Tag archive

Nova Comédia Bracarense

“Guerras do Alecrim e Manjerona” na Casa do Povo de Carapeços

Março 7, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Sábado, dia 09 de março, pelas 21h30, sobe ao palco da Casa do Povo de Carapeços a peça “Guerras do Alecrim e Manjerona”, levada a cena pela Nova Comédia Bracarense.



Esta peça está integrada nos “Encontros de Teatro Jorge Cruz”, organizados pelo TPC – Teatro Popular de Carapeços.

Imagens: DR.

Os Pioneiros da Ucha celebram 30 anos com 12 peças de teatro

Janeiro 14, 2019 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Nova Comédia Bracarense abre ciclo de teatro

2019 é o ano em que o grupo de teatro “Os Pioneiros da Ucha” celebra o seu 30º aniversário. Esta efeméride leva a que este grupo organize um rol de peças de teatro no sentido de comemorar esses seus 30 anos de existência.



Ainda há, no grupo, quem se lembre do dia 16 de abril de 1989. Foi um dia importante, uma reunião de amigos que na altura gostavam de subir ao palco e representar. 30 anos depois, ainda é esse o sentimento dos 13 elementos do grupo que se reúnem todas as sextas-feiras, no salão paroquial da freguesia barcelense.

“Este será um ano especial, por isso vamos trazer um espetáculo de teatro por mês, à nossa freguesia”, explica o presidente do grupo, Filipe Gomes.

A data redonda vai ser marcada pela passagem de uma dezena de grupos de teatro pelo coração da Ucha.

As comemorações arrancam já no próximo dia 26 de janeiro, com o primeiro espetáculo. A Nova Comédia Bracarense vai levar a palco a peça “As Artimanhas de Scapin”. A entrada é livre e as portas do Salão Paroquial da Ucha abrem às 21h30.

“Queremos que seja um ano de festa. Vamos subir ao palco e festejar, mas também vamos receber muitos grupos amigos que fazem parte, de uma forma ou de outra, deste percurso”, sublinha Filipe Gomes.

Confirmados para fazer parte deste ciclo festivo estão também os grupos barcelenses “O Branselho”, o “TPC” e o “Teatro de Balugas”.

E a pergunta impõe-se: haverá estreia em ano de festa? “Vamos ter surpresas durante o ano, mas podem contar com uma nova história representada pel’Os Pioneiros em abril, no dia de aniversário”, anunciou o representante.

O teatro nasceu em 1989, oficialmente, mas a tradição teatral na freguesia da Ucha já tem quase 100 anos.

Fotos: DR.

Comemoração dos 900 anos de D. Gualdim Pais contempla várias iniciativas

Setembro 21, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Programa inclui teatro, conferências, caminhada e lançamento de livro sobre o homenageado

Barcelos assinala o 9.º Centenário do Nascimento de D. Gualdim Pais, cavaleiro de D. Afonso Henriques e Mestre da Ordem do Templo, com várias iniciativas hoje e amanhã.



O programa contempla a dupla apresentação do drama histórico “O Fronteiro de Deus – A Vida Heroica de D. Gualdim Pais, o maior monge-guerreiro de Portugal”, pela Nova Comédia Bracarense, hoje e amanhã, no Teatro Gil Vicente, pelas 21h30. Os espetáculos são de entrada livre, sujeita a reserva através do e-mail tgv@cm-barcelos.pt ou do telefone 253 809 694.

Amanhã, pelas 9h30, realiza-se uma subida ao Monte da Franqueira, com partida simbólica do Lugar de Mereces, em Barcelinhos, local onde poderá ter nascido D. Gualdim Pais, sendo que, com vista a facilitar o estacionamento dos participantes, o ponto de encontro será na Escola Rosa Ramalho.

A caminhada tem a colaboração dos Amigos da Montanha, Barcelos Sénior e Grupo Alcaides de Faria. Pelas 11h15, há uma visita guiada às ruínas do Castelo de Faria.

Da parte da tarde, há um conjunto de conferências no Auditório da Câmara Municipal de Barcelos, que começa às 15h30, com o historiador Carlos Alberto Brochado de Almeida a dissertar sobre “A importância do Castelo de Faria na Fundação da Nacionalidade Portuguesa”.

Às 16h00, o professor e investigador António Afonso proferirá a palestra “D. Gualdim Pais – Um Herói Barcelense”.

Por fim, às 17h00, será apresentado o romance histórico “O Fronteiro de Deus – A Vida Heroica de D. Gualdim Pais, o maior monge-guerreiro de Portugal”, do escritor barcelense Fernando Pinheiro, obra em que, aliás, se baseia a peça de teatro apresentada pela Nova Comédia Bracarense, nestes dois dias, no Teatro Gil Vicente.

Além de Barcelos, outros cinco municípios associaram-se ao 9.º Centenário do Nascimento de D. Gualdim Pais. O programa arranca em Barcelos, passará por Braga, Coimbra, Tomar, Vila Verde e terminará em Amares.

Fonte e imagem: CMB.

Teatro de Balugas apresenta “Abaixo o Aeroporto de Rianxo” em Arentim

Maio 17, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo sábado, pelas 21h30, na Junta de Freguesia de Arentim, no âmbito do Encontro de Teatro Amador dessa localidade de Braga, o Teatro de Balugas leva a palco a sua peça “Abaixo o Aeroporto de Rianxo”.



Intitulada em galego, com texto e encenação de Cândido Sobreiro, a nova produção da companhia barcelense estreou no Auditório de Rianxo e apresenta a divertida comédia, dedicada a essa vila piscatória da província da Corunha, onde o português, o galego e castelhano se misturam na história da mais pequena e mirabolante comunidade portuguesa radicada na Galiza, inspirando-se na peça “Os vellos non deben de namorarse”, de Alfonso Castelao. A organização do certame é do Grupo Cénico de Arentim, que este ano comemora o 50.º aniversário, sendo um dos históricos grupos de teatro amador do Minho.

Por falar em Castelao e em Rianxo, também neste sábado que se avizinha, pelas 21h45, no Auditório Cívico de Palmeira, no âmbito da 3ª edição do FEST’ARTE, festival de teatro organizado pela Nova Comédia Bracarense, sobe a palco o Teatro de Airiños, vindo, precisamente, de Rianxo (Corunha), com a sua peça “Romeo e Xulieta”.

A terra do referido Alfonso Castelao mas, também, de Dieste e Manuel Antonio, nomes incontornáveis da literatura galega, vai estar em destaque por terras de Braga.

A companhia Teatro de Airiños celebra, este ano, 85 anos de existência, com a particularidade de ter sempre representado em galego, mesmo durante a ditadura franquista, quando a língua foi proibida. Já “Romeo e Xulieta” é uma adaptação do texto de William Shakespeare, com encenação de Esther F. Carrodeguas.

Fonte: TB.

Fotos: DR.

Peça de Teatro “As Artimanhas de Scapin” no Teatro Gil Vicente

Fevereiro 27, 2018 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

Nos dias 2 e 3 de março, pelas 21h30, a Nova Comédia Bracarense – Companhia de Teatro Amador de Braga, leva a cena, no Teatro Gil Vicente, a sua peça “As Artimanhas de Scapin”, que é uma comédia de Molière.



O encenador, Fernando Pinheiro, revela-nos um pouco da peça:

«Num momento em que a cena vem sendo tomada por projetos que procuram apenas o riso pelo riso, em exercício de grande solidão estética, e em que muitas companhias são tentadas a representar peças de fundo literário, já para não falar de um pseudo-teatro insipiente, carecido de forma e conteúdo, convém regressar àqueles clássicos que constituem uma fonte inesgotável de ensinamentos. É o caso de Molière, cuja lição precisa de ser recuperada. Sem dúvida que foi considerado o maior comediógrafo da história do teatro; mas para chegar a essa excelência, foi um assíduo frequentador de teatros de Paris, aprendeu com grandes mestres, particularmente com Scaramouche e os cómicos italianos, estudou em profundidade a sociedade do seu tempo, adquiriu a difícil técnica do ator rigoroso e versátil, escreveu peças de fundo social e desempenhou os papéis das suas personagens principais. Ele soube como nenhum outro descobrir a missão histórica, social e cultural do teatro; a qual, para atuar sobre a consciência do público, tinha de ser necessariamente estruturada em linhas claras, em juízos pertinentes e em diálogos e movimentos leves e graciosos.

Depois de toda essa aprendizagem, Molière usou a comédia para atacar impiedosamente os males que minavam a sociedade em que viveu, expondo nas tábuas do palco toda uma imensa galeria de libertinos, hipócritas, maníacos, ignorantes, devassos, avarentos… Contrariamente, celebrou em cena a liberdade amorosa dos jovens amantes, a dignidade sentimental da mulher, a inesgotável capacidade sobrevivente dos simples. Em “Artimanhas de Scapin”, para lá do seu impagável histrionismo, Molière “explica” como a avareza da velha burguesia parisiense pode concorrer para a infelicidade dos jovens, e como o estado da justiça é um empecilho para o desenvolvimento da França do séc. XVII. E dourou tudo isso com um cómico de situação só ao alcance daqueles a quem as musas da poesia concedem as suas liras de sonho e encantamento. Não sem razão ficou para a história a sua máxima de que «o dever da comédia é corrigir os homens divertindo-os».

Esta peça de teatro não está ao abrigo do Cartão Quadrilátero. Para mais informações, pode utilizar o e-mail tgv@cm-barcelos.pt e/ou o telf. 253809694

Fonte: AB.

Imagem: NCB.

Teatro de Balugas atribui prémio “Palco de Terra” a Fernando Pinheiro

Dezembro 1, 2017 em Atualidade, Concelho, Cultura, Mundo port barcelosnahorabarcelosnahora

No próximo dia 3 de dezembro, domingo, pelas 16h00, no auditório da Junta de Freguesia de Balugães, o Teatro de Balugas entrega a Fernando Pinheiro o prémio anual “Palco de Terra”.



O Teatro de Balugas, através da organização do ciclo de teatro “Palco de Terra”, tem como objetivo a promoção e a divulgação de projetos teatrais. Nesse sentido, decidiu instituir o prémio anual “Palco de Terra” para “reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas ou instituições no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Minho”, refere o dito Teatro em nota enviada a este jornal.

Nesta primeira edição, a distinção foi atribuída ao ator, encenador e dramaturgo Fernando Pinheiro, pelo trabalho desenvolvido ao longo de 50 anos de teatro no Minho.

A cerimónia terá, também, a participação especial da Nova Comédia Bracarense, com o espetáculo de teatro “O Aniversário do Casamento”, a partir do livro Ópera-Bufa, de Fernando Pinheiro.

Fonte: TB.

Fotografia: João Brites/Cartaz: André Sobreiro.

Ir Para Cima