológico recuperado nas campanhas arqueológicas ali realizadas.

No final, o Presidente da Câmara Municipal e demais executivo municipal, bem como o da União de Freguesias, visitaram a mostra das associações da terra.

Fonte e foto: Município de Barcelos.

Ir Para Cima