Tag archive

Milhões de Festa

Lena D’Água é uma das 14 novas confirmações do Milhões de Festa

Agosto 10, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Há mais 14 nomes confirmados para o “Milhões de Festa”, que se realiza entre 6 e 9 de setembro, em Barcelos, numa organização da Câmara Municipal em parceria com a promotora Lovers & Lollypops.



Lena D’Água e Primeira Dama com a Banda Xita, Mouse on Mars, The Bug feat. Miss Red, Scúru Fitchádu, Vaiapraia e as Rainhas do Baile, Grabba Grabba Tape, The Evil Usses e Paisiel são os grupos confirmados, mas porque o festival também se faz na pista de dança, o “Milhões” vai receber DJ K-Sets, DJ PayPal, Cumbadélica, Eduardo Morais, Independent Music Podcast e os DJ’s da Casa.

O festival já tem alinhamento diário, que revelaremos abaixo. Os bilhetes diários já estão à venda, por 20 euros. O passe geral custa 60 euros. O primeiro dia é de entrada livre.

Os novos nomes juntam-se aos já anunciados Electric Wizard, Squarepusher, Os Tubarões, Nubya Garcia, Gazelle Twin, Circle, The Heliocentrics, 700 Bliss, Bala, Natalie Sharp apresenta BodyVice, The Mauskovic Dance Band, UKAEA, Warmduscher, Pharaoh Overlord, Mirrored Lips, Indignu, WWWater, Krake Ensemble, Cacilhas, Afrodeutsche, Ensemble Insano, Suave Geração, Kink Gong, Gonçalo e Tajak.

Em breve serão anunciados os últimos nomes do festival.

Reconhecidos como um dos mais definidores e versáteis projetos de eletrónica alemã, a dupla Mouse on Mars forjou uma linguagem musical única, que oscila entre o caos incontrolável e as estruturas meticulosamente montadas. Livres de escolas, convenções de género e os constrangimentos do mercado estabelecido, Jan e Andy trabalham há mais de 24 anos no mapeamento do seu próprio percurso, entre pop, arte, música de dança e criação avant-garde.

Será, porventura, um dos nomes fetiche do “Milhões de Festa”. Sob nomes como The Bug, Techno Animal, King Midas Sound ou Ice, Kevin Martin tem vindo a explorar as franjas do dub, da música experimental e do noise, assumindo-se como uma das mais transversais figuras na reinvenção e recontextualização da cultura sound system.

Regressa a Barcelos na companhia da provocadora Miss Red, MC israelita que, um dia, lhe saltou para o palco e roubou o microfone, e com a qual tem vindo a incendiar os palcos mundiais.

Começou a cantar na década de 70, ao lado dos Beatnicks, mas foi nos anos 80 que Lena d’Água começou a assumir-se como uma das mais marcantes vozes da pop-rock nacional. No boom do rock português, com os Salada de Fruta e a Banda Atlântica, antes de se aventurar a solo, pavimentou o caminho que a elevaria ao estatuto de ícone na música nacional. Neste concerto, sobe ao palco com Manel Lourenço, o cantor e compositor que se apresenta como Primeira Dama, e com os membros do coletivo Xita Records.

Scúru Fitchádu, do crioulo Escuro Cerrado ou Denso, é uma encruzilhada entre as linhas de baixo distorcidas, as baterias aceleradas, o noise e a concertina/ferro. Projeto mais recente do produtor Sette Sujidade, desbrava novas linguagens entre a tradição do funaná cabo-verdiano e a fúria do punk. O resultado é, por isto tudo, complicado, distinto, invulgar e sujo e tem tomado em assaltos de pancada o universo da música nacional.





Alinhamento diário:

6 setembro

Ensemble Insano

Indignu

700 Bliss

The Mauskovic Dance Band

DJ’s da Casa

7 setembro

Squarepusher

Circle

Warmduscher

Lena d’Água e Primeira Dama com a Banda Xita

Krake Ensemble

Scúru Fitchádu

Cumbadélica

Mirrored Lips

Cacilhas

Grabba Grabba Tape

DJ K-Sets

The Evil Usses

8 setembro

Electric Wizard

Gazelle Twin

The Bug feat. Miss Red

Nubya Garcia

DJ PayPal

Bala

Natalie Sharp apresenta BodyVice

Vaiapraia e as Rainhas do Baile

Afrodeutsche

WWWater

Kink Gong

Gonçalo

Eduardo Morais

9 setembro

Os Tubarões

Mouse on Mars

The Heliocentrics

UKAEA

Pharaoh Overlord

Tajak

Suave Geração

Paisiel

Independent Music Podcast.

Fonte: CMB.

Fotos: DR.

Imagem: MF (alterada).

Cartaz do Milhões de Festa continua a “ganhar forma”

Agosto 2, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Há mais nove nomes que se juntam ao cartaz do Milhões de Festa, que irá decorrer entre 6 e 9 de setembro, numa organização da Câmara Municipal de Barcelos em parceria com a Lovers&Lollypops.



Squarepusher, Nubya Garcia, Bala, WWWater, Krake Ensemble, Cacilhas, Afrodeutsche, Ensemble Insano e Suave Geração são as novas confirmações a somar-se aos já anunciados Electric Wizard, Os Tubarões, Gazelle Twin, Circle, The Heliocentrics, 700 Bliss, Natalie Sharp apresenta BodyVice, The Mauskovic Dance Band, UKAEA, Warmduscher, Pharaoh Overlord, Mirrored Lips, Indignu, Kink Gong, Gonçalo e Tajak.

Os passes gerais e diários custarão 60 e 20 euros, respetivamente, e serão colocados à venda em breve. O festival anunciará mais nomes nas próximas semanas.

Mais sobre as novas bandas anunciadas

Se é verdade que a música eletrónica atinge, hoje, o topo máximo do seu potencial comercial, muitos dirão que o território, antes fértil em criatividade e exploração, parece ter-se vergado a ideias de conservadorismo e a uma “retromania” que a prende aos cânones tradicionais da música de dança. No cenário em que a inovação parece estar mais preocupada com o seu plano de pensões, vozes como a de SQUAREPUSHER ganham ainda mais relevância.

O legado que construiu é inatacável. As primeiras edições com a Reflexe, a residência no Blue Note, as interpretações agressivas do jazz, o transversal Music Is Rotted One Note, o experimentalismo que imprimiu em todas as suas abordagens e o transgressor Drum’n’bass, que acabaria por se tornar na sua assinatura, são tudo provas de que o caminho, aqui, é sempre para a frente. Na última edição que lhe conhecemos, Damogen Furies, leva ao limite a vontade de controlar a produção musical no seu core, usando um software criado por si, e, com isso, explorando as mais brutais e viscerais capacidades da música digital. O concerto no Milhões de Festa será o primeiro do produtor em solo nacional.

“Se há uma artista de jazz prestes a explodir em 2018 é NUBYA GARCIA”. Foi assim que a Rolling Stone introduziu o nome da inglesa, saxofonista e compositora, que tem assumido lugar de destaque na vanguarda do jazz no Reino Unido.

Elogiada pelo incontornável Gilles Peterson, ganhou o prémio revelação dos Jazz FM Awards em 2017, tendo, a partir daí, marcado presença em grande parte dos mais influentes palcos e festivais mundiais. Nascida e criada em Londres, descendente de caribenhos, Garcia cita influências no jazz americano, blues, soul, roots e pop contemporâneo. Seja a solo, ou na liderança das Nérila – com quem celebra e promove o lugar da mulher no jazz contemporâneo –, ao lado de nomes como Moses Boyd e Congo Natty, ou mesmo em quarteto (formato em que tocará no concerto em Barcelos), tem vindo a transformar-se numa das peças essenciais do puzzle que monta os novos caminhos do afrojazz.

Há na Corunha um novo punk que urge ouvir. Paisagens suburbanas, desemprego juvenil e aborrecimento mediano são o fertilizante certo para a fúria e impaciência de uma juventude que se recusa a viver na nostalgia. Foi esta Corunha que Anxela e Violeta decidiram “incendiar”. Sob o nome BALA lançaram Human Flesh e Lume, discos carregados de estilhaços que nos deixam a cara vermelha e franzida e que atiram o rock para a sua génese catártica.



Sob o alter-ego de KRAKE, Pedro Oliveira recolhe inspiração na mitologia nórdica para se aventurar a solo num projeto que, partindo da percussão, explora uma linguagem mais experimental e eletrónica. Expandindo os seus tentáculos para além da bateria preparada, as sonoridades vão bebendo de influências como Will Guthrie, Ches Smith, Steve Noble, Chris Corsano, Julian Sartorius e Jaki Liebezeit. Para Barcelos, juntar-se-á a Alexandre Soares, Luís Fernandes, Julius Gabriel e Angélica Salvi num concerto único que trabalhará composições do músico através da experimentação e improvisação.

Pelo Milhões de Festa passarão ainda o projeto em nome próprio de Charlotte Adigéry, uma das protegidas da Soulwax, WWWATER; a recente colaboração entre Casper Clausen (Liima, Efterklang) e Shela (Riding Pânico, LAmA), CACILHAS; a produtora AFRODEUTSCHE; ENSEMBLE INSANO e o coletivo SUAVE GERAÇÃO.

Cacilhas

Fotos: DR.

Festival “Milhões de Festa” tem mais nove nomes confirmados

Julho 20, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Há mais nove nomes que se juntam, esta semana, ao cartaz da 11.ª edição do festival “Milhões de Festa”, organizado pela Câmara Municipal de Barcelos em parceria com a promotora Lovers & Lollypops.



Os Electric Wizard, Circle, The Heliocentrics, 700 Bliss, Mirrored Lips, Pharaoh Overlord, os barcelenses Indignu, Natalie Sharp apresenta BodyVice e UKAEA são os novos nomes que se juntam aos já anunciados Os Tubarões, The Mauskovic Dance Band, Warmduscher, Kink Gong, Tajak, Gazelle Twin e Gonçalo.

Os barcelenses Indignu

Destaque para o regresso dos Electric Wizard ao festival que os acolheu, pela primeira vez em Portugal, em 2010; para as estreias em Barcelos dos Circle e The Heliocentrics e a novidade 700 Bliss (o mais recente projeto de Moor Mother).

Mirrored Lips

Pelos palcos do recinto passarão, ainda, o punk explosivo do trio russo Mirrored Lips, o stoner de Pharaoh Overlord e o post-rock dos barcelenses Indignu. Cumprindo com a anunciada vontade de reforçar a componente imersiva das apresentações, confirmam-se, igualmente, as estreias do mais recente trabalho de Natalie Sharp (Lone Taxidermist) e o ritual imprevisível dos UKAEA (United Kult of the Animist Endgame Apostles).

Pharaoh Overlord

O “Milhões de Festa” está de regresso a Barcelos, entre os dias 6 e 9 de setembro, para mostrar alguma da mais interessante música da atualidade. Em breve serão anunciados mais nomes.

Electric Wizard

Aplaudidos e venerados a cada novo disco, os Electric Wizard são frequentemente descritos como a mais pesada banda do universo. Em boa verdade, serão, hoje, mais do que uma banda. Se é indiscutível o lugar que ocupam enquanto instituição do doom a nível mundial, a discografia e as diferentes encarnações dos britânicos são, também, um documento histórico para todo um cosmos de manifestações culturais que descobrem os espectros mais negros da arte. Do cinema de Jess Franco à literatura de Robert E. Howard e H. P. Lovecraft, a sua música congela as referências mais emblemáticas de uma subcultura que se alimenta do obscuro, do horror e da bruxaria.

Depois do anúncio do fim de carreira dos Black Sabbath, muitos fãs e ainda mais imprensa apontaram-nos como os sucessores óbvios no lugar que se abria. Wizard Bloody Wizard, o mais recente disco, ao mesmo tempo que parece afirmar essa vontade, abre caminho para aquela que será, ao que tudo indica, uma nova era do coletivo, que, segundo afirmam, quer viver além dos créditos do seu riff com marca registada.

Circle

Dizem a propósito de si mesmos que: podem não ser a melhor banda do mundo, mas estarão perigosamente próximos de lá chegar. Ultra prolífico coletivo finlandês, os Circle são donos de uma capacidade quase hiperativa de conquistar terrenos a diversos géneros musicais. Do jazz ao krautrock, do metal aos ambientes mais psicadélicos, parece não haver barreiras para a naturalidade com que resumem e redesenham as mais diversas linguagens da música. Com mais de cinquenta discos editados, o legado destes Circle pode ainda não ter selo de melhor do mundo, mas está, indiscutivelmente, no círculo de bandas de culto com maior longevidade a nível mundial.

The Heliocentrics

O coletivo de jazz psicadélico londrino, The Heliocentrics, surgiu nos anos 90, quando o seu baterista, Malcolm Catto, gravou para as míticas Mo’Wax e Jazzman. O seu álbum de estreia, lançado em 2007 pela Stones Throw, solidificou-lhes o lugar por entre os mais interessantes nomes da música das últimas décadas. Equilibrando o exótico e o “estranho”, o universo dos The Heliocentrics é vasto e evolutivo. A sua discografia é documento de uma viagem por entre as diferentes encarnações do jazz e do funk e a sua incrível lista de colaborações uma espécie de introdução aos nomes que marcaram o movimento pós-Mo’Wax, de MF Doom a Mulatu Astatke, de Lloyd Mille a Orlando Julius.

700 Bliss

Projeto colaborativo nascido nas festas e noites undergound de Filadélfia, as 700 Bliss juntam a poesia/spoken-word de Moor Mother (Camae Ayewa) e os beats de dança da produtora DJ Haram. Explorando a história mais obscura dos EUA, marca essencial do trabalho de Camae, estas 700 Bliss apontam o verbo ao afrofuturismo e ao protesto político, fazendo da palavra ponto de partida para uma experiência de purificação. Em Spa 700, a primeira colaboração em disco, edificam a sua mensagem na mais atual música de dança, para, daí, construírem atmosferas que são, em igual medida, terrenas e cósmicas.

Há uma nova geração de artistas a surgir no underground londrino. Explorando o cruzamento entre a música, os rituais de massa e o multiverso linguístico da arte, nomes como Natalie Sharp, Gazelle Twin ou UKAEA desenham experiências irrepetíveis que envolvem a audiência no processo performativo. Trabalhando sobre símbolos pós-Internet, reatualizando rituais ancestrais ou mimicando satiricamente comportamentos sociais, estas performances são desenhadas à medida do palco que as recebe, cruzando uma vasta gama de disciplinas artísticas, figuração, vídeo, dança e composições musicais. É este o universo que marcará uma das apostas do “Milhões de Festa 2018”.

Natalie Sharp

Reforçando a vertente imersiva das apresentações, o festival barcelense apresenta, em estreia nacional, BodyVice, um trabalho de Natalie Sharp sobre as conexões entre o corpo humano e a tecnologia, a rave techno-ritualística de UKAEA.

UKAEA

Fonte: CMB.

Fotos: DR.

 

Festival “Milhões de Festa” realiza-se em setembro

Junho 22, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

A Câmara Municipal de Barcelos e a Lovers&Lollypops decidiram dar continuidade, em Barcelos, ao festival “Milhões de Festa”.



Após o término, no ano passado, do protocolo celebrado entre o Município e a promotora, ambas as partes manifestaram vontade de manter o festival na cidade de Barcelos, onde acontece desde 2010 e com a qual já criou uma relação umbilical.

Por proposta da promotora, a 11.ª edição do “Milhões de Festa” realiza-se entre os dias 6 e 9 de setembro, entendendo que, para este ano, seria interessante experimentar uma nova abordagem ao formato do mesmo, na perspetiva do crescimento sustentado do festival e da sua contínua afirmação a nível nacional e internacional.

Fonte e foto: CMB.

Pin It on Pinterest

Ir Para Cima