Tag archive

Gonçalo Santos

Liderança partilhada na Primeira, liderança imaculada na segunda, com algumas “vergonhas” à mistura

Novembro 15, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Gonçalo Santos

Olá, caríssimos leitores!

Esta semana começo pela Primeira Divisão, em que a liderança é partilhada entre o campeão em título, o Carvalhal, e a equipa mais titulada do Futebol Popular Barcelense, o Carapeços. Ambos os líderes cumpriram esta semana, vencendo em casa pela margem mínima, o Baluganense e o Campo, respetivamente.



O pódio é completo pelo Leocadenses, que também é um dos habituais candidatos, mas que nas últimas épocas não passou de um “gigante adormecido”. No entanto, neste início de campeonato está, novamente, a disputar os lugares cimeiros e esta semana goleou o Palme, por 4-1, que também está a surpreender com um bom inicio de temporada.

Logo de seguida temos três equipas com 15 pontos, a perseguir as equipas do pódio, que são: Sequeade, Fragoso e Remelhe, sendo que apenas o último dos três venceu esta semana. O Sequeade empatou no seu reduto, com o Pereira, a 1 bola; o Fragoso foi perder a Macieira, por 1-0; e o Remelhe goleou, em casa, a turma da Silva, por 4-1. Logo em seguida está o Perelhal, que iniciou o campeonato com 3 derrotas consecutivas, mas agora já não perde há 5 jogos consecutivos e esta semana venceu, por 2-1, a equipa do Oliveira.

O Macieira, Oliveira e Leões da Serra estão a fazer um campeonato bastante inconstante e encontram-se a liderar a segunda metade da tabela classificativa. Sendo que o Leões da Serra, uma equipa de que se esperava muito esta temporada, voltou a marcar passo, empatando em casa com o Fonte Coberta, que é o último classificado da primeira divisão, com os mesmos pontos do Campo, com 4 pontos. O Baluganense, mesmo com a derrota frente ao atual campeão esta jornada, ficou a fora da “linha de água”, com mais 2 pontos que Lijó, Silva e Negreiros, sendo que o primeiro e último deste trio defrontaram-se esta jornada, do qual resultou a vitória do Lijó, pela margem mínima.

Aproveito, ainda, para lançar o jogo mais empolgante da próxima jornada, em que estará em disputa o último lugar do pódio, com o embate entre Leocadenses e Sequeade.

A Segunda Divisão também esteve ao rubro, com jogos que tiveram 6, 7 e 8 golos! O líder imaculado, Feitos, venceu em Aborim por 0-2, seguindo na liderança; já o Aborim, mesmo com a derrota, segurou o terceiro posto. O mais fiel perseguidor da liderança, o Lama, também teve uma vitória expressiva em casa, por 5-3, diante do Cossourado. O S. Mamede, que é o perseguidor direto dos lugares do pódio, venceu em casa, “à tangente”, o Carvalhas, por 1-0, enquanto o S. Martinho perdeu em casa, por 3-4, com o Paradela e ficou a partilhar o quinto lugar da tabela com este. O “Rei dos empates”, o Águas Santas, desta vez venceu por duas bolas a zero, diante do Pedra Furada.

O Cristelo teve a maior goleada da jornada e venceu, no seu reduto, por 6-0, a equipa do Creixomil, que ainda não pontuou no campeonato. Até já se viram nas redes sociais, algumas publicações a denunciar o descontentamento por parte de alguns adeptos do clube. O Estrelas teve uma boa vitória fora de portas, vencendo o Silveiros por 0-3. O estreante Bastuço São João empatou em casa com o Cambeses, que é o penúltimo classificado.

Por último, e porque as cenas lamentáveis devem ficar sempre em último, vem a vergonha da semana que, desta vez, chega de Chorente onde existiram cenas de violência que levaram a que o jogo entre Chorente e Milhazes terminasse antes do tempo regulamentar. O Relatório do Conselho de Disciplina ditou a derrota, por 0-3, ao Chorente, multa e interdição do seu recinto desportivo por 1 jogo.

Ultimamente, tem existido um exagero de situações de violência a afetar o Futebol Popular, um futebol em que adoro participar e assistir e que muitos “indesejáveis” teimam em denegrir.

Está na hora de repensarmos o motivo que nos faz levantar da cama aos domingos de manhã para assistir ao Futebol Popular. Se for para incitarem à violência, por favor fiquem em casa!!!

Um abraço do vosso amigo!

Por: Gonçalo Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

[ndr: Artigo corrigido por solicitação do autor, às 22h35 de 16-11-2018]

Surpresa na Taça Cidade Barcelos com tropeção do líder

Novembro 2, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Gonçalo Santos

Boa noite, amigos e amigas aficionados do Futebol Popular!

Esta semana vou começar pela segunda divisão. Os golos e as goleadas da segunda divisão continuam, semana após semana. Desta vez, a maior goleada foi imposta pelo São Martinho ao regressado Silveiros por 7 – 0; continuando o Silveiros sem pontuar na prova e apenas um golo marcado.



A outra goleada da jornada veio de Chorente, onde a equipa da casa venceu por 4 – 0 os vizinhos do Pedra Furada. O único empate foi a uma bola, entre o Águas Santas e o Moinhos de Paradela. O Carvalhas e o Aborim venceram em casa o Creixomil e o Cambeses, respetivamente e pela margem mínima, enquanto o Feitos e o Milhazes venceram, fora de portas, o Cristelo e o São Mamede, também pela margem mínima.

O estreante Bastuço São João conquistou a primeira vitória caseira, vencendo por 2 – 0 o Cossourado, que ainda não conquistou uma vitória até então. O Lama, que continua a fazer um início de época surpreendente, desta vez venceu em casa o Estrelas por 3 – 1 e mantém-se como a equipa com melhor diferença entre golos marcados e sofridos.

Mas quem lidera de forma ainda invicta é mesmo o Feitos, que soma 6 vitórias nos 6 jogos disputados.

A primeira divisão iniciou no sábado, também com uma goleada e, desta vez, da equipa mais titulada do futebol popular: o Carapeços venceu em casa, por 5 -0, a equipa do Silva, o que permitiu ao Carapeços manter-se no pódio.

Os empates da jornada aconteceram em Pereira e em Perelhal, em que o primeiro e o Palme empataram sem golos; enquanto o Perelhal empatou com o Fragoso a duas bolas. O Leões da Serra continua a fazer um campeonato aquém das espectativas e, desta vez, perdeu em casa com o Oliveira, por 1 -2.

Num dos jogos mais aguardados da semana, o Remelhe venceu, no seu reduto, a equipa do Negreiros, por 3 – 1. O Macieira desempatou-se do Lijó na classificação, vencendo-o em casa deste, por 0 – 3 e, assim, fugiu aos lugares de despromoção. O Sequeade continua a fazer um início de campeonato muito interessante, vencendo o Campo por 2 – 0. O Fonte Coberta foi empatar à casa do campeão Carvalhal por 2 – 2, fazendo com que o campeão perdesse a liderança da classificação para o Leocadenses, que está a fazer um início de época prometedor, em que o novo líder venceu, em casa, o Baluganense por um modesto 2 – 1. Desta forma, a turma de Santa Leocádia, tal como Fragoso e Palme, continuam sem qualquer derrota no campeonato.

Esta semana também tivemos a 1ª eliminatória da Taça Cidade de Barcelos, sem as equipas: Baluganese, S. Mamede, Perelhal e Cambeses que já tinham sido eliminadas na pré-eliminatória. Desta feita, seguem na taça: Fonte Coberta, Aborim, Negreiros, Leões da Serra, Sequeade, Oliveira, Silva, Campo, Fragoso, Carvalhal, Pereira, Feitos, Remelhe, Carapeços, Lijó e Cristelo.
Dois destaques nesta breve abordagem à Taça Cidade de Barcelos:  a surpreendente vitória do Lijó, último classificado da primeira divisão, diante do líder da classificação, o Leocadenses, por 2 – 0. O outro destaque vai para a Festa da Taça, que iniciou as eliminatórias com 63 golos marcados, fixando a média de golos próxima de 4 golos por jogo disputado.

Viva a Festa da Taça, Viva o Futebol Popular!

Um abraço deste vosso amigo!

Por: Gonçalo Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

As escaramuças e a goleada de 18-0

Outubro 26, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Gonçalo Santos

Olá, amigos e amigas aficionados do Futebol Popular!

Esta semana vou começar pelas boas novidades e só depois falo dos acontecimentos que mancham o Futebol Popular.
E como uma boa goleada à moda antiga é sempre um bom motivo de conversa, esta semana tivemos mais uma goleada, e desta vez por 18 golos de diferença! Exatamente…foi isso que leu: 18 golos de diferença! Até pode parecer algo raro, mas não é. É bem habitual! A segunda divisão goleou a primeira divisão: 38 – 20 no que toca a golos marcados. Isto tudo apenas para destacar os golos marcados pelas equipas da segunda divisão, que semana após semana, dão muitas alegrias aos adeptos presentes nas bancadas, ao domingo de manhã, por este concelho fora. Algumas delas são verdadeiras obras de arte e só quem assiste e vê, é que acredita.



E já que falamos em goleadas, temos que atribuir o mérito a quem o merece e destacar as goleadas do Lama, que foi vencer por 0 – 6 o Silveiros, no reduto deste; o São Martinho foi vencer fora por 2-5, o Creixomil; o São Mamede, que também foi golear fora por 4 bolas a 0, ao reduto do Cambeses; e por último, a única goleada em casa da jornada, o Feitos recebeu e venceu o Carvalhas por 3 – 0. O UCRA e o Paradela também cumpriram, ao vencerem fora de portas, por 1 -2, o Pedra Furada e o Bastuço São João, respetivamente. Em apenas dois jogos, não se conseguiu desatar os nós, nem no Milhazes – Cristelo, nem no Estrelas – Águas Santas, em que ambos os encontros terminaram com empate a duas bolas.

O destaque esta semana vai mesmo para os 38 golos marcados na segunda divisão.

No que diz respeito à primeira divisão, o Leocadenses deu continuidade ao bom início de época e venceu em o Campo, por 0 -1. O Baluganense bateu, em sua casa, um ex-campeão da primeira divisão, o Pereira, por 2-1, igualando o seu adversário na classificação. O Fonte Coberta – Sequeade e o Macieira – Palme acabaram empatados a zero bolas e fica o repto para estas equipas: “Vamos lá marcar golos”, porque, à exceção do Sequeade, são dos piores ataques da prova.

O atual Campeão – Carvalhal – e o habitual candidato ao título, o Carapeços, venceram fora, respetivamente, o Silva e o Oliveira, pela margem mínima. O jogo de maior destaque da jornada foi o Fragoso – Remelhe, que terminou com a vitória caseira do Fragoso por 3 – 2.

Entregues os destaques positivos da jornada vêm os destaques negativos pelas mãos de Negreiros e Leões da Serra, jogo este que, supostamente, terminou num empate a duas bolas, empate esse que foi conseguido pelo Leões no último minuto de jogo disputado, e que, segundo relatos, os festejos desse golo obtido foram substituídos por cenas de pancadaria, lamentáveis, e tudo o resto que é dispensável numa partida de futebol.

Eu, um fiel adepto e ex-participante do futebol popular, fico extremamente desapontado com a falta de atitude, a falta de carácter de algumas pessoas, que apenas saem de casa para estragar a festa do futebol, a festa que os golos e as belas fintas tem o dom de abrilhantar. Quase tudo é bonito no futebol popular, desde as instalações sonoras antiquadas, às míticas bifanas e até ao ligeiro insulto do senhor que está encostado ao bar e de costas para o jogo. Repito, quase tudo, excetuando a violência gratuita que ocasionalmente vai acontecendo no futebol popular.

Ambos os clubes saíram prejudicados, com multa e um jogo de suspensão nos respetivos redutos (segundo o comunicado do conselho de disciplina).

Despeço-me com um apelo: não estraguem o futebol popular, disfrutem dele!!!

Grande abraço do vosso amigo Gonçalo!

Por: Gonçalo Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Início de campeonato pautado pelo equilíbrio

Outubro 18, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Gonçalo Santos

Olá, caríssimos Leitores do Barcelos na Hora!

É com grande prazer que aceitei o desafio do Luís Gonçalves para participar na crónica semanal habitualmente escrita por ele. Desta feita, e depois de vários anos a participar diretamente nas provas da AFPB, vou intercalando com o Luís Gonçalves nos resumos semanais do Futebol Popular de Barcelos.



No que ao Futebol Popular diz respeito, que me desculpem o Carapeços e Leocadenses, que foram as equipas dominantes durante cerca de uma década, mas alegra-me ver que nos últimos anos temos campeões diversos. Começou com o Silva, depois Leões da Serra, Pereira e, por último, Carvalhal. O Carvalhal, que era o Campeão na véspera em que eu entrei, ao fim de mais de uma década e de correr alguns riscos de descida à segunda divisão, volta aos grandes feitos e sagra-se campeão.

Este início de Campeonato pauta-se pelo equilíbrio e pela ausência de supremacias, exceção feita ao Feitos, que apenas coleciona vitórias. Na primeira divisão, os resultados têm sido significativamente bizarros, com os habituais candidatos a escorregarem em circunstâncias improváveis e o Fragoso, que obtém melhores resultados fora do que em casa.

A segunda divisão, como é habitual, leva maior desequilíbrio do que a primeira divisão entre as equipas, tanto a nível de golos marcados e sofridos como, também, no que toca a diferença pontual entre os Polos.

Na última jornada decorrida, tive a oportunidade de ver, parcialmente, o jogo São Mamede – Pedra Furada e, apesar de um jogo calmo e sem grande agressividade, foi um jogo em que a improbabilidade reinou, devido a ambas as equipas terem a oportunidade de estar na frente do marcador; mas o fator casa pesou para o São Mamede que, mesmo estando a perder, efetuou a remontada e venceu o desafio.

Na próxima jornada, destaque para um apetecível Fragoso – Remelhe; duas equipas que estão a fazer um bom início de temporada.

Despeço-me com um agradecimento ao Luís Gonçalves pelo desafio e pela oportunidade para participar na crónica sobre o futebol popular e, também, ao Pedro Sousa, diretor do Jornal Barcelos na Hora, pela oportunidade. E claro, também com um enorme abraço a todos os participantes e aficionados do futebol popular.

Cumprimentos deste vosso amigo!

Por: Gonçalo Santos*.

(* A redação do artigo de opinião é única e exclusivamente da responsabilidade do autor)

Gonçalo Santos diverte-se com o basquetebol

Setembro 14, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto port barcelosnahorabarcelosnahora

O atleta da formação do Basquete Clube de Barcelos (BCB) em evidência hoje chama-se Gonçalo Santos e está desde dezembro de 2012 no clube barcelense.



Este jovem tinha dois amigos de turma que praticavam basquetebol e como gostava de jogar na aula de educação física, questionou-os como poderia fazer. Experimentou e gostou.

Gonçalo Santos é mais um que admira o “Pai Zé” e Tiago Alves, seu treinador. Já internacionalmente, quem mais admira é o ex-jogador da NBA, Kobe Bryant, pelo trabalho e técnica de jogo.

O jovem atleta não tem grandes sonhos dentro do basquetebol. Apenas pretende praticar a modalidade e divertir-se com os amigos e treinador o máximo de tempo possível. Diz quem o conhece que a sua humildade faz dele um jovem de grandes valores e é mais um que prova que o desporto não impede os bons resultados escolares, pois é um excelente aluno.

Foto: BCB.

“Festa das Colectividades 2018” termina em êxito, com crescimento de visitas e associações

Junho 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Entre 01 e 03 de junho, a Avenida da Liberdade e o Parque Municipal de Barcelos foram o centro das Associações e Coletividades que estiveram presentes na “Festa das Colectividades” deste ano, organizada pelo Círculo Católico de Operários de Barcelos (CCOB), em parceria com a Câmara Municipal de Barcelos e a ARCA – Associação Recreativa e Cultural de Arcozelo.



Foram vários eventos musicais, de dança e de jogos tradicionais. Por exemplo, no Parque da Cidade realizou-se, dia 03, o “Torneio de Malha Cidade de Barcelos”, com participantes de Barcelos, Braga, Vila Verde, Ponte de Lima, Ponte da Barca, Viana do Castelo, Famalicão, Trofa, Esposende e Póvoa de Varzim. Houve, igualmente, insufláveis para os mais pequenos.

No dia 02, sábado, realizou-se a visita das entidades pelo certame, guiada pelo Presidente do CCOB, Joaquim Brito, com a presença da Vereadora da Câmara Municipal de Barcelos, Armandina Saleiro, do Vice-Presidente da CPCCRD – Confederação Portuguesa das Colectividades, Cultura, Recreio e Desporto, António Bessa Carvalho, do Presidente da RECOVERY IPSS, Miguel Durães, do Presidente da ARCA, Amadeu Costa, do Coordenador Regional da CPCCRD, Gonçalo Santos, e da Coordenadora Regional do Alto Minho da CPCCRD e Presidente da Associação de Judo do Distrito de Viana do Castelo, Vanda Pêgo.

A Festa contou com a presença do Circulo Católico de Operários de Barcelos (Organizador), ARCA (Organizador do espetáculo “ O Piano” e dos jogos tradicionais), Moto Galos, Centro Paroquial de Arcozelo, Liga Portuguesa Contra o Cancro, AMAR 21, APEEBA (Associação de Pais da Escola Básica de Arcozelo), FIBRO, Remelhe Saudável, Viver Macieira, RECOVERY IPSS, ACR Roriz, Instituto Renascer e Associação Intercultural Para Todos.

No primeiro dia, o palco na Avenida da Liberdade recebeu a Tuna Mista do IPCA, uma performance da Academia João Capela e a Ronda Típica do Bairro da Misericórdia. No sábado, para além dos jogos tradicionais, os Galos Gaiteiros e o Rancho Folclórico de Macieira da Lixa estiveram na Avenida, com o grupo Trovas e Cantigas a atuar no Autocarro da Malafaia. À noite, a ARCA proporcionou aos presentes um grande espetáculo de dança intitulado “O Piano”.

Por fim, no domingo, realizou-se o referido Torneio de Malha e no palco da Avenida da Liberdade entoaram as atuações dos Amigos da Concertina de Barcelinhos, a Banda do Galo, Vozes do Cávado e Amigos da Farra de Cristelo.

Joaquim Brito, Presidente do CCOB, referiu ao Barcelos na Hora que este “é o terceiro ano que a ‘Festa das Colectividades’ se realiza na Avenida da Liberdade e nota-se que, de ano para ano, tem crescido imenso. O público e as entidades presentes parabenizaram o CCOB e a ARCA pela organização do evento. Este ano tivemos mais associações aderentes do que no ano transato, ultrapassámos as 9 mil visitas durante os três dias, o espetáculo o Piano, realizado pela ARCA, foi de uma qualidade assinalável, com 250 crianças em palco e imenso público. Ficámos honrados por proporcionarmos um fim de semana harmonioso aos Barcelenses e visitantes que vieram até ao nosso certame, essencialmente as crianças, que estavam felicíssimas a desfrutar da animação infantil”, salientou.

Por fim, fez questão de deixar “um agradecimento especial a todos os que trabalharam para a realização deste evento, que tem um logística difícil, mas que correu ‘às mil-maravilhas’. E também à Câmara Municipal de Barcelos, na pessoa da Dr.ª. Armandina Saleiro”, concluiu.

Fotos: João Sousa.

Gil Vicente, já despromovido, perde em casa com o Covilhã

Maio 6, 2018 em Atualidade, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Disputou-se, hoje à tarde, no Estádio Cidade de Barcelos, o jogo a contar para a 37ª jornada da Ledman LigaPro, que opôs o Gil Vicente FC ao Sporting da Covilhã, com o resultado final a marcar a vitória para os forasteiros por 0-1.



O jogo foi arbitrado por António Nobre (AF Leiria), coadjuvado por Miguel Aguilar e Pedro Martins, com Pedro Ribeiro (AF Aveiro) como 4º árbitro.

A equipa do Gil Vicente alinhou com João Costa, Ricardinho, Sandro, Vítor Tormena, Henrique Brito, Reko, James Igbekeme, Jonathan Rubio (Tiger, 86’), Frédéric Maciel (Camara, 65’), Aldair (João Vasco, 65’) e Dimba. No banco ficaram Rafa Pires, Rui Faria, Alphonse e André Fontes.

Já o Sporting da Covilhã alinhou com Vítor São Bento, João Dias, Joel, Zarabi, Reinildo (Índio, 88’), Makouta, Gilberto Silva, Fatai (Abalo, 94’), Paulo Henrique, Renato e Adul Seidi (Onyeka, 74’). No banco ficaram Igor Araújo, Phiri, Vitó e Gerson Silva.

A equipa de José Augusto, o Covilhã, começou com o “pé no acelerador” e logo no primeiro minuto obrigou João Costa a uma grande intervenção para parar o remate de Makouta. O Gil Vicente respondeu com um cruzamento de Ricardinho para James Igbekeme mas este demorou muito tempo e permitiu o corte de Joel.

O restante da primeira parte foi dividido, com muita bola a meio-campo, com um ligeiro ascendente da equipa gilista, que quis sempre assumir as despesas do jogo, com a turma da Covilhã a optar, preferencialmente, pelo jogo direto.

Ao intervalo, foram homenageados os iniciados do Gil Vicente, que se sagraram, esta jornada, Campeões Regionais. O Presidente do Gil Vicente, Francisco Dias da Silva, entregou uma medalha de campeão a cada um dos atletas.

O início da segunda parte foi apático por parte de ambas as equipas. O Covilhã chegou ao golo, aos 58 minutos, na sequência de um pontapé de canto, cobrado por Fatai, com o cabeceamento do argelino Zarabi, em que João Costa toca, ainda, no esférico com a ponta dos dedos, mas esta acabou mesmo por entrar (veja o lance).

Após o golo forasteiro, o Gil Vicente procurou, insistentemente, o seu golo, mas sempre de forma lenta e previsível, tentando chegar perto da baliza do Covilhã, com o guarda-redes Vítor São Bento a não ter qualquer intervenção assinalável.

O jogo terminou com os jogadores, e os cerca de 300 adeptos do Sporting da Covilhã, em clima de festa pela conquista da vitória, que fez com que a equipa serrana desse um importante passo rumo à manutenção, “bastando-lhe” pontuar no último jogo, em casa, frente ao Penafiel. Já o Nacional foi confirmado, hoje de manhã, como campeão da Ledman LigaPro.

As estatísticas do jogam mostram um Gil Vicente com mais posse de bola (61%-39%), mais faltas cometidas (21-17) e mais remates (9-5), com o Covilhã a ter mais cantos (11-4) e mais jogadores admoestados com cartão amarelo (1-0), no caso João Dias, o único “amarelado” da partida.

Duas curiosidades que este jogo juntou: ambos os guarda-redes titulares das duas equipas eram barcelenses e o 4º árbitro era homónimo do treinador do Gil Vicente, Pedro Ribeiro.



Na última jornada, o Gil Vicente desloca-se a Massamá para defrontar o Real local, domingo, dia 13 de maio, pelas 16h00.

Fotos: Gonçalo Santos.

Gil Vicente derrotado em casa pelo Braga B por 1-2

Abril 11, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

O Estádio Cidade de Barcelos recebeu, hoje, a 33ª jornada da Ledman LigaPro, com o Gil Vicente FC a receber a equipa B do SC de Braga, duas equipas com o mesmo número de pontos.



Arbitrado por João Malheiro Pinto (AF Lisboa), coadjuvado por Carlos Covão e André Dias, com Valdemar Maia (AF Braga), o jogo contou com o seguinte alinhamento de jogadores:

Gil Vicente: João Costa, Ricardinho, Sandro, Vítor Tormena, Luís Tinoco, Alphonse, André Fontes (Reko, 59’), Jonathan Rubio, James Igbekeme (Fall, 80’), Camara (Frédéric Maciel, 65’) e João Vasco. No banco ficaram Rafa Pires, Rui Faria, Dimba e Gabriel.

SC Braga B: Tiago Pereira, Sílvio, Inácio, Dinis, Pedro Amador (Simão, 77’), Denisson, Didi, Loum, Crespo (Villagrán, 85’), Jonata Bastos (Trincão, 65’) e Singh. No banco ficaram Ricardo Velho, Muric, Leandro e Lucas.

O jogo iniciou com o Braga pressionante e logo aos 3 minutos, numa iniciativa individual, Singh sobe pela esquerda do ataque bracarense e desfere um remate traiçoeiro, que originou uma grande defesa de João Costa para o poste.

Até aos 10 minutos, o Braga pressionou alto, condicionando a saída de jogo gilista, altura em que o Gil Vicente conseguiu organizar o seu jogo e passar a assumir as despesas do mesmo, criando enúmeras situações de aproximação à baliza bracarense.

Aos 24 minutos, grande oportunidade para o Braga, com o sul-africano Singh a aparecer isolado na cara de João Costa, que lhe reduziu rapidamente o ângulo para colocar a bola e Singh rematou ao lado. Aos 31 minutos, numa jogada de insistência do Gil Vicente, João Vasco sofre grande penalidade, que foi convertida por Jonathan Rubio.

No entanto, apenas 3 minutos volvidos, o Braga empata a partida, por intermédio de Singh que, no interior da área, desfere um remate forte, que desvia em Sandro e engana João Costa.

O intervalo chegou com o jogo empatado a uma bola.

No reatamento, o Gil Vicente entrou forte mas foi o Braga quem marcou. Aos 54 minutos, num livre a meio do meio campo gilista e numa jogada estudada, Inácio assiste Jonata Bastos de cabeça, para este finalizar à boca da baliza. Apesar de o Gil Vicente reclamar posição irregular de Inácio, o árbitro não atendeu e validou o golo. Pelo meio, Alphonse (Gil Vicente) ainda foi expulso, aos 48′.

Aos 59 minutos, Mário Faria, diretor desportivo do Gil Vicente, foi expulso, após protestos de um fora de jogo evidente, que o árbitro-assistente não assinalou. Mais 3 minutos volvidos, João Costa negou o terceiro ao Braga com uma enorme intervenção para canto, num remate fortíssimo de Pedro Amador. Cerca de 4 minutos depois, o guardião bracarense respondeu à defesa do seu homólogo gilista, realizando também uma grande defesa para canto, num remate de Jonathan Rubio à meia-volta.

Até ao final do jogo, o Gil Vicente procurou sempre chegar ao empate mas nunca encontrou o melhor caminho para a baliza bracarense, terminando o encontro com uma vitória forasteira por 1-2.

O Gil Vicente terminou o jogo com mais posse de bola (53%-47%) mas muito menos remates (4-18), menos faltas cometidas (12-15) e com o mesmo número de cantos (6). Na disciplina, amarelos para Alphonse (38’) e Reko (67’), do Gil Vicente; Dinis (15’), Pedro Amador (44’), Singh (61’) e Tiago Pereira (94’), pelo Braga B. Como referido, Alphonse e Mário Faria, ambos gilistas, foram expulsos.

Com esta derrota, o Gil Vicente vê, não só, o adversário de hoje fugir-lhe, ficando com mais 3 pontos, como também, os adversários colocados abaixo na tabela a aproximarem-se, com o Sporting B a ficar com o mesmo número de pontos dos gilistas.

Na próxima jornada, já este domingo, pelas 16h00, o Gil Vicente defronta a Oliveirense, no Estádio Carlos Osório, em Oliveira de Azeméis.

Fotos: Gonçalo Santos.

Gil Vicente continua em maré de azar e é derrotado em casa pelo Varzim

Janeiro 29, 2018 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Em jogo a contar para a 22ª jornada da LEDMAN LigaPro, o Gil Vicente Futebol Clube recebeu, no Estádio Cidade de Barcelos, o Varzim SC, a uma hora (16h00) e dia (segunda-feira) “fora do normal”.



Paulo Alves, técnico gilista, fez entrar no relvado Rui Sacramento, Gabriel, Luiz Eduardo (Vítor Tormena), Sandro, Luís Tinoco, Alphonse, James Arthur (James Igbekeme, 75’), Jonathan Rubio (Aldaír, 59’), Frédéric e Gonçalo Abreu. No banco ficaram João Costa, Reko, Ricardinho e Fall.

Já o barcelense Capucho, técnico varzinista, apresentou Paulo Vítor, Sandro, Tiago Valente, Nelsinho, Nélson Agra, Pintassilgo (Diogo Ramos, INT), Jean Felipe, Stanley (Fábio, 85’), Malele (Seck, 78’), Rúben Macedo e Rui Coentrão. No banco ficaram Paulo Cunha, Zeka, Mário Sérgio e Ruan.

O árbitro foi Sérgio Piscarreta (AF Algarve), coadjuvado por Hugo Ribeiro e Nuno Ferreira, com Rui Licínio (AF Porto) como 4º árbitro.

De destacar, na equipa gilista, a estreia de Gonçalo Abreu e James Arthur no onze inicial, se bem que este último já tinha sido utilizado na última jornada. Também Aldaír, novo reforço, estreou-se, com o guarda-redes barcelense João Costa, igualmente recém-contratado, a ficar no banco.

Os gilistas entraram a “todo o gás”, com o hondurenho Jonathan Rubio a cabecear à barra, após centro do esposendense Frédéric, logo aos 2 minutos. Como se não bastasse esta, eis que o Gil Vicente consegue outra oportunidade, com o mesmo jogador a centrar mas Gonçalo Abreu a cabecear, novamente, ao ferro, aos 9 minutos. O azar começava logo a fazer-se sentir neste jogo para o lados dos da casa.

Ao intervalo o marcador registava um nulo, com os gilistas a iniciarem melhor, lamentando o azar e as bolas ao ferro, e os varzinistas a equilibrarem a contenda.

No reinício, e após grande perdida gilista, o ex-FC Porto B, Rúben Macedo, aos 48 minutos, faz uma diagonal da esquerda para o meio e, em zona frontal, defere um remate colocado, abrindo o marcador e para os forasteiros.

O Gil Vicente demorou a reagir e apenas aos 60 minutos, Gonçalo Abreu, após cruzamento do estreante Aldaír, cabeceou a rasar o poste. Continuava o azar para os gilistas, que tentaram responder ao golo sofrido mas faltava-lhes discernimento no último terço do terreno de jogo. Os visitantes ainda desferiram alguns contra-ataques mas só por uma vez levaram perigo à baliza gilista.

A estatística final mostra um Gil Vicente mais rematador (9-4), com mais posse de bola (54%-46%), mais faltas cometidas (14-13) e mais cantos (8-3). Na disciplina, Luiz Eduardo (18’) e Gonçalo Abreu (36’) foram admoestados com amarelo pelo lado dos gilistas; já pelo dos varzinistas, Sandro (34’), Tiago Valente (66’) e Nélson Agra (69’) foram os “contemplados”.



Por: Gonçalo Santos.

Fotos: Gonçalo Santos e Fernando Rodrigues.

Gil Vicente dá “chapa 4” ao Benfica B

Outubro 28, 2017 em Atualidade, Concelho, Desporto, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Este sábado, dia 28 de outubro, pelas 11h15, o Gil Vicente recebeu e venceu o Benfica “B”, para a LEDMAN LigaPRO, por 4-0.



Os Barcelenses iniciaram a partida com todo o fulgor e logo aos 6 minutos Jonathan Rubio fez o primeiro para o Gil. Aos 13, James Igbekeme marca o 2-0 e aos 20 minutos Reko faz o 3-0 para a turma da casa.

Mesmo a ganhar por 3 golos de diferença, o Gil continuou sempre ambicioso e à procura de mais golos. Com um futebol dinâmico, “perfumado”, bastante atrativo, apoiado e apostando num bloco alto, com bastante pressão à saída de bola do Benfica.

O Gil dominava a seu belo prazer um Benfica “B” muito aquém das expectativas, que defraudou algumas centenas de adeptos, que se deslocaram ao Estádio Cidade de Barcelos com camisolas e cachecóis alusivos à turma Lisboeta.



O intervalo chegou e sentia-se a tranquilidade que os adeptos Barcelenses transpareciam.

Na segunda parte, o Benfica “B” entrou com mais vontade e a realizar uma pressão bastante alta, da qual resultou de uma clara ocasião de golo, com Zé Gomes a aparecer na cara do guardião gilista, com Rui Sacramento a responder com uma bela defesa.

Mas foi “sol de pouca dura”, porque o Gil rapidamente percebeu a forma de jogar do Benfica no segundo tempo e Casquilha ajustou a sua equipa e aos 51 minutos os Barcelenses criam a melhor oportunidade da segunda parte. James Igbekeme, de livre descaído sobre a direita do ataque gilista, atirou ao poste e, na recarga, Fall atirou por cima do travessão.

Aos 73 minutos, o Gil chegou ao 4-0, por intermédio de James Igbekeme, que bisou na partida, respondendo com “SIM” a um excelente cruzamento de Camara, vindo do lado direito do ataque gilista.

Já aos 86 minutos, Luiz Eduardo foi expulso por duplo amarelo, por falta cometida à entrada da área gilista. A falta originou livre para o Benfica “B”, com Matheus Leal a atirar ao poste da baliza de Rui Sacramento.

Final do Jogo: Gil Vicente 4 – Benfica “B” 0.

Constituição das equipas:

Gil Vicente: Rui Sacramento, Henrique, Luiz Eduardo, Vítor Tormena, Ricardinho, Reko (André Fontes, 72’), Miguel Abreu, Jonathan Rubio (João Pedro, 82’), Camara, James Igbekeme e Fall (Tiger, 78’). No banco ficaram Júlio Neiva, Rui Faria, Gonçalo Duarte e Valdeir.

Benfica “B”: Zlobin, Kalaica, Pedro Pereira, Willcock, Chrien (João Félix, 55’), Matheus Leal, Florentino Luís, Zé Gomes (Jota, 75’), Gedson, Heri (Alan Júnior, 69’) e Ferro. No banco ficaram Fábio Duarte, Lystcov, Pedro Amaral e Cele.

Na estatística do jogo, o Gil Vicente teve mais remates (9-5), menos posse de bola (45%-55%), o mesmo número de faltas (16-16), mais cantos (4-0), menos cartões amarelos (2-4, sendo os dois ao mesmo jogador) e mais vermelhos (1-0).

O jogo foi arbitrado por Bruno Paixão (AF Setúbal), coadjuvado por Rodrigo Pereira e Paulo Ramos, com o 4º árbitro a ser Leonardo Marques.

Por: Gonçalo Santos.

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima