Tag archive

Lavagem de Alma

Dançando…

Abril 13, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Dançando com o vento

Seguindo sem pensar

Dei passos no tempo

Com a luz de um olhar…

.

Dançando me entreguei

Ao ritmo do luar

Esqueci a razão

Deixei-me levar…

.

Dançado voei

Voei, sem pensar

E sonhei, sonhei…

Com o impossível de alcançar.

.

Dançando com o horizonte

Queria lá chegar

Mas não passei a ponte

E deixei-me ficar.

.

Dançando cansei

E tive de parar

Pensei em mim

E se quero mudar?

.

Dançando, vou aprendendo

A viver dançando.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

A Procura

Março 21, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Procuro o cheiro

O abraço, o sabor

Da loucura a memória

A alegria e a cor.

.

Pinto de saudade

A alegria que vivi

E guardo a verdade

Do que nunca esqueci.

.

Escondo em mim

A resposta do que sei

Digo não, mas quero sim

Tirar do baú, o que guardei.

.

Não são diamantes

Mas têm muito valor

São sentimentos

Guardados com calor.

.

Procuro em mim

O que nunca esqueci

E sim, é verdade…

Nunca me esqueci de ti!

.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Tempera o tempo

Fevereiro 16, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Dá-lhe sabor

Dá-lhe cor

Deixa ferver

Deixa ser

Uma pitada de açúcar

Mexe sem parar

Junta-lhe água

Deixa chover

Estrelas cadentes

Rasgam o céu

Continua a mexer

Não pares no tempo

Que o tempo pare

Apenas para te lembrar

Do que valeu a pena

E deixou a saudade no ar

Mexe, mexe devagar

Um dia de cada vez

Deixa o sol aquecer

E fazer brilhar

O tempo que passou sem parar

Porque um dia vais olhar

O tempo como um conselheiro

Um professor.

E vais aprender

Que não fizeste tudo bem

Mas que falhaste no que não fizeste!

Faz!

Faz o tempo valer cada segundo.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Recomeçar

Dezembro 31, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

O ano a terminar

É tempo de balanço

Tive dias de lutar

Tive dias de descanso.

Dias de felicidade,

Dias sem cor também

De carinho, necessidade

Sem amor, não vivo sem.

De força vivo eu

Inundo na gratidão

Das boas pessoas que a vida me “deu”

E guardo-as no coração.

Sim, fui premiada

De amigos de verdade

Sinto-me uma sortuda

Quero levá-los para a prosperidade.

Porque especiais são as pessoas

Que nos fazem sentir especiais.

Termino agradecendo,

Por tudo que deles recebi

Nunca esquecendo

Tudo o que com eles vivi.

É tempo de recomeçar

E quero tê-los sempre a meu lado

Porque mais do que ter, é dar

Amar e ser amado.

 

Um ano muito feliz para todos!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Deixa-te levar…

Outubro 30, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Corre o vento lá fora

Deixa-te levar

Chegou a hora

De ganhar asas e voar.

Voa,

Deixa-te levar…

E mesmo que doa

Acredita,

Vai passar!

Imagina-te leve,

Vai valer a pena

Deixa que o sonho te leve

Leve como uma pena.

Sai de ti e vai!

Perfuma o céu

Pinta-o de Sol e calor

Despe o véu

E deixa o arco-íris ganhar cor.

E nos dias que a chuva teimar

Deixa encher o copo

Até transbordar

No fim, deixa-o cair…

Não segures pesos

Que te impeçam de voar

Dá novamente às asas

Deixa-te levar…

E vai!

Vai ser o que queres

Com quem queres

Com quem te deixa ser!

Com quem te deixa sonhar…

 

Força nisso!!!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Acordei feliz

Julho 13, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Sabes aquele dia

Que acordas feliz

Parece que sentes a maresia

Fazer-te cócegas no nariz?

Parece que ouves as ondas do mar

Nada te prende

E queres mergulhar.

Uma chama, em ti, acende

Deixas-te queimar.

Sentes o calor

De um sorriso sincero

Por dentro amor

Dos demais espero.

Os raios de sol, me iluminam a alma

Sinto-me serena

Tranquila, calma.

Penso em mim

Mas nos outros também

Um sentir de cetim

Só desejo o bem.

Apalpo a vida

Rasgo a liberdade

Toco enternecida

Tamanha felicidade.

 

Acordei feliz

Sei lá…

 

Feliz, de quem fica feliz, com a felicidade dos outros.

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Sente

Junho 18, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Sobre sentir

Sei apenas que sinto

Tenho muito que descobrir

Não minto.

Sinto com intensidade

O amor

A amizade.

E, muitas vezes, sofro por isso.

Por acreditar demais

Por dar demais.

Mas se não for assim

Qual o propósito?

Viver é tudo

E no tudo sou tudo em mim.

Fico triste

Quando vejo que os outros

Não são como pensava

Mas feliz por não ser como os outros.

Sou autêntica nos erros

Nas verdades

Não há metades

No que sinto.

Ou sinto

Ou não vale mais a pena sentir.

E aí me afasto…

Perdida no meu interior vasto

De querer.

O que quero?

Quero o meu canto

Rodeado de pessoas imperfeitas

Que não se sentem grandes

Em ser mais que alguém,

Grandes em ser quem são.

E essas têm de ter bom coração!

Senão,

Deixo-as ir…

Por: Joana Martins*.


(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

 

Ser Mãe

Maio 6, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Um dia sonhei

Que tinha no colo uma criança,

Era a aliança

De um amor verdadeiro.

Quando acordei

Vivi a ânsia

De ver nascer essa criança

De dentro de mim.

Amamentar, abraçar,

Dar carinho

Sentir o cheirinho

No peito, a alegria

No coração, amor!

Eterno,

Que anda comigo

Para onde vá

Amor como este não há.

É um pedacinho de mim

Um ser pequenino,

Que cresceu.

O sentimento, esse,

Continua do mesmo tamanho,

Enorme!

Como o tamanho do meu mundo.

Ser Mãe foi renascer.

Ser Mãe foi e é felicidade.

Ser Mãe é ter uma razão de viver

Ser Mãe é ter a outra metade

Alguém que é tudo para nós…

 

O teu sorriso me dá vida!

Amo-te, meu filho!

 

Um feliz dia para todas as Mães!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Perfume a paz

Março 31, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Chegou a Primavera

Com ela vieram as flores

Terna quimera

Banhada de rosas e amores.

A Páscoa também vem por aí.

Em tempos, deliciosa, para mim.

A familia sempre unida

Cheirava a alecrim.

Os vizinhos também conversavam

Nas ruas enfeitadas de cor.

Os Padrinhos traziam as prendas

Os ovos de chocolate ou as amêndoas

Regados com muito amor.

Mas continuo a dizer,

Que mais do que tudo

Que pudessem trazer

Bom, bom…era a doçura de ser criança.

Sinto-me renascer

Nas memórias da minha infância.

E peço perdão

Por ter deixado voar

O que não consegui segurar

Porque não cabia na minha mão.

Todos esses momentos de felicidade.

Hoje, sinto o perfume a paz,

A saudade…

Ai quem me dera

que os sinos tocassem

E eu pudesse ser o que era.

Ter quem tinha.

Viver, de novo, o que vivi.

Mas como o passado não volta.

Guardo o perfume a paz,

A saudade…

 

Boa Páscoa para todos!!!!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Pai

Março 21, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora

Joana Martins

Gostava de ser o reflexo

De tudo o que foste:

A bondade,

O carinho,

O colo,

A proteção.

A saudade de Ti, dói.

Quando estava doente estavas lá,

Fosse dor de dentes,

Gripe ou dor de garganta,

Sei lá…

Tu estavas lá!

Queria ter Te dado

O abraço que não dei,

A palavra que não te disse,

O beijo de despedida

Que o tempo me roubou.

A porta de saída

Que se abriu

Para um adeus que magoou.

Se pudesse recuar no tempo,

Apenas por um momento

E que os olhos falassem por mim

O amor que sentia, e sinto

Por Ti, meu melhor amigo.

Um pedaço de mim foi Contigo

A outra parte, quer ser como Foste.

Para que o meu filho possa dizer:

A minha Mãe foi a melhor!

Guardo-a com amor

Num lugar muito especial

Onde poucos têm entrada,

No coração de um filho(a).

Um amor incondicional

Por alguém eterno

Que tempo algum apaga.

 

SAUDADES E ORGULHO DE SI, PAI ❤

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Ir Para Cima