Tag archive

Gil Vicente FC - page 2

Bolas paradas tramam Gil Vicente

Setembro 26, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O relvado do Estádio Cidade de Barcelos recebeu, ontem, a primeira jornada do Grupo C da Allianz Cup, mais conhecida por Taça da Liga. O Gil Vicente FC recebeu o Portimonense SC. Para além destas duas equipas, compõem este grupo o Sporting CP e o Rio Ave.



Com arbitragem de Carlos Xistra, o retângulo de jogo contou com as seguintes constituições de equipas:

Gil Vicente FC – Wellington, Rodrigão (João Afonso, 79’), Alex Pinto, Henrique Gomes, Ygor Nogueira, Ahmed Isaiah, Samuel Lino, Leo Cordeiro, Juan Villa (Sandro Lima, 67’), Romário Baldé (Lourency, 67’) e Claude Gonçalves. No banco ficaram Bruno, Fernando Fonseca, Baraye e Erick.  

Portimonense SC – Gonda, Willyan, Henrique, Rodrigo, Bruno Tabata, Hackman (Hanzai, 79’), Cevallos, Rômulo, José Gomes (Moreno, 61’), Sérgio Santos (Anderson Oliveira, 61’) e Iury. No banco ficaram Samuel, Jadson, Lucas Fernandes e Pedro Sá.

O jogo começou dividido, mas à passagem do quarto de hora de jogo, o Portimonense assumiu, definitivamente, as rédeas do jogo, mesmo não criando grandes calafrios à defesa gilista. Ao encerrar a primeira parte, surge o golo do Portimonense (45m). Canto batido da direita e o ganês Hackman a cabecear no interior da área, de cima para baixo, “como mandam os livros”, não dando hipóteses ao guardião gilista.

Na segunda parte, o Gil Vicente equilibrou e foi superior, bastante superior até, e chegou cedo à igualdade numa jogada de transição rápida. O colombiano Juan Villa aproveitou a defesa incompleta do japonês Gonda e, na recarga, empurrou a bola para o fundo da baliza algarvia. Após o golo, o Portimonense reagiu, mas foi “sol de pouca dura”, porque o técnico gilista procedeu a substituições e lançou mais dois de uma assentada: Sandro Lima e Lourency, ambos brasileiros, sendo que este último voltou após lesão que o havia afastado da competição. E o Gil continuava a carregar. Como o velho ditado futebolístico diz: “quem não marca, sofre”, os “galos” fizeram jus e sofreram um tremendo balde de água gelada e, novamente de pontapé de canto batido da direita, tirado a papel químico do primeiro golo alvinegro, o brasileiro Willyan apontou o golo da vitória forasteira, aos 96’.

No final da partida, ambos os técnicos estiveram de acordo de que o resultado justo seria o empate.

O próximo jogo dos gilistas é a contar para a 7ª jornada da Liga NOS, na visita ao Santa Clara, nos Açores.

O que acham deste Gil Vicente de Vítor Oliveira?

Setembro 18, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Lucy Santos

Olá a todos os leitores do BnH!

No fim de semana passado, foi a vez do Gil Vicente ir à Luz tentar trazer de lá pontos. Mas não foi isso que aconteceu.



Durante a semana, a claque do Gil Vicente fixou na sua página de Internet, os preços para a deslocação, que incluía viagem e bilhete. Reservei o meu. Daqui de Barcelos, para apoiar o Gil Vicente, saía um autocarro e vários carros, tendo, também, alguns adeptos em Lisboa que torciam pelo nosso clube. Foi uma viagem cansativa, mas satisfatória, porque quem corre por gosto, não cansa. Ao longo da viagem, e nas áreas de serviço, fomos encontrando autocarros vindos de Barcelos, mas nenhum deles ia com camisolas gilistas.

Dá que pensar…Sair da nossa cidade, com uma camisola de outro clube e deslocar-se quase 400km para apoiar outro clube que não é o nosso, mas que joga com o nosso. Confuso? Para mim, é ainda mais…tentar entender estas mentalidades.

Uma viagem tranquila, pacífica, chegada ao estádio também muito tranquila e lá estava eu a torcer pelo clube da minha cidade. O apito inicial deu-se e recebo a seguinte mensagem de um amigo de Barcelos: vens para cá com o saco cheio (…). Adiante!

Vítor Oliveira fez algumas alterações na equipa devido à lesão de Lourency e o facto de Alex Pinto não poder jogar, visto que estava emprestado pelo SL Benfica. Para os seus lugares, entraram Fernando Fonseca e Nogueira, dando, também, alguns minutos a Baraye.

Ainda a partida ia no início, quando Nogueira teve a infelicidade de cometer grande penalidade sobre Pizzi, que ele tentou logo cobrar. Denis, o nosso guarda-redes defendeu (e bem) o penalti, adivinhando o lado para o qual o jogador do Benfica ia chutar e evitou males maiores. Fizemos uma primeira parte bem conseguida, com oportunidades, mas quase no intervalo, Nogueira, ao desviar a bola, acertou dentro da baliza, fazendo, assim, o 1-0 para o Benfica, num autogolo.

Foi a pior altura para sofrer um golo, visto que a equipa adversária viria bem mais tranquila para a segunda parte e em vantagem.

Decorriam os primeiros dez minutos da segunda parte, quando Kraev, numa jogada individual, atirou um pouco ao lado da baliza do Benfica. Tivemos alguns momentos que podíamos ter marcado, mas não aconteceu. Um canto batido por Pizzi deu origem ao segundo golo, que viria a ditar o resultado final. Até ao fim, a nossa equipa lutou e não baixou os braços, tendo mesmo marcado um golo por Sandro Lima, mas que depois seria anulado por fora de jogo.

Neste jogo, há a destacar pequenas faltas, que foram convertidas em cartões amarelos a alguns jogadores do Gil Vicente, o que viria a condicioná-los e a prender um bocado os jogadores. Posso, também, destacar, Nogueira: o seu primeiro jogo como titular, ainda para mais contra um grande adversário, e houve alguns pontos negativos do jogador que viriam a ser fatais para o Gil Vicente, mas que serão situações pontuais que aconteceram.

Na viagem de regresso, estava triste pela derrota, mas mais importante que tudo, o Gil Vicente foi a jogo sem medo, criou oportunidades, fez tremer o Benfica, mas não chegou. Mas chegou para os adeptos virem de lá com a sensação de que o Gil Vicente…ainda vai dar muito que falar!

Não podemos dizer que o Gil Vicente está mal, porque estamos na quinta jornada com 5 pontos, mas já jogámos com o FC Porto (vitória por 2-1), com o Braga (1-1) e com o Benfica (2-0).

Domingo, espero por vocês, na nossa Fortaleza, para defrontar o Boavista, às 15:30.

E vocês, o que acham deste Gil Vicente de Vítor Oliveira?

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Nós somos o Gil!

Setembro 6, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Lucy Santos

Olá a todos os leitores do BnH!

Antes de mais, quero agradecer a todos os adeptos que têm ido ao estádio apoiar o clube da nossa cidade. É bonito e gratificante ver que já existem pessoas orgulhosas da sua camisola e do seu cachecol. E isso nota-se. Em cada foto tirada, em cada mexida no cachecol, em cada vaidade ao virar o símbolo para a selfie, em cada palavra a falar do nosso clube. Tinha muito mais a falar de vocês, mas com o coração cheio e feliz, só vos digo OBRIGADA! O CLUBE PRECISA DE VOCÊS! NÓS SOMOS O GIL!



Jogámos dois jogos em casa, com o Sporting de Braga e com o Setúbal. O Braga, que vinha de uma vitória para a Liga Europa contra o Spartak, e o Setúbal, que vem de uma situação mais complicada, ainda sem vitórias, sem golos marcados e de uma derrota pesada perante o FC Porto.

No jogo com o Braga, que decorreu no domingo, podemos destacar o apagão, que de certa forma, deu “luz verde” ao Gil Vicente. Entrámos mal no jogo e aos 6 minutos, viríamos a sofrer o 0-1, um golo que chegou cedo demais. Decorria a segunda parte, já com o Gil Vicente a mostrar mais atitude e Kraev aproximava-se da grande área do Braga e atirava à baliza, tendo Eduardo defendido a custo. A luz do estádio foi abaixo, mas não foi resultado da violência do remate, mas sim, dos relâmpagos que se viam e faziam sentir por cima do Estádio Cidade de Barcelos. O estádio ficou sem luz! Durante esse tempo, os jogadores continuavam no relvado a fazerem exercícios para não arrefecerem. Os cânticos entoados pelos adeptos e as luzes nos telemóveis deram lugar a um espetáculo bonito enquanto se esperava pelo retomar do jogo. Um momento insólito, mas bonito! Quando a luz voltou e o árbitro deu ordem para recomeçar o jogo, vimos um Gil Vicente diferente, com mais atitude e o Braga foi, claramente, encostado atrás da linha de meio campo. Tivemos várias oportunidades de golo e nesta segunda parte, estivemos sempre por cima do jogo. Aos 90m+19m, Sandro Lima fez o golo da igualdade. Um resultado justíssimo!

Podemos destacar, neste jogo, os reforços, Sandro Lima e Samuel Lino.

Sandro Lima, o autor do golo, é brasileiro e chegou a Portugal em 2013/14 para defender as cores do Rio Ave. Nunca se afirmou na I Liga, tendo já passado também por equipas como o Estoril, Académico de Viseu e Chaves. Chega ao Gil Vicente com 28 anos e tem, agora, uma nova oportunidade de se afirmar no máximo escalão.

A figura deste jogo é Lino. O brasileiro tem 19 anos, não precisou de 45m dentro de campo e já mostrou que merece mais oportunidades.

Não podemos também esquecer do reforço, talvez mais importante do Gil Vicente, Vítor Oliveira! Um nome que todos conhecem e que aceitou, talvez, o desafio mais difícil da sua carreira, mas cá entre nós, acho que ele já sabia para o que é que ia e sabia exatamente o que ia fazer.

Este sábado, pelas 21.30, jogámos novamente em casa, com o Setúbal.

Neste jogo, na primeira parte, e ao contrário do jogo com o Braga, entrámos mais controlados, mais concentrados e tivemos algumas oportunidades de golo que não se concretizaram.

Na segunda parte, quando achávamos que só nos faltava o golo, apareceu um Gil Vicente sem grandes ideias, a ser deixado levar pelo antijogo que o experiente Setúbal fez, durante todo o jogo.

Acaba por ser um resultado justo, devido a uma segunda parte sem brilhantismo e, apesar de haver uma ou outra oportunidade, não fomos além do empate sem golos.

Não podemos esquecer que o Setúbal, neste momento, é uma equipa muito boa defensivamente e que nos 3 jogos que fez, excetuando contra o FC Porto, não marcou golos, mas também não sofreu.

O campeonato estará parado uma semana por causa da seleção, mas na semana seguinte teremos uma deslocação difícil ao terreno do Benfica. Vou aproveitar para informar que haverá um pack viagem e bilhete para o jogo, mas para isso terão de fazer a vossa reserva com a pessoa responsável, Bruno Santos, pelo número 913936232.

Relembro, mais uma vez: continuem a apoiar o clube da nossa cidade como se tem feito notar, as bancadas têm estado cada vez mais compostas e têm aderido, junto com a nossa claque oficial Nação Barcelense, e veremos que só assim aparecerão melhores resultados dentro de campo, fazendo da massa associativa Barcelense o décimo segundo jogador

Apoiem sempre o clube da nossa cidade, em primeiro lugar! Façam-se sócios e convidem um amigo!

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Surpresa…e volta aos eixos

Setembro 6, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Depois de um curto interregno, eis-nos de volta ao comentário futebolístico, abordando, desta vez, as duas últimas jornadas.



Começando pelo penúltima, vamos debruçar-nos sobre o jogo com o FCP, na Luz. Surpresa, parece ser a palavra que melhor define o que se passou. Quer para os adeptos do SLB, quer para os do nosso rival. Sobretudo, atendendo a que o nosso Glorioso vinha, desde a última época, fazendo uma série de belíssimas exibições, quase sempre com muitos golos. Diz-se, comummente, que a equipa que está “pior” é, normalmente, aquela que se sai melhor. No entanto, e atendendo aos momentos de forma de ambas as equipas, ninguém, nem portistas, nem benfiquistas, acreditavam, até ao momento do apito inicial, no desfecho que se veio a revelar. É verdade que o Porto vinha de uma derrota complicada em Barcelos e de uma eliminação na pré-eliminatória da Liga dos Campeões e não podia falhar. Mas o Benfica estava fortíssimo. Como não há vencedores a priori, o Porto surpreendeu tudo e todos com um jogo absolutamente perfeito e avassalador. Perdemos e perdemos bem. Nada mais a acrescentar.

Em Braga, a história foi outra. Adivinhava-se um jogo difícil, com um adversário que luta sempre pelos três pontos, de igual para igual, e portanto muitas dificuldades para os nossos homens. Porém, o Benfica voltou às boas exibições, tomando conta do jogo e marcando mais quatro golos, o que vem sendo imagem de marca nesta era de Bruno Lage.

Tudo em aberto, portanto, no campeonato da I Liga, sem que nenhum dos principais candidatos se isole, desde já, na liderança.

Na próxima jornada, recebemos o nosso Gil. Coração dividido para os barcelenses benfiquistas. Por mim, que o Gil ganhe todos os jogos, menos dois. Me desculpem. Mas o meu coração é vermelho e branco.

Saudações Benfiquistas.

Venha o #trintaeoito

E Pluribus Unum

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Gil Vicente empata a uma bola com SC Braga

Agosto 25, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Disputou-se hoje, no Estádio Cidade de Barcelos, mais um jogo da 3ª jornada da Liga NOS, opondo o Gil Vicente FC ao SC Braga.



O árbitro Hugo Miguel (AF Lisboa), auxiliado por Bruno Jesus e Pedro Felisberto, com Miguel Nogueira (AF Lisboa) como 4º árbitro.

Este jogo ficou marcado pelos “apagões”, com as luzes do estádio a apagarem-se antes e durante o jogo, fazendo com que este durasse por 127 minutos, fruto dos cerca de 31 minutos de interrupção pela falha elétrica.

As equipas alinharam da seguinte forma:

Gil Vicente FC – Denis, Alex Pinto, Rúben Fernandes, João Afonso, Rodrigo, Soares, Arthur Henrique, Edwin Vente (Lino, INT), Lourency (Leonardo, 126’), Naidji (Sandro Lima, 100’) e Kraev. No banco ficaram Wellington, Juan Villa, Ygor Nogueira e Ahmed Isaiah.

SC Braga – Eduardo, Caju (Esgaio, 102’), Vítor Tormena, Lucas, Diogo Viana, Claudemir, João Novais, Murilo, Galeno (Trincão, 87’), Rui Fonte (Fransérgio, 86’) e Hassan. No banco ficaram Tiago Sá, Xadas, João Palhinha e David Carmo.

O treinador do SC Braga, Sá Pinto, alterou toda a equipa em relação ao último jogo, provavelmente, já pensando nos próximos dois jogos, de extrema dificuldade, com uma ida a Moscovo para defender a vantagem de 1-0 frente ao Spartak, tentando entrar na fase de grupos da Liga Europa, e com uma receção ao SL Benfica a contar para a Liga NOS.

Já Vítor Oliveira, treinador gilista, apostou em dois internacionais (Naidji e Kraev) para a frente de ataque, substituindo o argelino Naidji por Sandro Lima, aos 100’. Esta substituição acabaria por se tornar primordial no desfecho do resultado final, pois o jogador brasileiro apontaria o golo da igualdade nove minutos depois, aos 119’.

No entanto, os gilistas poderiam ter levado de vencida, não fosse a grande exibição do capitão bracarense, Eduardo, que voltou aos relvados portugueses e logo com uma exibição de gala, principalmente na 2ª parte, quando o Gil Vicente “caiu” em cima do SC Braga na procura do empate. No entanto, parece mal batido no golo do empate ou traído por um toque no colega, após o cruzamento de Alex Pinto. A 1ª parte foi mais bracarense, com Galeno a abrir o marcador logo aos 6’.

Com este empate, o Gil Vicente ocupa a 11ª posição, com 4 pontos. Na próxima jornada, a 31 de agosto, sábado, pelas 21h30, o Gil Vicente FC tem novo jogo caseiro, desta feita, frente ao Vitória de Setúbal.

13 anos depois…Estamos na Primeira Liga!

Agosto 22, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Lucy Santos

Não poderíamos começar o campeonato da melhor maneira! Uma vitória…sobre um clube que luta por objetivos diferentes dos nossos! É caso para dizer: WOW! Que vitória! Mas, principalmente, que exibição!



Mas comecemos pelo início!

Passava pouco das 16h00 e já estava no estádio! O olhar atento pelos primeiros adeptos a chegar e pelo primeiro frenesim no primeiro jogo…Anos depois…Na Primeira Liga! Os adeptos portistas iam chegando e só mesmo isso…adeptos portistas! Porque camisolas do Gil Vicente, nem vê-las! A hora do jogo aproximava-se e já se ia notando alguns adeptos “da casa” nas longas filas que davam acesso ao estádio mais bonito: o estádio da minha cidade! Entrei no estádio…Aquela sensação de alívio da resolução do “Caso Mateus”, aquele friozinho na barriga de disputar um campeonato a sério (na época passada vi os jogos todos no estádio, sem contar pontos, sem contar para nada), o estádio cheio! Meu Deus…o estádio cheio!…Há tanto tempo que isso não acontecia!

Na primeira parte, vimos um Gil Vicente muito bom defensivamente e com rápidas saídas em contra-ataque. Na segunda parte, surgiu um Gil Vicente ainda mais destemido e aos 60’, um excelente golo, de qualidade, de Lourency! Nos 10’ seguintes, Rodrigo cortou a bola com o braço e o árbitro assinalou penalty, que foi batido por Alex Telles. O Gil Vicente continuou a fechar todos os espaços perante um FC Porto cansado e, aos 77’, Kraev fez o 2-1 para os Gilistas! Que ambiente no estádio! De repente, o estádio, que até então, parecia um “mar azul”, voltou a ganhar outras cores, lembrando que estávamos ali, na I Liga e que não era um sonho, era uma realidade!

Terminados os 90’, e mais 6 de descontos, o estádio vibrava com a vitória! Seria a vitória dos 13 anos à espera que a justiça fosse feita? Ou a vitória de um clube que ninguém esperava, com um adversário difícil? Uma equipa toda nova, feita de raiz, com 22 jogadores que custaram tanto como 1 do FC Porto, o Zé Luís…

Fiquei no estádio até todos saírem…Tinha uma felicidade que não cabia em mim…Não consigo descrever em palavras qual a melhor vitória deste jogo: a justiça feita 13 anos depois? A casa cheia? O vibrar do público, de pé, a aplaudir o clube da minha cidade?

Há coisas que não se explicam…Sentem-se!

Depois deste jogo, deixo só um apelo: tenham o clube que quiserem, pois cada um é livre, mas acho que deveríamos, primeiro, de defender o clube na nossa cidade! Quem sabe, se assim, não houvesse só 3 clubes e o campeonato estaria melhor dividido?

No passado sábado, o Gil Vicente jogou fora com o Moreirense. Tínhamos tudo para pontuar. A motivação com os 3 pontos conquistados em casa, estratégia bem definida, os jogadores preparados e o apoio! Nesse dia, e sendo um jogo fora, a bancada estava composta. A claque oficial puxava pelo público minutos antes dos jogadores entrarem em campo e via-se que estávamos todos à espera do renascimento do Gil Vicente, que outrora nos tinham empurrado para uma Segunda Liga! O futebol que vimos não foi o esperado, nem tão pouco o resultado! O Gil entrou em campo e ao intervalo já estava a perder por 2-0. Dois golos praticamente oferecidos! Na primeira parte, estavam perdidos e não fizeram nenhum remate à baliza! Na segunda parte, Vítor Oliveira tentou ir atrás do resultado, com duas substituições feitas ao intervalo, mas o Moreirense fez o 3-0 (fruto de um grande golo) e ditou, assim, o resultado final! Um resultado justo!

Nesta partida, vimos que ainda há um caminho longo a percorrer, perante um Gil Vicente ainda apático, com algumas afinações que terão de ser feitas!

Não nos subiram as vitórias à cabeça (Desportivo das Aves, para a Taça da Liga, e FC Porto, para o campeonato), mas pessoas não podem achar que o Gil Vicente tem a melhor equipa e são os melhores do mundo quando ganha e, quando perde, já somos os piores! Temos de estar cá, jogo a jogo, a apoiar a equipa, a defender Barcelos porque o caminho é longo, mas também é óbvio que não vamos ganhar os jogos todos (era bom se assim fosse) e também não os vamos perder todos!

Como diz o Mister Vítor Oliveira: “ganhar um jogo não é difícil, difícil é ganhar muitas vezes seguidas”!

Domingo, às 20h30, temos um grande jogo: Gil Vicente FC – SC Braga! Faço um apelo a todos os Barcelenses: quem puder, que se faça sócio do clube da cidade. O preço é acessível, são 25€ (valor único) e, depois, terá de pagar mais 5€ por mês! Jogar com um estádio cheio é mais motivador do que jogar para 500 ou 1000 pessoas!

Eu espero por ti, todos os jogos em casa, no Estádio Cidade de Barcelos!

Por: Lucy Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Gil Vicente derrotado pelo Moreirense por 3-0

Agosto 17, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Disputou-se hoje, em Moreira de Cónegos, o jogo Moreirense – Gil Vicente FC, a contar para a 2ª jornada da Liga NOS, que terminou com a vitória dos da casa por 3-0.



Sob arbitragem de Manuel Oliveira (AF Porto), auxiliado por Pedro Ribeiro e Tiago Leandro, com José Bessa como 4º árbitro, o jogo contou com as seguintes equipas:

Moreirense FC – Mateus Pasinato, João Aurélio, Iago, Steven Vitória, Djavan, Fábio Pacheco, Aouacheria, Filipe Soares (Singh, 68’), Alex Soares, Pedro Nuno (Luiz Henrique, 84’) e Fábio Abreu (Nenê, 86’). No banco ficaram Pedro Trigueira, Rosic, D’Alberto e Luís Machado.

Gil Vicente FC – Denis, Rodrigo, João Afonso, Rúben Fernandes, Arthur Henrique (Edwin Vente, INT), Soares, Erick, Lourency, Kellyton (Naidji, INT), Kraev (Samuel Lino, 77’) e Sandro Lima. No banco ficaram Wellington, Leonardo, Ygor e Ahmed Isaiah.

Depois da grande vitória frente ao FC Porto, na jornada inaugural, as expectativas dos adeptos gilistas estavam bem altas para este jogo, mas cedo começaram a sair goradas. Logo aos 8’, Fábio Abreu abriu o marcador para os da casa. Na sequência de um livre lateral, a partir da esquerda, a bola cai na direita do ataque, com Abreu a superiorizar-se a um marcador gilista e a cabecear para a baliza, com o seu defensor a parecer mal batido. Aos 22’, grande passe de rotura, com a defesa gilista a não subir para colocar em fora de jogo Aouacheria. O jogador francês de ascendência argelina isolou-se a apontou o segundo golo do jogo para os anfitriões. Ao intervalo, o marcador apontava 2-0 para os locais.

Na segunda parte, Kraev é batido numa disputa de bola a meio campo, com esta a sobrar para o internacional sul-africano Singh, que apontou um grande golo, em remate de fora da área, aos 71’. Até ao final do jogo, o marcador não mais se mexeu. Este foi um jogo menos conseguido por parte dos gilistas, talvez a necessitarem de “colocar os pés no chão” e reverem aquilo que correu mal para que não aconteça no futuro.

Dia 25 de agosto, pelas 20h30, o Gil Vicente FC recebe o SC Braga, em jogo a contar para a 3ª jornada.

Maus presságios

Agosto 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Ricardo Moreira

Bem-haja Barcelenses e caros leitores do Barcelos na Hora.

AÍ está o regresso do Campeonato Nacional de Futebol!!!



Para o meu Sporting Clube de Portugal, o final da época passada até foi bem positivo, em ascensão exibicional e de resultados (inclusive com a conquista da Taça de Portugal no final da época). Eis que a nova época desportiva começa de uma forma, pouco ou nada, condizente com aquilo que eu realmente esperava do meu Sporting 2019/20!

Desde o início, da pré-época que os presságios não eram nada bons! Não vencemos um único jogo de pré-época! E na final da Supertaça, foi o descalabro que se viu!

O nosso Presidente afirmou, nessa altura, que não era preocupante! Para mim, não era preocupante se estivéssemos a construir uma equipa quase nova! Mas este ano, não é essa a realidade! Não saiu praticamente ninguém do 11 base da época passada (ainda por cima, mesmo com tanta “telenovela”, mantivemos, pelo menos para já, o nosso melhor jogador: Bruno Fernandes), ainda gastámos uns 20/25 milhões para reforçar a equipa, para a tornar mais forte, mais capaz e eis que, para “mal dos nossos pecados”, a equipa joga bem pior, do que da forma que terminou a época passada!!!

Sim, porque não estou a falar só de que ainda não ganhámos um jogo nesta nova época! Mas sim, que jogo após jogo, a equipa tem demonstrado incapacidade defensiva, uma gritante incapacidade de recuperação no terreno de jogo e pouca, ou nenhuma, capacidade de pressão sobre os adversários. São constantes as falhas de marcação sobre os jogadores do meio-campo adversário. Aliada a estas incapacidades, é a distância em que jogam os nossos três sectores!!! Certos jogadores, como os extremos, passam grande parte do jogo encostados à linha, quase sem raio de ação! E o desaproveitamento de Bas Dost, que não é minimamente um construtor de jogo, mas obviamente, um jogador de área, um finalizador nato!!!!!

Isto sim, mais que os resultados, no meu ponto de vista, é já bem visível, e preocupante, nesta nova época 2019/20 do nosso Sporting Clube de Portugal!

Assim sendo, iniciámos o Campeonato Nacional com um empate no Funchal!

SC Marítimo 1-1 Sporting Clube de Portugal

Num terreno até tradicionalmente difícil para conquistarmos os 3 pontos, do mal o menos, conseguimos 1, pois a exibição não foi, de todo, merecedora de mais!

A “procissão ainda vai no adro”, mas precisamos, devemos, e temos plantel para fazer muito mais e melhor!!!!

O nosso Gil Vicente, neste regresso 13 anos depois (depois de tanta injustiça descabida), entrou logo, novamente, para a História! Estádio Cidade de Barcelos com quase 11 mil espectadores, colmatado com uma vitória sobre o FC Porto! Um regresso mais que perfeito! Agora que seja para continuar com este querer, esta vontade e esta dedicação, para nos mantermos, muitos e bons anos, entre os grandes do Futebol Português!

Já agora, havia muitos Gilistas/Portistas no estádio…assim como há de outros clubes, como eu sou Gilista/Sportinguista, e isso deve-se respeitar à mesma!

Não vamos é ser antis!!! Mesmo que sejam adeptos/simpatizantes de um clube dos “ditos grandes”, não deixem nunca de apoiar o clube da nossa terra!!! Somos Barcelenses, devemos ter orgulho nisso, na nossa Cidade, no nosso Gil Vicente, que muitas alegrias (tenho a plena convicção) nos irá dar nesta época do regresso, mais que merecido, ao principal escalão do Futebol Português!

Força Gil Vicente!!!!

O nosso OCB, que representa dignamente a nossa Cidade (inclusive por esse Mundo fora), este ano, ainda não começou o seu campeonato, também merece e precisa do apoio de todos os Barcelenses, para todos juntos, construirmos uma época de sucessos e conquistas!!!

Força OCB!!!

Desporto é Vida! Viva o Desporto com Respeito e Fair-Play!

Por: Ricardo Moreira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

De quem é a culpa??

Agosto 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Vítor Sá Pereira

Olá, leitores do BnH!

Se for o vosso caso, desejo-vos umas boas férias. Que esta época desportiva seja, essencialmente, repleta de respeito.

Confesso que foi estranho vibrar com uma derrota do FCP.

Sim, sou um adepto ferrenho do FCP, quase religioso, mas o meu amor por Barcelos e paixão pelo Gil são muito mais fortes.



Desejo muito que o FCP seja campeão com apenas 2 derrotas e que essas mesmas sejam contra o Gil…Estou a ser o mais sincero possível e quem não acreditar…paciência. 

Apesar de ficar contente com a vitória do Gil, fiquei um pouco preocupado com o futuro do FCP.  A vitória do Porto na Rússia foi justa e normal e penso que foi aí que começou a derrota contra o Gil e é aí que quero chegar.

Sérgio Conceição fez um 11 inicial contra o Gil menosprezando a equipa barcelense. Pensou SC de que seria fácil bater uma equipa que veio do CNS com uma espécie de segunda linha. Pensou mal…Devia ter-se precavido porque do outro lado estava um treinador com muitos anos disto, uma equipa motivada pela vitória na Taça da Liga e uma cidade faminta de primeira liga e cheia de apoio para dar.

O Gil teve muito mérito na vitória pela sua capacidade de saber sofrer e de aproveitamento na eficácia.  Surpreendeu-me muito este Gil! Que seja uma bela amostra do que aí vem.

Neste jogo, confesso que da parte do Porto apenas gostei do novo guarda-redes. Do Gil, destacaram-se os marcadores dos golos (Lourency e Kraev).

Desde já, desejo a maior sorte ao Gil e que todos os que o apoiaram neste jogo, o façam durante toda a época. 

Foi um dia marcante e bonito! Que o Gil permaneça sempre na 1ª liga, pois é o seu lugar.

Depois da ressaca da derrota em Barcelos, a comunidade portista pensava que tudo ia regressar à normalidade depois do jogo em casa, frente ao Krasnodar, e até SC pensou isso porque voltou a utilizar jogadores que fizera descansar em Barcelos.

Quando me disseram (até porque estava a trabalhar), de que o Porto perdia 3-0 ao intervalo, confesso que pensei que estavam a gozar comigo…pelo contrário!  A que ponto chegou esta equipa! Levar “3 batatas” ao intervalo de uma equipa que nunca tinha jogado esta competição.  Os 2 golos marcados na segunda disfarçaram a horrível 1ª parte, mas não conseguiram disfarçar o afastamento da Champions e a perda de 50 milhões, que certamente já estavam contabilizados e que muita falta fazem. Que consequências agora?? De quem é a culpa?? Quem vai ter de vender?? Que futuro?? Que equipa base???…São muitas as questões e os problemas.  Penso, também, que Sérgio Conceição (que foi fantástico na primeira época), é, atualmente, mais problema do que solução. 

Onde anda Pinto da Costa??? Apareça Sr. Presidente! Não basta aparecer para almoçar ou jantar nas casas do FCP. 

Prevê-se uma época difícil, mas que jamais deixaremos de apoiar.  O clube já nos deu tudo a ganhar. Portanto, quem é realmente apaixonado pelo clube, jamais o abandonará. 

Precisamos de mística na estrutura e plantel. Não apenas de contratos e comissões. 

Levantem a cabeça e vençam por nós!

Boa sorte Gil Vicente e FCP neste fim de semana.

Por: Vítor Sá Pereira*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Trinta e Oito

Agosto 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Hugo Pinto

Arranca a edição 19/20 da primeira Liga e, com ela, estão de volta as crónicas do Barão Vermelho.



O nosso Benfica fez uma ótima pré-época, praticamente invicto. Como tal, entrou nas competições oficiais domésticas em grande forma, goleando o Sporting na Supertaça Cândido de Oliveira, por cinco tentos, e mais cinco na primeira jornada, frente ao Paços de Ferreira.

Dificilmente poderíamos ter tido melhor começo, tomando vantagem logo na primeira jornada face aos nossos rivais diretos, uma vez que o FCP perdeu frente ao nosso Gil e o SCP não conseguiu melhor do que um empate na visita ao Marítimo.

Bruno Lage continua a demonstrar ser um treinador de excelência. Tem o balneário com ele, tem um modelo de jogo que resulta bem, dando quase sempre goleadas e tem, ainda, a clarividência de ter percebido que terá de se antecipar, mudando a sua fórmula, de maneira a que os adversários não consigam anular a estratégia do Benfica.

Quanto a reforços, gosto particularmente de ver jogar o RDT. Vê-se, pela forma como se posiciona e como toca a bola, que é craque. Creio que, com o tempo, poderá revelar-se ainda mais e dar-nos grandes alegrias.

Os nossos Golden Boys continuam a encantar! Tenho alguma pena que o miúdo Tavares tenha de jogar adaptado à direita, pois parece-me ser um grande defesa esquerdo. Aliás, o Benfica tem de começar a procurar sérias opções para o lado direito da defesa, pois desde a saída do Nélson Semedo que ainda não vimos um Defesa Direito à altura do resto da defesa. Pese, embora, o esforço e dedicação do André Almeida.

Convém, porém, ter algum cuidado, para que agora não se passe do 8 ao 80 e se tente resolver tudo com a formação interna. Ocasionalmente, será necessário procurar opções no exterior.

Por fim, penso que será também de repensar a opção por Seferovic, pois, desde as últimas jornadas da época passada, que anda com a pontaria desafinada. Gosto mais de ver no ataque, por exemplo, o RDT com o Vinícius. E, por que não, RDT como primeiro avançado e experimentar Jota a fazer de João Félix?…

Posto isto, venha o 38 …#trintaeoito.

Uma palavra final para o nosso Gil Vicente, que se estreou na Liga com uma exibição magnífica, sonegando 3 pontos ao FCP. Muita vontade de vencer e de mostrar serviço, taticamente esclarecidos, deram uma mostra de futebol bem jogado ao longo dos 90 minutos. Lourency foi endiabrado pelo flanco direito, dando muito que fazer à defesa portista. A mim, em particular, chamou desde logo à atenção Kraev. Este, para mim, irá ser a maior revelação gilista para esta época. Seja como for, que se mantenha esta garra e vontade de vencer e teremos uma época entusiasmante.

Força, Gil!

Viva o Benfica!

Por: Hugo Pinto*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Ir Para Cima