Tag archive

Futebol

Atualização

Setembro 18, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Por motivos técnicos, este jornal não noticiou a 1ª jornada da Série “A” da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Braga. O artigo de hoje servirá para isso mesmo e para, humildemente, o Barcelos na Hora pedir desculpa aos clubes barcelenses envolvidos nesse campeonato por esse problema.



Pro-Nacional

Assim, e começando pela “divisão maior”, o Santa Maria continua em recuperação. Desta feita, recebeu os “quase vizinhos” do Forjães (6º) e venceram por 1-0. Foi uma boa vitória, frente a um bom adversário que se encontra acima na tabela. Aliás, os homens de Galegos Santa Maria foram os primeiros a bater esta equipa. Na próxima jornada, a 6ª, vão defrontar o Cabreiros (8º), em casa destes.

Vamos, agora, às atualizações da Divisão de Honra

Na 1ª jornada, o Martim venceu em casa o Marinhas, por 2-0. Na 2ª, que se disputou este fim de semana, deslocou-se ao terreno do Esporões e trouxe de lá um empate a 0. Assim, a equipa de Martim ainda não “provou o sabor da derrota”. Na próxima jornada, joga novamente fora, em casa dos Águias da Graça.

O Pousa começou a vencer, em Guilhofrei, por 0-2. Nesta última jornada, empatou a 0, em casa, frente ao Águias da Graça. Segue-se novo jogo caseiro, em dérbi barcelense, com o Águias de Alvelos.

Em Roriz, a equipa local começou por receber o Terras de Bouro, tendo sido desfeiteada por 0-2. Na 2ª jornada, a vitória sorriu aos rorizenses, em casa do São Mamede, por 1-3. Segue-se a receção ao Dumiense.

A 1ª jornada trouxe logo um dérbi barcelense, colocando, frente a frente, o MARCA e o Águias de Alvelos, com o resultado final a ditar um empate a 1 bola. Na jornada seguinte, a equipa de Vila Cova deslocou-se ao terreno do Vila Chã, regressando de lá com uma derrota pela margem mínima: 3-2. O jogo que se segue é em casa, frente ao Terras de Bouro.

Por fim, o representante barcelense desta série que ainda falta atualizar é o Águias de Alvelos, que, tal como leu no parágrafo anterior, iniciou o campeonato com um empate a 1 em Vila Cova. De seguida, recebeu o Guilhofrei (que deve estar “pelos cabelos” com as equipas barcelenses, fruto de 2 derrotas em outros tantos jogos e jornadas!) e levou-o de vencida, por 1-0. Na próxima jornada, também como já referido, desloca-se à Pousa, para mais um dérbi barcelense.



1ª Divisão ainda não iniciou

Quem ainda não iniciou o seu trajeto nos campeonatos distritais bracarenses são as equipas de Barcelos que disputarão a Série “A” da 1ª Divisão.

Assim, no último fim de semana de setembro, o FC Roriz “B” recebe o Lousado, o Granja recebe, em dérbi, o Os Ceramistas e, em novo dérbi, o Carreira recebe o vizinho Viatodos.

Fotos: SMFC/AFCM/GFCP/FCR.

Gil Vicente derrota Montalegre por 3-2

Setembro 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Sábado à tarde, o Estádio Cidade de Barcelos foi palco de mais um jogo do Gil Vicente Futebol Clube a contar para a Série A do Campeonato de Portugal, que opôs os gilistas à equipa do Montalegre.



O jogo a contar para a 5ª jornada teve como árbitro Nélson Cunha, coadjuvado por João Arantes e Gonçalo Rodrigues.

Nandinho, treinador gilista, fez alinhar Wellington, Pedro Araújo, Bruno Morais, Rui Faria, Kiko, Ahmed Isaiah, Juan Villa, Ramalho (James Arthur, 69’), Rui Gomes (Tanko, 60’), Joãozinho e Dimba (Gabriel Mejía, 77’). No banco ficaram Rafa Pires, Edwin Vente, Tiger e Bruno Lopes.

Já Viage, treinador dos visitantes, fez alinhar Nuno Dias, David Carvalho, Álvaro Branco, Vítor Pereira (Vítor Alves, 55’), Zack, Lamine Embaló, Andrézinho, Amadu Turé, Paulo Roberto (Soto, 64’), Bonkat e Rogério Pinto (Anderson Zangão, 55’). No banco ficaram Tiago Guedes, João Fernandes, Márcio Júnior e Roberto Garcia.

O Gil Vicente FC entrou “a matar” e aos 10 minutos já vencia por 2 bolas a 0, fruto de dois golos do brasileiro Dimba. O primeiro, pleno de oportunidade, logo aos 3 minutos, a rematar para as malhas após defesa apertada para a frente do guardião montalegrense. O segundo, de cabeça, em vólei, após marcação de livre na esquerda. Dimba antecipa-se ao seu marcador, cabeceia a bola em arco e bate o guarda-redes do Montalegre. Aos 32’, tal como Dimba, o nigeriano Bonkat aproveitou a sobra após defesa apertada de Wellington e reduz para 2-1. O intervalo não chegaria sem que antes os gilistas marcassem de novo e recolocassem a diferença em 2 golos. Em cima dos 45’, o colombiano Juan Villa, na marcação de um livre pela esquerda, quase na linha lateral, surpreende o Nuno Dias, que parece mal batido ou “ofuscado” com a luz do Sol. As equipas foram para intervalo com o Gil Vicente a vencer por 3-1.

Na segunda parte, aos 69’, o guineense Turé marcou e colocou o resultado em 3-2. Os gilistas foram menos eficazes, com alguns “falhanços” incríveis. No entanto, o resultado fechou nos 3-2 para os da casa, que seguem invictos no campeonato.

Dimba (77’) e Mejía (88’), pelos gilistas; Paulo Roberto (42’) e Álvaro Branco (71’) pelos montalegrenses, foram os “amarelados” do jogo.

Na próxima jornada, o Gil Vicente FC desloca-se ao terreno do Mirandela.

Equipa feminina entra a ganhar no campeonato

No primeiro jogo do Campeonato da 2ª divisão, a equipa feminina do Gil Vicente FC deslocou-se ao terreno do FC Parada para derrotar as locais por 2-3, numa “remontada” no marcador.

José Bento, treinador gilista, fez alinhar de início Rute, Sara, Bravo, Inês Matos, Ângela, Tânia, Márcia, Mariana, Joana Martins, Gabi e Fábregas, ficando no banco, Cátia, Nair, Marrô e Renata.

As autoras dos golos foram Marrô, Mariana e Joana Martins.

Carvalhal conquista Supertaça com vitória (3-1) sobre o Oliveira

Setembro 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

No passado domingo, realizou-se a Supertaça 2018/2019, da Associação de Futebol Popular de Barcelos. O relvado do Estádio Cidade de Barcelos recebeu o campeão da 1ª divisão do popular, o Carvalhal, e o detentor da Taça Cidade de Barcelos, o Oliveira.



O jogo foi arbitrado por arbitrado por Alberto Costa e teve os seguintes 11:

Carvalhal: Joca Cunha, Correia, Gala, João Gomes, João Bruno, Piloto, Rui Dias, Liedson, Joca Salgado e Gueu. De início, o treinador Bruno Vilas Boas tinha no banco: Rui Campinho, Bilinho, Rui Freitas, Serginho, Paulo Vilas Boas, Rochinha, Fábio, Pedro, Carlos Brito, Nélson, Bruno Fernandes, Berto, Queirós e Alexandre Freitas.

Oliveira: Diogo, Toya, Osso, Marco, Brás, Sono, Capelo, Taxas, Russo, Falcão e Papagaio. O treinador Ricardo Escudeiro tinha no banco, de início, Pedro Faria, Luís Rocha, Rui Silva, Lucas, Paulo Machado, Bruno Faria, Gui, Rosendo, Ricardo, 7even e Torres.

O jogo começou com o Oliveira a controlar a bola e ter maior domínio de jogo. No entanto, aos 16 minutos, e contra a corrente do jogo, o Oliveira “entregou o ouro ao bandido” quando cometeu um erro grave, perdendo a bola para o avançado do Carvalhal, que subiu, centrou para a entrada da pequena área, onde Joca Salgado, que momentos antes tinha falhado um golo em frente a Diogo, não falha e aponta o primeiro do jogo.

Este golo abalou a equipa de Oliveira, que continuou com muita posse de bola mas poucos lances de golo. Aos 32 minutos, a bola é bombeada para a zona da área. O Oliveira fica a pedir falta e a bola sobra para Liedson que, “sem pedir licença”, remata de longe. O esférico sofre um desvio num homem do Oliveira e dificulta imenso o trabalho a Diogo, que se vê incapaz de suster o segundo golo do Carvalhal. Ao intervalo, o marcador apontava para a vantagem de 2-0 para os campeões da 1ª divisão.

A segunda parte teve a mesma tónica da primeira, com posse de bola para o Oliveira e o Carvalhal mais incisivo no ataque, com uma defesa segura. A cerca de 15 minutos do final, novo golo para o Carvalhal, de novo por Joca Salgado, que à ponta de lança, novamente, encostou para as redes uma bola centrada da direita. Carvalhal 3 – Oliveira 0, um resultado demasiado penalizador para os detentores da Taça.

No entanto, 4 minutos volvidos, o árbitro assinala grande penalidade para o Oliveira. O capitão Russo foi incumbido da responsabilidade de apontar o castigo máximo, não tremendo e reduzindo para 3-1.

O resultado não mais seria alterado, terminando com um 3-1 para a equipa que, à partida e fruto das faixas de campeã da 1ª divisão, tinha o favoritismo do seu lado. Os homens do Oliveira “venderam cara a derrota”, ficando a ideia de um resultado demasiado penalizador para aquilo que se viu no relvado.

Uma última palavra para o público, que foi espetacular, engradecendo, sobremaneira, esta final da Supertaça.

Fotos: BnH e AFPB.

Vídeo: BnH.

 

Santa Maria empata com Brito

Setembro 13, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em mais uma jornada da divisão Pro-Nacional da Associação de Futebol de Braga, o Santa Maria Futebol Clube empatou a 0 frente ao Brito, em jogo que se realizou no passado dia 9, no Estádio da Devesa, em Galegos Santa Maria.



A 4ª jornada, que ficou marcada pelos muitos empates e adiamentos, teve neste jogo mais um empate, tendo sido arbitrado por Henrique Silva, coadjuvado por Carlos Lima e Tânia Patrão.

João Salgueiro, treinador do Santa Maria, fez alinhar André Pereira, André Correia, Zé Pedro, Tiago Torres, Telmo Pinto (Márcio Lopes, 59’), Palheiras, Xavi, Carlinhos (Rúben Ribeiro, 59’), Miguel Fernandes, Branca e Luís Salgueiro (Pedro Esteves, 65’). No banco ficaram Edivaldo, Ricardo Martins, Diogo Sousa e Police.

Já Ricardo Dias, treinador do Brito, alinhou com Rui Lopes, Carlos Gomes, Joãozinho (Matheus, 73’), Silvestre Pinheiro, Vítor Hugo, Nélson, Bruno Rocha, Jonas (Maurício, 65’), Peixe, Dani Rocha (Jorge Pereira, 88’) e João Gouveia. No banco ficaram Paulinho Romeu Pinto e João Guimarães.

Na próxima jornada, o Santa Maria FC joga novamente em casa, frente ao Forjães.

Foto: SMFC.

Gil Vicente segue em frente na Taça de Portugal

Setembro 10, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Ontem, dia 9 de setembro, o Gil Vicente Futebol Clube deslocou-se a Viana do Castelo para defrontar o Vianense, em jogo a contar para a 1ª eliminatória da Taça de Portugal.



No Estádio Dr. José de Matos, José Pequeno, treinador local, fez alinhar: Vasco, Diogo Gonçalves, Vítor Veloso, Elson Marques, Rafa, Fábio Sequeira (Rúben Bicho, 67’), Vítor Moraes (Lucas, 57’), Tiago Magalhães, Vítor Hugo (Cristiano, 77’), Diogo Correia e Hélder Pinto. No banco ficaram Beto, Óscar Sá, Nuno Afonso e Duarte.

Já Nandinho, treinador gilista, fez alinhar Victor Brasil, Bruno Morais, Rui Faria, Edwin Vente, Junior, Ahmed Isaiah, Tiger, Juan Villa (James Arthur, 83’), Joãozinho, Tanko (Bruno Lopes, 57’) e Gabriel Mejía (Dimba, 67’). No banco ficaram Espíndola, Pedro Araújo, Kiko e Rui Gomes.

O árbitro Hugo Pacheco (AF do Porto) admoestou com cartolina amarela, do lado vianense: Vítor Hugo (41’), Fábio Sequeira (65’), Vítor Veloso (84’), Rúben Bicho (88’) e Rafa (90’). Já do lado gilista, admoestou: Tiger (39’) e Bruno Lopes (80’).

Ahmed Isaiah foi o autor do golo que valeu a passagem do Gil Vicente FC, aos 71 minutos. Na sequência da marcação de um pontapé de canto, e depois de muita confusão dentro da pequena área gilista, o nigeriano “fuzilou” as redes da equipa da casa, marcando o precioso 0-1 que valeu à equipa barcelense o passaporte para a 2ª eliminatória.

No final da partida, Nandinho realçou que o Gil Vicente passou “com todo o mérito”, pois foram a melhor equipa. Sabiam que seria um jogo com um grau elevado de dificuldade, já que o Vianense era uma equipa muito aguerrida, que ia criar dificuldades e foi isso que os gilistas encontraram. Foi uma equipa perigosa nos lances de bola parada, com muitos jogadores atrás da linha da bola. Na segunda parte, referiu Nandinho, “melhorámos e acabámos por fazer o golo, que trouxe justiça àquilo que foi o condão do jogo. Nós fomos melhores, tivemos sempre a iniciativa e fomos a equipa que quis, realmente, ganhar o jogo e passar esta eliminatória”.

De realçar a grande falange de adeptos gilistas que marcaram presença nas bancadas do recinto desportivo de Viana do Castelo.

Mais uma Vitória

Setembro 7, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja, caros leitores do BnH!

Jogou-se a quarta jornada do Campeonato Nacional de Futebol. Segundo jogo em casa, mais uma vitória do meu Sporting Clube de Portugal. Desta feita, 1-0 contra um Feirense muito bem organizado. Triunfo “arrancado a ferros”, que teve tanto de difícil como de merecido.

Diga-se que jogos fáceis é na teoria, pois na prática, estas equipas com orçamentos muito inferiores, apresentam-se cada vez melhor preparadas, e a jogarem as suas “armas”. Este Feirense começou muito bem o campeonato e só neste jogo sofreu o primeiro golo de bola corrida (o anterior havia sido de penalti) e esta foi a sua primeira derrota no campeonato.

Apesar das dificuldades para obtermos a vitória, no cômputo geral, gostei da nossa exibição.

Procurámos a vitória até ao fim. Com Raphinha, que se impôs rapidamente como titular, numa confirmação clara do seu valor, e após a entrada de Jovane, aos 66’, esticámos o jogo, colocámos mais intensidade e comprimento, criámos novos desequilíbrios, trazendo mais acutilância ofensiva, ainda a tempo de surgir o golo, precisamente pelo jovem Jovane, e alcançarmos a vitória, que no meu ponto de vista, foi inteiramente justa.

Quatro jornadas disputadas e continuamos na liderança partilhada.

É um facto que a “procissão ainda vai no adro”, mas este é o caminho certo, para recuperarmos a nossa autoconfiança. Contrariando muitos “profetas da desgraça” quiçá, termos a capacidade, depois de um final de época passada tão negra, sermos, já este ano, possíveis candidatos ao título de Campeão Nacional de Futebol!

A ver vamos…

Eu acredito em vocês!

Desporto é Vida! Vive o Desporto com “Respect” e “Fair-Play“!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Ou comem todos, ou há moralidade

Setembro 7, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Dentro das quatro linhas, o nosso Benfica soma e segue. Esta semana, fomos brindados com uma exibição a condizer com o resultado obtido. Num desafio que se antevia difícil, pois é sempre complicado defrontar as equipas insulares, quando jogam em casa, o nosso Benfica saiu-se muito bem.



Pela primeira vez esta época, digo eu, jogámos bom futebol e alcançámos um resultado do qual nos podemos orgulhar. Relativamente ao estilo de jogo, não há muito mais a dizer. Não sou fã de jogo cauteloso, já não é segredo. Mas, pelo menos desta vez, as coisas saíram bem. Seferovic – “o desbloqueado” – abre o marcador aos 28 minutos, num lance a fazer lembrar a razão pela qual veio para o Benfica. Dois minutos depois, Fejsa sai lesionado e dá o lugar ao miúdo Alfa Semedo. O Benfica não se ressente e continua a dominar a partida. A fechar a primeira parte, marca Salvio, num momento em que se aproxima o intervalo e o Benfica vai para o descanso a vencer por duas bolas.

Na segunda parte, o Benfica continua a boa exibição que vinha a desenvolver e marca mais dois. Primeiro, Grimaldo (jogador de quem gosto particularmente) marca o terceiro aos 76 minutos e Rafa fecha a contagem já nos 90´, marcando o 4-0 para o nosso Glorioso.

No geral, defendeu-se bem. Os processos de jogo começam a estabilizar e o Benfica faz 4 golos numa partida em que se viu, apesar de tudo, bom futebol. Vejamos como tudo corre na receção aos Aves, com o Benfica a jogar em casa e diante do seu público. Espero, muito sinceramente, que as boas exibições tenham vindo para ficar.

Logo esta semana, que só me apetecia escrever coisas boas sobre o nosso Glorioso, ainda a saborear o resultado obtido, sai a “bomba” do caso “E-toupeira”… Na verdade, é tudo muito fogo de vista, para já. Do que se diz ao que é verdadeiro ou ao que se consegue provar, vai uma grande distância. Veja-se o caso do “Apito Dourado”. Não podia ser mais flagrante e acabou tudo em águas de bacalhau. Neste caso, parece-me, vai tudo dar ao mesmo. Ou não fossemos um país de brandos (e maus) costumes. Havendo efetivamente crimes, há que condenar os culpados. Porém, afastar o Benfica das competições parece-me contraproducente. No imediato, para o Benfica. A médio e longo prazo, para a própria Liga. Um campeonato a dois (ou a um e meio, dado que o Sporting anda “coxo”) fará a Liga portuguesa algo de semelhante à Liga escocesa, em que o campeonato se disputa a dois e o resto dos clubes servem para preencher o calendário. E veja-se o resultado: que é feito do Celtic e do Rangers?…

Ainda assim, continuo a defender que nunca se teria chegado a este ponto se a “fossa” que foi o nosso futebol nos anos 90 e na primeira década de 2000 tivesse sido devidamente limpa. Se alguém deu o mote para esta promiscuidade no futebol, foi precisamente um grupo mais a norte, na pessoa dos seus dirigentes. Como ficou tudo na mesma, deu a ideia de que o caminho a seguir era este. E não é. Não pode ser. E, por tudo isto, só me dá nojo ver, agora, as virgens ofendidas a clamar por justiça, quando no caso deles lhe pareceu tudo muito bem. De facto, só por absoluto cinismo, estupidez de nascença ou Alzheimer terminal, se admitem alguns dos comentários que se vão lendo nas redes sociais e imprensa em geral.

E venha o Aves.

Saudações lampiónicas!

Por: Hugo Pinto.*

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Que voltemos a ser um “rolo compressor”

Setembro 7, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, caríssimos leitores do BnH!

Começando pelo que interessa, o nosso FCP venceu, justamente, o Moreirense por 3-0, numa boa primeira parte dos Dragões, onde resolveram o jogo e de uma forma rápida e tranquila. Fomos a vencer por 2-0 para o intervalo, mas nos últimos tempos, 2-0 não é o resultado que nos deixa seguros e na segunda parte estávamos sempre com receio das aproximações do Moreirense à baliza do Porto pois sentiam-se fantasmas do Vitória de Guimarães e do Belenenses.



Foi uma segunda parte de serviço mínimo exibicional e de gestão de resultado e esforço. Quem fica a perder é o espetáculo, mas o que conta são os 3 pontos. Para quebrar essa monotonia dos últimos 45 minutos, Marega faz o 3-0 num grande lance de Otávio.

Deste jogo, destaco, além da vitória sem sofrer golos, o regresso tão aguardado e desejado de Danilo. A reação do estádio foi a de um autêntico vulcão aquando da entrada do nosso “trinco”, este jogador que passou por um calvário e que é muito acarinhado por nós porque personifica o “jogador à Porto.”  E, também, as 44 mil pessoas presentes no Dragão após uma derrota. É a prova de que a equipa e seus adeptos estão perfeitamente ligados e juntos em qualquer circunstância, ou seja, FCP sempre a ganhar a perder.

Agora vem aquela pausa das seleções, que é uma autêntica seca! Três semanas sem campeonato nacional é um tédio! É muito bonito e tal ver a seleção, mas eu gosto mais de ver o Porto (perdoem-me a sinceridade). Que este tempo sirva para descansar e afinar certas e determinadas dinâmicas e que no regresso voltemos a ser um “rolo compressor” e a atingir a liderança o mais depressa possível.

Gostei da estreia do Militão, jogador seguro, confiante, boa presença, agressivo, qualidade no passe. Parece fazer com Felipe uma boa dupla, a fazer lembrar aquelas duplas de brasileiros nos anos 90, Aloísio, José Carlos, Argel, etc.

Quantos aos reforços, Jorge e Bazoer, confesso que não os conheço. Acho que quem está a merecer uma oportunidade no 11 é Óliver, mas certamente irá apenas voltar quando Danilo estiver a 100%.

Vou fechar esta crónica com muita tristeza pois o futebol português está de luto! Há um clube que foi constituído arguido e considerado culpado num caso de toupeiras; um clube que corrompeu e violou segredos de justiça. Sim, esse clube que se julgava um exemplo, que andou anos a falar do “Apito Dourado”! Sim, esse clube que patrocinou as escutas do “Apito Dourado” e o livro da Carolina! Sim, esse clube que teve arquivado o caso dos vouchers, mas que aguarda julgamento do “Malla Ciao”, “Lex”, “Mails”, etc.

O que pode acontecer a esse clube e seus dirigentes?? Só não quero que desçam de divisão… porque eu gosto de ir ganhar à Luz!

Até à próxima!

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Santa Maria conquista primeiro ponto

Setembro 5, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Este foi mais um fim de semana em que apenas o Santa Maria Futebol Clube disputou um jogo, no caso, a contar para a 3ª jornada do Campeonato Distrital Pro-Nacional, no passado dia 1 de setembro.



Os homens de Galegos Santa Maria deslocaram ao terreno do UD Airão e trouxeram de lá um empate a uma bola, com o seu golo a ser marcado por Carlinhos, aos 41 minutos. Aliás, o resultado ficou “fechado” logo na primeira parte.

Com este ponto, o primeiro do Santa Maria FC neste campeonato, a equipa barcelense subiu para a 15ª posição, com 1 ponto.

Na próxima jornada, o Estádio da Devesa será o palco para mais um jogo, a contar para a 4ª jornada, opondo o Santa Maria ao Brito (10º), dia 9 de setembro, pelas 16h00.

Foto: SMFC.

Gil Vicente cede primeiros pontos no Campeonato

Setembro 4, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Ao contrário do que vinha sendo habitual, desta vez o Gil Vicente FC não jogou ao domingo à tarde, tendo realizado o seu jogo relativo à 4ª jornada do Campeonato de Portugal (Série A) no passado sábado, dia 1 de setembro.



A deslocação foi curta, até Merelim São Pedro (Braga), onde esperava os gilistas a equipa da casa, o Merelinense, para um jogo apitado por Pedro Ferreira, coadjuvado por Nuno Freitas e José Pereira e que terminou com um empate a 0 e a consequente divisão de pontos.

Carlos Cunha, treinador merelinense, fez alinhar Paulo Jorge, Cadú, Xavi, Ribeiro, Adebanjo, José Veloso (Jorge Chula, 78’), Henrique Vieira (Davide Caseiro, 68’), Valter Beck, João Freitas (Tiago Morgado, 55’), Jorginho e Fausto Lourenço. No banco ficaram Igor Bissoloti, Raphael Almeida, Zé Diogo e Fábio Pimenta.

Já Nandinho fez alinhar Wellington, Bruno Morais, Rui Faria, Edwin Vente, Junior, Ahmed Isaiah, Tiago Gomes, Juan Villa (Tiger, INT), Tanko, Bruno Lopes (Joãozinho, 78’) e Gabriel Mejía (Dimba, 67’). No banco ficaram Rafa Pires, Pedro Araújo, Kiko e Ramalho.

Da parte dos da casa, Tiago Morgado (60’) e Henrique Vieira (62’) foram “contemplados” com a cartolina amarela. Já da parte gilista, foi Edwin Vente quem foi admoestado com amarelo, aos 64 minutos.

Nandinho, treinador gilista, salientou que “foi um jogo com duas partes distintas. Uma primeira parte em que a equipa esteve bem, a controlar o jogo por completo, sempre com o domínio e o controlo do jogo, com boas oportunidades para marcar”. No entanto, “na segunda parte, as duas situações de perigo que eles tiveram foram numa desatenção nossa num pontapé de baliza, em que os nossos jogadores estavam muito subidos e não repararam que tinham um jogador nas costas, e num lançamento de linha lateral. De resto, não houve mais nada. Mas nós, também, na segunda parte caímos um bocadinho de produção, o jogo já ficou mais partido a partir do meio da segunda parte. Faltou-nos alguma capacidade física nos últimos minutos para definir melhor situações em que saímos e chegámos à zona de finalização. Se temos definido melhor o último passe, podíamos ter saído daqui com outro resultado. Mas, de qualquer forma, satisfeito com a postura, com a atitude competitiva da equipa”, salientou.

Com este empate, o Gil Vicente FC segue invencível, liderando “virtualmente” a classificação, com 10 pontos em 4 jogos. O próximo desafio será “a sério” e a eliminar, para a Taça de Portugal, frente ao Vianense, no terreno deste, já no próximo domingo, pelas 17h00.

Foto: GVFC.

1 2 3 34

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima