Tag archive

Lavagem de Alma - page 3

O Carnaval saiu à rua

Fevereiro 14, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

O palhaço só faz rir

O João vestiu-se de mulher

A Maria é um ladrão a fugir

E a Alice é a polícia a correr

Lá vai a Sara de ananás

E de ponta a ponta

É o tanto faz

Do faz de conta.

De velhote vai a Joana

A Rita vai de pata

Passa o Ruben de banana

O Joaquim é um pirata

Perco-me na folia

Ouço o samba tocar

Visto-me da magia

E começo a dançar

E voo na imaginação

Sou estrela

Sou uma gata

Cinderela

Astronauta

Sou o que nunca pude ser!

Gargalhada, brincadeira

Serpentinas e confetis no ar

Estende-se a passadeira

E deixa-se o Trump passar.

O Carnaval saiu à rua

E a alegria também!

 

É tempo de tirar as máscaras, para o ano há mais!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

A poesia não tem de rimar

Janeiro 27, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

 

Sabes menina

Tenho saudades de ti

Do teu sorriso

Do teu olhar

Escrevo sem medo

O que tenho vontade

Rimo, não rimo?

A poesia não tem de rimar.

Que rime a vida

Com a luz que trazes

Que rime com alegria

Que vire o barco

Mas tu não vires.

Segura-te!

A tempestade vai passar

O sorriso vai voltar

O teu olhar vai brilhar

Que rime a vida

Porque a poesia não tem de rimar

Mas eu rimo

Quando quero

E espero

Que a poesia volte a viver

A rima que já rimei!

Por: Joana Martins*.


(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Não feches a porta a ti

Dezembro 31, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Hora de fechar a porta ao passado

Seguir em frente

De braço dado

Com toda a gente

Lado a lado

Que nada nos seja indiferente

Senão aprendizado

Mais do que contente

Devas sentir-te amado

Que a alma ardente

Cante um bom fado

E de repente

O que ficou atrasado

Te atente

A correr acelerado

Rumo aos teus sonhos.

 

E luta!

Insiste!

Acredita!

Só não feches a porta a ti!

 

Feliz 2018 para todos!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Imagina

Dezembro 16, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Imagina,

O dia sem sol

A noite sem lua

O querer sem ter

O dar tudo e nada receber

E mesmo assim, sorrir.

 

Imagina,

O mar sem ondulação

O vento que não sopra

Um abraço sem paixão

Um tocar sem nada sentir

E mesmo assim, sorrir.

 

Imagina

Que pintas o sol

Rasgas as nuvens e vês a lua

Lutas e tens

Dás e recebes

E sorris!

 

Imagina,

Que sacodes o mar e ele ondula

Que sopras e o vento responde a soprar

Que abraças e a paixáo rebenta

Um toque que sentes e esquenta

E sorris!

 

Imagina,

Que estás a sonhar

E acordas

Sorri,

Está na hora de fazeres o que sonhaste!

 

Sinto-me a acordar!

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Estranho

Dezembro 2, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Estranho é o tempo

Que passou sem avisar

Estranho, não é não conhecer

Mas julgar conhecer, quem nos tentou enganar.

 

Estranho é ver alguém que passa

Marca, fica em nós e parte.

Parte-nos os sentimentos

E pinta-os de negro como arte.

 

Estranho é desconhecer

Os atos, os olhares

As palavras que ficam por dizer

E sobem como balões pelos ares…

 

Sobre espinhos passarinhar

Num estranho desalento

O Estranho como sombra a ofuscar

A luz que emana, não por fora, mas por dentro.

 

E o Estranho se vai afastando

Deixando em mim a escassez

E penso se fui eu que fui mudando?

Tentando respirar outra vez…

 

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Outubro 25, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Dá o sentir

O querer

Dá o sorrir

O amanhecer

Dá o melhor

O renascer

Dá amor

E ama.

 

Dá a verdade

Mostra o caminho

Dá a saudade

Marca com carinho

Dá a simplicidade

Deixa um beijinho

Dá reciprocidade

Vai devagarinho.

 

Dá valor

Não deixes perder

Dá com calor

Deixa ser

Se tarde for

Vais te arrepender

Do que poderia ter sido

Mas já não é.

 

Porque quem dá, de coração

Um dia, receberá

Porque nada é em vão.

Não perde quem deu

Perde quem não sonhou

Perde quem não lutou

Quem não viveu.

 

Por: Joana Martins*.



(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)

Comboio da vida

Julho 22, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

Comboio da vida

 

É o comboio da vida

Uns, estão de chegada

Outros, de partida

Uns esperam a entrada

Outros, a saída.

Uns chegam atrasados

Outros estão de fugida

Uns apaixonados

Outros a curtir a vida.

Uns querem ir à frente

Outros no banco de trás

Uns entram de repente

Outros, é o tanto faz.

Uns, levam lembranças

Outros, deixam saudade

Uns, levam esperanças

Outros, felicidade

Uns, querem ficar

Outros, só querem ir

Uns, vão a chorar

Outros, vão a sorrir.

 

Atenção,

Está de partida

Porque o tempo não para.

É o comboio da vida…

 

Por: Joana Martins*.

(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade da autora)



Tempo de esquecer

Julho 7, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins

 

Solta-te dos medos

Das amarras que te prendem

Das fobias, dos segredos

Dos que não te entendem.

 

É tempo de esquecer

As frustrações que te dominam

Deixa esmorecer

As ilusões que te asfixiam.

 

Deixa de fingir

Vê o que está à tua frente

Não deixes de acreditar e sentir

Que ainda há boa gente.

 

E quando te sentires atada

Presa a um nada, que já nada é

Não te esqueças que és muito amada

E por esses mantém-te de pé.

 

É tempo de esquecer

Quem se esqueceu de ti!

 

Guarda nas lembranças

Quem um dia te fez sorrir

E mantém as esperanças

Que o melhor há-de vir…

 

É tempo de esquecer

Quem se esqueceu de ti!

 

Mas nunca te esqueças de ti!

 

Por: Joana Martins*.

(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)



Violino

Junho 12, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins
Joana Martins

No doce silêncio de um violino

Soltam-se notas de saudade

Parte-se num desatino

Em mim dança a liberdade!

 

Ao som do violino

Soltam-se gotas de suor

Canto e não desafino

Gelo nas palavras com calor!

 

Quente toque sinto Eu

Nas notas do Violino

Levanta-se suavemente o véu

Num sorriso cristalino.

 

Vejo a ânsia de amar

Prendo-me no ouvir

E o tacto, solta-me o paladar

Do sabor, do cheiro, do sentir.

 

E soltam-se as notas do violino…

Por: Joana Martins*.

(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)

Momentos

Maio 29, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Opinião port barcelosnahorabarcelosnahora
Joana Martins
Joana Martins

 

Momentos que se perdem

No silêncio de um olhar

Momentos que o silêncio guarda

Que o tempo não consegue apagar…

 

Momentos, sentimentos

Extravasam pensamentos

Marcas que o vento não leva

Momentos, ai certos momentos…

 

Momentos que o calor aquece

E que o desejo enlouquece,

Fragmentos de emoções

Momentos, ai certos momentos…

 

Momentos, uma vida

Momentos, uma história

Uma chegada, uma partida

Momentos, ai certos momentos…

 

Momentos…uma vida!

 

Por: Joana Martins*.

(* A redação do poema é única e exclusivamente da responsabilidade do/a autor/a)



Ir Para Cima