Tag archive

Futebol Clube do Porto

Juntos contra a pandemia

Março 15, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Espero que se encontrem bem.  Aliás, desejo que se encontrem todos saudáveis, estáveis e livres de qualquer epidemia ou vírus.

Vamos, agora, descomprimir, falando da nossa paixão pelo futebol e pelo nosso clube.



O que eu previ na última crónica acabou, infelizmente, por acontecer. Tinha previsto que o FCP iria ter um jogo muito complicado, contra uma boa equipa, bem organizada e bem fechada como foi o caso dos vila-condenses.

O sistema de 3 centrais e 5 defesas do Rio Ave retirou profundidade e espaços no último terço ao FCP e, quando assim é, temos muita dificuldade.  Ainda marcámos primeiro, e cedo, por Mbemba, o que poderia tranquilizar a equipa.  O curioso, e um facto preocupante, é que os golos do FCP, nos últimos jogos, têm sido marcados por defesas! Espero bem que os nossos atacantes comecem a faturar porque precisamos…e muito! Voltando ao último jogo, o golo do empate gelou o Dragão, mas ainda havia muito tempo para voltar à vantagem. Mas o que é certo, é que o tempo ia passando e o golo tardava em aparecer, mas eis que apareceu. 

Foi uma grande festa e um grande suspiro de alívio!  Mas, do nada, surge o génio de Vasco Santos (VAR), que alerta para uma posição irregular de 3 cm! Confesso que não queria acreditar que o golo não tinha sido validado por causa de um tamanho de uma formiga! É inacreditável!…Até poderia ser anulado contra o SLB, etc., que eu tinha a mesma opinião…É vergonhoso e espero que não tenha influência nas contas do campeonato.  Minutos antes, Marega foi ceifado dentro da área e o mesmo Vasco Santos, que mesmo com tanta tecnologia e monitores, não conseguiu ver a falta! Custa assim tanto marcar um penalty a favor do FCP?? O SLB, nos últimos 2 jogos, teve 4 a seu favor! A perda de 2 pontos foi por nossa culpa e incapacidade, mas temos, claramente, queixas do trabalho da equipa de arbitragem e VAR!

Tivemos, também, falta de soluções e acusámos as ausências de Zé Luís e Luis Díaz, que muito jeito davam para desbloquear este jogo!

Mesmo continuando na liderança, foi um empate com sabor a derrota. Se vencêssemos, ficávamos a 3 pontos (+1) do rival, que empatou, mais vez, e ficávamos, claramente, mais tranquilos. Mas os números são o que são!

Mas agora o futebol passa para segundo plano. A prioridade agora é a nossa vida, a saúde pública e a nossa união contra esta pandemia. O futebol pode esperar.  Não consigo prever que futuro terá o campeonato, até porque, com uma paragem tão longa e sem treinos, qual será a condição física e mental de todos os atletas?! Começo, até, a duvidar que haja o Europeu 2020!

Forte abraço a todos, cumpram as medidas do OMS e DGS para o bem da Humanidade.

Vamos confiar na nossa fé e nos excelentes, e inexcedíveis, profissionais de saúde que temos. Desde já, para eles, o nosso muito obrigado.

Voltamos a falar de futebol depois da tempestade. Força para todos!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

“Os deuses devem estar loucos!”

Março 6, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Esta jornada fez-me lembrar o título de um filme clássico: “Os deuses devem estar loucos!”



Começando pelo jogo do Porto, confesso que estava com receio deste jogo. O FCP, historicamente, tem sempre muita dificuldade nas ilhas. 

Começámos bem e a marcar. O “patinho feio” Manafá decidiu arriscar, progrediu com bola, tabelou com o médio e fez um grande golo! O Santa Clara criou imensas dificuldades e fomos felizes com as bolas que levámos nos “ferros”.

Na segunda parte, ainda falhámos um penalty, mas isso não nos abalou animicamente porque, logo a seguir, e num livre lateral bem batido por Sérgio Oliveira, o defesa goleador Marcano selou, de cabeça, uma vitória justa e difícil. O nosso nível exibicional não é primoroso, por vezes sofrível, mas o que importa é ganhar.

O próximo jogo é em casa, mas é tremendamente difícil. O Rio Ave é das melhores, e mais experientes, equipas da Liga NOS.

SC terá que reinventar novas dinâmicas para tentar desbloquear jogos porque vamos jogar contra equipas que vão defender imenso, que vão jogar fechadas, que vão explorar erros e tentar aproveitar contra-ataques.

Consistência defensiva, equilíbrio emocional, criatividade, discernimento e competência são palavras-chave para a nossa equipa.

É necessário que os adeptos passem confiança, apoio e carinho e que não passem tensão e ansiedade. 

Portanto, vai com tudo, meu Porto! 

À parte da competição nacional, fiquei imensamente desiludido com a campanha europeia do FCP este ano. Sem chama e sem respeito pela história. Mas é o que é e não há nada a fazer!  Foi zero, desportivamente e financeiramente!

E não é, que sem que nada o fizesse prever, o Porto, esta semana, atingiu a liderança do campeonato??!!…Ups!

Parafraseando LFV: “o que passou-se”????…Ainda há semanas estávamos a 7 pontos! É impressionante como no Futebol tudo muda e como se passa de besta a bestial num ápice! E perguntam-me vocês: mas, ó Vítor, não tinhas atirado a toalha ao chão??? Sim, é verdade e ela continua no chão.  Não me iludo. Sei que o Porto não tem uma equipa fora de série, que está “teso”, que é inconstante e que o rival escolhe “os padres que quer, para as missas que pretende”…Onde será que li isto???…Com que então Pizzi falhou um penalty??? Será que “somos Pizzi” já que, há duas semanas, éramos todos Jackson???…”E esta hein?!”

Vou disfrutar, ao máximo, desta semana, porque a qualquer momento posso ter que voltar a olhar para cima. Para já, a vista de cima é ótima! 

É impressão minha ou isto anda tudo maluco no futebol português??! São buscas, são adjuntos que custam 10 milhões de euros, etc.!…Onde será que isto vai parar?!

Abraços e venha de lá esse futebol!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Não sabemos que Porto iremos ter até final

Fevereiro 28, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Mais uma jornada e não foi desta que o FCP passou para primeiro…LOL!



Se tiver que passar, que seja apenas na última jornada. Daria mais gosto e maior produção de melão, mas até acontecer, o melão está a ser produzido por nós. 

Falando agora do jogo atípico frente ao Portimonense, confesso que senti, nos primeiros minutos, que o Porto estava ansioso em querer marcar cedo para libertar a tensão, mas isso não aconteceu, o tempo ia passando; o Portimonense cada vez mais fechado; as tomadas de decisão eram precipitadas; o Dragão começava a tremer e a roer unhas. A entrada de Nakajima agitou o jogo, mas o ataque estava desinspirado…e até que o suspeito do costume, Alex Telles, decide arremessar um “saco de cimento” para a baliza do Portimonense e, dessa forma, desbloquear o jogo e conseguir a vitória! Infelizmente, o FCP, nestes momentos, acusa imensa pressão! É evidente a falta de estofo e isso é preocupante porque não sabemos que Porto iremos ter até final.

Valeu-nos, neste jogo, o Jackson Martínez atirar a bola para a Ponte do Freixo, na grande penalidade! Ele, que na época 2014-2015, falhou, da mesma forma, frente a Oblak, numa meia final da Taça da Liga! Mas isso, alguns não se lembraram!

Que nunca nos chamem os nomes que chamaram ao Jackson, nem que nunca nos metam em causa o carácter, honra e profissionalismo, tal como fizeram com o colombiano. Que mesmo, infelizmente, “coxo” é um grande avançado e que, mesmo neste jogo, nos deu muito trabalho. Aliás, ele, em boas condições físicas, não estava no nosso campeonato. 

O jogo frente ao Santa Clara será tremendamente difícil.

Permitam-me que dê uma breve palavra a cerca do Gil Vicente x SLB. Não vou falar do golo irregular, nem do penalty claro que favorecia o Gil Vicente. 

Vou falar de uma coisa que me entristeceu.  Sim, todos são livres de apoiar quem quiser e ainda bem que é assim! Mas ver sócios do Gil a apoiar o Benfica na mesma cadeira em que apoiam o Gil no resto do ano é “inacreditável”! Eu não sou nenhum “santo”, mas nesta situação pedia-se discrição e respeito pela cidade e clube, que são, orgulhosamente, de todos nós! Dessa forma, nunca chegaremos a ser “Guimarães”!

Viva Barcelos, o Gil e o FCP!

Boa sorte para o OCB frente ao SCP.

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

[Ndr: o artigo foi entregue à redação, pelo autor, antes do jogo de dia 27.02.2020, a contar para a Liga Europa]

Como muda o futebol de uma semana para a outra

Fevereiro 21, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Como muda o futebol de uma semana para a outra, e como se passa de bestial a besta ou vice-versa, num instante! 



Acabou por confirmar-se o que havia dito na véspera do VSC x FCP.  Foi, sem dúvida, um dos jogos mais difíceis do Porto neste campeonato! Aliás, o D. Afonso Henriques é, historicamente, difícil para todos! Aliás, na época passada, apenas fizemos 1 ponto frente ao Vitória! 

Entrámos no jogo ainda com o embalo da vitória sobre o líder e Sérgio Oliveira, com a ajuda das “costas” de Douglas, fez o primeiro golo nos primeiros minutos. O golo deu maior tranquilidade, mas o Vitória fazia aproximações perigosas à baliza do Porto. Marcano, ainda na primeira parte, faz um corte em cima da linha que equivale a um golo marcado!

Começámos mal a segunda parte, sofrendo o golo do empate, numa perda de bola infantil de Uribe e em que Marcano e Marchesín são “comidos de cebolada”!

Eis que o FCP teve de recorrer ao plano A, passe de 60 mts, da defesa, e corre Marega! O maliano correu e marcou da forma que ele gosta.

Até final, foi sofrer, mas a vitória é justa e merecida.

Quanto ao episódio de Marega, não vou mais “chover no molhado” e vou ser curto e objetivo. Esteve bem como ser humano, mal como profissional de futebol. A atitude é digna porque basta de racismo, mas a equipa precisava dele. Ainda bem que ganhámos porque não sei no que poderia dar isto.

O próximo jogo, frente ao Portimonense, não vai ser pêra doce! Alguns chamam-lhe Porto B, tal como alguns chamam de Benfica B ao Braga…LOL…

Que não facilitem e que vençam, tal como é a sua obrigação.

No jogo da Liga Europa, frente ao Leverkusen, senti a equipa cansada.  A derrota foi justa e ainda bem que foi escassa. Dessa forma, o Porto está na luta. Basta Manafá não inventar! 

Este Porto não deslumbra em termos exibicionais! É só profundidade e bolas paradas, mas o importante é que ganhe porque estamos a chegar à fase das decisões.

Com que então o Braga venceu na Luz?? Parafraseando LFV: “o que passou-se”?????…E, de repente e num espaço de uma semana, estamos a 1 ponto! Isto não me ilude e vou ser coerente: o líder é o principal candidato ao título. Eu sei que não estão a jogar nada e estão “meios borradinhos”, mas nós sabemos o “modus operandi“.

Que o FCP cumpra o seu papel, e vamos indo e vamos vendo! 

Abraço a todos…Força Gil Vicente e boa sorte para o próximo jogo…LOL

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Nós, os portistas, já merecíamos!

Fevereiro 14, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Confesso já que vou escrever esta crónica com um sorriso de orelha a orelha. Nós, os portistas, já merecíamos…



O jogo contra o líder era mais do que uma final, era o tudo ou nada.  Estava em causa, não só, a distância pontual, mas também, o orgulho, a identidade, o ADN, a crença e a honra.

Foi um jogo onde os nossos maiores valores se ergueram e onde a fé das portistas se estendeu à equipa. O Porto foi, claramente, a equipa que mais correu, trabalhou, procurou, quis e isso é indesmentível.  Percebeu-se, logo no início, o sentido do jogo e, naturalmente, marcámos primeiro com um grande golo de Sérgio Oliveira! Numa rara aparição das Águias junto da baliza do Porto, o Benfica empata, num lance em que Marchesín quer fazer um bonito, em vez de ser eficaz, deixando a bola à mercê do Vinícius.  O Porto não se deixou abater, foi novamente para cima e, num lance em que Ferro quis ser guarda-redes, voltámos a marcar, de GP, e antes do intervalo, Rúben Dias fez um grande golo, ao primeiro poste, mas na própria baliza.

Resultado justo ao intervalo, apesar da muita choradeira que fazia ouvir.

O segundo golo do Benfica, numa má abordagem de Pepe, ainda nos fez tremer, mas não nos fez cair. Mantivemos o querer, defendemos bem, jogámos bem, criámos oportunidades claras de golo e Tecatito Corona mostrou, ainda, que se jogasse no rival, valeria 100 milhões!

Terminámos o jogo com algum sofrimento e contra 12, porque Bruno Lage quis entrar no campo para cabecear no último canto do jogo.

Vitória justa, resultado escasso, mas o importante era vencer!

Gostei do 11 inicial escolhido por SC. Luís Díaz tem que jogar.

O Benfica tem demonstrado grandes dificuldades sempre que joga com equipas do nível “Champions League“!

O próximo jogo, em Guimarães, é de imensa dificuldade e a ver vamos se o Porto mantém a chama, a regularidade e a consistência exibicional e os bons resultados.  Só a vitória interessa em Guimarães porque não me acredito que o Braga ganhe pontos na Luz. Já sabemos como funciona…LOL…A vitória na Taça e a passagem à final eram previsíveis e o Jamor espera por nós. Era lindo “rebentar” com o Benfica mais uma vez!

Não percebi a agressividade no comunicado do Benfica e o pedido de árbitros estrangeiros!

Eles acreditam mesmo que perderam com o Porto por causa do árbitro! Eles que agradeçam por terem terminado o jogo com 11 e de o Taarabt ter sido substituído em vez de expulso! 

Já que eles pediram árbitros estrangeiros, seria possível, igualmente, pedirmos juízes estrangeiros para determinados casos???!…Certamente, não pediam escusa por serem benfiquistas!

Se o campeonato já era difícil, agora ficou impossível, desde que LFV veio falar do jogo. Sempre que esse senhor vem falar, vem aí m####!

O ambiente em torno do futebol está tóxico e perigoso!

De qualquer forma, fiquei muito feliz com esta vitória!  Ganhar ao Benfica é um sentimento “orgásmico”!

Abraço a todos e desculpem mais uma vez…a minha sinceridade.  Só vale a pena se for assim!

Força, Porto!!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Precisamos que esta equipa nos ofereça motivos para voltar a sorrir

Fevereiro 7, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Espero que se encontrem todos num bom momento! Aliás, espero que se encontrem melhor que o FCP…LOL.

Apesar de jamais abandonar o meu clube, confesso que ando triste e desanimado com o atual momento. 



No jogo de Setúbal, o FCP apresentou-se de cabeça limpa, sem pressão e, dessa forma, vencemos, por 4-0, uma boa equipa e bem classificada nesta época.  Vitória justa, sem deslumbrar.

Durante esta semana, o FCP viajou até Viseu para defrontar o Académico local e quem pensou que iria ser goleada…enganou-se.

O FCP entrou bem, com uma clara oportunidade para Marega, mas os pés do maliano estavam virados para norte, quando a baliza estava para sul. 

A partir daí, foi um jogo de tédio que, até a mim, me estava a irritar. É certo que o FCP fez muitas poupanças, mas suficientes para ganhar o jogo.

O desaparecido Zé Luís abriu o ativo sem festejar o golo, dando a entender que algo não está bem. Se há coisa que não vejo nesta equipa é alegria. Até parece que ganham o ordenado mínimo e que não têm condições para trabalhar.  É nestas alturas que precisávamos de um Jorge Costa no plantel.

Para surpresa de todos, o Académico faz o golo do empate, completamente consentido. O Porto não conseguiu reagir e o empate foi o que se arranjou. Espero que não haja “Taça” na segunda mão e que a final no Jamor esteja reservada para nós.

No sábado, recebemos o líder do campeonato e só espero não sermos humilhados e que SC não invente. Apoio não faltará e, mesmo em caso de vitória, o título é quase uma miragem. Eu, honestamente, não acredito.

Tenho comparado esta equipa do Porto com a de anos anteriores para tentar perceber o que se passa, e esta equipa, comparada com anos anteriores, é, realmente e objetivamente, mais fraca, fruto da nossa situação financeira.

Muitos encheram bolsos e deixaram o clube numa situação difícil.  Nunca pensei que o Porto chegasse a este ponto. Nós, adeptos, precisamos que esta equipa nos ofereça motivos para voltar a sorrir.

Gostava mesmo de ganhar ao clube dos 6 milhões…Por falar nisso, são mesmo 6 milhões??!! …LOOOOL…Pelo menos, não perder para não ter que aturá-los!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Tudo nos acontece, porra!

Janeiro 31, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Que fase tão cruel para o meu clube! Tudo nos acontece, porra!…Sei que também há incompetência nesta fase, mas não temos tido sorte nenhuma! Exemplo disso, é o golo do Braga aos 95’ e da forma que foi, mas já falo dessa questão.



Depois da vitória difícil frente ao Guimarães, nunca pensei que fossemos perder duas vezes frente ao SC Braga e que íamos vencer, pela primeira vez, a Taça da Liga. Não que esta Taça me entusiasme, mas não deixa de ser um troféu. 

Jogo disputado, dividido, com oportunidades claras para ambas as equipas, mas aos 95’, e quando todos se prepararam para os penaltis, eis que um “chouriço” deixa Ricardo Horta na cara do golo. Futebol é mesmo assim, o que conta é a eficácia. 

Parabéns ao Braga, que nos últimos anos ganhou duas Taças da Liga e uma de Portugal, sempre frente ao FCP!

Eles contra nós dão tudo e não fazem golos na própria baliza! Vamos esperar que o Braga ganhe na Luz…LOOOL

Como se não bastasse perder, eis que também o iluminado “SC” vem à flash interview dizer que não há dinheiro, nem união! Mister, queria dizer-lhe que, no FCP, os problemas sempre se resolveram internamente.  A equipa foi feita por si e, segundo sei, o Zé Luís foi uma exigência sua que custou 10 milhões e não joga!

Se não está bem, nem motivado, ponha-se no c ###!

Já estamos fartos do seu feitio, da sua falta de resultados, de afastar e dividir adeptos, das finais perdidas e falta de futebol jogado. É só corre Marega ou cruza Telles!

Peço desculpa por esta carta aberta.

O jogo frente ao Gil é muito especial para mim e confesso que aceitava, de bom grado, qualquer resultado. São os meus clubes do coração e ambos precisavam de pontos.

Se o Gil fosse a vencer para o intervalo, o FCP, certamente, não vencia. O Gil é uma equipa bem organizada e que defende bem. A expulsão de João Afonso facilitou a fase final de jogo para o Porto.

O Porto está, de facto, uma equipa triste e num vazio tremendo! 

São muitos os problemas, como SC indicou, mas é agora que temos que ser fortes e estar do lado do clube. A condição financeira não é favorável e avizinha-se uma travessia no deserto! É que não temos a proteção que Weigl e Rúben Dias têm dentro da área. 

Que o resto do campeonato seja digno e que seguiremos no segundo lugar.

Que o jogo frente ao Setúbal seja de vitória para recebermos o clube do ministro das finanças com toda a força. 

Abraço e perdoem-me a sinceridade. Eu sou muito frontal e orgulho-me disso.

Por: Vítor Sá Pereira.*

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Gil Vicente “dá luta” mas sai derrotado do Dragão

Janeiro 28, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O relvado do Estádio do Dragão, no Porto, recebeu, hoje, a partida FC Porto – Gil Vicente FC, a contar para a 18º jornada da Liga NOS, a primeira da segunda volta.



Sob arbitragem de Rui Oliveira (AF Porto), coadjuvado por Carlos Gomes e Nélson Cunha, com David Silva (AF Porto) como 4º árbitro, o jogo contou com os seguintes alinhamentos:

FC Porto – Marchesín, Alex Telles, Marcano, Mbemba, Manafá (Vítor Ferreira, 60’), Romário Baró (Luís Díaz, 67’), Sérgio Oliveira, Uribe, Corona, Marega (Fábio Silva, 80’) e Soares. No banco ficaram Diogo Costa, Diogo Leite, Loum e Saravia.

Gil Vicente FC – Denis, Fernando Fonseca, Rodrigo, Rúben Fernandes, Henrique Gomes, João Afonso, Soares, Kraev (Ahmed Isaiah, 80’), Lourency (Naidji, 79’), Arthur Henrique (Romário Baldé, INT) e Sandro Lima. No banco ficaram Wellington, Alex Pinto, Edwin Vente e Baraye.

O jogo foi equilibrado, com os gilistas a manterem-se vivos no jogo e a jogarem de igual para igual com o FC Porto. Numa jogada de contra-ataque, com quatro para quatro, Lourency leva a bola e Fernando Fonseca centra para área, onde o brasileiro Sandro Lima cabeceia à vontade, Marchesín tenta a defesa, mas a bola passa por debaixo do seu corpo, fazendo o 0-1 para os gilistas já perto do final da primeira parte. Quando se pensava que os gilistas iriam para intervalo com a vantagem, num último assomo portista, Marcano, em “mergulho” cabeceia para o fundo da baliza gilista, num centro longo de Uribe. Empate a 1 aos 47 minutos.

Na segunda parte, o jogo continuou equilibrado. Aos 57’, numa recuperação de bola bem perto da área gilista, o FC Porto trocou a bola até Baró a deixar à mercê de Sérgio Oliveira que, rematando em arco, coloca os portistas na frente do marcador. Aos 72’, João Afonso é expulso por acumulação de amarelos, tornando a tarefa mais difícil para os homens de Barcelos. No entanto, o equilíbrio foi a tónica do jogo até ao final, terminando este com a vitória do FC Porto sobre o Gil Vicente FC, por 2-1.

Desta forma, o Gil Vicente FC mantém o 9º lugar da classificação, com 22 pontos. Na próxima jornada, dia 02 de fevereiro, pelas 15h00, os gilistas recebem o Moreirense FC, a contar para a 19ª jornada.

Reportagem: Barcelense Paulinho conquista Taça da Liga com o SC Braga

Janeiro 27, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Ao terceiro ano consecutivo com a final a quatro da Taça da Liga a ser disputada no seu estádio, o Sporting de Braga consegue, finalmente, vencer a competição.



A final a quatro desta ALLIANZ CUP foi disputada entre os dias 21 e 25 de janeiro, com um grande painel de fundo, com quatro das maiores equipas do futebol Nacional. Na primeira meia-final, disputada na terça-feira, dia 21 de janeiro, o Sporting de Braga recebeu, e venceu, o outro Sporting, mas este o Sporting Clube de Portugal, por 2-1. Em destaque esteve o barcelense Paulinho, que marcou o golo da vitória já no último minuto do período de descontos.

Na outra meia-final, no dia 22, o FC Porto venceu, por 2-1, o Vitória de Guimarães, com golos de Alex Telles e Soares, para o Porto, e de Tapsoba, para os vitorianos.

Na final, Paulinho, novamente titular e com uma excelente prestação, ajudou o SC Braga a levar de vencida o FC Porto, por 1-0 e, tal como na meia-final, com um golo ao cair do pano, desta feita pelos pés de Ricardo Horta, que também foi considerado, pelos jornalistas presentes, como o homem do jogo.

O Sporting de Braga voltou a conquistar a Taça da Liga, e novamente diante do FC Porto, e a festa foi enorme no relvado e nas bancadas, com os adeptos braguistas a festejarem, efusivamente, no estádio e, depois, também no centro da cidade de Braga, pela noite dentro.

Os técnicos estavam com disposições bastante diferentes. Rúben Amorim estava radiante porque ainda há pouco tempo chegou, viu e venceu a Taça da Liga. Já o técnico dos Dragões, na zona de entrevistas rápidas, deixou duras críticas à administração portista e colocou o lugar à disposição do Presidente. Mais tarde, ninguém do FC Porto compareceu na conferência de imprensa.

Nota: Mais uma vez, os parabéns à Liga Portugal pela excelente organização ao longo dos dias da final a quatro da Taça da Liga (ALLIANZ CUP) e pelo excelente acolhimento aos órgãos de comunicação.

Soco no estômago!

Janeiro 24, 2020 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá a todos os leitores do BnH!

Esta crónica vai custar um pouco a escrever porque estou com imensa azia!



Vou direto ao assunto e vou ser o mais sincero e objetivo possível. Estou tremendamente desapontado com o meu clube! Como é possível uma equipa que quer ser campeã nacional deixar-se perder, em casa, frente a um adversário difícil, mas acessível e como é possível, num nível tão alto, falhar duas grandes penalidades no mesmo jogo?? Ah e tal, só falha quem lá está e eu sei o quanto é difícil, mas…porra…falhar dois é quase imperdoável! O que mais custa é ver que a equipa não é consistente nem assusta ninguém! Há jogadores que já estão a mais na equipa, não pela sua valia técnica, mas porque já estão sem alma e chama de Dragão. Nem colocámos pressão absolutamente nenhuma no SCP x SLB.

Esta derrota foi um “soco no estômago” e nada fazia prever, mesmo sabendo, de antemão, que o SCB contra o FCP joga como se de finais se tratasse.  O FCP tem, de facto, muitas debilidades no 11 inicial, principalmente, no lado direito da defesa, eixo e, tirando Soares, o ataque não está a render o que se esperava. Nem Zé Luís tem aparecido, o que eu acho muito estranho.

Confesso que já atirei a toalha ao chão e não é uma possível conquista da Taça da Liga que vai atenuar o momento. Como há males que vêm por bem, o FCP deveria vender ativos, reorganizar-se em termos de estrutura, plantel e pensar numa nova equipa técnica para a próxima época, ou mesmo esta, se a coisa piorar.

Esta estrutura está, de facto, cansada e “viciada”. Sangue novo e ideias novas são urgentes no Porto.

Sim, já dei por perdido o título porque nós sabemos da envolvência do SLB na liderança. Unem-se os míticos 6 milhões, a imprensa só vê um foco e as arbitragens são o que são. Sinceramente, não acredito em milagres, até porque também o nosso rendimento é baixo.

Prova disso foi a vitória sofrida frente ao VSC! Se o Porto vencer o Braga na final, vou ficar satisfeito apenas pela vitória, porque o troféu pouco me diz, apesar de ser o único que nunca vi o meu clube ganhar.

Os nossos sócios e adeptos mereciam outro rendimento, resultados e atitude.

Mas uma coisa vos garanto: FCP sempre…a ganhar ou perder!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

1 2 3 13
Ir Para Cima