Tag archive

Joana Martins

Nação unida

Março 18, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Vamos mostrar

A este vírus homicida

Que não pode entrar

Numa nação unida.

Nós não deixamos!!!

.

Para o conseguir vencer

Em casa vamos ficar

Sair, só por dever.

Entrar?

Nós não deixamos!!!

.

Beijinhos, abraços

Apertos de mão

Não!

É prevenção!

Nós não deixamos!!!

.

Já ouvimos

Que lavar as mãos

É essencial!

Entrar?

Nós não deixamos!!!

.

Ganhar distância

Mas ajudar os idosos

Despir-nos da ganância

Os bens essenciais

Têm de chegar para todos.

.

Há seres especiais

Na linha da frente.

A dar o corpo às balas

Não sejas inconsciente.

Nós não deixamos!!!

.

Vamos ver o filme que não vimos

Ler o livro que não lemos

Ligar aos Pais, irmãos,

Aos amigos, aos primos

Que há algum tempo não vemos.

.

Vamos lembrar o valor

Do que não podemos viver

E quando este tempo passar

Vamos querer abraçar

O beijo, o toque, o recomeçar…

.

Vamos mostrar

A este vírus homicida

Que não pode entrar

Numa nação unida.

Nós não deixamos!!!

.

Somos um só!

Um só povo!

Unidos e empenhados até ao fim!

Por: Joana Martins*



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixem-me ser!

Março 1, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Passeiam os dias

Em ruas de incertezas

Entre os sonhos que adias

Alegrias e tristezas.

Veste a vontade

De deixar o tempo responder

E num grito de liberdade

Diz:

Deixem-me ser!

Faz das imperfeições

Pegadas que ficam.

Lições,

Que marcam.

Cais

Levantas-te

E vais.

Ser tu!

Buscas aceitação

Amor

Compreensão

E abraças com sentimento

Quem te preenche por dentro.

Por fora

Deixas ir embora

Quem não te entende.

Prendes-te à razão

De ser.

E corres com paixão

Por entre trilhos íngremes

Porque nada é em vão

Não te subestimes.

Tu consegues!

E no fim?

No fim, vences!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

O recomeço

Janeiro 9, 2020 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Pinto de rosa

As flores que encontro no caminho,

Escrevo em prosa

Vou devagarinho.

O recomeço

De uma nova caminhada,

Novos sonhos.

Sonho acordada

Com força

Determinada,

Estabeleço novos desafios

Objetivos que quero alcançar.

Perco-me em rios

De ideias.

Deixo-me levar

E vou!

Procuro o meu lugar

Dentro de mim,

Procuro-me.

Quero lá chegar,

Onde?

Onde me sinto mais feliz.

Não vou sozinha

Vou com quem quiser vir comigo,

Com quem me faz sentir bem.

Perdida em campos de trigo

Da fome de ir além

De ser melhor

De ser mais.

E vá para onde for

Esquecer jamais

Os que me dão amor.

Sim, porque sem isso,

Não há caminho que valha a pena.

Recomeçar é preciso

Para seguir

Sem nunca desistir

De nós mesmos.



Por: Joana Martins*.

(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Perdida em mim…

Novembro 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Vagueio na solidão

Sem saber para onde vou

Só, de mim,

Perdida na imensidão.

Sou tudo ou nada

Num só coração.

Contínuo perdida

Vagueio em vão.

Contínuo a procurar

Dentro de mim, o sentido

Tento me encontrar

Num suspiro contido.

Abro os braços ao mundo

Na ânsia do querer

E num segundo

Vejo a vida correr

Não a deixo fugir

Não a quero perder

Vim para sentir

A sorrir vou viver.

Perdida em mim…

.

Nunca se esqueçam de sorrir, por mais que a caminhada seja dura!

Vou tentar fazer o mesmo…

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Abre mão

Outubro 31, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Com o passar dos anos,

Aprendemos,

Que temos de deixar ir…

Escolhemos os que amamos

E não queremos vê-los partir.

A palavra gratidão

Ganha grande sentido

Quando não abrimos mão,

Da recordação

Que nos fala ao ouvido.

Quando perdemos alguém

Que era tão importante

Sentimo-nos aquém

E a dor é dilacerante.

Impera o silêncio

Faltam-nos as palavras

E sentimos um vazio

Que descrevo em metáforas.

A vida é uma flor

E na sua delicadeza

Deixa amor

Fraqueza

Dor

Mas também uma certeza

Por onde passas

Alguns não vão dar valor

Mas os que te amam,

Sim!!!

Abre mão

E deixa um rasto de ti…

Do que ficou gravado

Do que te fez sentir amado

Abre mão

Abre o coração

E agarra-te com um sorriso

A esses…

Que não abrem a mão de ti!

E aos que partem

Que levam uma parte de nós

Não é um adeus

É um até já…❤

.

Este poema é dedicado a todos que, tal como eu, viram partir alguém especial antes de nós.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Na rua da vida…

Outubro 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Quantas vezes caminhei

Na rua da vida

Dando pequenas passadas

Desejei não me perder

Em becos sem saída.

Mergulhei em poças de água

Que pareciam o fundo do poço

Não eram mais nada

Do que um mero esboço.

Do rosto de uma guerreira

Que luta determinada

Que não baixa a guarda

Por tudo e por nada.

Aprendi a me defender

Das meras tempestades

E a deixar florescer

A minha força de vontade.

Na rua da vida…

Visto-me de cetim

Sigo decidida

Pelos que gostam de mim.

Os que me aceitam

Tal como sou

São diamantes que brilham

E levo-os para onde vou.

No toque,

A saudade

No cheiro

Maresia

No olhar

Poesia.

.

Na rua da vida…

Lado a lado

Os que sempre se importaram comigo ❤

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Apaga a luz

Setembro 9, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Apaga a luz

Fecha os olhos

Deixa-te levar

Desliga-te

Imagina a paz de um lugar

Que te leva algures

Algures dentro de ti

Deixa-te ficar

Abraça-te, perdoa-te

E perde-te no tempo

No teu tempo

Respira

E inspira-te

Busca-te

E encontra-te

Sente o nada

Que é tudo em ti

E corre

Corre no teu melhor

No melhor de ti

No melhor para ti

Olha no espelho

No espelho da alma

Gostas do que vês?

Sim, não, talvez…

.

Liga a luz

Acorda

Ilumina-te

Pensa em Ti!

.

E vai…

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Não me subestimes…

Agosto 8, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Passeando por degraus de papel

Daqueles que, quando a chuva cai, amolecem

Pinto de cores com pincel

Aranhas que as suas teias tecem.

.

Presa em teias,

De sentimentos que me fazem sentir frágil

Sinto correr-me nas veias

Rios de uma alma ágil.

.

Não me subestimes

Por parecer quebrar, de vez em quando.

Em voos sublimes

Levanto-me como um pássaro em bando.

.

Não me subestimes

Vejo mais do que aparento

Sei de crimes

Daqueles que nos matam por dentro.

.

Sou flor que brota da escuridão

Da dor que me fez sangrar

Lambo a ferida como um leão

E rosno a quem me tenta magoar.

.

Não me subestimes…

Sou muito mais!

Não em ter,

Mas em ser…

Não me subestimes, posso surpreender…

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Será que me vês?

Julho 18, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Será que me vês

Quando estou triste?

Será que me vês

Quando preciso de um abraço?

E quando me deixo levar pelo cansaço

Será que me vês?

.

Eu vejo-te em mim

Moras cá dentro

Perfumas o meu ser de alecrim

Sinto que te reencontro.

.

Será que me vês

Quando sinto saudade?

Será que sentes o mesmo?

Sinto-te tão vivo…

.

Vivo,

Pensando se sentes orgulho

De todos os meus feitos?

E no meu ser mergulho

Tentando ser melhor,

Mesmo com todos os defeitos.

.

Ser humano, é ser assim

Frágil e imponente

Saltar num trampolim

Ou andar numa corda bamba

Com receio que rebente.

.

Será que me vês?

É que eu te vejo em mim.

Vivo um dia de cada vez

Levo-te comigo até ao fim…

.

Só morres quando eu morrer…

.

Há 22 anos perdia o meu Pai…

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

É acreditar…

Maio 31, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

É acreditar

Que o arco-íris vai brilhar

Que o sol vai pintar

Os dias de cor.

.

É acreditar

Nos sonhos cumpridos

Depois de muito lutar

Dias e dias seguidos.

.

É acreditar

Que és capaz

Mesmo cansado

Que irás deixar para trás

O que é passado.

.

É acreditar

Que o bom que foi, vai voltar

É ver bolas de sabão

E saltar em doce algodão.

.

É acreditar

Que terás tempo para ti

Que o mundo dá voltas

E sorri, sorri, sorri…

.

É acreditar

Que és forte

Que só para os que acreditam

Brota a sorte.

.

É acreditar

Em quem és

Não é ter o mundo a teus pés

É ser o mundo para alguém…

.

É acreditar

Acreditar em ti!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

1 2 3 5
Ir Para Cima